FPA – Análise de mídia – 21/02

21 de fevereiro de 2020 0 Por raysantos

– Valor Econômico informa que o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, confirmou ontem, em Brasília, que a instituição vai disponibilizar R$ 15 bilhões para o pré-custeio da próxima safra (2020/21). O montante é 47% superior ao total que foi efetivamente contratado no ano passado para o pré-custeio da temporada 2019/20 (R$ 10,7 bilhões). Os recursos são destinados a produtores de soja, milho, arroz, algodão, café e cana-de-açúcar e servem para a aquisição antecipada de insumos utilizados nas lavouras. Leia +: https://glo.bo/2SWquUs

– O antagonista diz que líderes indígenas de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pernambuco se reuniram hoje com Sergio Moro e o presidente da Funai, Marcelo Augusto Xavier, para pedir agilidade na demarcação de terras indígenas e solução de conflitos com agricultores. O ministro prometeu buscar soluções para as comunidades. “A política deve favorecer as escolhas próprias das comunidades, com a preservação de suas culturas e tradições”, disse, após o encontro. Leia +: https://bit.ly/32ehOx7

– Canal Rural fala que a Comissão de Meio Ambiente do Senado ouviu nesta quinta-feira, 20, opiniões de agricultores, índios, ambientalistas e trabalhadores rurais sobre o projeto que cria a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA). Ela institui pagamento, monetário ou não, para ações que ajudem a conservar áreas de preservação. Serviços ambientais são atividades individuais ou coletivas que favorecem a manutenção, a recuperação ou a melhoria dos ecossistemas, um complexo formado por plantas, animais, micro-organismos e minerais que interagem entre si para formar um ambiente específico. Leia +: https://bit.ly/38NznXl

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é e2ffd932-7232-4e1d-b777-d61a05448070.png


– Valor Econômico diz que as chuvas intensas no mês de janeiro e fevereiro colocaram em alerta os produtores do Vale do São Francisco, onde o calor e justamente as chuvas espaçadas sempre constituíram um cenário ideal para cultivos como os de manga e uva. Conhecida pela alta qualidade das frutas, a região responde por cerca de 90% de toda a manga exportada pelo Brasil e por 99% das uvas que chegam sobretudo aos EUA, Canadá e Europa. Mas os embarques correm o risco de diminuir se as águas de março não derem trégua. Leia +: https://glo.bo/2v2Cs76

– G1 fala que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anunciou nessa quinta-feira (20) um novo diretor-presidente. Sai Newton Araújo Silva Júnior, que ficou um ano no comando e pediu para sair. Assume em seu lugar o diretor de Política Agrícola e Informações da empresa, Guilherme Soria Bastos Filho. Leia +: https://glo.bo/2V7nRSF

– Canal Rural divulga que representantes da indústria do arroz do Brasil estiveram no México nesta semana para negociar um corte de 20% na tarifa de importação do produto para o país. O diretor internacional da Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz), Mário Eduardo Pegorer, afirma que as conversas sobre o tema avançaram, mas ainda não houve acordo definitivo. “Este é um trabalho de seis, sete anos atrás, quando iniciamos os trabalhos ainda quando a ministra da Agricultura era a Kátia Abreu”, diz. Segundo ele, a atual ministra, Tereza Cristina, assim como a embaixada e o adido agrícola brasileiro no país foram fundamentais para as negociações. Leia +: https://bit.ly/2VcPdH0

– G1 fala que um aparelho criado na Inglaterra consegue transformar o gás metano que existe no arroto da vaca em água, em vez de liberá-lo no ar. Assim, ele deixa de contribuir para o efeito estufa. A máscara consegue captar 90% do metano que sai da boca e das narinas do gado, segundo a empresa inglesa Zelp, que a desenvolveu. As vendas devem começar no ano que vem. Leia +: https://glo.bo/2SYkniE

– Estadão noticia que alvos constantes de ataques armados por grileiros, madeireiros e demais criminosos que exploram a floresta, agentes de fiscalização do Ibama e do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) correm o risco de perderem o direito a portarem armas em suas ações. É o que prevê um projeto de lei apresentado nesta quarta-feira, 19, pelo senador Telmário Mota (PROS/RR). Por lei, os agentes do Ibama e do ICMBio atuam em fiscalizações com poder de polícia. Leia +: https://bit.ly/32clrDO

– Canal Rural fala que o Projeto de Lei 6501/19 se aprovado pode conceder desconto permanente na conta de energia elétrica consumida nas atividades de irrigação da agricultura familiar, observados os parâmetros fixados nas outorgas de uso da água. A proposta, do deputado Marreca Filho (Patriota-MA), tramita na Câmara dos Deputados. O texto acrescenta a medida à Lei do Setor Elétrico. A legislação atual já concede descontos especiais nas tarifas de energia elétrica das unidades rurais onde se verifiquem atividades de irrigação e aquicultura desenvolvidas diariamente por oito horas e meia. Leia +: https://bit.ly/2uiuhDn

– Valor Econômico noticia que após a decepção com mais um adiamento do envio da reforma administrativa, a equipe econômica acredita que o presidente Jair Bolsonaro finalmente se convenceu da necessidade dela. Bolsonaro agora promete seu envio para depois do carnaval, confirmando declaração dada pouco antes pelo ministro Paulo Guedes. Na discussão desse tema, o governo tem vivido o dilema entre tomar medidas cujos efeitos práticos só serão sentidos em prazos longos, questão de anos e o risco de adicionar turbulências políticas no curto prazo. Leia +: https://glo.bo/2SN6qVL

– G1 noticia que o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira, afirmou nesta quinta-feira (20) que o governo prevê um resultado pior para as contas de estados e municípios neste ano. A projeção passou de um saldo positivo de R$ 9 bilhões para zero (despesa igual à receita). Com a mudança, o resultado do setor público consolidado, que engloba as contas de União, estados, municípios e empresas estatais, vai passar de um déficit de até R$ 118,9 bilhões para um déficit de até R$ 127,9 bilhões. Leia +: https://glo.bo/39TutIk

– Folha de S. Paulo fala que o ministro da Economia, Paulo Guedes, enfrenta desgastes com o presidente Jair Bolsonaro e passou a ser cobrado por resultados. Alçado a superministro no começo do mandato, Guedes tem sido pressionado, desde o início deste ano, a mostrar seus feitos na economia. Diante de um pessimismo com a redução da projeção do PIB (Produto Interno Bruto), o presidente reforçou a Guedes a necessidade de que, neste ano, a atividade econômica cresça, no mínimo, 2%. Leia +: https://bit.ly/2PekQw6

Assessoria de Comunicação
+55 61 3248-4682 | +55 61 3263-1717
fpa.imprensa@gmail.com | www.fpagropecuaria.org.br