PELA PRIMEIRA VEZ, PLANEJAMENTO DO BRASIL INCLUIU ENERGIA EÓLICA OFFSHORE COMO POSSIBILIDADE PARA O PAÍS

19 de fevereiro de 2020 0 Por daniel

O planejamento energético do País está incluindo, pela primeira vez na história, a opção das usinas eólicas offshore. A informação consta no Plano Decenal de Energia (PDE 2029), lançado recentemente pelo Ministério de Minas e Energia. O documento explica, no entanto, que a fonte só se tornaria uma candidata à expansão a partir do ano de 2027. Um dos principais desafios para tornar esta previsão em realidade é o alto investimento necessário para este tipo de empreendimento. Ainda assim, o PDE aponta que com o amadurecimento da tecnologia, o desenvolvimento de estudos técnico-econômicos e socioambientais e os avanços regulatórios no Brasil podem tornar a fonte mais competitiva.

De acordo com um estudo feito pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o Brasil tem um potencial técnico de cerca de 700 GW em locais na costa brasileira com profundidade de até 50 metros. Todo o litoral brasileiro possui áreas com alto potencial, segundo a EPE. Mas é na região Nordeste onde se encontram as regiões mais promissoras, assim como acontece no caso das eólicas terrestres. A empresa diz ainda que será preciso aprofundar as análises no Brasil, levando em conta dados meteoceanográficos, além de restrições. Como se sabe, existem áreas de proteção ambiental, rotas comerciais, rotas migratórias de aves, áreas de exploração de petróleo ou outras áreas com usos conflitantes. Estas são regiões que não poderão ser consideradas como potenciais parques eólicos offshore.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA NO NOSSO SITE.