Pesquisa mostra tendências globais no uso da tecnologia e da mídia social entre ONGs

A Public Interest Registry e a Nonprofit Tech for Good divulgam o 3o Relatório Global sobre a Tecnologia das ONGs de 2018
RESTON, Virgínia, 13 de fevereiro do ano 2018 – A Public Interest Registry, operadora sem fins lucrativos do domínio .org, e a Nonprofit Tech for Good divulgaram hoje os resultados do “Relatório Global sobre a Tecnologia das ONGs de 2018” (“2018 Global NGO Technology Report“). O terceiro relatório anual analisa como as organizações não governamentais (ONGs) no mundo usam a Internet, o e-mail, a tecnologia de comunicações móveis, as ferramentas de levantamento de fundos online, a mídia social e como gerenciam dados e segurança.

O relatório detalha os principais resultados de uma pesquisa, com 5.352 ONGs entrevistadas em 164 países da África, Ásia, Austrália e Oceania, Europa, América do Norte e América do Sul. O relatório fornece percepções sobre as ferramentas online e de comunicações móveis que as ONGs do mundo utilizam para promover conscientização em geral, se comunicar com seu público-alvo e levantar fundos junto a doadores, bem como uma análise dessas ferramentas online e comparações de uso regional. Novas informações no relatório deste ano também mostram como as ONGs implementam softwares de administração de dados e segurança.

Entre as informações essenciais estão:

  • 92% das entrevistadas têm um website. Desses, 87% são compatíveis com dispositivos móveis, um aumento de 9% sobre 2017.
  • 68% das entrevistadas na pesquisa declararam que sua organização usa o domínio .org, em comparação com 8% que usa o domínio .com.
  • O e-mail é predominante como forma de comunicação com os doadores, sendo que 63% das entrevistadas enviam informes por e-mail regularmente, mas 18% delas usam aplicativos de mensagens e 15% enviam mensagens de texto a seus patrocinadores regularmente.
  • 72% das entrevistadas aceitam doações online, um aumento de 5% sobre 2017.
  • Embora 95% das organizações concordem que a mídia social é eficaz para conhecimento de marca online, apenas 32% das ONGs no mundo têm uma estratégia de mídia social escrita.
  • O Facebook lidera o uso global como a maior plataforma de mídia social, com 93% das entrevistadas tendo uma página dedicada, seguido pelo Twitter (77%) e pelo YouTube (57%)
  • 25% das ONGs postam diariamente em sua página no Facebook e 24% usam o Twitter de duas a cinco vezes por dia, enquanto 68% das ONGs postam no Linkedin menos de uma vez por semana.
  • 80% das ONGs no mundo utilizam o sistema operacional Windows da Microsoft em seus desktops e laptops, enquanto nos smartphones e tablets, o uso global do Android da Google supera o uso do iOS da Apple.
  • As ONGs pesquisadas indicaram que usam o software de Gestão de Relacionamento com o Cliente (CRM — Customer Relationship Manager) para administrar as comunicações com os doadores (45%) e, entre elas, 64% usam o software de CRM baseado na nuvem.
  • Apenas 41% das entrevistadas globais usam tecnologia de criptografia para proteger dados e comunicações.

“Essas informações do relatório de 2018 confirmam que as ONGs no mundo estão ampliando rapidamente o uso da tecnologia e a maior confiança na tecnologia gera maior gestão de dados e necessidades de segurança”, disse a fundadora da Nonprofit Tech for Good, Heather Mansfield. “Pela primeira vez, o relatório deste ano fornece referências para a gestão e a segurança dos dados organizacionais e dos doadores. As ONGs ficaram para trás do setor privado nessa área, mas, aos lhes fornecer essas referências, esperamos inspirar as ONGs a modernizar sua gestão de dados e práticas de segurança”.

Informações essenciais da África incluem:

  • Apenas 74% da ONGs na África têm um website, com 87% deles sendo compatíveis com dispositivos móveis.
  • Em comparação com a média global, menos ONGs na África aceitam doações online (55%).
  • O WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais popular para comunicações com doadores (87%), seguido pelo Facebook Messenger (52%) e pelo Viber (4%).
  • O Facebook é o canal de mídia social mais popular (85%), seguido pelo Twitter (62%) e Linkedin (39%).
  • O Android da Google é o sistema operacional para smartphones e tablets mais popular (66%).

Informações essenciais da Ásia incluem:

  • Em comparação com a média global, menos entrevistadas da Ásia têm um website (81%). Desses, 86% são compatíveis com dispositivos móveis.
  • 56% das entrevistadas aceitam doações online, um aumento de 9% sobre 2017.
  • O WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais popular para comunicações com doadores (69%), seguido pelo Facebook Messenger (52%) e pelo Viber (9%).
  • 86% das entrevistadas na Ásia têm uma página no Facebook e 62% têm um perfil no Twitter.
  • Na Ásia, 62% das ONGs utilizam o Android da Google como sistema operacional para smartphones e tablets.

Informações essenciais da Austrália e Oceania incluem:

  • 99% das ONGs na Austrália e Oceania têm um website, com 86% deles sendo compatíveis com dispositivos móveis.
  • 70% das ONGs aceitam doações online.
  • Representando a menor percentagem globalmente, apenas 8% das ONGs usam aplicativos de mensagens para comunicações com doadores; 88% das organizações usam o Facebook Messenger.
  • O Facebook é o canal de mídia social mais popular (94%), seguido pelo Twitter (73%) e Linkedin (57%)
  • Na região, o iOS da Apple é o sistema operacional preferido para smartphones e tablet, com 45%, enquanto 21% usam o Android da Google.

