Usina Jupiá comemora nesta segunda-feira 50 anos de olho no futuro

Uma das mais importantes hidrelétricas do País completa meio século de operação envolvida em um projeto de modernização inédito no setor 

Neste 14 de abril, a Usina Jupiá, uma das mais importantes do País, comemorou 50 anos de operação olhando para o futuro.

A usina, localizada no rio Paraná, na divisa do estado de São Paulo com o Mato Grosso do Sul, entre Castilho (SP) e Três Lagoas (MS), está passando por um processo de modernização sem precedentes na história do setor elétrico brasileiro, junto com a Usina Ilha Solteira. As duas hidrelétricas são operadas pela CTG Brasil.

Serão R$ 3 bilhões investidos, no prazo de dez anos, para reformar 34 unidades geradoras – 14 de Jupiá e 20 de Ilha Solteira. O projeto também inclui toda a parte de automação e um novo Centro de Operação da Geração (COG), entre outras melhorias que visam trazer mais confiabilidade para o sistema elétrico do País.

“O projeto de modernização reforça nosso compromisso de longo prazo com o País, pois vamos entregar para a sociedade brasileira dois ativos novos, modernos e com vida útil para operar com disponibilidade e segurança pelos próximos 30 anos”, diz o vice-presidente de Geração e Comercialização da CTG Brasil, Evandro Vasconcelos, que também destaca o importante trabalho de cooperação entre profissionais brasileiros e chineses.

Histórico – Com 1.551,2 MW de capacidade instalada, a Usina Jupiá gerou, desde o início da operação pela CTG Brasil, em 1º de julho de 2016, 20.954.183 megawatts hora (MWh), energia suficiente para atender a uma cidade de cerca de 2,6 milhões de habitantes por todo esse período.

O reservatório da usina ocupa uma área de 330 quilômetros quadrados, banhando sete municípios ao longo de 541 quilômetros. O lago vai além da finalidade principal de assegurar água para a geração de energia, e colabora para impulsionar o turismo na região, por meio de atividades náuticas, de pesca e lazer.

A usina Jupiá passou a ser operada e administrada em 2016 pela CTG Brasil, que pagou ao governo brasileiro a outorga de R$ 4,67 bilhões pela concessão de 30 anos. A usina Ilha Solteira foi arrematada no mesmo leilão, por R$ 9,13 bilhões. Juntas, as duas usinas compõem o maior complexo hidrelétrico das regiões Sudeste e Centro-Oeste, com capacidade total instalada de 4.995,2 MW.

Comunidade – Para fortalecer relacionamentos duradouros com as comunidades do entorno, a CTG Brasil participa de diversos projetos de educação, cultura e de incentivo ao esporte. Em 2018, essas iniciativas beneficiaram mais de 600 mil pessoas. O investimento em ações para 2019 já ultrapassa R$ 8,8 milhões, sendo que uma parte considerável desse valor será usada para financiar projetos na região de Jupiá e Ilha Solteira.

“O bem-estar das pessoas que vivem próximas às usinas estão entre as nossas prioridades. Buscamos participar da vida dessas comunidades de forma positiva, levando cultura, lazer, qualidade de vida e desenvolvimento por meio de projetos que estejam aderentes aos nossos valores”, explica Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil.

CTG Brasil

Criada em 2013, a CTG Brasil é uma empresa da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em energia limpa. Com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, o portfólio da CTG Brasil hoje tem uma capacidade total instalada de 8,28 GW.  Segunda maior geradora privada de energia do país, a CTG Brasil conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

Em tempo: A Diretoria da CTG Brasil comemora daqui a pouco os 50 anos da Usina Souza Dias, a nossa querida Jupiá. O evento reúne Autoridades, clientes, imprensa, admiradores e funcionários na Sede da empresa localizada no Jupiá em Três Lagoas-MS. Estaremos presentes e daremos maiores detalhes sobre esse acontecimento.

 

Ray Santos

Galeria de Imagens: Divulgação