Profissional liberal pode incrementar renda com venda de produtos

Associar a venda de produtos a serviços relacionados à atividade principal do profissional pode gerar ganhos adicionais para complementar a renda mensalmente

Obter um ganho extra não precisa ser algo relacionado à dupla jornada ou a um plano B pouco ou nada aderente à atividade desenvolvida pelo profissional liberal. Isso porque o desafio de aumentar o faturamento pode estar no próprio campo de atuação do autônomo. Quem viu nessa opção uma chance de ganhar mais foi Pollyane Sávio, fonoaudióloga, que no começo do ano aderiu à venda de aparelhos auditivos para incrementar o faturamento do consultório.

“Navegando pelas redes sociais, conheci a Direito de Ouvir – rede de franquias que oferece soluções em aparelhos auditivos para pacientes que precisam de próteses para recuperar a perda da audição – e me credenciei em fevereiro de 2016.” Sávio explica que a cada venda de aparelho auditivo recebe um comissionamento. “A própria Direito de Ouvir encaminha o paciente pra mim, o que contribui para aumentar o número de clientes do consultório. Faço a avaliação, entendo as necessidades do paciente e apresento a ele os aparelhos mais indicados para aquela perda auditiva. Após um período de teste, com duração de sete dias, o paciente decide se irá adquirir o aparelho”, diz Sávio.

Outro profissional que viu na venda de produtos uma maneira de incrementar a renda foi o contador Matheus Diamantino, que desde meados de 2016 comercializa certificados digitais para os clientes do escritório contábil. “Como parceiros empreendedores da autoridade de registro DOCCLOUD, recebemos comissionamento sobre os produtos comercializados”, afirma Diamantino.

O certificado digital é uma espécie de assinatura eletrônica, com valor jurídico, exigido pelo governo para a rotina operacional – fiscal, trabalhista e previdenciária – das empresas. Diamantino afirma que o escritório consegue vender uma média de 25 certificados mensalmente, o que representa um incremento no faturamento mensal do escritório contábil. “Temos a perspectiva de forte crescimento em 2017”, completa.

Como funciona a parceria

Para a fonoaudióloga se cadastrar na rede da marca é necessário que tenha consultório. “O consultório pode ou não ser próprio. Os materiais e acessórios necessários para prestar assistência ao paciente compõe o kit de atendimento, que pode ser parcelado para o especialista”, explica a gerente de expansão da Direito de Ouvir, Roberta Alves. Segundo ela, há um limite de fonoaudiólogos por cidade e região. “A empresa faz um estudo sobre a viabilidade de atendimento do profissional naquela área específica antes de credenciá-lo. Também é necessário que o profissional passe por um treinamento. A fono tem acesso a uma plataforma online para assistir a videoaulas e também há treinamento individual por videoconferência”, diz Alves.

Ao todo, são mais de 400 fonoaudiólogos em todo o País que já aderiram à venda de aparelhos auditivos como uma forma de obter uma renda extra. “A captação de pacientes é mais fácil, porque a indicação vem da própria rede. Também consigo atender meus próprios pacientes com soluções completas, da consulta à prótese, fazendo todo o acompanhamento”, afirma Sávio.

Para a venda de certificados digitais, a DOCCLOUD desenvolveu um plano de negócio específico, com a maior rentabilidade do mercado para atrair o contabilista, garante o diretor de comunicação da empresa, Renato Teixeira. “O profissional da área contábil já tem um portfólio de clientes que precisa do certificado digital para cumprir suas obrigações fiscais. “Ao invés de retermos a comissão ou repassarmos o valor a um funcionário nosso, o próprio contador fica com a bonificação pela venda”, diz Teixeira. A empresa também disponibiliza treinamento para os contadores, na forma de ensino a distância.

Sobre a Direito de Ouvir

No mercado desde 2007, a missão da Direito de Ouvir é possibilitar às pessoas com perda auditiva uma melhor qualidade de vida através de uma ampla variedade de aparelhos com preços acessíveis e alta tecnologia. A empresa adotou formato de franquia em 2013 para possibilitar que empreendedores de diferentes segmentos – e não apenas fonoaudiólogos – pudessem ter a chance de trabalhar com a marca, considerada uma das mais importantes no segmento de aparelhos auditivos no Brasil. O sucesso fez com que em 2014, a rede se juntasse à multinacional Amplifon, líder mundial em soluções auditivas, presente em 22 países. A Direito de Ouvir possui cerca de 400 fonoaudiólogas credenciadas, uma loja própria e cinco franquias em diferentes regiões do país. Site: http://www.direitodeouvir.com.br/

Sobre a DOCCLOUD

A DOCCLOUD é uma empresa especializada em certificação digital, que atua como Autoridade Certificadora homologada pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) e pela Receita Federal. Fundada em 2012, a empresa encontra-se em pleno processo de expansão com oportunidades para parceiros empreendedores gerenciarem novos pontos em todo o País. Com 470 pontos de atendimento por todo o Brasil, a DOCCLOUD garante celeridade, autenticidade e segurança nas transações eletrônicas pessoais e de empresas dos mais diversos ramos de atividade. Site: www.doccloud.com.br

ATTITUDE|COM