A República do Zimbabué tornou-se o 19.º estado-membro da Africa Finance Corporation

acce3e7e-ae55-4fba-b146-c97f6fb3e8d4.png
LAGOS, Nigeria, 22 de maio de 2018 -/African Media Agency (AMA)/-  A República do Zimbabué (“Zimbabué”) tornou-se o 19.º (décimo nono) país-membro da Africa Finance Corporation (a “AFC” ou “a Corporação”) – a principal instituição financeira de desenvolvimentos infraestruturais da África.

Ao referir-se ao desenvolvimento de infraestruturas como uma das prioridades da sua agenda, Sua Excelência, o Presidente Emmerson Mnangagwa, declarou que o Zimbabué estava “aberto para negócios”. E assim, juntamente com o Infrastructure Development Bank of Zimbabwe (“IDBZ”), a AFC deu início ao processo de análises das oportunidades de investimento. O IDBZ tem um mandato nacional de promoção do desenvolvimento de infraestruturas nos principais setores de energia, transporte, habitação, TIC e água e saneamento do Zimbabué. Recentemente, o governo do Zimbabué nomeou o Banco como a entidade central e nacional de execução do Financiamento Climático Verde. Atualmente, o IDBZ passa pelo processo de acreditação no FCV – um desenvolvimento que o tornará o parceiro ideal ao ingresso da AFC no mercado zimbabuano. A adesão do Zimbabué à AFC irá aumentar, de forma significativa, os esforços de mobilização de recursos do Banco respeitantes ao financiamento das enormes carências infraestruturais do país.

Nesse contexto, em 9 de maio de 2018, o Ministro de Desenvolvimento Económico e Financeiro do Zimbabué firmou o Instrumento de Adesão à Africa Finance Corporation.

Somente em 2018, a AFC celebrou marcos importantes em termos de diversificação das afiliações e participação acionária, com a African Reinsurance Corporation e República do Malawi afiliando-se à Corporação em fevereiro e março, respetivamente. A adesão do Zimbabué à AFC representa um desenvolvimento positivo para o país e a Corporação.

“É um prazer receber o Zimbabué como país-membro da Corporação. Consideramos o contínuo renascimento económico e político como algo positivo e esperamos poder contribuir de facto para a revitalização das infraestruturas internas do país”, afirmou Andrew Alli, Presidente e Diretor Executivo da AFC, sobre a notícia.

2d7c788b-dbf0-469e-af06-44c71b2a5ed6.jpg
Legendas da esquerda para a direita: Ini Urua, Vice-presidente Superior das Relações com Países e Investidores – AFC; Oliver Andrews, Diretor de Investimentos – AFC; Sibusiso Moyo, Ministro das Relações Externas – Governo do Zimbabué; Sanjeev Gupta, Diretor Executivo, Serviços Financeiros – AFC.

“O modelo empresarial da AFC tem provado a capacidade de o continente africano poder de facto mobilizar sozinho o financiamento de infraestruturas. Temos prazer em ver outros Estados africanos aderirem-se à Corporação e promulgarem soluções internas aos nossos desafios infraestruturais”, afirmou Patrick Chinamasa, Ministro de Desenvolvimento Económico e Financeiro do Zimbabué, sobre a notícia.

“É bastante incentivador ver uma instituição financeira, como a AFC, com o foco voltado à África. Esperamos vê-la liderar um renascimento infraestrutural e industrial, especialmente no Zimbabué e na África, de modo geral”, também afirmou o Ministro das Relações Externas do Zimbabué, o Tenente-general Dr. Sibusiso Moyo.

“Desejamos poder trabalhar em estreita colaboração com a AFC, especialmente nas áreas de desenvolvimento de projetos, reforço das capacitações e provisão de infraestruturas”, acrescentou Thomas Zondo Sakala, Diretor Executivo do IDBZ.

Distribuído pela Africa Media Agency (AMA) em nome do Africa Finance Corporation (AFC).

Notas aos editores:

Sobre a AFCwww.africafc.org

A AFC, uma instituição financeira multilateral da categoria de investimentos, foi constituída em 2007 com uma base de capital próprio de um mil milhão de dólares norte-americanos, com a finalidade de ser catalisadora de investimentos privados em infraestrutura em toda a África. Com um balanço atual de aproximadamente 4,2 mil milhões de dólares norte-americanos, a AFC é a segunda maior instituição financeira multilateral da categoria de investimentos na África, com a classificação A3/P2 (perspetiva estável) do Serviço de Investidores da agência Moody. Em 2015, a AFC angariou, com êxito, 750 milhões de dólares norte-americanos e, em 2017 500 milhões; do seu Programa Global de Notas de Médio Prazo, aprovado pelo Conselho de Administração, de 3 mil milhões de dólares. As euro-obrigações registaram uma procura superior ao número de emissões e atraíram investidores da Ásia, Europa e Estados Unidos.

A abordagem de investimentos da AFC reúne conhecimentos setoriais especializados e foco em consultoria técnica e financeira, estruturação de projetos, desenvolvimento de projetos e capital de risco, de modo a atender às necessidades de desenvolvimento infraestrutural da África e incentivar um crescimento económico sustentável. A AFC investe em ativos infraestruturais de alta qualidade que fornecem serviços essenciais aos principais setores infraestruturais de energia, recursos naturais, indústria pesada, transporte e telecomunicação. Até à data, a Corporação já investiu cerca de 4 mil milhões de dólares norte-americanos em projetos em 28 países do norte, leste, oeste e sul da África.

Siga-nos no – @africa_finance