Bolsonaro e o confinamento das pessoas

25 de março de 2020 0 Por raysantos

Já ví vários embates na imprensa nacional, principalmente na TV e nesse particular o Jornal Nacional da Rede Globo. Na era Collor a expectativa era o seu cargo. Depois de vários embates lá se foi o mais jovem presidente da república embora. Depois tivemos diversos outros presidentes e muitos embates, inclusive na era Dilma e a sua consequente derrocada com a sua cassação. Dilma e o PT e principalmente o seu principal líder Lula era o prato do jornalismo nacional.

Agora vemos um quadro diferente onde um presidente não mede suas palavras e fala do seu jeito, a bel prazer sem medir as consequências. A história parece ser reescrita e contém os mesmos elementos que outrora narraram outros elementos, inclusive os cassados.

Panelaço, bate bocas, palavras de baixo calão e por ai vai. Parece-me que o vírus, ou melhor, o Covid-19, expressão que denomina o Corona Vírus, está mesmo fazendo efeitos. Jair Bolsonaro, embora cometa muitos erros, continua prestigiado. Ele detém uma quantidade expressiva de eleitores que endonçam as suas palavras, mesmo aquelas que não coadunam com nada e vai contra-mão a tudo que deveria ser dito por um líder.

Nesse particular estamos acompanhando a sua tese, baseada e firmada na mesma concepção do fenômeno Tramp. Com certeza você que está lendo essas palavras diria que sou contra e não aprovaria o Presidente do Brasil. Ledo engano. Vejamos: Enquanto ficamos confinados, alguém precisa estar presente em vários lugares como: Postos de Combustíveis, Farmácias, Supermercados, transportes em geral, inclusive dos bravos caminhoneiros que percorrem esse país nos abastecendo, a rede bancária, os hospitais e toda a área de saúde que envolve milhares de pessoas.

O presidente falou categoricamente do seu posicionamento dizendo claro ser contra “confinamentos” e fechamento de “Escolas”. Sinceramente, há coerência em suas palavras e não é justo exigirmos de tantas pessoas que simplesmente nos sirvam como o frentista nos postos, o atendente ou o farmacêutico nas farmácias, o profissional ou atendente da área de saúde e por ai vai.

Um amigo me passou o what Sap onde um elemento indaga outro elemento com o seguinte questionamento: Você é a favor do comportamento dos discípulos de Jesus, o arrogante Pedro ou o pervetido Judas Iscariotes. É claro que ele se referia ao Presidente Bolsonaro. O indagado pensou um pouco e respondeu. Claro que sou Pedro. Sabe porque? Pedro era um elemento justo e não aceitava falcatruas. Quando avançou sobre o soldado que no momento prendia Jesus, de posse de sua espada arrancou lhe a orelha. Apesar de ser violento era um homem bom e confiável. Já Judas Iscariotes era amável, falava mansamente. Deitava sobre os ombros do mestre, mas foi perverso e não titubiou em traí-lo por uma quantidade de moedas. Depois se arrependeu e se inforcou.

O Bolsonaro é assim. Leal, franco, honesto e não deixa para depois o que tem que falar agora. Daí, essa dinâmica e seu posicionamento em defesa da economia e sua visão de futuro. Ele não é contra o Covid-19, apenas luta em defesa do emprego, das empresas e do país que não pode parar. Quanto as vítimas, infelizmente é consequência da vida e de como vamos enfrentá-la.

Ray Santos