Inscrições para consultorias jurídicas virtuais estão abertas

A Consultoria-Geral da União (CGU) publicou edital para a ocupação das vagas nas consultorias jurídicas virtuais. As inscrições começaram na segunda-feira (08/06) e vão até dia 20 de julho.

Podem participar do processos seletivo para a as Consultorias Jurídicas da União Especializadas Virtuais (e-CJUs) os membros da Advocacia-Geral da União (AGU) lotados nas Consultorias Jurídicas da União nos Estados e em São José dos Campos (SP).

Os candidatos devem apontar as suas preferências em uma das seguintes áreas:  aquisições, serviços com dedicação de mão de obra exclusiva, serviços sem dedicação de mão de obra exclusiva, obras e serviços de engenharia, patrimônio e residual. Caso o membro da AGU não opte por alguma das áreas, a área de atuação será definida por ato do Consultor-Geral da União, após manifestação do Departamento de Informações Jurídicas Estratégicas (DEINF).

As vagas serão atribuídas segundo a ordem de precedência dos candidatos para as áreas especializadas. Essa ordem será elaborada na ordem decrescente do tempo de efetivo exercício, conforme última lista de antiguidade divulgada pelo Conselho Superior da AGU. Em caso de empate, será considerado o melhor classificado no concurso de ingresso ou, em caso de concursos diferentes, o de concurso mais antigo.

As inscrições podem ser feitas por meio deste link ou a partir da página da intranet da CGU. Para mais informações, acesse:

Acesso EDITAL Nº 01/DEINF/CGU/CGU

Acesso BSE nº 22, de 04 de junho de 2020

MAIORIA DOS TRABALHADORES BRASILEIROS MANTÉM UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL DURANTE O PERÍODO DE ISOLAMENTO SOCIAL

Levantamento do Núcleo de Estudos Sodexo aponta que 69% dos entrevistados consideram a alimentação equilibrada durante  o período de quarentena

São Paulo, 10 de junho do ano 2020 – A pesquisa “Hábitos Alimentares do Trabalhador Brasileiro durante a quarentena”, que coletou 107 mil respostas durante o mês de maio, aponta que 69% dos trabalhadores brasileiros mantêm uma alimentação saudável mesmo atuando em home office, durante o período de isolamento social.

O levantamento, realizado pelo Núcleo de Estudos Sodexo, criado pela Sodexo Benefícios e Incentivos,  mostrou também que entre os alimentos que os profissionais mais passaram a consumir estão as frutas e legumes, com 65% dos respondentes, seguidos de carne vermelha (43%), massas (34%), doces (23%) e fast food (15%). 

E como neste período de isolamento o consumo de alimentos e refeições prontas em casa tem aumentado consideravelmente, a percepção dos trabalhadores sobre a importância dos benefícios oferecidos pelas empresas em que atuam tem crescido na mesma proporção. De acordo com o levantamento, a grande maioria dos entrevistados (89%) considera que a manutenção destes benefícios (Cartão Alimentação e Refeição) os ajudam a manter uma alimentação equilibrada durante este período, sendo que quando questionados sobre que tipo de benefício mais os ajuda neste quesito, os brasileiros responderam, respectivamente: cartão alimentação (86%) e cartão refeição (24%).

“A partir desta pesquisa, pudemos verificar que a maioria dos trabalhadores brasileiros já entendeu que a realização de uma alimentação equilibrada durante a quarentena, impacta positivamente em sua saúde e produtividade, bem como na qualidade de vida de toda a família, ajudando-os a atravessar este momento de desafios e mudanças”, explica Willian Tadeu Gil, diretor de Relações Institucionais da Sodexo Benefícios e Incentivos.

O PAT

Criado em 1976, o Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) comemora 43 anos como um dos programas sociais mais importantes do País. Instituído pela Lei nº 6.321 e gerido pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, tem por objetivo melhorar as condições nutricionais dos trabalhadores, com repercussões positivas para a qualidade de vida, a redução de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, além de aumentar a produtividade de milhões de trabalhadores ao garantir acesso à alimentação, além de incentivos fiscais às empresas que dele fazem parte.

NÚCLEO DE ESTUDOS SODEXO

Com o objetivo de contribuir para a economia brasileira, em particular para o desenvolvimento socioeconômico do País, e ampliar o debate sobre qualidade de vida, a Sodexo Benefícios e Incentivos criou o Núcleo de Estudos Sodexo. O laboratório de ideias reúne profissionais de diferentes áreas da companhia com o objetivo de transformar dados de mercado e aqueles gerados pela próprio Sodexo em informação de utilidade pública e que possa guiar transformações sociais e econômicas no País.

