Hospital Paulista alerta para gravidade em descontinuar alguns tratamentos na pandemia

Em casos agudos e graves, enfermidades como amigdalite e sinusite devem ser tratadas, mesmo durante o isolamento social

São Paulo, 8 de junho do ano 2020 – A pandemia de Covid-19 gerou uma série de preocupações aos brasileiros, aflitos diante dos números de mortes e infectados que aumentam diariamente no País. Em comunicado divulgado em abril, no entanto, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) chamou a atenção para os cuidados de saúde que não podem ser interrompidos mesmo durante o isolamento social, sob risco de complicações.

Segundo o Dr. Gilberto Ulson Pizarro, otorrinolaringologista do Hospital Paulista, algumas doenças podem levar o paciente à morte súbita caso o tratamento seja descontinuado ou feito de maneira irregular.

O especialista destaca que amigdalite, sinusite, otite e apneia são exemplos de enfermidades que devem ser tratadas de forma adequada e precoce. “Isso é fundamental para que as doenças não evoluam para formas mais graves.”

Confira a seguir as possíveis complicações de cada doença, segundo o especialista do Hospital Paulista:

AMIGDALITE: sua complicação mais temida é a febre reumática, que pode ocorrer em pacientes que apresentam infecção de garganta com frequência, mas não curam a doença de modo eficaz. A frequência de amigdalite anual que preocupa o especialista é de 6 vezes ou mais para crianças e três vezes ou mais para adultos.

“Se o pneumococo de um grupo específico ficar em contato com a amígdala, pode desencadear uma reação autoimune, isto é, uma reação de anticorpos que atacam o próprio corpo”, explica. No caso da amigdalite, o problema pode afetas as articulações das mãos e dos punhos, além da válvula do coração – cuja substituição pode ser necessária através de cirurgia.

Além disso, a amigdalite mal tratada e frequente pode causar o abscesso periamigdaliano, que consiste na formação de uma bolsa de pus ao redor da amigdala. Neste cenário, em casos mais graves, o paciente pode ser vítima de sepse, uma resposta exarcebada do organismo a um processo infeccioso, que pode levá-lo a óbito.

SINUSITE: em sua forma aguda ou crônica, pode gerar sérios problemas quando o tratamento não é feito adequadamente. Dentre os sintomas da sinusite grave, Pizarro menciona a secreção nasal mucopurulenta (verde ou amarela), congestão nasal, dor facial, cefaleia, inchaço na região dos olhos e febre alta.

“O tratamento inadequado destas infecções agudas ou crônicas agudizadas pode se espalhar para áreas próximas, como os olhos. Em alguns casos, pode causar cegueira e, nos piores cenários, atingir o cérebro, formando abcessos e complicações neurológicas graves”, afirma.

OTITE: nos casos graves, é comum a saída de secreção pelos ouvidos, além da ocorrência de zumbido e tontura forte. O tratamento precoce é feito com medicações, preferencialmente administradas por um otorrinolaringologista.

“A proximidade do ouvido com as meninges e o cérebro faz com que o órgão seja uma das principais portas de entrada para infecções da cabeça, como meningites e encefalites”, detalha o médico.

APNEIA NO SONO: trata-se da parada respiratória que ocorre várias vezes durante a noite, afetando o sono e o organismo do paciente como um todo. O ronco é um dos principais sintomas da enfermidade, que tem uma evolução gradual, mas pode levar à morte súbita se não houver tratamento adequado em sua forma mais grave.

Sobre o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia

Fundado em 1974, o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia, durante sua trajetória, ampliou sua competência para outros segmentos, com destaque para Fonoaudiologia, Alergia Respiratória e Imunologia, Distúrbios do Sono, procedimentos para Cirurgia Cérvico-Facial, bem como Buco Maxilo Facial.Em localização privilegiada, a 300 metros da estação Hospital São Paulo (linha 5-Lilás) e a 800 metros da estação Santa Cruz (linha 1-Azul/linha 5-Lilás), possui 42 leitos, UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 10 salas cirúrgicas, realizando em média, mensalmente, 500 cirurgias, 7.500 consultas no ambulatório e pronto-socorro e, aproximadamente, 1.500 exames especializados.Referência em seu segmento e com alta resolutividade, apresenta índice de infecção hospitalar próximo a zero. Dispõe de profissionais de alta capacidade e professores-doutores, sendo catalisador de médicos diferenciados e oferecendo excelentes condições de suporte especializado 24 horas por dia.

