FPA – Análise de mídia – 23/01

23 de janeiro de 2020 0 Por raysantos

– Folha de S. Paulo informa que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, divergiu nesta quinta-feira (23) do ministro da Economia, Paulo Guedes, que afirmou em Davos que “as pessoas destroem o meio ambiente porque precisam comer”. “As pessoas não precisam desmatar para comer, você pode aumentar a produtividade por área, essa é uma das vantagens comparativas do Brasil”, disse a ministra em Delhi, ao ser questionada pela Folha. Tereza faz parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro na visita à Índia e participou de conferência na manhã de quinta-feira (22). Leia +: https://bit.ly/2usONkk

– Valor Econômico fala que a chamada Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) – Lei nº 13.709, de 2018 -, a passos (muito) largos, deixa cada vez mais de ser uma “novidade” para se tornar uma vibrante realidade no dia a dia de todos nós. A partir desse novo marco legal, os chamados dados pessoais, informações que têm o poder de tornar uma pessoa natural (física) identificada ou identificável, passam a receber uma tutela ainda mais especial do ordenamento jurídico. Leia +: https://glo.bo/2Rl7waQ

– Broadcast do Estadão noticia que o Ministério da Agricultura informou que a Administração Geral de Aduana da China (GACC) publicou comunicado, em sua página oficial, nessa quinta-feira (22), autorizando a importação de melão do Brasil. O Brasil fechou em novembro acordo com o país para viabilizar a exportação da fruta. “O governo brasileiro ainda não foi notificado oficialmente, mas a medida entrou em vigor hoje”, disse. “A China ainda irá publicar a lista de fazendas e estruturas de embalo para exportação (packing houses) certificadas para a venda ao mercado do país.” Leia +: https://bit.ly/3aCzTc0

– O Globo diz que Davos Al Gore, o ex-vice-presidente dos EUA convertido em ativista ambiental, respondeu nessa quarta-feira (22) ao comentário feito na véspera pelo ministro brasileiro Paulo Guedes (Economia) de que o maior inimigo do ambiente é a pobreza durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. “Hoje é amplamente entendido que o solo na Amazônia é pobre. Dizer às pessoas no Brasil que elas vão chegar à Amazônia, cortar tudo e começar a plantar, e que terão colheitas por muitos anos, isso é dar falsa esperança a elas”, afirmou. “Há, sim, respostas para a Amazônia, mas não é esta.” Leia +: https://glo.bo/2sQ4jX8

– G1 fala que os principais frigoríficos brasileiros sofreram durante boa parte do pregão na B3, a bolsa de valores de São Paulo, nessa quarta-feira (22), após informações de que a China está renegociando os contratos de compra das carnes brasileiras. As ações dos principais frigoríficos inciaram com forte recuo durante a quarta-feira, sendo que JBS e Marfrig tiveram as negociações suspensas mais de uma vez após oscilação acima do permitido. Leia +: https://glo.bo/2NUlXjN

– Valor Econômico divulga que os subsídios agrícolas que mais causam distorções no comércio podem saltar para US$ 2 trilhões em 2030 se não houver negociações para reformar o setor agrícola. Em 2016, esses subsídios totalizaram US$ 772 bilhões. Com essa constatação, a coalizão de 19 países exportadores agrícolas conhecida como “Grupo de Cairns” propõe aos membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) um acordo multilateral para limitar e reduzir em pelo menos à metade até 2030 a ajuda governamental que causa distorções na produção e no comércio. Leia +: https://glo.bo/3av6oZw

– Estadão fala que o governo começou o ano de 2020 com um estoque de R$ 180,7 bilhões em despesas de anos anteriores ainda não quitadas pela União, os chamados “restos a pagar”. O valor é menor do que no ano passado graças, principalmente, ao efeito de um decreto que permitiu o cancelamento de R$ 11,7 bilhões em despesas contratadas até 2016, mas cuja execução não avançou nos últimos anos. Os dados foram divulgados ontem pelo Tesouro Nacional. Leia +: https://bit.ly/3aEASIu

– Canal Rural noticia que a delegação brasileira no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, teve um encontro nesta quarta-feira, 22, com 20 grandes investidores para apresentar a carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, o encontro foi uma ponte para tentar atrair capital estrangeiro para financiar projetos de médio e longo prazos no País. Leia +: https://bit.ly/2tAXVnf