Em linha com a missão global do Grupo Sodexo de contribuir com o desenvolvimento econômico, social e ambiental dos locais em que atua, o Núcleo foi lançado em janeiro de 2018. Ao longo deste ano, foram publicados estudos sobre qualidade de vida, comportamento do trabalhador e do mercado, satisfação no trabalho e crescimento profissional. Todos os conteúdos e novidades estão disponíveis por meio do portal da companhia e também nas redes sociais da marca Sodexo.

Sobre a Sodexo Benefícios e Incentivos

É a empresa do grupo francês Sodexo, líder mundial em serviços de qualidade de vida. Tem em sua missão desenhar, gerenciar e entregar serviços para empresas de todos os portes, segmentos e regiões do Brasil com o objetivo de melhorar a qualidade de vida diária das pessoas e contribuir para o desenvolvimento econômico, social e ambiental das cidades, regiões e dos países em que atua.

Atende aproximadamente 103 mil clientes, que representam 5,9 milhões de usuários, com uma rede de 505 mil estabelecimentos credenciados em todo o País com serviços únicos no mercado de benefícios, gestão de despesas, incentivos e reconhecimento: Refeição Pass, Alimentação Pass, Cultura Pass, VT Pass, Combustível Pass, Gift Pass, Alimentação Pass Natal, Brinquedo Pass, Premium Pass, Wizeo, GymPass e Apoio Pass.

Tamer Com,.

Mais praticidade, segurança e inovação para sua cozinha: Arno lança Panela de Pressão Elétrica Digital

Novidade tem 16 programas, duas opções de tamanho – para você escolher o ideal  para a sua família –, 11 sistemas de segurança e garante mais praticidade ao cozinhar em casa

Tempo, versatilidade, conveniência, inovação, tranquilidade e segurança. É possível ter tudo isso em sua cozinha com anova Panela de Pressão Elétrica Arno Digital,lançamento da Arno, marca do Groupe SEB, que vai proporcionar mais praticidade ao seu dia a dia a partir de agora.

Inovadores, os dois modelos – Panela de Pressão Elétrica Arno Digital Control 4,8 L e Panela de Pressão Elétrica Arno Digital Compacta 2,5 L – garantem, com apenas um “clic”,o preparo de refeições deliciosas, enquanto você dedica seu tempo a outras atividades em casa, sem se preocupar.

Ideal para quem busca facilidade na hora de cozinhar sem deixar de lado a preparação de receitas muito saborosas, a Panela de Pressão Elétrica Arno Digital tem painel digital touchscreen e11 sistemas de segurança,quenão permitem a abertura da tampa durante o cozimento sob pressão, além de botão de liberação de vapor afastado que garante que a pressão saia de forma rápida e segura.

O produto tem um timer, umtemporizador de até 12 horas que permite que cada prato seja preparado de maneira adequada, de acordo com as receitas. Entre os acessórios do lançamento, estão um Guia Rápido de utilização que ajuda a explorar ao máximo as funcionalidades da Panela de Pressão Elétrica Arno, um livro com receitas saborosas e práticas e um aplicativo com mais de 100 ideias de preparações versáteis, atualizadas constantemente.

A Panela de Pressão Elétrica Arno Digital Control 4,8 L e a Panela de Pressão Elétrica Arno Digital Compacta 2,5 L contam com tigela antiaderente, que não deixa o alimento grudar na superfície, facilitando a limpeza do produto.

Além disso, a inovadora tigela esférica presente na versão de 4,8 L proporciona cozimento mais homogêneo aos alimentos, devido à circulação uniforme de ar quente no interior da panela.

Conheça mais sobre os lançamentos!

https://sebimagens.blob.core.windows.net/uploads/marcas/produtos/1251/30012020112746_mediumarno_epc_pressure_cooker_gb_cy4268b1_cy4268b2_yc01q_nc00158211302photo01.jpg

Panela de Pressão Elétrica Arno Digital Control 4,8 L

A Panela de Pressão Elétrica Digital Control 4,8 L  possui 16 programas para facilitar preparo de, entre outros, arroz, pudim, carne, mandioca, frango, polenta, sopa, lentilha, assado, músculo, feijão, grãos e iogurte, além das funções Refogar, Cozimento Lento e programa adicional de vapor.

