Cinco fatos relevantes sobre a saúde bucal infantil

Especialista alerta para hábitos e manias que podem comprometer os dentes

Foto: Google

 O universo relacionado à saúde bucal infantil é uma dessas coisas que só se percebe quando a criança se queixa de dor. Mas não deveria ser assim. De acordo com Helenice Biancalana, especialista em Odontopediatria e segunda vice-presidente da APCD – Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, o dia a dia acelerado das grandes cidades contribui para que os pais cuidem muito pouco de sua saúde bucal e ainda menos da de suas crianças. “A questão é que, se dedicando à escovação e ao uso do fio dental pelo menos dez minutos por dia, inúmeros problemas poderiam ser evitados”.

A especialista aponta cinco fatos relevantes sobre a saúde bucal das crianças:

1.      Dente de leite tem cárie e precisa de tratamento. Uma em cada três crianças entre um ano e meio e três anos tem pelo menos um dente de leite cariado. Na dentição permanente, duas a cada três crianças com doze anos têm pelo menos um dente cariado.  Esses dados são da Pesquisa Nacional em Saúde Bucal, de 2010. “Dente de leite tem cárie e precisa de tratamento. O mais importante é saber que, com duas escovações por dia, utilizando creme dental com flúor, esses dados alarmantes podem ser drasticamente reduzidos”.

2.      Bebidas consideradas ‘saudáveis’ têm mais açúcar do que se pode imaginar. “Tanto os sucos em caixinha quanto as bebidas esportivas (isotônicos) são associados à imagem de quem cuida da saúde. Entretanto, estudos indicam que os níveis de acidez dessas bebidas podem levar à erosão da superfície dental, comprometer o esmalte e a aparência dos dentes, e aumentar a sensibilidade e a dor. Conclusão: aumente a oferta de água e de leite às crianças, conferindo sempre o rótulo da embalagem quando for oferecer um suco pronto”.

3.      Mamar no peito faz bem à saúde bucal. “O aleitamento materno é a melhor medida de prevenção do uso da chupeta e da sucção digital (sugar o dedo) – embora a sucção digital possa ser identificada ainda durante a gestação, através de registros ultrassonográficos do feto. Quando a criança mama no peito há um intenso trabalho da musculatura facial que influencia o desenvolvimento ósseo e muscular. O bebê acaba por satisfazer seu instinto de sugar, não necessitando recorrer a estímulos artificiais de sucção, como a chupeta”.

4.      Criança que respira só pela boca precisa de tratamento. “Quando a criança tem alguma dificuldade em permanecer com os lábios fechados, ou quando só dorme de boca aberta, é importante buscar ajuda especializada. Esses padrões mostram o quanto crises respiratórias podem estar interferindo em outras áreas. A respiração bucal tende a comprometer o desenvolvimento de importantes estruturas ósseas da face e das arcadas dentárias. O rosto pode crescer fino e alongado. O ideal é que a criança seja tratada por um otorrinolaringologista com o acompanhamento de um ortodontista, fazendo uso de aparelhos para normalizar o crescimento facial e promover respiração adequada”.

5.      Aparelho ortodôntico não é ‘moda’, é necessidade para alguns. “Em anos recentes, a moda de usar aparelhos ortodônticos coloridos virou febre entre crianças e adolescentes, preocupando toda a classe dos cirurgiões-dentistas. É importante alertar os pais sobre o risco que isso representa à saúde de seus filhos. Pior ainda, acabam comprando ‘ferrinhos’ e ‘elásticos’ sem origem comprovada e certificação de qualidade, podendo causar desde intoxicações e alergias severas, até alterações irreparáveis na gengiva e nos dentes, inclusive com perda óssea e perda de dentes”.

Fonte: Dra. Helenice Biancalana, especialista em Odontopediatria e segunda vice-presidente daAPCD – Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistaswww.apcd.org.br

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: cid:image001.jpg@01D34119.C2C0A7F0

Descrição: Descrição: Descrição: Assinatura Anna Sturaro (2)