Saúde de Três Lagoas adota padrões no atendimento de casos suspeitos de sarampo

Saúde de Três Lagoas adota padrões no atendimento de casos suspeitos de sarampo

11 de outubro de 2019 0 Por raysantos

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio dos Departamentos de Vigilância em Saúde e Saneamento, de Assistência à Saúde e Saúde Coletiva, vem realizando variadas ações de capacitação dos servidores para eventual necessidade de atendimento a pacientes com suspeita de sarampo.

A finalidade específica desta capacitação é orientar os profissionais da Saúde a adotarem um padrão no fluxograma de atendimento de casos suspeitos de sarampo, a começar pela imunização (vacina) de todos os profissionais que lidam com o público.

As capacitações têm o objetivo de preparar os profissionais da Saúde que atendem à população nas diversas unidades da Rede Pública de Saúde, em especial, nas unidades de Atenção Primária, Clínicas, Rede de Urgência e Emergência e no Centro de Especialidades Médicas (CEM).

Nesta semana, houve capacitação da equipe de enfermeiros e técnicos de enfermagem da Unidade de Pronto Atendimento (UPA – 24 horas) e do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora.

Na tarde desta quinta-feira (10), foi realizada no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SSPM), na tarde desta quinta-feira (10),  direcionada aos enfermeiros e técnicos de enfermagem que trabalham nas Unidades de Atenção Primária de Saúde.

“Esta capacitação é muito importante, porque Três Lagoas possui altíssimo fluxo de pessoas que, diariamente, vão para as cidades vizinhas do estado de São Paulo, para a Capital e outras cidades”, observou a coordenadora da UPA, enfermeira Juliana Salim, ao se referir ao sarampo.

Nestas ações, participaram: coordenadora do Setor de Vigilância Epidemiológica, enfermeira Adriana Louro Spazzapan; e a coordenadora do Setor de Imunização, enfermeira Humberta Azambuja, que falou sobre o “bloqueio vacinal, quando se faz necessário”.

“O primeiro passo é sabermos identificar os principais sintomas que identificam as suspeitas de caso de sarampo e quais os procedimentos que o profissional da Saúde deve adotar de imediato”, comentou a enfermeira Adriana.

Junto com as orientações sobre a importância da imunização contra o sarampo, coube também à enfermeira Humberta vacinar alguns dos profissionais da Saúde.

DOENÇA

Segundo orientações de profissionais da Saúde, “o sarampo é uma doença viral aguda, altamente contagiosa, que se apresenta com os sintomas de  febre, tosse, coriza, conjuntivite e exantema maculopapular” (manchas avermelhadas na pele).

 A transmissão do vírus do sarampo é direta, de pessoa a pessoa, por meio das secreções nasofaríngeas expelidas pelo doente. O período de incubação é de uma a duas semanas. O período de transmissibilidade inicia-se cerca de cinco dias antes do exantema (feridas pelo corpo) e dura até cerca de cinco dias após seu aparecimento.

Confira em anexo um exemplo de Fluxograma-Sarampo