– Valor Econômico diz que o Reino Unido tem interesse em iniciar negociações para um acordo de livre comécio com o Mercosul logo após a concretização do Brexit, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, que se reuniu hoje em Davos com seu colega britânico das Finanças, Sajid Javid. “Nós queremos e eles querem”, resumiu Guedes, ao fazer um balanço de suas atividades do dia no Fórum Econômico Mundial. Leia +: https://glo.bo/3aF53zl

– Canal Rural divulga que no primeiro dia de agenda na Índia, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, reuniu-se nesta quarta-feira, 22, com a ministra de Indústria e Processamento de Alimentos da Índia, Harsimrat Kaur Badal, e o ministro da Pesca, Pecuária e Lácteos, Giriraj Singh. Com a ministra indiana, Tereza Cristina discutiu oportunidade de investimento de empresas brasileiras no setor de processamento de alimentos do país asiático. Leia +: https://bit.ly/37wgVC5

– G1 diz que o presidente Jair Bolsonaro embarca na manhã desta quinta-feira (23) para sua primeira viagem oficial à Índia. No país, ele participará das comemorações pelo Dia da República e terá encontros com empresários e líderes políticos, entre os quais o primeiro-ministro Narendra Modi e o presidente Ram Nath Kovind. Convidado de honra do governo indiano para os festejos da República no domingo (26), em Nova Déli, Bolsonaro também deverá ir a Agra para conhecer o Taj Mahal, um dos principais pontos turísticos do país. Leia +: https://glo.bo/2uuv4kc

– Revista Exame fala que o Ministério de Petróleo da Índia quer que refinarias estatais do país comprem petróleo do Brasil em contratos anuais, disse uma fonte da pasta à Reuters nesta quarta-feira, durante visita oficial do governo brasileiro ao país asiático. As compras, que poderiam ser realizadas por empresas como a Indian Oil Corp (IOC) e outras, ajudariam a diversificar as fontes de petróleo da Índia, acrescentou a fonte, que falou sob a condição de anonimato. O ministério deseja ainda uma expansão do comércio de produtos de energia com o Brasil, de acordo com a fonte. Leia +: https://bit.ly/2RH2qog

– Broadcast do Estadão divulga que o Brasil ainda deve registrar exportações expressivas de soja na primeira metade de 2020, mas o ritmo de embarques tende a cair a partir de julho, segundo a consultoria INTL FCStone. “Assumindo-se que a China deve importar o mesmo volume de soja de 2019, ao redor de 88 milhões de toneladas, ou um pouco mais, o país vai encontrar um mercado com oferta ampla, o que tende a resultar em volumes de exportação mais baixos para o Brasil, mais próximos do que era registrado antes da guerra comercial (com os Estados Unidos)”, disse a analista de mercado da INTL FCStone, Ana Luiza Lodi, em estudo sobre o impacto do acordo comercial sino-americano para as principais culturas agrícolas. Leia +: https://bit.ly/2TQPGOA

– Folha de S. Paulo noticia que o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar nesta quinta-feira (23) sobre a possibilidade de o Ministério da Segurança Pública ser recriado. Se isso ocorrer, segundo ele, o ministro Sergio Moro permanecerá à frente da pasta da Justiça e perderá a sua principal bandeira até aqui: a queda nas taxas de homicídios, tendência iniciada ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB).  “Se for criado, aí ele fica na Justiça. É o que era inicialmente. Tanto é que, quando ele foi convidado, não existia ainda essa modulação de fundir com o Ministério da Segurança”, afirmou Bolsonaro, ao deixar o Palácio da Alvorada antes de embarcar para a Índia. Leia +: https://bit.ly/2NNyQw7

– O Globo fala que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feria que a suspensão da regra de juiz de garantias desrespeita principalmente o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. O deputado deu a declaração após ser questionado se a decisão do ministro da Corte Luiz Fux, de derrubar a liminar de Toffoli, ia contra o Congresso, já que a lei havia sido aprovada tanto na Câmara quanto no Senado. Leia +: https://glo.bo/2TPTW0I

– Estadão diz que o Brasil alcançou sua pior colocação e a pontuação mais baixa no ranking sobre a percepção da corrupção elaborado pela Transparência Internacional desde 2012. O País aparece na 106ª posição entre 180 países avaliados pelo Índice de Percepção da Corrupção (IPC) em 2019, divulgado nesta quinta-feira, 23. Leia +: https://bit.ly/38z89mC

Assessoria de Comunicação
+55 61 3248-4682 | +55 61 3263-1717
fpa.imprensa@gmail.com | www.fpagropecuaria.org.br