10 dicas de limpeza para evitar doenças respiratórias no outono

GetNinjas selecionou alguns cuidados simples e práticos que deixam a casa limpa e ajudam a evitar o aparecimento das alergias típicas dessa época do ano

O outono é o período do ano em que as temperaturas ficam mais amenas, a umidade relativa do ar cai e, como consequência, aumenta a incidência de doenças respiratórias como rinite, sinusite e asma. De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facil (ABORL-CCF), os casos de alergia nesta época crescem cerca de 40%.

Fazer a limpeza adequada da casa contribui bastante para reduzir a manifestação das alergias típicas da temporada. O GetNinjas, maior plataforma de contratação de serviços da América Latina, incluindo o de diarista, selecionou algumas dicas simples e práticas nesse sentido. Confira abaixo quais são elas:

Menos espanador e mais paninho

A melhor maneira de retirar o pó dos móveis é utilizando um pano úmido. Ao contrário do espanador, que apenas transfere o pó de um lugar para outro da casa, o pano úmido consegue efetivamente retirar a sujeira dos espaços.

Lave bichos de pelúcia e cortinas

Todos estes objetos acumulam muita poeira, por isso é importante mantê-los sempre higienizados. Panos úmidos são práticos e eficazes na limpeza das persianas. Cortinas de tecido e pelúcias devem ser lavados a mão, preferencialmente. Aproveite os dias ensolarados e secos do período para fazer isso.

Limpe o sofá

Por ser um dos móveis com maior potencial para acumular poeira, é recomendado limpá-lo a seco, utilizando um aspirador de pó. Tenha atenção especial aos “cantinhos”, famosos por acumular sujeira.

Higienize os tapetes

Tapetes também são outros grandes acumuladores de poeira. Para fazer uma limpeza profunda, polvilhe bicarbonato de sódio por toda a superfície do objeto (utilize uma peneira para fazer isso) e o deixe agir. No dia seguinte, retire o produto com um aspirador.

Cuidado com os vidros

Vidros também podem acumular poeira. Para fazer uma limpeza profunda, dilua uma colher de sopa de bicarbonato de sódio em 250 ml de água e aplique o produto com um pano de algodão.

Atenção aos cobertores e edredons

As noites de outono costumam ser mais frias, portanto perfeitas para dormir com um cobertor, uma manta ou um edredom. Antes de utilizá-los, no entanto, é importante lavá-los e deixá-los secar bem para ter certeza de que não transportem ácaros para a cama.

Menos vassoura, mais aspirador

Varrer a casa é bom, mas pode suspender a poeira e os ácaros causadores das doenças respiratórias. Sempre que possível, opte por utilizar o aspirador de pó ou panos úmidos para fazer a higienização. Caso tenha de utilizar a vassoura, a envolva com um pano úmido de modo a realizar a limpeza com mais eficácia.

Armários entram na lista também!

Limpe o móvel com uma solução de água e vinagre (diluídos em partes iguais). Após a higienização, feche as portas e deixe agir por duas horas. Na sequência, passe um pano com água e deixe secar naturalmente.

Utilize produtos de limpeza com moderação

Os produtos de limpeza convencionais costumam ter odores fortes que, por consequência, podem instigar as alergias. Escolha os que apresentam cheiros mais suaves.

Deixe a luz entrar

Tente manter as portas e janelas de casa abertas, sempre que possível. Aproveite os períodos da manhã e meio da tarde para deixar o sol entrar e arejar todos os espaços. Ele também é um excelente aliado na limpeza doméstica.

 Sobre o GetNinjas

Disponível para Android, iOS e web, o GetNinjas (www.getninjas.com.br) foi eleito, em 2017, pela Forbes Brasil como uma das empresas mais promissoras do Brasil. Atualmente, possui mais de 200 tipos de serviços disponíveis, entre eles estão profissionais das áreas de reformas, moda e beleza, assistência técnica, serviços domésticos, aulas, eventos, entre outros. A empresa, que recebeu R$ 47 milhões de aporte de fundos como Monashees, Kaszek e Tiger Group, já está presente em mais de 3 mil cidades do Brasil, registra cerca de 2 milhões de pedidos de serviços ao ano, e conta com mais de 500 mil profissionais cadastrados. O GetNinjas foi fundado em 2011 por Eduardo L’Hotellier, que atua como CEO – à frente das operações.

Fn | Fala Criativa

Não se pode negar a diferença

Positivo

Por Pablo Antonio Lago*

Uma questão que tem ocupado os debates sobre a reforma da Previdência diz respeito à diferença da aposentadoria entre homens e mulheres. Considerando o sistema atual, tem-se que mulheres podem se aposentar ao completar 60 anos, enquanto a idade exigida para os homens é de 65 anos. Essa e outras regras, em tese, colocariam a mulher em uma posição privilegiada.

“Em tese”, pois na prática a diferença de idade entre homens e mulheres foi pensada considerando circunstâncias que se mantêm atuais. Pesquisas retratam com clareza a desigualdade laboral entre homens e mulheres, considerando aspectos como o tempo gasto com afazeres domésticos, a proporção de ocupados em trabalho por tempo parcial e os rendimentos médios de trabalho. Os dados que serão explorados a seguir constam na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), de 2016, divulgados no estudo Estatísticas de Gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil, do IBGE, com atualizações até 2018.

