Pabllo Vittar é capa de conceituada revista nos EUA e fala sobre como é ser LGBT no Brasil

Na nova edição da Paper Magazine, a drag queen brasileira concede uma entrevista para a cantora britânica Charli XCX

Por: Estado de Minas

Publicado em: 17/07/2018 09:14 Atualizado em:17/07/2018 09:18

Apresentada como um "ícone", a matéria explica como Pabllo se tornou "rapidamente uma das figuras 'queer' mais emblemáticas do mundo". Foto: Fernanda Tine/Divulgação
Apresentada como um “ícone”, a matéria explica como Pabllo se tornou “rapidamente uma das figuras ‘queer’ mais emblemáticas do mundo”. Foto: Fernanda Tine/Divulgação
Seguindo os passos de Anitta, a drag queen Pabllo Vittar tem feito suas primeiras jogadas para internacionalizar sua carreira. A mais nova delas é a capa da nova edição da Paper Magazine, conceituada revista norte-americana sobre tendências – que ficou conhecida por conta do ensaio nu com Kim Kardashian que “quebrou a internet”. Além de um ensaio exclusivo, Pabllo concedeu uma entrevista para a cantora britânica Charli XCX.
Na conversa, a artista falou sobre como é ser gay no Brasil e, apesar do preconceito que sofre e sofreu, afirmou que não escolheria nascer em qualquer outro lugar. “As pessoas LGBTQ+ no Brasil são muito fortes. Não quero dizer que a comunidade não seja forte em outros lugares, mas aqui temos um trabalho a fazer: nos unir como pessoas”, disse.
Apresentada como um “ícone”, a matéria explica como Pabllo se tornou “rapidamente uma das figuras ‘queer’ mais emblemáticas do mundo”, somando bilhões de visualizações em seus clipes e sendo a primeira drag brasileira a entrar nas paradas e no horário nobre da TV.
“Se eu não pudesse fazer drag, cantar ou fazer o que eu faço, eu me sentiria muito triste. Eu seria um pássaro longe do ninho”, afirmou a cantora. “Foi muito difícil no começo. Eu sempre sonhei em ser capaz de atuar, estar em um palco, cantar e fazer arte, mas ao mesmo tempo eu não tinha muita esperança por causa de todo o bullying que eu tinha passado. As pessoas na escola diziam que eu nunca seria alguém, e por muito tempo na minha vida eu acreditei nisso”.
Pabllo Vittar também revelou a vontade de gravar com artistas como Demi Lovato, Beyoncé e Rihanna. Apesar disso, ela comentou que começará a fazer shows fora do Brasil a partir do ano que vem por não se sentir ”preparada o bastante” ainda.
Sobre seu segundo álbum, ainda sem título, ela afirmou que o clipe do primeiro single será gravado em breve. ”As pessoas vão ouvir a mesma influência de música brasileira do Norte e do Nordeste”, prometeu. O disco de estreia de Pabllo, Vai passar mal, foi lançado no início de 2017 e obteve sucesso com os singles Todo dia, K.O., Corpo sensual, Então vai e Indestrutível.?

Confira a capa: