E-commerce deve movimentar R$ 106 bi em 2020

24 de fevereiro de 2020 0 Por daniel

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o faturamento do e-commerce brasileiro deve chegar a R$ 106 bilhões em 2020, com tíquete médio na faixa de R$ 310 e é estimado uma movimentação de 342 milhões de pedidos, feitos por aproximadamente 68 milhões de consumidores.

A previsão da ABComm é que 37% das transações serão feitas via smartphone e que os marketplaces responderão por 38% de todas as vendas. Um estudo do IBGE, também caminha na mesma direção em relação aos aparelhos móveis, cerca de 92% dos acessos a internet são feitos pelo celular.

“As pesquisas mostram que o e-commerce, assim como o uso dos aparelhos celulares, só vai crescer, ou seja, ter um site responsivo, seja e-commerce, institucional, blog, enfim, é extremamente importante para o sucesso do seu negócio. Vale ressaltar que o tamanho do empreendimento é indiferente.”, menciona o CEO da Codeby, empresa de tecnologia, Fellipe Guimarães.

E Guimarães tem razão, muitos negócios só possuem o site como fonte de renda, ou seja, ele é prioridade em tempo integral. “A minha marca nasceu na internet, e vai permanecer lá, como costumo dizer, é meu terreno (risos). Agora é aperfeiçoar o que já temos, é deixar o desktop e, principalmente, o mobile mais assertivos, tanto para os clientes, quanto para o Google”, comenta a CEO da Francisca Joias, maior ecommerce de semijoias do País, Sabrina Nunes.

Em 2018, o Google anunciou que passou a priorizar a versão mobile de um site na hora de indexá-lo. Anteriormente, a indexação era prioritariamente feito pela versão desktop dos sites.

Segundo o WEBSHOPPERS (2019), parceria realizada entre Ebit e Nilsen, em janeiro do ano passado, o M-Commerce tinha 42,7% de pedidos, em junho aumentou para 43,1%. Em janeiro de 2011, os pedidos via mobile representavam 0,1%. “É um crescimento enorme, mas ainda temos muito espaço no mercado, ainda há pessoas apenas no desktop e ainda há pessoas que não compram online, é um mercado promissor.”, diz o sócio da Dassi Boutique, Danilo Costa.

Sobre a Codeby

Há mais de 6 anos no mercado de tecnologia, o Grupo Codeby contribui diariamente para o crescimento de negócios online de diversos segmentos e portes. O Grupo Codeby se orgulha de ser uma empresa criativa e sempre desenvolver produtos e funcionalidades inéditas no mercado. O principal objetivo como empresa de tecnologia, é desenvolver ambientes online que não só expresse o que o cliente inspira, mas que seja uma experiência incrível para os clientes também.

Sobre a Francisca Joias Contemporâneas
A Francisca Joias é o maior e-commerce de semijoias do Brasil, com cerca de 4 mil peças à venda e com faturamento de R$ 6 milhões. A empresa nasceu do desafio de levar produtos de qualidade com preço acessível e serviços personalizados para mulheres que buscam uma loja virtual diferenciada desde produtos até atendimento. 

Sobre a Dassi Boutique

A Dassi, fundada em 2011, é uma marca que nasceu com o propósito de proporcionar às mulheres roupas com qualidade e valor acessível. As peças são focadas no público feminino e trazem todo o conceito de moda e tendência. Atualmente, a empresa possui o e-commerce e duas lojas físicas, com faturamento em torno de R$ 10 mi.

P&S Com,.