Com relação ao tempo gasto com afazeres domésticos, no qual se inclui o tempo dispensado com o cuidado de outras pessoas (notadamente filhos e outros familiares), tem-se que mulheres gastam, semanalmente, cerca de 18,1 horas, enquanto homens gastam, em média, 10,5 horas. Disso se segue que mulheres dedicam aos cuidados domésticos cerca de 73% mais horas que os homens, o que acaba por refletir em número significativamente maior de mulheres em trabalhos parciais, de até 30 horas semanais (28,2% contra 14,1%). Tais fatores, conjugados com outros, como a segregação ocupacional e a discriminação no mercado de trabalho, refletem em clara diferença salarial entre os gêneros, sendo que mulheres recebem cerca de ¾ do que recebem os homens.

O fato dos cuidados domésticos e com familiares não serem trabalhos remunerados e, consequentemente, sobre os quais não se recolhe contribuição para fins previdenciários, não é justificativa para se buscar a equiparação da idade de aposentadoria entre homens e mulheres. Antes o contrário: os cuidados domésticos e com familiares, que caracterizam a chamada dupla (ou mesmo tripla) jornada feminina, representam trabalhos de claro interesse social e coletivo – e, como tal, devem ser considerados. Como na maioria significativa dos casos tais afazeres domésticos são realizados por mulheres, tem-se como justa sua consideração para fins de diferenciação na aposentadoria. Até porque, em última análise, são trabalhos que igualmente beneficiam ao homem e à família como um todo. Logo, exigir maior tempo de contribuição ou de idade para os homens corresponde a uma forma de equilibrar as disparidades laborais existentes.

A expectativa de vida, que é maior no caso das mulheres (79,6 anos contra 72,5 anos, conforme dados de 2017), tampouco pode ser levada em consideração para fins de equiparação. Considerando nosso contexto sociocultural, percebe-se que, mesmo após a aposentadoria, muitas mulheres prosseguem cuidando da casa e da família, sendo comuns os casos nos quais as avós se responsabilizam pelos netos. Sendo assim, a aposentadoria de fato das mulheres é, muitas vezes, ilusória. Nada mais justo, portanto, que a manutenção da diferença de idade entre homens e mulheres para fins de aposentadoria.

Por Pablo Antonio Lago, é doutor em Direito pela USP. É professor na Escola de Direito da Universidade Positivo.

 

 

 

 

805f5d34d1d953f40b69272cf6587088_small.jpg
Pablo Antonio Lago, doutor em Direito pela USP. É professor na Escola de Direito da Universidade Positivo.
Créditos: Divulgação
baixar em alta resolução

Bananeira não dá pera

Positivo

Por Acedriana Vicente Vogel*

Inúmeros são os ditos populares que explicam os percalços da vida, carregados de sabedoria, professados pelas pessoas que nos antecederam e que não perderam o valor pedagógico, ao longo do tempo. Há pessoas que passam pela vida ‘plantando vento’ e se surpreendem quando acabam por ‘colher tempestades’. Não é raro se atribuir à sorte as conquistas das pessoas. Que uma parte da conquista é graça, não há dúvidas, mas a outra é esforço, trabalho, dedicação e muita persistência diante das adversidades.

Em Santa Catarina, lugar de onde eu venho, ditos populares nos economizam uma série de explicações sobre o que acontece nos relacionamentos humanos, pois comunicam e ensinam, de forma espontânea, direta e bem-humorada. Capturo, com isso, portanto, o valor da simplicidade em nossos relacionamentos. E, mais ainda, o quanto é complexo ser simples.

O início de um ano é, para mim, como um caderno novo, que nos impele a organizar e caprichar somente pelo fato de ser novo. Inúmeros são os propósitos que temos e que, de tantos, acabam no esquecimento. Portanto, faço um convite para avaliar esse ‘check list’, a fim de encontrar um tempo na agenda deste ano para exercitar a simplicidade, tão presente na infância e, por vezes, esquecida na vida adulta.

Steve Jobs, fundador da Apple, dizia que a simplicidade era o seu mantra, tanto quanto o foco. “O simples pode ser mais difícil que o complexo: é preciso trabalhar duro para limpar seus pensamentos de forma a torná-los simples”, afirmou certa vez. É a simplicidade que emoldura a memória emocional, que nos constitui como gente e, para reativá-la ao nível da consciência, é necessário nos perguntar: pelo que o nosso coração ‘suspira’?

Particularmente, encontro um ‘cardiosuspiro’ no tempo em que passávamos na estufa do meu avô, varando noites para secar o fumo, comendo balas de puxa-puxa feitas pela minha avó, que puxava o melado quente, de uma mão para a outra, até ficar ao ponto de bala. Essa convivência era regada por muitas histórias sobre a vida, que me ajudaram a ser quem eu sou e despertam em mim um orgulho que pulsa, ou seja, ativa um suspiro que me enobrece ao recordar (pensamento que passa pelo coração).

