MS é o 4º no “limpa” de comissionados

Foto: LinkdIn
Ângela Kempfer

Limpa geral – O sul-mato-grossense Reinaldo Azambuja (PSDB) entrou na lista de oito governadores que, juntos, já exoneraram 22 mil funcionários de cargos em comissão neste inicio de administração.

Ranking – Mato Grosso do Sul aparece em 4º lugar no ranking de enxugamento, com 1,9 mil exonerados. Minas Gerais é recordista, com quase 5 mil servidores demitidos. Depois aparece o Tocantins (4,1 mil) e Paraná (cerca de 3 mil).

Primeirão – Jorge Martins foi um dos primeiros ocupantes de cargo no segundo escalão de Reinaldo a ter o retorno garantido ao governo estadual. Nesta sexta-feira (4) foi publicado seu retorno ao cargo de diretor-presidente da Ageprev (Agência Estadual de Previdência de Mato Grosso do Sul), já com a nova designação de DCA-1.

Realocados – Além de Martins, outro que continua no governo estadual, com o exercício de mandato aprovado pelo conselho da instituição, é o ex-vereador Youssif Domingos, que segue como diretor-presidente da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul). A realocação dele e de mais quatro servidores se deve à troca dos antigos DGAs para DCAs.

Gradação – O antigo sistema de DGAs previa oito níveis salariais, incluindo os secretários de Estado, sendo apontados verdadeiros abismos salariais. Com os DCAs, criaram-se 16 níveis (secretariado incluso) e uma possibilidade maior de encaixar os servidores sem a necessidade de adicionais por função ou outros acréscimos –o que, espera-se, ajudará a reduzir o peso da folha salarial que, em dezembro de 2018, demandou R$ 450 milhões.

Quem fica – Além de Yousseff, continuam na Agepan o diretor de Regularização e Fiscalização de Transportes, Rodovias e Portos, Ayrton Rodrigues; Marilucia Pereira Sandim, diretora de Regularização e Fiscalização em Saneamento; Valter Almeida da Silva, diretor de Regularização Econômica; e Sandra Regina Augusto, diretora de Administração e Planejamento.

Tristeza – O município de Rio Brilhante está em luto oficial de 3 dias. A filha do vice-prefeito Márcio Belone, Ana Gabriele, morreu na última quinta-feira. A jovem cursava Direito e passava as férias na casa de parentes.

Adeus em SP – A causa da morte não foi divulgada. Nota da prefeitura de Rio Brilhante aponta apenas que o caso se trata de “morte natural”, sem especificar a doença. Velório e sepultamento ocorreram em Parapuã (SP).

Feriado de fé – O presidente Bolsonaro sancionou e estudantes de escolas e universidades públicas e privadas agora podem faltar aula e provas, em dias que, “segundo os preceitos de sua religião, seja vedado o exercício de tais atividades”. Adventistas já têm de guardar o sábado, mas também há restrições de fé impostas a muçulmanos e judeus.

Fora do ar – Depois de “menina veste rosa e menino veste azul”, outro ato que virou polêmica no governo Bolsonaro foi a retirada de uma cartilha dirigida a homens trans, do portal do Ministério da Saúde. O material havia sido lançado há seis meses, com dicas de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis.

Censurada – A justificativa para a retirada é que uma das páginas da cartilha exibe um esquema do órgão sexual feminino e um desenho de uma espécie de seringa invertida, batizada de “pump”, usada para aumentar o clitóris.