DESENVOLVIMENTO LOCAL: Saladão já gerou R$ 60 mil para três associações de agricultores

Ônibus foi adaptado para se tornar um mercado itinerante

17 DEZ 2018 – Por Redação – 04h:00 – Correio do Estado

Em oito semanas de funcionamento, o projeto Saladão, que promove comercialização de hortifrútis na Capital, gerou cerca de R$ 60 mil de lucro para as famílias de produtores da agricultura familiar participantes do programa. Diariamente, o Ônibus Saladão, que foi adaptado para se tornar um mercado itinerante, vende cerca de R$ 3 mil a R$ 4 mil, referentes às várias frutas e legumes disponíveis à população.

Todo o lucro fica com os agricultores – são três associações participantes –, já que a prefeitura apenas cede os veículos e oferece orientações de manejo e higienização.

“O projeto deu certo e já virou um programa, que, com certeza, vai continuar no próximo ano. É uma forma de dar dignidade e representatividade a esses produtores”, afirma o titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc), Abrahão Malulei. “Temos muitas pessoas pedindo para que o ônibus também passe pelos seus bairros. Atualmente, o programa só funciona quarta, quinta e sexta-feira, em locais fixos. Isso pode ser ampliado”, cogita.

Para o funcionamento do Saladão, são utilizados dois veículos: o caminhão refrigerado, que transporta os produtos das propriedades rurais para a cidade, e o Ônibus Saladão, que foi adaptado para ser um mercado itinerante. Dentro do ônibus, os produtos são expostos em caixas, colocadas nas gôndolas adaptadas para tal fim, permitindo fácil acesso do consumidor aos hortifrútis oferecidos.

*Leia mais na reportagem de Eduardo Fregatto , na edição desta segunda-feira (17) do Correio do Estado