Sua tigela esférica antiaderente permite acirculação uniforme de ar quente no interior da panela e não deixa o alimento grudar na superfície, garantindo o cozimento homogêneo e facilitando a limpeza. A função Manter Aquecido, garante aquecimento contínuo,que possibilita que o alimento permaneça quente enquanto a panela estiver ligada. O produto vem completo, com cabo removível, copo dosador, colher e livro de receitas com deliciosos pratos para começar a utilizar sua panela imediatamente. Preço sugerido: R$ 899.

https://sebimagens.blob.core.windows.net/uploads/marcas/produtos/1250/30012020112615_largearno_epc_pressure_cooker_gb_cy4228b1_cy4228b2_25yc10_nc00152118_brazilphoto01.jpg

Panela de Pressão Elétrica Arno Digital Compacta 2,5 L

A  Panela de Pressão Elétrica Arno Digital Compacta de 2,5 L é prática, segura e tem 15 programas comdiversas possibilidades de receitas, como arroz, pudim, carne, mandioca, frango, polenta, sopa, lentilha, assado, músculo, feijão, grãos e iogurte, além das funções Refogar e Cozimento Lento. Sua tigela antiaderente é essencialpara queo alimento não grude na superfície, garantindo a qualidade do resultado final da preparação do alimento e facilitando a limpeza. Preço sugerido: R$ 649.

SAC Arno: 11 2060.9777

@ArnoOficial | www.arno.com.br | @arnobrasil |www.youtube.com/arnooficial

Potencial de negócios foram aumentados com as Lives

Tecnologia permite alcançar mais pessoas em menor tempo e custo.

As teorias do marketing ensinam que “Todo o artista tem de ir aonde o povo está”. Ou seja, o mercado precisa estar atendo aos movimentos dos consumidores para saber como atender às suas demandas. Com o advento da pandemia foi recomendado que a população fique em casa. E, com isto, o relacionamento direto cliente empresa caiu a níveis quase zero. Demorou um pouco para entender esta mudança, mas assim que foi absorvido, as empresas perceberam que utilizar as plataformas digitais para fortalecer o relacionamento com seu cliente, era a melhor forma de agir. Assim, surgiram as Lives, que são palestras, encontros, apresentações artísticas através das redes sociais. O mundo dos negócios entrou na casa das pessoas para dizer, estamos juntos. Mas qual o resultado que estas Lives estão trazendo e como podem gerar negócios no presente e para o futuro?

É uma “nova” forma de comunicação onde conseguimos alcançar um número maior de pessoas interessadas nos temas propostos. Além de clientes da empresa, outros produtores têm acesso às informações e podem assistir em suas casas. É muito mais interessante do que uma reunião presencial em um sindicato rural, por exemplo”. Com esta afirmação o agrônomo e diretor executivo da Geoplan Soluções em Agronegócio, Cristiano Gotuzzo relata a sua experiência com o que se pode chamar de um novo modelo de negócio, que são as palestras via internet.

Ele acrescenta que este formato está trazendo resultados bem interessantes. “A gente fortalece o relacionamento com clientes e produtores rurais que passam a nos conhecer melhor, tanto que tem vários contatos pós-live, para ter mais alguma informação, mas também com o objetivo de contratar os serviços da empresa”, ressalta, acrescentando que é um modelo que provavelmente veio para ficar, principalmente, porque reduz muito os custos operacionais.

 A gerente de marketing da Fertiláqua, Vanessa Barcelli disse que optaram por fazer as lives para estar próximo dos produtores, clientes e revendas neste momento de pandemia, em que o acesso pessoal está bastante limitado. “O objetivo é levar conteúdos técnicos voltados ao agronegócio; os temas vão desde tratamento de solo até a colheita final. Dessa maneira podemos estar “presente”, levando informações que seriam tratadas diretamente no campo. nas lives falamos de tecnologias e/ou manejos”, disse ela. Em concordância com Vanessa, a gerente de marketing e comunicação da Koppert Brasil, Jaqueline Antônio, disse que os eventos digitais se tornaram ferramentas imprescindíveis de comunicação nesse momento de isolamento social, permitindo que as marcas pudessem se conectar e continuar se relacionando com os clientes.

A especialista em marketing digital e Head de estratégia da Plin Digital, Mariana Petek, afirma que as lives vieram como um recurso que as empresas, entidades e pessoas encontraram para ir ao encontro do seu cliente a fim de mantê-lo por perto ou ainda, como forma de prospectar novos negócios. “Mas a questão agora é o que fazer com todo este conteúdo que está sendo produzido, qual a estratégia vai ser usada para engajar o público e mantê-lo perto da marca”, pergunta Mariana.

