PMA de Dourados autua segundo pecuarista hoje por desmatamento ilegal de vegetação nativa durante a operação Cervo-do-Pantanal

Capital, (MS) – Há pouco, no início da tarde de hoje (13), uma equipe da PMA de Dourados realizava vistoria em uma propriedade rural, localizada na região da Cabeceira do Apa, no município de Ponta Porã e verificou mais uma área de vegetação nativa desmatada ilegalmente, durante vistoria relativa à Operação Cervo-do-Pantanal, que visa ao combate ao desmatamento ilegal. Pela manhã, outra equipe já havia autuado um fazendeiro, residente em Ponta Porã, por desmatamento ilegal de 2 hectares na mesma região e na mesma operação.

Nessa segunda propriedade vistoriada, pertencente a um fazendeiro, residente em Maracaju, os Policiais contataram uma área desmatada ilegalmente de 1,60 hectares destruídos e medidos com uso de GPS.

O pecuarista (41) suprimiu a vegetação há algum tempo, conforme os levantamentos por imagens de satélites e não possuía autorização ambiental. No local havia o plantio de pastagem e madeira produto da vegetação desmatada não estava mais no local. As atividades foram interditadas.

O infrator foi autuado administrativamente e recebeu multa administrativa de R$ 2.000,00. Ele também responderá por crime ambiental, que prevê pena de três a seis meses de detenção.

O infrator foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

OPERAÇÃO CERVO DO PANTANAL

A PMA recebeu 594 vistorias de possíveis desmatamentos ilegais levantados por imagem de satélites na bacia do rio Paraguai pelo Núcleo de Geoprocessamento (NUGEO) do Ministério Público Estadual (MPE). Durante a operação, Subunidades da PMA também efetuaram autuações em Sonora,  Bonito, Guia Lopes da Laguna, Nioaque, Bandeirantes, Jaraguari, Campo Grande, São Gabriel do Oeste, Bela Vista, Miranda, Caracol, Bela Vista, Porto Murtinho, Aquidauana, Anastácio, Camapuã, Ponta Porã, Rochedo, Nova Alvorada do Sul, Maracaju, Jardim, Sidrolândia  e Coxim.

Fn | Policia Militar Ambiental