Máquina Cohn & Wolfe

Opinião: Intervenção militar e o suicídio da democracia

Por Estefânia Barboza * e Adriana Inomata**

A retórica da “intervenção militar constitucional” voltou a gritar nas redes sociais com a publicação da nota pela qual o general da reserva Augusto Heleno critica, na função de ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o pedido de apreensão de celular do Presidente da República, por configurar-se “afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder, na privacidade do Presidente da República e na segurança institucional do País”.

A objeção foi publicada após o ministro Celso de Mello manifestar-se pelo encaminhamento à Procuradoria Geral da República de três notícias de supostos crimes no Inquérito 4.831 – que investiga as acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro –, na qual partidos políticos e parlamentares requerem a busca e apreensão do celular do Presidente da República e do vereador  Carlos Bolsonaro, para perícia.

Na nota de repúdio, Heleno “alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”. Como diz o ditado popular: “para bom entendedor, me pa ba.” Como todos os novos autoritarismos do mundo vêm atuando, o nosso modelo não é diferente; tentam fragilizar a atuação do Judiciário porque o veem como ameaça a seu projeto ilimitado e autoritário de Poder.

Primeiro, queremos aqui fazer um alerta. Antes de invocarmos a Constituição, precisamos fazer um compromisso com a honestidade. Não invoquemos a Constituição em vão. Esse deve ser o pressuposto básico em um regime democrático, especialmente em um momento de emergência de líderes populistas que usam das leis e da Constituição como disfarce de seus projetos autoritários.

Feito isso, precisamos esclarecer que, apesar da separação de poderes também garantir a independência do Poder Executivo, ela não é escudo contra qualquer tipo de contenção. Pelo contrário, há um sistema de freios e contrapesos que tem natureza instrumental para garantia das liberdades e busca evitar que um dos poderes possa, sozinho, ser o Leviatã. Por isso, diversas engrenagens na Constituição preveem formas de contenção, limitação e controle, inclusive ao Poder Executivo.

Em razão disso, a nota publicada pelo GSI funciona como um efeito bumerangue. Em um fair play, o GSI fazer “alerta” aos demais poderes sobre possíveis “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional” de suas ações soa como um jogo duro (TUSHNET, 2004). Ademais, uma “intervenção militar constitucional” [sic] com base no art. 142 da CF/88 seria o próprio suicídio do projeto democrático de 1988 e não há qualquer possibilidade interpretativa neste sentido. A Constituição, antes de tudo, é texto. E como texto, não pode ter sua interpretação fragmentada. Cada dispositivo constitucional está conectado com outro, de modo a formar essa lógica tessitura. Assim, é ignorante e desonesto (porque ignoram o texto constitucional), invocar o art. 142 para justificar uma intervenção das Forças Armadas no STF. Uma Constituição que traz como princípio fundamental (art. 1º) o Estado Democrático de Direito e, logo em seguida (art. 2º) a separação de poderes, não permitiria, de modo algum, um ataque à independência do que ela mesma denomina como seu guardião. O artigo 142 impõe, ao revés, às Forças Armadas a proteção do Supremo, assim como dos demais poderes constitucionais.

Não bastasse o texto ser expresso, a reserva institucional, ou seja, o uso comedido das regras do jogo, é uma norma não escrita essencial para a manutenção da democracia. Da fala do ministro Augusto Heleno, o que se vê é a prática de crime de responsabilidade, pois opõe-se diretamente e por fatos contra o livre exercício do Poder Judiciário e usa de ameaça para constrangê-lo, conforme define o art. 6, itens 5 e 6 da Lei do Impeachment.

Estefânia Barboza * é professora de Direito Constitucional da Uninter e UFPR. Adriana Inomata, doutoranda em Direito da UFPR, é professora de Direito Constitucional da Escola de Direito e Ciências Sociais da Universidade Positivo.

Segurança dos alimentos, responsabilidade de todos

No dia 7 de junho é comemorado o Dia Mundial da Segurança dos Alimentos.   A data foi criada pela Organização das Nações Unidas em 2019 como forma de chamar a atenção para a importância do consumo de alimentos seguros. 

A ONU estima que uma em cada dez pessoas adoece após consumir alimentos contaminados. Por ano, pelo menos 420 mil mortes relacionadas ao consumo de alimentos são registradas. As crianças com menos de cinco anos são as mais atingidas.  

A criação desta data comemorativa faz parte da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável, que começou a ser elaborada em 2015. Com o estabelecimento deste marco, o objetivo é promover a discussão sobre os temas, trazendo informações e gerando debates para a promoção de soluções. 