Segundo ela para manter “a roda girando” vai ser importante postar o conteúdo em video que foi feito, no youtube, no facebook, no Instagram ou no igtv (se for maior do que 1 minuto). A segunda dica é se a empresa/instituição tiver um mailing organizado, comunique para seu público, por e-mail, que seu canal do youtube está atualizado com mais um material e, finalmente, “mantenha seu público engajado com o conteúdo nos stories”, aconselha a especialista. O profissional de marketing digital, Valter Azevedo concorda com a visão de Mariana e avança um pouco mais. “É preciso ter uma estratégia de produção de conteúdo que permita criar um sentimento de que você foi mais que uma empresa querendo um cliente, foi a mão amiga nesta hora se a empresa for da área de serviço. Se for um e-commerce, é hora de turbinar as lives para mostrar quais soluções a empresa tem para atender às necessidades do cliente que não está podendo sair para fazer compras nas lojas”, finaliza.

Agro Press,.

No Dia Mundial do Refugiado, Instituto Adus realiza o evento online: “É Preciso Integrar”

Programação conta com bate-papo entre jornalistas e refugiados, além de uma apresentação da cantora Maria Rita

São Paulo, 9 de junho de 2020 – A data 20 de junho é marcada pelo Dia Mundial do Refugiado e, por este motivo, o Instituto Adus, que há mais de dez anos auxilia pessoas que estão em situação de refúgio no Brasil, promoverá o evento online “É Preciso Integrar”.

A live será mediada pelos jornalistas Antonio Prata e Patricia Campos Mello, ambos do jornal Folha de S. Paulo, os quais promoverão um diálogo com três refugiados: Anas Obaidd, da Síria; Leonardo Matumona, da República Democrática do Congo; e Eliezka Garcia Soto, da Venezuela. Eles contarão suas histórias de vida e a experiência com o refúgio, além de dividirem um pouco da cultura de cada região. Ao longo da transmissão os espectadores poderão compartilhar perguntas para interagir.

O evento ainda contará com a presença da cantora Maria Rita, que se apresentará com o músico Matumona nos intervalos do bate-papo. Além disso, serão divulgadas informações sobre o programa Amigo Adus para que os interessados possam conhecer o canal de doações do Instituto. 

“O papel do Instituto Adus é atuar na reintegração de refugiados e solicitantes de refúgio que buscam inserção social, econômica e cultural. Nossa missão ganha ainda mais importância em um momento como este que estamos vivendo, com a pandemia da Covid-19. Mais do que nunca é preciso integrar. É preciso falar sobre este tema”, ressalta Marcelo Haydu, fundador e diretor do Instituto Adus.

Cozinha do bem

Para reforçar o apoio aos refugiados, especialmente neste período de isolamento social em que muitos estão sofrendo um impacto na fonte de renda, o Instituto Adus listará nos materiais de divulgação do evento nomes e contatos de alguns profissionais que dependem da gastronomia para sobreviver no Brasil.  Assim, os interessados em adquirir algum item dos refugiados poderão saber qual é a especialidade culinária oferecida e entrar em contato direto com os vendedores para ter mais detalhes e efetuar a compra.

“É Preciso Integrar”

Data: 20 de junho de 2020

Horário: das 20h às 22h

Transmissão: canais oficiais do Instituto Adus no YouTube e no Facebook

Inscrições: sympla – o evento é gratuito

Sobre o Instituto Adus

Fundado em 2010, o Adus, Instituto de Reintegração do Refugiado, já auxiliou mais de 10 mil pessoas em situação de refúgio a reconstruírem suas vidas no Brasil. O Instituto oferece aulas de português, cursos de qualificação profissional, inclusão no mercado de trabalho, entre outros projetos. Em 2016, a entidade criou uma escola de idiomas, o Mente Aberta, que oferece cursos de inglês, francês e espanhol, ministrados por professores refugiados, falantes nativos das línguas.

Para conhecer o Adus e colaborar com a causa do refúgio, acesse: www.adus.org.br

Edelman Significa

Boletim de Pautas nº 284

Caravana Embrapa em MT – Rondonópolis

Sistemas ILPF alteram a dinâmica de ocorrência de pragas

Integração de árvores com espécies agrícolas e forrageiras favorece a presença de inimigos naturais

Leia mais

Técnica de processamento melhora a digestibilidade do sorgo e seu potencial antioxidante

Avanço é capaz de aumentar as propriedades funcionais do cereal e compor fórmula de nutrição humana enteral sem glúten

Leia mais

Consórcio com fruteiras nativas amplia a manutenção da biodiversidade amazônica

Iniciativa pretende expandir a oferta desses frutos nas feiras e mercados da Região Norte

Leia mais

Embrapa,.

