Projeto cultural apoiado pela Fibria homenageia os 102 anos de Três Lagoas (MS) com pinturas em placa de celulose

Produção artística integra o projeto Arte no Bairro, iniciativa realizada pela Casa da Cultura em parceria com a Fibria

Três Lagoas, 19 de junho de 2017 – Em vez de se transformar em papel, a celulose produzida pela Fibria virou instrumento de arte para dar vida à criatividade de 60 jovens que homenagearam os 102 anos de Três Lagoas (MS). As obras de arte integram o projeto Arte no Bairro, iniciativa realizada há sete anos pela Casa da Cultura em parceria com a Fibria.

Com o tema “Colorindo Três Lagoas”, os alunos fizeram uma releitura de fotos históricas que integram o livro Dama em Preto e Branco. Registradas pelo promotor de justiça Adão Levorato, as fotos mostram o início da criação da cidade, bem como a arquitetura e paisagens que hoje já não existem ou que foram transformadas pela ação do tempo.

“O intuito dessa exposição é homenagear o aniversário de Três Lagoas e também mostrar a visão particular de cada jovem no que se refere às cores utilizadas, pois como eles não viveram nos anos em que as fotos foram feitas, a criatividade fluiu de modo brilhante e resultou nesta exposição vibrante”, diz a artista Nilva Barrozo, coordenadora da Casa da Cultura.

Os alunos aprovaram a escolha do tema e, principalmente, a liberdade que tiveram para decorar as placas de celulose. “Foi uma experiência muito legal, pois ficamos livres para escolher as cores que queríamos. Pudemos passar para a tela nosso pensamento ou nosso desejo para determinadas imagens da cidade”, diz a estudante Camila Martins dos Santos, de 12 anos, que pintou a primeira construção da Catedral da cidade, quando era apenas uma pequena igreja.

A estudante Sofia Arantes, de 15 anos, pintou a imagem de pessoas caminhando próximas ao coreto da praça. Segundo ela, no início foi difícil imaginar todas as cores e transmiti-las para a tela, mas como Sofia diz ser apaixonada por arte, logo conseguiu vencer essa barreira e transferiu toda a sua criatividade para a placa de celulose. “Eu sempre gostei de pintar, principalmente aquilo o que eu sinto. Esse projeto acabou sendo muito importante, porque sou apaixonada por arte e aqui é onde eu consigo expressar isso”, disse Sofia.

Serviço

A exposição “Colorindo Três Lagoas” está em exibição na Biblioteca Municipal Rosário Congro e deve permanecer até o final do mês. As visitas podem ser feitas em horário comercial.

Sobre o projeto Arte no Bairro

Desenvolvido pela artista plástica Nilva Barrozo, o projeto consiste em incentivar a arte por meio da pintura em diferentes bairros da cidade. Para este projeto, a artista utiliza a técnica pioneira da pintura a óleo sobre placa de celulose. Durante as aulas, são abordados temas como história da arte, estilos e movimentos artísticos que permitem aos alunos expressarem sua criatividade dentro de cada tema proposto.

Sobre a Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos oriundos da floresta. Com capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso. A companhia possui 1.056 mil hectares de florestas, sendo 633 mil hectares de florestas plantadas, 364 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 59 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 40 países. Em maio de 2015, a Fibria anunciou a expansão da unidade de Três Lagoas, que terá uma nova linha com capacidade produtiva de 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano, e entra em operação no terceiro trimestre de 2017.

Fonte: Imprensa Fibria