Curiosamente são as coisas mais simples e singelas que nos marcam positivamente. Não é incomum, particularmente, me emocionar com o cheiro do fogão à lenha. Ele me remete a um tempo onde a vida era menos complexa e mais intensa de sentido, emerge do exercício dessa memória que nos “gentifica”, ou melhor, que resgata os contornos que nos fazem mais gente, mais responsáveis por aquilo que nos tornamos, sem a falsa expectativa de poder colher pera de uma bananeira.

Por Acedriana Vicente Vogel sou diretora pedagógica da Editora Positivo.

 

 

 

54ccaf0f1a2f34b231d64236dd34d1a2_small.jpg
Acedriana Vicente Vogel é diretora pedagógica da Editora Positivo
Créditos: Daniel Derevecki
baixar em alta resolução

A natureza é o melhor remédio

Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza

Por Leide Takahashi*

Manter a saúde física e mental equilibrada não depende exclusivamente de medicamentos. Estabelecer uma rotina que agregue hábitos saudáveis no dia a dia é essencial para prevenir doenças. Nesse sentido, a prática de atividades em áreas verdes e o contato com a natureza são cada vez mais indicados. É crescente o interesse científico sobre essa relação e sobre os benefícios que a natureza pode trazer para a saúde e o bem-estar.

Em um dos estudos sobre o tema, pesquisadores japoneses da Universidade de Chiba enviaram um grupo de voluntários para passear em sete florestas diferentes, enquanto outro grupo andou pelos centros das cidades. As pessoas que tiveram contato com a natureza mostraram queda de 16% no cortisol (o hormônio do estresse), declínio de 2% na pressão sanguínea e queda de 4% na frequência cardíaca. A explicação dada é que nossos corpos tendem a relaxar em ambientes ao ar livre para interpretar informações da natureza, o que não acontece para a correria das grandes cidades.

Outro trabalho, produzido na Austrália, mostra que pessoas que frequentam regularmente áreas verdes apresentam taxas mais baixas de depressão e pressão alta, além de apresentarem maior integração social. Os benefícios também envolvem melhora na qualidade do sono, desenvolvimento cognitivo, desempenho cardíaco e imunidade, além de reduzir a ansiedade, tensão muscular e estresse.

Em áreas litorâneas, o contato com o oceano minimiza problemas respiratórios por possibilitar que as pessoas respirem com maior facilidade. Ficar ao ar livre, de preferência em local com exposição solar, também colabora com a produção de vitamina D, essencial para o funcionamento do corpo. A carência desse componente aumenta o risco de problemas cardíacos, osteoporose e doenças autoimunes.

A partir dos resultados cientificamente comprovados dos benefícios que a natureza pode trazer à saúde, médicos do Hospital Infantil UCSF Benioff, na Califórnia, desenvolveram um projeto piloto que treina pediatras no ambulatório para não se limitarem a receitar medicamentos aos seus pacientes. O objetivo da instituição é incentivar visitas a parques próximos, já que o contato com a natureza é essencial para o desenvolvimento saudável das crianças.

Os benefícios desses cuidados com a saúde também são visíveis na economia. Na Austrália, por exemplo, cerca R$ 34,3 bilhões são gastos por ano para cobrir os custos sociais da depressão. Na Grã-Bretanha, aproximadamente 12,5 milhões de dias de trabalho são perdidos anualmente devido ao estresse, depressão ou ansiedade. Ou seja, o incentivo ao contato com a natureza pode trazer uma economia significativa aos orçamentos da saúde pública e privada.

A conexão com a natureza e áreas verdes é possível e acessível. Podemos reorganizar a nossa rotina em prol da nossa saúde. Que tal investir 20 minutos do seu dia em caminhadas, esportes ou meditação em contato com natureza? Dessa forma, você ficará exposto a elementos que afetam positivamente seu cérebro e corpo.

Correr em um bosque, por exemplo, traz mais satisfação, mais prazer e menos frustração do que em lugares fechados. Cultivar plantas, seja dentro de casa ou no escritório, pode melhorar a cognição, aumentar a energia e até diminuir a dor. Estudos mostram que indivíduos que têm contato ou contemplam áreas naturais se curam mais rapidamente. Fotos de natureza também podem ajudar.

Ficar longe dos grandes centros urbanos, passar um tempo contemplando ou meditando na natureza, comer de forma saudável e dormir bem certamente farão com que você se sinta descansado, renovado e de volta aos trilhos. Um estudo recente publicado no Journal of Psychosomatic Research constatou que os retiros de meditação são bastante eficazes na redução da ansiedade, depressão e estresse. É um esforço fundamental, que traz resultados significativos. Quanto mais próximo você estiver da natureza, melhor será a sua saúde e a sua qualidade de vida.

Por Leide Takahashi é gerente de Conservação da Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza e doutora em Conservação da Natureza.

 

 

 

 

591718a913ee8b3317108f7a442b942f_small.jpg
Leide Takahashi
Créditos: Divulgação
baixar em alta resolução

Como um livro pode alavancar a carreira de um Médico

mos a respeito?

