Empoderamento Feminino em 2016

Alice Schuch, palestrante e escritora sobre o universo feminino

Escrevo este artigo para mulheres profissionais, capazes e com experiência em diversos campos que se sentem chamadas pelo vivo interesse de desenvolver o caminho em direção a uma nova ordem de ação vencedora para o universo feminino.

Entendemos que continuar no século XXI reivindicando oportunidades iguais implica em manter a inferioridade das mulheres. Enquanto o feminino for uma categoria protegida como os portadores de necessidades especiais, os mutilados e os inválidos, significa que não somos iguais, pois quem sente que é um igual, comporta-se como tal.

Meus estudos apontam que a existência de órgãos encarregados em promover igualdade de oportunidades para as mulheres denotam a conservação institucional da inferioridade feminina. Aquilo que ainda nos surpreende é que as mulheres tuteladas não se sintam de algum modo ofendidas.

As mulheres, como os homens são seres humanos dotados de inteligência, que não é uma prioridade nem masculina e nem feminina. Não existe diferença substancial entre os dois sexos, mas apenas formal, no sentido que uma mesma realidade acontece de dois modos diversos, que dão origem a percursos diferentes, complementares e ambos indispensáveis.

A tese de Antonio Meneghetti é que a história do humano neste planeta é falimentar porque falta a presença e a contribuição da inteligência ao feminino, pois as mulheres não entraram ainda diretamente na ação histórica. Não se trata de um problema pequeno, caso se pense que é a mulher que gera a vida neste planeta.

Fonte: Wh Comunicação