Informações essenciais da Europa incluem:

  • 97% das ONGs europeias têm um website, com 86% sendo compatíveis com dispositivos móveis.
  • A percentagem de ONGs europeias que aceitam doações online é de 59%.
  • Para comunicações com doadores, apenas 17% das entrevistadas na Europa usam aplicativos de mensagens, com o WhatsApp sendo o mais popular (65%).
  • 94% das entrevistadas na Europa têm uma página no Facebook, 80% delas têm um perfil no Twitter e 58% têm uma página no Linkedin.
  • O Android da Google é o sistema operacional preferido para smartphones e tablets (47%), seguido pelo iOS da Apple (25%).

Informações essenciais da América do Norte incluem:

  • 98% das ONGs na América do Norte têm um website. Desses, 88% são compatíveis com dispositivos móveis.
  • 86% das entrevistadas aceitam doações online.
  • Apenas 10% das ONGs usam aplicativos de mensagens para comunicações com doadores. Desses, o Facebook Messenger é a plataforma preferida (68%), seguida pela da WhatsApp (32%) e Snapchat (10%)
  • 97% das ONGs usam o Facebook, 85% usam o Twitter, 63% usam o Linkedin e 61% usam o Instagram.
  • Das ONGs entrevistadas na América do Norte, 49% indicaram que usam o iOS da Apple em smartphones e tablets, o que é a maior percentagem relatada de uso entre todas as regiões.

Informações essenciais da América do Sul incluem:

  • Em comparação com a média global, menos ONGs na América do Sul têm um website (88%), com 87% deles sendo compatíveis com dispositivos móveis.
  • 56% das ONGs aceitam doações online, uma percentagem menor do que a média global (72%).
  • As entrevistadas da América do Sul relataram o maior uso de aplicativos de mensagens para comunicações com doadores (40%), com a maioria usando o WhatsApp (90%).
  • Entre todos os países, os da América do Sul são os que mais usam o Facebook (98%) e que menos usam o Linkedin (41%); 71% das ONGs usam o Twitter, seguido pelo Instagram em 55%.
  • 78% das ONGs usam o sistema operacional Android da Google em seus smartphones e tablets.

O Relatório Global sobre a Tecnologia das ONGs anual mostra como a Internet pode ajudar as organizações a se comunicar e a colaborar com as partes interessadas e também como ela pode servir como uma força poderosa para mudanças, quando aliada a várias ferramentas tecnológicas”, disse o CEO da Public Interest Registry, Brian Cute. “Essa é uma iniciativa de pesquisa importante, que reúne parceiros de diversos setores para, em última análise, apoiar organizações em todo o mundo, conforme elas procuram entender melhor e fazer melhor uso da tecnologia que pode ajudá-las a realizar suas importantes missões sociais”.

O Relatório Global sobre a Tecnologia das ONGs tem o apoio de vários parceiros globais, que encorajam a participação das ONGs na pesquisa — particularmente aquelas localizadas em países emergentes — para assegurar um entendimento diversificado e equilibrado sobre como as ONGs no mundo usam a tecnologia. Os parceiros incluem a Fundação Qasimi, o Fórum de Fundações Árabes, o Instituto Blackbaud, CIVICUS, CONCORD Europa, Estúdio de Impacto, Greater Public, Infoxchange, iWith.org, Museu da Pessoa, Rede de ONGs da Nigéria, Philanthropy Circuit (Circuito de Filantropia), Tech Trust e TechSoup. Para mais informações sobre os resultados da pesquisa, da metodologia e para baixar o relatório completo, por favor, visite http://www.techreport.ngo. O relatório também está dispon&iac ute;vel nos seguintes idiomas:

Sobre a Public Interest Registry
A Public Interest Registry é uma organização sem fins lucrativos que opera o domínio de nível superior .org — o terceiro maior domínio de nível superior “genérico” do mundo, com mais de 10,3 milhões de nomes de domínio registrados em todo o mundo — e os domínios .ngo e .ong, bem como o website comunitário OnGood. A Public Interest Registry também opera quatro nomes internacionalizados de domínios para apoiar e encorajar o uso da Internet no idioma local. Como defensora da colaboração, proteção e segurança na Internet, a missão da Public Interest Registry é educar e capacitar a comunidade não comercial global a usar a Internet de uma maneira mais eficiente e a ocupar uma posição de liderança entre os grupos de interesse da Internet, no que se re fere a políticas e outras questões relacionadas ao sistema de nomeação de domínios. Com sede em Reston, Virgínia, EUA, a Public Interest Registry foi fundada pela Internet Society (internetsociety.org) em 2002.

Sobre a Nonprofit Tech for Good
Com quase 100.000 visitantes por mês e mais de um milhão de seguidores em suas redes sociais, a Nonprofit Tech for Good é um importante recurso de mídia social e comunicações móveis para profissionais de organizações sem fins lucrativos. Criada e gerenciada por Heather Mansfield, a Nonprofit Tech for Good se concentra em oferecer informações valiosas, fáceis de entender, notícias e recursos relacionados à tecnologia das organizações sem fins lucrativos, comunicações online e arrecadação de fundos via dispositivos móveis e mídias sociais.

FONTE Public Interest Registry