Por Eduardo Villela*

Há diversas ações que contribuem para que um profissional obtenha maior notoriedade no mercado, mas uma em especial pode o levar a outro patamar em sua carreira: lançar um livro.

No caso da carreira médica, escrever uma obra pode ser uma boa forma do profissional dividir com o maior número de pessoas sua expertise, conhecimentos e prática em determinado assunto ou área da saúde.

O médico pode lançar um livro que traga dicas e orientações para o grande público, assim como o faz em consultório com seus pacientes, esclarecendo um determinado tema e sugerindo ações concretas para que os leitores se mantenham saudáveis no dia a dia. A publicação desta obra pode ajudar na carreira de seu autor de várias formas: ele passa a receber convites para entrevistas em jornais, revistas, rádios, blogues, sites e etc; leitores que conheceram seu trabalho por meio do livro podem vir a se tornar pacientes; é requisitado para palestras.

Outra opção seria os médicos escreverem livros técnicos sobre suas áreas de especialidade. Neste caso o conteúdo destas obras teria como público-alvo os estudantes de graduação em medicina ou profissionais em início de carreira. Livros técnicos tendem a abrir portas para que seus escritores sejam convidados para participar de congressos e ministrar aulas e palestras.

Sugiro que você, médico e futuro escritor, inspire-se nos exemplos a seguir:

Como Book Advisor, tive a honra de assessorar o Prof. Dr. Marcelo Rabahi em seu livro A Meta da Humanização: do Atendimento à Gestão na Saúde. A obra mostra que a relação médico-paciente precisa ser repensada pelos médicos e discute a importância deles praticarem um atendimento humanizado, acolhedor e atencioso com seus pacientes. É um perfil de livro mais técnico, sendo voltada para estudantes, professores de medicina e médicos em geral.

Drauzio Varella, médico oncologista e escritor brasileiro de ficção e não ficção. Ele lançou o livro Borboletas da Alma: escritos sobre ciência e saúde em que esclarece os segredos da vida mental de forma acessível até para os leigos no assunto.

Escreveu também Correr: o exercício, a cidade e o desafio da maratona no qual aborda o prazer da corrida e seus benefícios.
A medicina ainda causa fascínio em muita gente, o médico e autor Atul Gawande escreveu um livro que aborda uma questão complicada, mas que faz parte do dia a dia de muitos médicos, a morte. Falando de maneira direta e franca sobre a nossa própria finitude, a obra Mortais ficou em primeiro lugar na lista de mais vendidos do New York Times.

Outra obra importante escrita por um médico é a Lugar de médico é na cozinha: Cura e saúde pela alimentação viva. No livro o Dr. Alberto Peribanez Gonzalez revela que cuidar de nossa saúde de forma preventiva é muito mais simples do que imaginamos: devemos voltar nossa atenção para os alimentos da horta e do pomar, investindo tempo em prepara-los em nossas cozinhas.

Sempre digo que lançar um livro é uma das maneiras mais eficazes de materializar, de registrar, seus conhecimentos, Know-how e vivências, visando agregar valor e contribuir genuinamente para o bem-estar dos leitores. Como Book advisor, e com a experiência de ter lançado mais de uma centena de livros de autoria de profissionais liberais e autônomos, posso afirmar com tranquilidade que um livro solidifica, expande e carrega a marca de seu autor. É um aliado poderoso na valorização e divulgação de sua atuação profissional!

Fn | Digital Trix

5 dicas para ir bem nas entrevistas em inglês em 2019

A maioria das entrevistas exigem uma parte da conversa em inglês

Chegou o grande momento: aquela vaga que você tanto quer pode ser sua, mas uma das fases envolve uma entrevista em inglês! Por mais que muito de nós já tenhamos estudado por anos em escolas de idiomas sempre “bate” aquela ansiedade/insegurança na necessidade de se comunicar em uma língua diferente. Porém, vamos lembrar o conceito da entrevista de emprego. Trata-se de um recrutador (Uma pessoa como você) que fará perguntas estratégicas (Para averiguar se você se encaixa na vaga em questão) e ao final elaborar um relatório do seu desempenho para uma possível contratação. Ou seja: uma entrevista nada mais é que uma conversa direcionada entre dois seres humanos.

Como o próprio conceito remete, a entrevista de emprego trata-se de algo direcionado, ou seja que pode-se planejar. É fato que o planejamento da entrevista pode ser feito em parte. Afinal, como toda conversa, ela deve ser natural em alguns pontos e tomar rumos que não necessariamente prevemos. Entretanto, uma fração dela pode ser treinada/praticada e até previsível. A maioria das entrevistas, em todo o mundo, envolvem perguntas como os principais pontos fortes e fracos do candidato, as experiências profissionais/educacionais anteriores, o que ele pode agregar ao novo posto de trabalho, entre outras.