Chega ao mercado nova plataforma web para a comercialização de commodities agrícolas

Commerce da GAtec vai facilitar ainda mais o trabalho dos produtores rurais e tradings no controle suas atividades comerciais

A compra, venda e as negociações de commodities agrícolas de modo geral nunca foram tarefa fácil. Excesso de complexidade, morosidade, imprevisibilidade, falta de confiabilidade, por anos isso foi a realidade que produtores rurais e tradings enfrentavam ao controlar suas atividades comerciais. Somado a todas estas incertezas, as operações de sempre exigiam uma equipe numerosa, grande volume de documentação e o domínio cirúrgico de detalhes que podiam comprometer todo o processo comercial.

Para trazer novas soluções para este cenário, a GAtec uma das maiores empresas do setor AgTech, especializada no desenvolvimento de ferramentas para a gestão agroindustrial, apresenta para o mercado a nova versão de sua ferramenta já consagrada, o Commerce. O sistema é o mais completo e inovador na gestão de compra e venda de commodities agrícolas. “Esta plataforma ajuda a controlar todos os processos envolvidos na comercialização de commodities, dando acesso a indicadores simples, intuitivos, rápidos e assertivos, como quase nenhum sistema do gênero consegue fazer”, explica o engenheiro agrônomo, Leonardo Ramos, diretor de comercialização de commodities da GAtec.

O Commerce agora entra em um novo momento e já está sendo desenvolvido na nova plataforma SimpleFarm, sobre a qual começam a convergir todos os sistemas da GAtec. Além da total integração com os sistemas agrícolas dos clientes, o potencial tecnológico do SimpleFarm fará com que o Commerce deixe de ser apenas um Software de controle e passe a ser uma plataforma de comercialização de commodities, o que aumentará drasticamente seu potencial.

A nova versão já está saindo do forno e entrará em testes integrados com o ERP SAP em breve. Desenvolvida em uma plataforma web, essa nova versão não representa apenas um salto tecnológico, mas também leva diversas inovações que vão facilitar o dia a dia dos clientes, possibilitando que estes transacionem um volume muito mais alto de produtos de forma segura. “O Commerce será acessado 100% via internet, sem qualquer necessidade de instalação na máquina do usuário. É como utilizar um website, mas com a performance e a capacidade de um moderno sistema de informação, plenamente integrado aos principais ERPs do mercado”, afirma Ramos.

Ainda de acordo com o diretor da GAtec, não apenas os produtores e tradings vão se beneficiar com a nova versão, mas todos os agentes envolvidos na comercialização de commodities agrícolas, como despachantes, transportadores, certificadores de peso, entre diversos outros. Todos esses profissionais poderão ter acesso à nossa plataforma de comercialização e fazer consultas, enviar e receber arquivos, entre outras coisas. “O Commerce entrará em outro patamar, deixando de ser um software para ser uma plataforma avançada de relacionamento entre os diversos profissionais e empresas envolvidos na comercialização de commodities para mercado interno e externo. Sua tecnologia avançada possibilita isso”, salienta.

Diferenciais

A plataforma começou a ser desenvolvida em 2007 e de lá para cá a ferramenta foi sendo aperfeiçoado para se tornar uma solução completa. Os seus diferencias quando comparados a tecnologias semelhantes no mercado são inúmeras. Entre elas destaca-se: a fácil integração do processo de compra e venda de commodities agrícolas dos mercados interno e externo, pois a ferramenta segue toda a norma internacional. Somado a isso, realiza a rastreabilidade total das operações garantindo a qualidade e as informações de cada produto, da origem ao destino.

O Commerce está disponível para diversos segmentos dentro do agronegócio, são elas: milho, soja, açúcar, carne, citros e pecuária. Entretanto a ferramenta também se destaca na cultura de algodão. “Devido às características dessa cultura, o software precisa ser capaz de controlar as operações com base nas características individuais dos fardos de pluma, que formam lotes de comercialização com suas especificidades de peso, qualidade e precificação. Toda essa complexidade requer controles rígidos, já que é um mercado seleto e muito baseado em confiança e segurança nos dados, levando transparência ao comprador”, afirma Ramos.

Hoje, o sistema atual já é responsável pela comercialização das commodities agrícolas de 17 grandes produtores rurais, além de quatro tradings que o utilizam para executar compras e vendas. “A simplificação que o Commerce trouxe a essas operações é sem paralelo no mercado, porque tanto o usuário quanto os gestores conseguem visualizar e controlar a quase totalidade do processo no sistema, sem a necessidade do uso de planilhas eletrônicas. Esperamos que a nova versão 100% online que estará disponível ao mercado em meados de setembro desse ano, traga ainda mais benefícios e facilidades aos nossos clientes”, destaca o diretor da Gatec.