O tema da data este ano é “Segurança dos Alimentos, responsabilidade de todos”.  O presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS, Rogério Kerber, pontua que esta é a mesma forma que o Fundesa procura comunicar a importância das questões de sanidade animal.  Se todos assumirem suas responsabilidades por ações ligadas à produção e consumo de alimentos, teremos rebanhos e pessoas mais saudáveis”, afirma. 

E para encerrar: você sabia que segurança dos alimentos e segurança alimentar tem significados diferentes? O primeiro trata sobre cuidados nos processos, manuseio e consumo de alimentos. E segurança alimentar trata sobre a garantia de acesso a alimentos por toda a população de uma nação.

Por Thaís D’Villa

O novo normal nas relações de trabalho

Como o mercado deve se adaptar ao novo momento e quais são as expectativas para o segundo semestre

São Paulo, 8 de junho do ano 2020 – A pandemia não fez apenas com que todos adotassem novos hábitos que ajudam na prevenção ao covid-19, mas também criou um panorama novo no mercado de trabalho mundial, acelerando a transformação em diversos setores.

Um deles é o próprio RH, que adotou entrevistas por videoconferência, otimizou etapas do processo seletivo e avaliações, antes presenciais, e que agora foram adaptadas ao ambiente virtual.

“Observamos que a adaptação de todos esses processos não gerou prejuízos para empresa e nem para o candidato. Conseguimos manter o mesmo nível na contratação, 100% adaptados aos processos online e, em alguns casos, ganhando maior agilidade”, afirma Francine Silva, superintendente de recrutamento e seleção da Luandre.

Ela observa que também há uma ligeira mudança no perfil do profissional a ser contratado. “Características como autogestão, se tornaram requisitos fundamentais. Claro que sempre foi um perfil importante, mas em um ambiente em que boa parte dos profissionais trabalhará de casa, em sistema home office, não há como contratar alguém com dificuldade de autogerir o próprio trabalho”, conta Francine.

O mesmo ocorre com a empatia, sem a qual, numa situação como a que vivemos, que envolve incertezas, instabilidade e questões emocionais importantes, não seria possível conviver e lidar com as situações, pontua a especialista em RH.

Trabalho remoto

Todas as empresas que puderam aderir ao home office o fizeram neste período de quarentena. A pergunta que muitos se fazem é como será em um futuro próximo. Para Francine, algumas empresas vão optar por adotar integralmente o sistema, caso a experiência esteja sendo boa, uma vez que os custos de manter profissionais em escritórios são bastante altos em capitais brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro. “Algumas companhias também podem adotar um rodízio entre equipes para evitar aglomerações”.

Para a melhor decisão, a Luandre vem aconselhando clientes a observar o quanto estas mudanças têm afetado a produtividade e, principalmente, a qualidade de vida dos profissionais durante a crise para tomar a decisão mais acertada nesta volta gradual.

Mudanças nos escritórios

As companhias que pretendem aos poucos voltar ao trabalho in loco já comunicam que devem fazer mudanças, como estudar quais setores são fundamentais de serem mantidos no escritório. “Nas conversas com clientes, entendemos que alguns preferem que certos setores estejam concentrados em um só lugar, como o RH e o financeiro, por isso as formas de garantir a segurança destes profissionais vêm sendo estudadas”, conta Francine.

Já existem iniciativas sendo tomadas em alguns escritórios, como troca de materiais de madeira por outros mais simples de limpar, alargamento de corredores, e retirada de portas, cujas maçanetas podem provocar a contaminação.

“Alguns estudam a utilização de tecnologia, como já utilizada em fábricas, que avisa se os profissionais estão ultrapassando a distância segura. Locais de encontro coletivo, como cafeterias, também devem ser temporariamente fechados ou ganhar configuração que permita o distanciamento social”, explica. 

Setores valorizados


A adaptação também passa pela necessidade de adequar setores da economia aos novos tempos. Uma das áreas que a Luandre mais tem trabalhado, a de saúde, teve um grande aumento na demanda e já contratou 3.656 profissionais do segmento, desde o início do ano, um aumento de 165% em relação ao mesmo período no ano passado.

Segundo Francine, além dos atendimentos emergenciais, em razão da covid-19, clínicas e hospitais tem demanda de especialistas que atendam via teleconsulta aqueles que estão com alguma condição importante, mas preferem não ir ao hospital pela recomendação de evitar a contaminação. 

Já o setor de ecommerce* apresentou crescimento de 26,7% em comparação com o mesmo período de 2019.  O percentual convertido é de R$ 20,4 bilhões de faturamento.