Logo, a capacidade de se sair bem nas entrevistas em inglês tem principalmente a ver com o vocabulário que o candidatado possui para responder e questionar eventuais dúvidas que surjam em inglês. Além, claro, de se atentar aos tempos verbais. ” Sempre que oriento os alunos da Minds peço para que eles lembre-se de se comunicar no presente, passado e futuro. Até porque durante a conversa os três tempos serão exigidos”, explica Fabiano Castro, Diretor da Minds English School.

Na Minds Idiomas, rede de escolas focadas em inglês, há simulações de entrevistas e aconselhamento profissional para mais de 10.000 alunos. “Temos essa frente de aconselhamento profissional, na Minds, porque têm aumentado a demanda por profissionais no exterior também. Praticar as entrevistas deixam os alunos mais preparados e tranquilos quando ocorrerem de fato”, fala Fabiano!

Pensando nesse contexto, Fabiano Castro, da Minds English School, separa 5 dicas para você ir bem na entrevista em inglês em 2019

1)Pesquise sobre a empresa antes da entrevista

Essa dica parece ser óbvia, porém ao ler mais sobre o local que se pretende trabalhar, conversar com pessoas que já trabalham/trabalharam na empresa (vale por linkedin), entender melhor qual o ramo de atuação e onde o negócio quer chegar podem lhe ajudar a traçar o comportamento das pessoas que trabalham lá. E com isso praticar com os seus amigos/familiares possíveis perguntas que vão ao encontro dos valores da instituição.

2) A primeira impressão é a que fica

E isso realmente não é apenas um ditado popular. O nosso cérebro não programa isso e acontece com todos os seres humanos. Por mais que o papel do recrutador seja de ser imparcial isso acontece. É um processo natural da nossa mente. Por isso, se você errar no inicio algum vocábulo/expressão peça desculpas em inglês e recomece o que iria dizer. O problema no inicio não é errar e sim não consertar.

3) Não se apavore se você nunca fez um intercâmbio

Claro que a vivência em outro país pode ser enriquecedora para a empresa. Principalmente porque pode facilitar a compreensão do candidato quanto a própria cultura organizacional do empregador. Porém, um intercâmbio depende muito de como a pessoa o faz. Por exemplos: se o indivíduo se propôs mesmo a ter contato com pessoas locais, se fez tarefas que envolviam o aprendizado do inglês, se “fugiram”da língua materna, etc. Aqui o que vale é a honestidade. Se você teve a oportunidade de praticar o idioma por couchsurfing, conversando com os seus amigos, pessoas pela internet, entre outras é o que importa. Seja honesto(a) e explique o motivo de não ter feito até o momento o intercâmbio. Seja ele financeiro ou pessoal. E mostre interesse em fazer a curto prazo. Lembre-se: o recrutador é uma pessoa como você e quanto mais verdadeiro você for mais terá a chance de conseguir a empatia dele.

4) Pratique a entrevista com amigos/familiares

Aqui vale inclusive a prática sozinho(a) olhando no “espelho”. Perguntas “abertas” como os seus pontos fortes e fracos, contar um pouco de quem você é profissionalmente e nas horas vagas, experiências anteriores de trabalho, cursos e tudo que já estudou, e etc. Pratique em todos os tempos verbais e quantas vezes puder antes de ir a entrevista. O intuito aqui não é decorar as respostas, mas sim te deixar mais tranquilo(a) para a conversa. Que será espontânea em muitos momentos.

5) Trabalhe seu vocabulário de negócios

Ao praticar no “espelho” e/ou com amigos lembre-se de usar o vocabulário da vaga/posto de trabalho pretendido. E caso perceba que está com dificuldade procure uma escola que tenha esse tipo de curso direcionado. Na Minds Idiomas temos o curso Hospitality que é adaptado para essas situações empregatícias e que o aluno tem o ensino direcionado para o mercado de trabalho. Para saber mais acesse o nosso site.

Por Fabiano Castro é especialista em carreira\educação e Diretor Nacional da Minds Idiomas.

Limão ou Limonada: Empresária cria plataforma que conecta desafios e soluções para nos prepararmos para o futuro

Partindo da premissa de que não há apenas uma única forma de resolver um problema e de que a inteligência coletiva e a co-criação são fundamentais para conseguirmos lidar com os desafios de um mundo cada vez mais complexo, Alessandra criou em 2016 o canal Limão ou Limonada, voltado para discussão de iniciativas voltadas para o trabalho e inovação, investimento esse que se transformou em iniciativa de negócio, com prestação de serviços para pessoas e empresas. “Numa mudança de era como a que vivemos o conhecimento está distribuído, mas através das novas tecnologias podemos acessá-lo como nunca conseguimos antes”, destaca.

Alessandra faz um convite para refletir futuristicamente sobre uma nova era, os impactos tecnológicos, o futuro do trabalho e o que seremos daqui 20 anos, por exemplo. A especialista retrata como a solução de problemas complexos pode ser atingida através da troca entre indivíduos com múltiplas potencialidades.

A expert destaca que “quem não pensa sobre o futuro resolve os problemas do presente com ferramentas do passado”, a velocidade das transformações no futuro limitará as opções de trabalho para indivíduos que estão em estado de inércia, é preciso viver o futuro no presente, estar aberto a novas formas de se resolver problemas e predisposto a desaprender e reaprender o tempo todo. Esse processo se é conhecido como “Life long learning”, e é a busca contínua do indivíduo pelo autoconhecimento, seja ela voluntária ou motivada, por questões pessoais ou profissionais.