Sobre – A GAtec S/A Gestão Agroindustrial está sediada em Piracicaba, no interior paulista, oferecendo aos clientes consultoria, treinamento, desenvolvimento e integração de sistemas de gestão para o agronegócio. Composta por profissionais com mais de 35 anos de experiência em planejamento e controle agroindustrial, a empresa está presente em 12 países com mais de 250 clientes. Sua atuação contempla diversas culturas do agronegócio, entre elas, cana-de açúcar, grãos, algodão, café, citros, pecuária, entre outros. Mais informações www.commercesf.com.br ou www.gatec.com.br.

Press Manager,.

Ana Paula entre as mulheres na linha de frente das lutas sociais

Para aprender, entender, e, principalmente, apoiar a comunidade negra, é preciso descobrir histórias inéditas. Como a da carioca Ana Paula Bernabé, que aos 45 anos e moradora do bairro dos Pimentas, em Guarulhos, traz no corpo as cicatrizes de muitas chicotadas. Na própria carne, na memória e na alma, sabe o que são as dores dilacerantes sofridas pelos antepassados nas senzalas.
Mãe de três filhas, quando ela pensava que estava a salvo de racistas da nossa sociedade nas ruas, foi amarrada, sofreu açoites, estupro, todos os tipos de violência física e moral dentro do próprio lar.
Leonina, corajosa, desempregada nesse momento de pandemia, Ana Paula não desiste, se reinventa. Sem um companheiro, sem poder trabalhar como faxineira (não pode entrar nos lares), lava carros para pagar as contas, ajudar filhas e netos. No final do dia, cansada, tem um momento de alento na companhia de uma de suas paixões: os livros.
Qual sonho da Ana no momento? Conseguir comprar uma cadeira de rodas para a neta de seis anos que não pode andar por ser portadora de microcefalia (malformação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada).
A luta da carioca apaixonada por samba que deseja correr a São Silvestre parece história de cinema. Agora, ela vai tentar vencer mais um de tantos obstáculos enfrentados em sua vida. Mesmo sabendo da crise no setor audiovisual, a mulher batalhadora que tem orgulho de sua cor, apesar de tudo o que já sofreu, quer ser dublê. E ela já iniciou as aulas de boxe seguindo o protocolo para evitar contaminação do novo coronavírus. Ela coloca máscara descartável, usa álcool em gel, protetor facial e segue para o treinamento sob o comando do diretor do Centro de Treinamento de Dublês e Atores, o ator e produtor Bruno Santana. Ambos estão sob a supervisão atenta de uma técnica de enfermagem.
Link de depoimento de Ana Paula, no qual ela afirma que a escravidão continua: http://www.youtube.com/watch?v=lAyzMLv54X0&feature=youtu.be
Gostaría de ver a história de Ana Paula Bernabé ter um final feliz.
Conto com você para a pauta?

Dados mostram como é a realidade
Bruno Santana cita números que demonstram que o racismo permanece, mesmo camuflado:
Cerca de 61% das vítimas de feminicídio são negras
Negros são 62% mais vulneráveis à morte por covid-19
Apenas 10% dos escritores negros têm suas histórias publicadas por grandes editores
Negros são 2,5 vezes mais afetados por homicídios
Muitos jovens pretos cometem suicídio
Apenas 4% dos parlamentares são negros
Mas há os que venceram os obstáculos e superaram barreiras:

5% estão em cargos de liderança das maiores empresas do país
São 18% dos magistrados
São 16% entre professores universitários
Bruno observa que são números recentes, porém sujeitos a alterações.

Divulgação

Em e-book da UFSCar, pesquisadores se reúnem para pensar a pandemia além da Saúde

Multidisciplinar, livro aborda agravamento de questões estruturais como saneamento, urbanismo e gestão pública durante a pandemia

