Piscicultura paulista atinge 73.200 toneladas em 2018 e assume a segunda posição no país

Eficiência tecnológica e políticas públicas de fomento contribuíram para o crescimento da produção de peixes cultivados no Estado de São Paulo. Em 2018, a atividade surpreendeu e assumiu a segunda posição entre os maiores produtores do Brasil, de acordo com o Anuário Peixe BR da Piscicultura 2019, realizado pela Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR): em 2018, São Paulo produziu 73.200 toneladas, sendo a tilápia o carro-chefe, com (69.500 t), seguida dos peixes nativos (3.300 t) e outras espécies como carpa, truta e panga (400 t).

“São Paulo desponta como um dos polos mais eficientes do território nacional para a produção de peixes de cultivo não somente pelos números, mas também pelas iniciativas de fomento, aplicação de tecnologias e incentivos a pequenos e médios produtores”, afirma Francisco Medeiros, presidente executivo da Peixe BR.

Medeiros afirma que o trabalho conjunto da iniciativa privada com os órgãos públicos do setor tem contribuído favoravelmente com a piscicultura paulista. “Instituto de Pesca, vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União (Peixe SP), Compesca e Câmara Setorial de Pescado, dentre outras entidades, são exemplos do excelente trabalho prestado à atividade. O investimento em pesquisas é um dos pontos centrais para o fortalecimento da piscicultura de São Paulo, especialmente pela instituição dos “NITS” (Núcleos de Inovação Tecnológica) em todos os institutos de pesquisas da piscicultura e aquicultura no estado”, explica o dirigente. Outra iniciativa que ajudou a impulsionar a produção de peixes de cultivo em São Paulo é o decreto estadual 62.243, que simplificou o licenciamento ambiental dos projetos de peixes.

Produção nacional – O Brasil produziu 722.560 mil toneladas de peixes de cultivo em 2018. Esse resultado é 4,5% superior a 2017 (691.700 t). A tilápia é a mais importante espécie: com crescimento de 11,9% em relação a 2017, atingindo 400.280 toneladas em 2018 (55,4% da produção brasileira de peixes de cultivo). Esse resultado coloca o Brasil entre os quatro maiores produtores de tilápia do mundo, atrás de China, Indonésia e Egito, e à frente de Filipinas e Tailândia. Ainda segundo o Anuário da Peixe BR, a categoria de peixes nativos – liderada pelo tambaqui – representou em 2018 cerca de 39,84% (287.910 toneladas) da produção total.

Para mais informações sobre o Anuário da Piscicultura 2019, baixe a edição digital em: https://www.peixebr.com.br/anuario-peixe-br-da-piscicultura-2019/

FnSocial | Gustavo Cezário