Soluções do Limão ou Limonada

Para Pessoas:  O Limão ou Limonada adotou uma  fórmula simples mas poderosa. Escolher um “limão”, ou seja, uma situação desafiadora. A partir dessa definição, buscar pessoas que já transformaram esse limão em limonada, ou seja, transformaram o problema em solução e qual solução deram. A partir dessas informações, é produzido um conteúdo, workshops e palestras sobre o assunto, com o intuito de inspirar as pessoas e estimulá-las a conversar diretamente entre si, trocando suas próprias experiências e compartilhando suas “receitas de limonada”, ou seja, as soluções dadas.

Para Empresas: A plataforma desenvolve workshops utilizando a metodologia DesignSprint (prototipagem rápida)  bem como, palestras e cursos in company.

Transformar limões em limonadas em apenas cinco (05) dias é algo que já faz parte da rotina de Alessandra Lippel, empresária e executiva especialista em futuro do trabalho e prototipagem rápida de projetos. Através das metodologias de sprints e squads, seu trabalho traz um mix de conteúdos e consultoria, conectando pessoas e empresas em busca de soluções para os seus desafios

O Design Sprint permite conceber, desenvolver e prototipar a solução de um problema em apenas 40 horas, através de uma imersão de cinco (05) dias, para um grupo de 10 participantes, que se reúnem em local dedicado focado em resolver um problema complexo. Os participantes incluem pessoas da equipe da organização que tem o problema e também participantes externos (experts e makers) que trazem uma perspectiva externa e habilidades práticas. O problema é dissecado, quebrado em partes, para garantir que a solução seja relevante e executável.

Serviço:
Canal Limão ou Limonada no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCliHfxzPdJDAkJvRC3LTUyg
Site Fotossíntese:  http://fotossintese.co/
Site Vitamina Group: www.agenciavitamina.com
E-mail: contato@fotossintese.co
Telefone: (11) 4134-0880

Sobre Alessandra Lippel

Diretora Criativa e empresária, Alessandra Lippel é expert em futuro do trabalho e prototipagem rápida de projetos. Acumula mais de 20 anos de atuação nas áreas correlatas à criatividade e tecnologia com o objetivo de catalisar impactos positivos para o mundo. Fundadora do Limão ou Limonada, Vitamina Group e Fotossíntese, Alessandra Lippel ajuda organizações a imaginarem, prototiparem novos modelos de negócios, produtos e a materializarem o seu DNA e propósito. Para tanto, conta com seu know-how em futuro do trabalho, empreendedorismo e inovação, avançando por consequência nas áreas de criação e produção de eventos, campanhas publicitárias e palestras.

Os Family Offices e a Governança Corporativa de Grupos Familiares

Escrito por Helena Pires de Camargo Spieler & Tiago Franco da Silva Gomes1

É inegável a relevância econômica das empresas familiares no Brasil e no mundo. A International Finance Corporation – IFC, braço privado do Banco Mundial, estima que em média 70% das sociedades em atividade de cada país são familiares. De acordo com a International Family Business Network, as empresas familiares contribuem com cerca de 60% do PIB agregado da América Latina. No Brasil, dos 200 maiores grupos econômicos em atividade, aproximadamente 50% se originaram de grupos familiares nacionais.

Por acrescentarem questões afetivas e pessoais aos assuntos empresariais, os grupos familiares enfrentam problemas de governança e conflitos específicos que se somam àqueles enfrentados pelas demais empresas.

Um dos mais relevantes conflitos típicos das empresas familiares ocorre quando, com o passar das gerações, membros da família permanecem na gestão das empresas, sendo remunerados por isso, enquanto outros permanecem apenas na condição de acionistas, dependendo do recebimento de dividendos para auferirem remuneração.

Assim, os problemas se renovam a cada ano, por ocasião da deliberação de destinação dos lucros: os gestores desejam manter as empresas capitalizadas, reinvestindo os resultados na própria atividade empresarial, enquanto aqueles que estão afastados do dia a dia das empresas, desejam distribuir a maior parte dos lucros como dividendos.

Dentre os diversos mecanismos de governança corporativa para empresas familiares, que se propõem a reduzir não só o conflito societário/familiar acima narrado como os demais problemas de governança específicos das empresas familiares, destacam-se os escritórios familiares (ou family offices, como consagrado na literatura especializada).

Esses escritórios familiares funcionam como um centro de investimentos e prestação de serviços às famílias prósperas, como assessoria financeira, jurídica, tributária e até pagamentos de despesas diárias, tais como despesas médicas e com seguros.

Atuam também na estruturação e intermediação de investimentos em outras empresas. Além disso, quando exercem essa função, o fazem de maneira muito semelhante aos fundos de private equity, investindo na aquisição de participações minoritárias de companhias com potencial de valorização, visando revender referida participação com lucro em um intervalo de poucos anos. Servem, assim, como um instrumento para a diversificação das atividades empresariais da família, reduzindo a sua exposição aos problemas econômicos setoriais que possam afetar os negócios originais.