Pensar a pandemia causada pelo novo Coronavírus além de seu aspecto epidemiológico, interpretando o atual quadro de maneira multidisciplinar. Essa é a proposta do livro “Covid-19: crises entremeadas no contexto de pandemia (antecedentes, cenários e recomendações)”, lançado pela Comissão Permanente de Publicações Oficiais e Institucionais (CPOI) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e disponível em sua plataforma digital (www.sibi.ufscar.br/cpoi/publicacoes).
A publicação, fruto do esforço conjunto de especialistas do Direito, Gestão Pública, Segurança Alimentar, Engenharia, Ciência Política, Sistemas Complexos e Planejamento Urbano, é destinada a gestores públicos, lideranças comunitárias, movimentos sociais, pesquisadores e a todos os demais interessados em refletir sobre a crise para além de seu aspecto meramente epidemiológico. “Estamos diante de uma crise sem precedentes no século em curso. Não seria apropriado tratá-la apenas como uma crise de saúde ou sanitária, posto que suas origens e consequências ultrapassam, em muito, essas dimensões e, desafortunadamente, fazem-na encontrar com outras crises – econômica, social, política e institucional”, afirmam os organizadores da obra – os professores Norma Valencio e Celso Maran de Oliveira, ambos do Departamento de Ciências Ambientais (DCAm) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCam) da UFSCar.
“Entre outras motivações, a obra surgiu da angústia e da preocupação de muitos colegas, da nossa Universidade e de outras instituições, para com os descaminhos das autoridades governamentais quando da adoção de visões e práticas enviesadas na gestão da crise, com graves riscos à garantia dos direitos da pessoa humana. Consideramos que essa preocupação coletiva, com suas tonalidades teóricas e disciplinares, necessitava de um canal comum de expressão, um livro”, conta Valencio, que compartilhou a ideia inicial com a professora Sônia Buck, atual Chefe do DCAm. “Ela nos estimulou a levar a proposta adiante e colocou a mim e ao professor Celso em contato para deflagrarmos esse processo”, relembra.
O livro apresenta um olhar técnico-científico sobre a crise atual, aprofundando questões nem sempre discutidas no dia a dia. “Todos os autores trazem ao leitor reflexões inovadoras do que temos sido amplamente ‘bombardeados’ pela mídia em geral”, aponta Maran de Oliveira. “São reflexões de profissionais de diversas áreas do conhecimento, o que por si só já difere do que temos visto das abordagens normalmente feitas somente por profissionais da Saúde”, complementa ele.
Um dos destaques da coletânea, de acordo com Valencio, é colocar em evidência os componentes político-institucionais antecedentes à pandemia e que se tornam ingredientes para o seu recrudescimento. “Isso tem ocorrido, por exemplo, na racionalidade burocrática que produz ritmos e interpretações da realidade concreta incompatíveis com as demandas dos grupos sociais vulneráveis e, assim, minam as relações de confiança com a sociedade civil”, destaca a pesquisadora.
“Outro componente discutido é o caráter equivocado de critérios socioespaciais adotados pelas autoridades para gerir a crise. E o aspecto da interdependência entre diferentes sistemas, cuja mentalidade gerencial e política é a vê-los ainda de um modo desagregado. Por fim, o tema do saneamento é problematizado como questão de fundo, estrutural, da forma como a pandemia se comporta”, completa a professora da UFSCar.
Além de analisar os cenários no contexto da pandemia, Maran de Oliveira explica que “uma das preocupações dos organizadores foi no sentido de que cada capítulo pudesse trazer contribuições para o quadro atual”. Uma das recomendações que mais salta aos olhos, na opinião de Valencio, é a necessidade de mobilização da sociedade civil na defesa dos valores democráticos. Outra recomendação é “a escuta dos gestores públicos ao que os outros campos disciplinares e atores sociais têm a dizer sobre a crise, além dos que ora são ouvidos no setor da Saúde, para construir polifonicamente políticas públicas, posto que a crise é multifacetada”. Por fim, a professora destaca que é preciso ampliar a discussão sobre as especificidades sociais dos grupos e modos de enfrentamento da crise – entre eles, idosos, indígenas, produtores rurais de base familiar, empobrecidos do meio urbano – pois a crise exige remédios distintos para uma sociedade heterogênea, desigual e injusta socialmente.

