Tecpar contribui para manutenção da capacidade produtiva do solo

Registrado junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para controle de produtos em todo o país, o instituto analisa a quantidade de substâncias contaminantes potencialmente presentes no solo, como metais pesados e resíduos de agrotóxicos.
A sustentabilidade da produção de alimentos depende da manutenção e da melhoria da capacidade produtiva do solo. Para promover a reflexão sobre o tema, em 15 de abril é comemorado o Dia Nacional da Conservação do Solo. Há 10 anos, o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) contribui para a preservação e a correta utilização deste importante recurso natural, analisando a quantidade de substâncias contaminantes potencialmente presentes no solo, como metais pesados e resíduos de agrotóxicos.
Acreditava-se que o solo e sedimento seriam fontes inesgotáveis, porém, atualmente sabe-se que é um recurso não renovável, se não houver o manejo adequado ou continuar exploração desenfreada, explica a gerente do Centro de Tecnologia em Saúde e Meio Ambiente do instituto, Daniele Adão.
Segundo ela, o laboratório do Tecpar está registrado junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para fazer o controle da qualidade de fertilizantes, corretivos agrícolas e inoculantes para fabricantes em todo o território nacional.
O instituto também oferta ensaios na área de resíduos de agrotóxicos em solos e sedimentos, atendendo as principais legislações vigentes. Esses ensaios são desenvolvidos com metodologias e equipamentos mais modernos, avaliando mais de 350 tipos de agrotóxicos.
PREVENÇÃO O uso racional de fertilizantes pode evitar a poluição e a degradação do solo, contribuindo para o fornecimento de alimentação de qualidade à população.
Para evitar o uso incorreto destas substâncias, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) fiscaliza fertilizantes, corretivos agrícolas e inoculantes comercializados no Estado. Neste contexto, o Tecpar é responsável pela verificação das garantias declaradas pelo fabricante, por meio de ensaios químicos, físicos e microbiológicos. Desde o último contrato estabelecido com a agência, em 2016, já foram analisadas 930 amostras de fertilizantes.
Um dos efeitos relacionados ao uso inadequado de fertilizantes, ou de produtos que não estão de acordo com as legislações do ministério, é a ação tóxica que uma substância provoca nas plantas, prejudicando seu desenvolvimento, alerta Daniele.
PARCERIA O Tecpar é associado à Rede de Laboratórios para a Detecção de Resíduos e Contaminantes em Produtos de Origem Animal e Vegetal Destinados ao Consumo Direto e Indireto (RRC). Trata-se de um projeto-piloto do Ibama que visa gerar indicadores ambientais quanto à presença de agrotóxicos em solos, águas superficiais e águas de chuva em diferentes zonas climáticas do Brasil.
De acordo com Daniele, os recursos obtidos por meio da rede contribuem para o aprimorar a infraestrutura dos laboratórios do instituto, além de melhorar as condições de execução dos ensaios, ampliar sua capacidade analítica e implantar novos ensaios.
LEGISLAÇÃO – A resolução 420/09 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conamas) estabelece critérios para a avaliação de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias em decorrência de atividades antrópicas, ou seja, que resultam da ação humana.
Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355