Por essas razões, os family offices são normalmente administrados por profissionais independentes que possuem habilidades em administração, finanças e contabilidade, consequentemente, transformando-se em robustos e bastante completos centros de serviços de gerenciamento de riqueza para tais famílias. Por isso, podem prestar serviços não apenas para uma única família, mas diversas e podem, ou não, adquirir personalidade jurídica própria, dependendo das necessidades de seus clientes.

Os recursos para o financiamento das atividades dos escritórios familiares são normalmente aportados por cada membro ou por seus núcleos familiares. Com o passar do tempo, são sustentados também pelos valores eventualmente cobrados pelos serviços prestados (especialmente no caso dos escritórios multifamiliares e/ou profissionais) e dos resultados dos investimentos por eles realizados.

Os family offices prestam um importante serviço à governança dos grupos familiares, evitando conflitos de interesses e contribuindo para diversificar os investimentos do grupo.

Ao eliminarem a necessidade de os membros da família arcar com custos corriqueiros, ao prestar-lhes serviços diversos e efetuarem os pagamentos de despesas cotidianas, os escritórios familiares eliminam parcela das tensões surgidas da parte dos acionistas afastados da gestão das empresas e que dependem dos dividendos para custear, entre outros gastos, referidas despesas.

Por fim, ao diversificarem os investimentos, colocando sob os auspícios de profissionais com capacidades específicas, geram uma nova fonte de receitas, contribuindo ainda mais para reduzir os conflitos pelos destinos dos resultados das empresas da família.

 

[1] Sócios do Ambiel, Manssur, Belfiore e Malta Advogados. Helena é graduada em direito pela PUC-SP, pós-graduada em Direito Empresarial pela PUC/COGEAE e especialista em Mercado de Capitais pela FGV-SP. Tiago é graduado em direito e Mestre em Direito Comercial pela USP.

FnSocial | Cláudio Monteiro

Quem controla a agenda anticorrupção do país?

Por Yuri Sahione*

Yuri  Sahione

A Operação Lava-Jato voltou a causar preocupação na pauta política do país nos últimos dias. Não pela nova possibilidade de prisão do ex-presidente Michel Temer, mas pelo desgaste a olhos vistos do relacionamento entre o Ministério da Justiça e a Câmara dos Deputados.

Se de um lado, o governo, os analistas e o mercado acenderam o sinal amarelo com relação às consequências que a crise de relacionamento político traria para a recém apresentada reforma da Previdência – prioridade da pauta econômica -, de outro, muitos vislumbraram o enterro político do Projeto de Lei Anticrime do Ministro da Justiça.

Com o esvaziamento das prisões decretadas, a aparente retomada do diálogo político indicou que aqueles dias não passaram de “chuvas de verão”, nas palavras do presidente da República, abrindo espaço não apenas para o avanço da reforma da previdência, mas também do Projeto Anticrime.

Afora o fato de que a grande maioria dos especialistas condenou o Projeto de Lei Anticrime na sua quase totalidade, o que deve ser refletido em emendas e alongamento dos debates nas Casas Legislativas, para muitos o possível enterro da inicial do Ministro da Justiça poderia significar em uma grande derrota da agenda anticorrupção do governo Bolsonaro.

Muito já foi dito que o Projeto do Ministro Sérgio Moro tem maior foco na segurança pública e no processo penal do que no enfrentamento da corrupção e do mal feito contra o erário público. Não obstante, a confusão entre a cria e o seu criador, publicamente reconhecido como uma figura emblemática no combate à corrupção, acabou por causar a falsa impressão de que o insucesso da iniciativa legislativa atrasaria o avanço da agenda anticorrupção do país.

A Câmara dos Deputados não é dependente do Poder Executivo para modernizar o Estado e aprimorar a legislação de combate à corrupção. Desde a legislatura passada, também sob a presidência do deputado Rodrigo Maia, a Câmara constituiu a Comissão Especial de Modernização da Lei de Licitações e a comissão de juristas incumbida de elaborar propostas de aperfeiçoamento da Gestão Governamental e do Sistema de Controle da Administração Pública.

Em termos de legislação anticorrupção é possível destacar a proposta que prevê como sanção passível de aplicação para as empresas que incorrerem em atos lesivos previstos na Lei Anticorrupção a venda compulsória do controle acionário no prazo máximo de dois anos.

Quanto aos aspectos de prevenção à corrupção, na proposta de reforma da legislação sobre licitações e contratos administrativos são encontradas propostas que tornam facultativa a exigência de que empresas que participem de grandes licitações tenham, obrigatoriamente, o programa de integridade de que trata a Lei Anticorrupção. No mesmo sentido, se propõe estabelecer a obrigatoriedade de aperfeiçoamento do programa de integridade e dos controles internos como sanção contratual, impondo mais dinamismo à gestão de riscos pelas empresas.