Estrutura da obra
A coletânea, com 447 páginas, é organizada em cinco seções: 1. Dimensões jurídicas, financeiras e de controle da gestão pública; 2. Velhos e novos desafios para as políticas setoriais; 3. Planejamento urbano na berlinda: escalas espaciotemporais de análise da evolução da pandemia; 4. Aspectos sociais sensíveis; e 5. Crise no contexto democrático: dinâmicas e ordem social em jogo.
Os autores são de diversas instituições nacionais – Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo (DPES), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) e do Rio de Janeiro (MPRJ), Rede de Cuidados (RJ), Secretaria Municipal de Saúde de Petrópolis (RJ), Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), Universidade de Santos (Unisantos), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual Paulista (Unesp), além das universidades federais de Santa Maria (UFSM), de São Carlos (UFSCar), do Rio de Janeiro (UFRJ) e Fluminense (UFF) – e internacionais como as universidades de Tóquio (Japão), Tongji (China) e de Manchester (Inglaterra), além do Instituto Tata de Ciências Sociais (Índia).
O livro “Covid-19: crises entremeadas no contexto de pandemia (antecedentes, cenários e recomendações)” está disponível neste link (https://bit.ly/30lfTbe) e no site da CPOI (www.sibi.ufscar.br/cpoi/publicacoes). E os organizadores vão manter esforços para viabilizar o lançamento também de uma versão impressa. Informações adicionais sobre o e-book podem ser solicitadas aos organizadores pelos e-mails norma.valencio@ufscar.br e celmaran@gmail.com.

UFSCar

HyperX Cloud Alpha S Blackout Edition traz mais uma opção de cor à reconhecida linha de headsets HyperX

Versão inteira preta do Cloud Alpha S tem som surround 7.1 virtual otimizado, tecnologia Dual Chambers e o habitual conforto da linha Cloud Alpha

São Paulo, 8 de junho de 2020 – A HyperX acaba de expandir a linha de headsets Cloud Alpha com o Cloud Alpha S Blackout Edition. Todo preto, o novo Alpha S Blackout tem um recurso avançado de controle de mixagem de áudio que permite ativar seu som surround 7.1 virtual otimizado e ajustar o balanço entre o som do jogo e do chat. Também é possível regular a potência dos graves em três níveis e diretamente na concha auricular, proporcionando uma experiência sonora mais rica durante as partidas. O novo headset da HyperX conta ainda com tecnologia Dual Chambers, ou seja, tem duas câmaras sonoras em cada concha auricular que separam os sons graves dos médios e agudos, reduzindo a distorção sonora e fornecendo áudio mais estável e preciso. O Cloud Alpha S Blackout Edition já está à venda no Brasil pelo preço sugerido de R$949,90.

“Os jogadores brasileiros são legitimamente exigentes com seus acessórios. No caso dos headsets, querem produtos que ofereçam alto nível de nitidez, suportem longas jornadas de uso e com absoluto conforto, e tenham atitude, sejam estilosos. O Cloud Alpha S Blackout Edition é tudo isso. Com som surround 7.1 otimizado e o conforto e qualidade da linha HyperX Cloud original, é mais uma opção para o jogador personalizar seu setup”, diz Fabio Bottallo, gerente sênior de marketing da HyperX na América Larina.

Como nos demais headsets da linha Cloud, as almofadas das conchas do novo modelo são revestidas de couro sintético, têm moldura de alumínio resistente, usam espumas de alta densidade (exclusiva tecnologia Memory Foam HyperX), adaptando-se ao usuário conforme o uso e garantindo longas horas de jogatina com conforto. O novo headset vem ainda com microfone destacável com cancelamento de ruído, cabo trançado, conjunto extra de almofadas de tecido e bolsa para transporte.

Para mais informações sobre a HyperX e seus produtos, visite http://www.hyperxgaming.com/br.

Sobre a HyperX – A HyperX é a divisão gamer da Kingston Technology, a maior fabricante de memórias independente do mundo, e tem como objetivo oferecer componentes e periféricos de alto desempenho a gamers de consoles e PC, integradores e usuários avançados de dispositivos móveis. Há 18 anos, a missão da HyperX tem sido desenvolver produtos gamers – memórias de alta velocidade, SSDs, headsets, teclados, mouses, carregadores para controles de console, pendrives e mousepads – para todos os tipos de jogadores. A premiada marca HyperX é reconhecida por seus produtos, que reúnem máximo conforto, performance e confiabilidade, além de visual único. Celebridades, gamers profissionais, entusiastas de tecnologia e overclockers do mundo todo confiam e usam os produtos da HyperX, pois eles atendem os mais altos níveis de exigências e são feitos com os melhores componentes do mercado. Recentemente, lançou a campanha “We’re All Gamers”, em que os embaixadores da marca se transformam em heróis e encarnam o espírito gamer.

Visite a #HyperXFamily em http://www.facebook.com/HyperXBrasil/ e http://www.hyperxgaming.com/br e saiba como os produtos da HyperX podem aprimorar a experiência de jogo tanto dos usuários de consoles quanto de PCs e dispositivo móveis. Seja qual for o nível de habilidade e o tipo de game, a HyperX atende a todos os jogadores. We’re All Gamers (Somos todos gamers).

A HyperX pode ser encontrada em: