Tudo mais segue na maturidade após os 50

A pesquisadora do universo feminino Alice Schuch afirma existir fundamento pensar que na maturidade tudo mais se consegue, e complementa. De acordo com ela, com o avançar da idade, grandes feitos são realizados por amor. Não se trabalha como os jovens, não com a velocidade ou com a rapidez do corpo, mas com a sabedoria da inteligência, com autoridade, com ciência, diferenciais que na maturidade, caso a vida tenha sido bem-sucedida, não apenas permanecem, como aumentam.

Alice aplica em si o que trabalha com as mulheres maduras em suas palestras e workshops, ensinando: “vivo já o paraíso com meus amigos, realizando meu trabalho saboreio a ´fase sobremesa´, na qual busco deliciosos complementos”. E ela fomenta mais reflexões, utilizando os questionamentos do soldado, cônsul e guerreiro de muitas lutas, também o maior orador de todos os tempos, Cícero, que viveu entre 106 e 43 a.C. Ele questionava: “eu vos pareço um inútil? Eu vos pareço estar em férias?”.

Eis o cenário real e a resposta de Alice Schuch à Cícero e à sociedade de hoje: “eu e você devemos manter a chama viva com jovial alegria, inventando infinitos modos, persistindo em novos projetos, permanecendo superiores, inspirando e expirando, em contínua criação, abrindo estradas e, desse modo, tornando-nos testemunhos de sucesso para as gerações que virão”. A pesquisadora estuda o comportamento humano, o das mulheres em especial há mais de treze anos, com bagagem e estudos aplicados em vários grupos de mulheres, analisa o cotidiano das famílias e afirma que na vida cada coisa tem o seu tempo, cada fase tem o seu modo… “Depois de tantas águas e tantas luas, tantas terras e tantos céus, surge o doce fulgor do pôr do sol”.

Alcançada a sabedoria, contempla-se a vitória e a doçura que finalmente pertence à idade madura, merecido prêmio aos vencedores. “Brindemos à sobremesa!”, sugere com alegria Alice Schuch.

Fn | Wh Com,.