Afora o aspecto repressivo das proposições legislativas, as comissões especiais da Câmara produziram farto material para buscar modernização do Estado e gerar mais eficiência governamental como a exigência de mais qualificação técnica e critérios de seleção mais apurados para candidatos a dirigentes de agências reguladoras e a proposição da prestação de serviços públicos pela via digital, em consonância com as tecnologias mais usuais.

Buscar mais segurança na atuação das agências reguladoras, dificultando o apadrinhamento político como critério singular de indicação de dirigentes e eliminar burocracias desnecessárias pelo uso de tecnologias incorporadas na vida do cidadão, são fórmulas reconhecidas de evitar a prática de corrupção e outros crimes contra o funcionamento do Estado.

Há que se relembrar que também tramitam na Câmara as Novas Medidas contra a Corrupção da Transparência Internacional, que consistem em 84 proposições que buscam aprimorar legislações de várias naturezas que impactam de forma direta ou indireta na evitação e na prática de atos criminosos contra o Estado.

A constatação de que a Câmara dos Deputados possui um vasto repertório de proposições que podem ajudar o país a avançar dá tranquilidade para, em tempos de crise política, a população poder ter consciência de que as importantes agendas do país não precisam parar.

Por Yuri Sahione* é advogado, especializado em Direito Penal, presidente da Comissão de Compliance do Conselho Federal da OAB e Membro do Conselho Deliberativo do Instituto de Compliance do Rio de Janeiro (ICRio).

Conheça o relacionamento que vem conquistando o público masculino

Fugindo dos padrões tradicionais, a transparência é a base do relacionamento

Depois do término de um casamento de mais de 20 anos e de alguns namoros passageiros, Marcelo R., 55 anos, alto executivo de uma indústria de tecnologia, conta que cansou dos relacionamentos tradicionais. “Já vivi muito e não quero mais continuar submetido a dramas, chantagens e joguinhos amorosos. Agora, só quero relações transparentes e francas com pessoas que não tenham o receio de demonstrar o que esperam de um relacionamento e de mim. Há um ano estou vivenciando a relação sugar e descobri que tudo pode ser mais divertido e leve quando duas pessoas adultas e com interesses complementares se encontram.” É o depoimento de um dos usuários da plataforma de relacionamentos Meu Patrocínio, que hoje reúne mais de um milhão de pessoas entre Sugar Daddies, Mommies e Babies, femininos e masculinos.

Mas o que há de tão diferente neste tipo de relação? Jennifer Lobo, fundadora e CEO da plataforma, esclarece que “as relações são pautadas por acordos pré-estabelecidos desde o início, as expectativas são claras, transparentes e benéficas para os dois parceiros. Existem acordos que preveem somente uma amizade, outros um namoro, outros uma relação sem compromisso. E está tudo lá, às claras, desde o início, para não haver risco de frustrações futuras.” Segundo ela, este é o principal problema dos casamentos tradicionais, onde se concede um peso muito grande para as idealizações românticas, que provavelmente não serão concretizadas, ignorando a importância do alinhamento de expectativas. “Por isso a proposta de relacionamento sugar é diferenciada, os objetivos expostos com naturalidade facilitam a aproximação de pessoas sensatas com os mesmos interesses.”

O “até que a morte os separe” tem a pressão de uma sentença de compromisso eterno. Parte-se da premissa de um envolvimento de longo prazo, como se as pessoas não passassem por transformações durante a vida. Quando elas ocorrem, o parceiro vira um desconhecido e a solução é o divórcio. Na relação sugar, os acordos estabelecidos servem como um “teste de compatibilidade”, sem cobranças desnecessárias e sem a exigência da longa duração.

Os 170 mil daddies inscritos no site têm uma diversidade enorme para a escolha de uma parceira. São mais de um milhão de babies à procura de homens maduros e bem-sucedidos que lhes proporcionem a garantia de uma relação segura em termos emocionais e financeiros. É consenso entre os daddies a surpresa com o nível intelectual, de educação e de conteúdo das babies inscritas, algo que vai muito além da beleza física. “Já tinha participado de alguns sites de relacionamento, mas foi no Meu Patrocínio que encontrei garotas de um nível muito superior às outras. Estou saindo com uma garota pós-graduada em psicologia e, além da atração, temos uma troca incrível! É um prazer ter a companhia de uma mulher linda e intelectualmente privilegiada”, conta Roberto M., empresário do setor varejista. “Uma vez que experimentei uma relação sugar, não vou querer mais saber de reclamações e de decepções por expectativas não realizadas”, complementa.

Sobre o MeuPatrocínio.com

Primeiro e maior site de relacionamento Sugar do Brasil, o Meu Patrocínio é a rede social mais exclusiva e elitizada do país. O estilo de vida Sugar reúne homens poderosos a mulheres jovens e atraentes para relacionamentos verdadeiros, transparentes, com acordos pré-estabelecidos e expectativas alinhadas. Hoje, em sua base de dados, a plataforma conta com mais de 1 milhão de usuários. Todos submetem seus perfis e fotos à aprovação individual. Somente são aceitos maiores de 18 anos que devem aderir às condições e termos de segurança do site.