Esquadrão Pelicano está de prontidão para transportar pacientes com sintomas de Coronavírus

Esquadrão Pelicano está de prontidão para transportar pacientes com sintomas de Coronavírus

9 de fevereiro de 2020 0 Por raysantos

Equipe de Campo Grande está em Anápolis para transporte de brasileiros em quarentena

09/02/2020 13:58 – Estadão Conteúdo, Súzan Benites – Correio do Estado

Helicóptero está equipado para transportar repatriados em quarentena – Divulgação/FAB

Caso algum integrante do grupo de 34 brasileiros repatriados da China, em quarentena em Anápolis, passe mal ou apresente qualquer sintoma do coronavírus deverá ser atendido no Hospital de Brasília. O transporte até o hospital da capital federal será realizado pela equipe da Ala 5 da base aérea de Campo Grande, conhecido como Esquadrão Pelicano, que está de prontidão em Goiás. Por enquanto nenhuma das pessoas apresentou nenhum sintoma.  

A aeronave H-60L Black Hawk, do Esquadrão Pelicano, que participa da Operação Regresso à Pátria Amada Brasil, realizou o primeiro voo de reconhecimento na tarde desta sexta-feira (7), por volta das 16h15, em Brasília (DF). O helicóptero fará o transporte dos envolvidos na Operação, que ficarão em quarentena da Base Aérea de Anápolis – Ala 2, ao Hospital das Forças Armadas (HFA), na Capital Federal, no caso de algum deles apresentar quadro clínico agravado. O hospital fica na chamada área vermelha, onde o paciente receberá o atendimento adequado, seguindo os protocolos preconizados.

Segundo o Comandante do Esquadrão Pelicano, Tenente-Coronel Aviador Leonardo Machado Guimarães, o voo de reconhecimento permite que a tripulação se familiarize com o heliponto do hospital, além de tomar conhecimento dos principais obstáculos na área. “As tripulações do Esquadrão Pelicano são capacitadas para atuarem em missões de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear. A partir deste sábado, as equipes estarão prontas para atenderem qualquer paciente que apresente os sintomas da doença e que precise ser transportados até o HFA”, explicou.

Quarentena

Após uma viagem de mais de 36 horas a partir de Wuhan, na China, com parada em Varsóvia, na Polônia, e Fortaleza (CE), os dois aviões brasileiros que trazem os repatriados pousaram às 06h05 deste domingo (9), na Base Aérea de Anápolis, em Goiás.  A Missão Regresso traz de volta ao País um grupo de 34 brasileiros, entre adultos e crianças, que pediu para deixar a região que se transformou no epicentro de contaminações pelo novo coronavírus. Os repatriados são acompanhados por mais 24 tripulantes, entre equipes de voo, médicos e pessoal de comunicação.

Na ala 2 da base aérea, as 58 pessoas ficarão hospedadas por 18 dias, tempo da quarentena estipulado para confirmar que, de fato, nenhum dos repatriados apresenta qualquer indício de contaminação. Assim como ocorreu no embarque desses brasileiros na China, eles deverão passar por uma série de exames iniciais ao entrarem na base. Como o avião pousou diretamente no local, não haverá necessidade de deslocamento do grupo pela cidade de Anápolis, município de 360 mil habitantes, localizado a 60 quilômetros de Goiânia (GO) e 140 km de Brasília (DF).

As famílias ficarão hospedadas  no prédio militar, que foi completamente adaptado para receber cada um dos repatriados. Os hóspedes já foram determinados para cada quarto. Alguns têm berços, outros receberam poltronas. Todos possuem mesas com alimentos, frigobar e itens de higiene, como álcool gel e máscaras.  

No período da quarentena, o grupo poderá caminhar pela área externa, dentro de uma faixa delimitada. O prédio da ala 2 fica numa parte mais afastada da base, uma área de canto, cercada por vegetação. Toda a base é protegida por muros altos de blocos, encobertos por rolos de arame farpado.

A alimentação diária será trazida para o local, onde cada pessoa poderá se servir e, depois, deixar louças e talheres para que sejam retirados. Estão programadas seis refeições diárias. Para tornar o período de confinamento menos exaustivo, há recursos de entretenimento, com brinquedoteca para as crianças, acesso à internet e videogame. Apresentações de fanfarras da Força Aérea também estão na agenda dos próximos dias.

Os “pelicanos” mantêm 24 horas, durante todo o ano, uma equipe de prontidão – Divulgação/FAB

Atuação do Esquadrão

O Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (2º/10º GAV), sediado na Base Aérea de Campo Grande,  que tem como missão a manutenção do preparo técnico-profissional para realizar atividades de Busca e Salvamento de aeronaves e embarcações sinistradas ou desaparecidas.

De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), a organização militar já atuou em diversas missões reais, como as buscas ao VARIG 254, em 1989; ao GOL 1907, em 2006 e ao AIR FRANCE 447, em 2009, e também no atendimento a populações atingidas por desastres naturais, como aconteceu no terremoto no Peru em 1972, nas enchentes na Bolívia em 2007 e, no território nacional, nas enchentes em Santa Catarina (2008), na Região Serrana do Rio de Janeiro (2011) e no Estado do Acre (2012).

As tripulações do esquadrão chegam às mais distantes localidades brasileiras em um espaço de tempo reduzido, devido a localização estratégica no Estado do Mato Grosso do Sul, região central do país. É este esquadrão que responde ao Alerta SAR (Search and Rescue) Brasil e pode ser considerado um dos mais importantes da Força Aérea Brasileira.

Os “pelicanos” mantêm 24 horas, durante todo o ano, uma equipe de prontidão, um avião SC-105 Amazonas, especialmente equipado para missões de busca, e helicóptero UH-1H para missões de resgates, prontos para decolar, qualquer que seja o destino, em terra ou no mar.