Processo de lixamento a seco reduz a contaminação do ambiente de trabalho

Processo de lixamento a seco reduz a contaminação do ambiente de trabalho

6 de fevereiro de 2020 0 Por daniel

O  processo a seco evita que a água com resíduos e poluentes chegue aos esgotos, se tornando ecologicamente recomendado para a indústria. 

Todo empresário e gestor de empresa sabe que o cuidado com o meio ambiente é uma preocupação para qualquer negócio, principalmente, para os setores que acabam gerando mais impacto ambiental no desenvolvimento das atividades, como é o caso do setor de reparação automotiva. Em um mercado que a preservação ambiental se tornou uma das maiores premissas das empresas, os negócios que se preocupam com as práticas mais sustentáveis são mais valorizados pelos consumidores.

Atenta a esse movimento em prol do planeta, a Grossl, empresa de soluções em abrasivos e adesivos, é uma das indústrias que já adota procedimentos e processos mais sustentáveis. Entre as ações da empresa, está o desenvolvimento de produtos que gerem menos danos ao meio ambiente, como é o caso do processo de lixamento e polimento a seco.

“O processo de lixamento a seco diminui a contaminação do próprio ambiente de trabalho da empresa, uma vez que, elimina a sujeira e reduz a formação de resíduos. O processo a seco requer o uso de equipamentos com sucção, pois produz pó que o sistema deve captar evitando a contaminação do ambiente. Como não produz líquidos contaminantes, este é o grande diferencial do processo”, destaca o vice-presidente da Grossl, Sergio Luiz Jankowski.

Em solo brasileiro, o lixamento úmido ainda é comum, porém, na Europa e outros países mais exigentes, é utilizado com maior frequência o lixamento a seco. “Percebe-se de que existe uma resistência cultural e falta de conhecimento técnico, além de treinamento para as equipes sobre os novos processos. A Grossl, por exemplo, possui uma equipe técnica especializada nesta tecnologia, oferecendo um suporte completo para os clientes”, revela.

Linha mais sustentável

Com um portfólio de opções e soluções para lixamento a seco, a Grossl, traz opções com alta tecnologia para o mercado nacional. Entre os produtos, a Lixa Disco Starcke 747 e 514, e o Líquido Polidor 102, 103, 105 e 107, como opções para diferentes usos, por exemplo: pintura com padrões claros ou escuros e adequados para a intensidade da remoção do polimento.

Por último, as Boinas de Espuma, com até quatro densidades, a espuma requer atenção na hora da utilização: quando for utilizada para remoção, a densidade precisa ser maior, para polimento, a densidade é menor. As utilizações vão desde pintura e revitalização, polimento de acabamento de veículos, embarcações, naval, aeronaves e entre outros.

Opção para o mercado

O lixamento úmido ainda faz parte do dia a dia da maioria das oficinas. Auxiliando na remoção de imperfeições, o processo contribui para um acabamento mais suave e brilhante. Por isso, o lixamento úmido é uma alternativa para o mercado. Porém, existem lixas que não são feitas para lixamento úmido. Portanto, é necessário se certificar que a lixa que está sendo utilizada é recomendada para lixamento a úmido.

A Grossl, por exemplo, oferece para o mercado produtos para os dois processos de lixamento: a seco e úmido. Na linha de lixamento a úmido, as opções disponíveis no portfólio da empresa são a lixa Folha d´água Matador 691C e a lixa para polimento Matador 991A.

Sobre a Grossl

Fundada em 1982, em São Bento do Sul (SC), a Grossl oferece soluções completas em abrasivos e adesivos para as indústrias moveleira, madeireira, metal mecânico, automotiva, naval, couro e óptico. Entre os principais produtos comercializados estão abrasivos, adesivos, colas, selantes, discos de corte, desbaste e esponjas abrasivas, limas rotativas, aplicadores manuais de Hot Melt, lixadeiras pneumáticas manuais Dynabrade, entre outros acessórios e itens. Os produtos de alta qualidade estão divididos em diferentes grandes marcas distribuídas oficialmente pela Grossl, são elas: Titebond, Franklin International, Ekamant, Starcke e Horse.

Presse Comunicação Empresarial