A Luandre também tem notado este crescimento pelo aumento da demanda no setor de logística — nos últimos três meses, foram 220% mais vagas em relação ao mesmo período do ano passado. “Esta adaptação no modo de compras da população é positiva num momento de instabilidade como o nosso, porque consegue manter parte do varejo atuante, de uma forma nova, já que muitos brasileiros preferiam fazer compras em lojas físicas”, comenta Francine. Para ela, no segundo semestre, mesmo que haja uma flexibilização para a abertura de lojas, a apreensão pelo vírus deve manter o setor de varejo virtual fortalecido.

*Fonte: Compre&Confie

Sobre a Luandre

A Luandre Soluções em Recursos Humanos tem 50 anos de atuação e oferece soluções técnicas e inovadoras na área de RH. Trabalha com a excelência nos serviços prestados e investimento em soluções criativas, construindo o elo entre a organização e colaborador, em todas as etapas de desenvolvimento dos Recursos Humanos.

Em 2019, a empresa chegou à marca de 4 mil clientes atendidos, 60 mil profissionais administrados ao longo do ano e banco com mais de 2 milhões de CV cadastrados. Há 18 anos consecutivos, concorre ao prêmio Top Of Mind RH, o qual já venceu em oito edições, na categoria “Temporários e Efetivos”, sendo ª atual vencedora. O CEO, Fernando Medina também foi vencedor na categoria “Empresário de Destaque – Fornecedores de RH”, em 2017. Além disso, foi reconhecida como uma das 150 Melhores Empresas para Trabalhar, certificação concedida pela Revista Você S/A.

A Luandre atende 200 das 500 melhores empresas do Brasil com todo seu know-how em Recrutamento e Seleção, Administração de Pessoal (Temporários e CLT), Avaliação Profissional, Outsourcing e Programas Especiais (Saúde, Varejo e Logística).

Atualmente, possui 11 unidades em quatro estados: São Paulo (São Paulo, Santo André, Guarulhos, Campinas e Jundiaí), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro), Paraná (Curitiba) e Pernambuco (Recife). Realiza também atendimento à distância em todo o país.

Engaje! Comunicação Inteligente

Junho Laranja estimula cuidados com a leucemia

O oncologista Ramon Andrade de Mello recomenda exames periódicos

Quase 11 mil novos casos de leucemia serão diagnosticados neste ano, segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer). A campanha Junho Laranja foi instituída para estimular os cuidados com a enfermidade. “Por enquanto, a ciência não tem uma resposta completa do motivo de alguns pacientes desenvolverem a leucemia e a maioria dos casos não pode ser evitada, mas o tabagismo aumenta o risco de um dos tipos da doença”, explica Ramon Andrade de Mello, médico oncologista, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal).

Os pacientes com leucemia apresentam acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais. “Com a diminuição dos glóbulos brancos, a imunidade do paciente vai diminuir e ele estará sujeito a infecções. Além disso, pode ocorrer sangramentos, mais comuns nas gengivas e pelo nariz, e manchas roxas na pele”, explica o professor da Unifesp.

Entre outros, é sintoma da doença a presença de gânglios linfáticos inchados sem dor na região do pescoço e das axilas. O paciente pode ainda apresentar febre ou suores noturno, perda de peso sem motivo aparente, além de desconforto abdominal. “Mesmo que não apresente esses sintomas, é importante uma visita periódica ao médico para exames de rotina, que podem indicar alterações no organismo. A prevenção é a melhor maneira de evitar doenças, como a leucemia, em momentos que ela já avançou”, recomenda o oncologista.

Sobre Ramon Andrade de Mello

Oncologista clínico e professor adjunto de Cancerologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Câncer de Pulmão no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é membro do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO). 

O oncologista é do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital 9 de Julho, em São Paulo, SP, e do Centro de Diagnóstico da Unimed (CDU), em Bauru (SP).

Ex-Libiris Comunicação Integrada

Empreendimentos hospitalares exigem um maior conhecimento e experiência por parte das construtoras

Com complexidades e particularidades específicas em relação a obras residenciais e corporativas, obras em hospitais requerem expertise por parte dos profissionais envolvidos

Diferente de obras comerciais ou residenciais, construções hospitalares têm uma série de particularidades e características específicas para sua execução. A construção de um hospital é uma obra bastante desafiadora. O desafio é decorrente da grande quantidade de sistemas necessários para uma operação deste tipo, bem como dos muitos requisitos de sustentabilidade e gerenciamento de aspectos e impactos ambientais. Isso sem falar de obras que, em muitos casos, são realizadas com os hospitais em pleno funcionamento.

A complexidade está na necessidade de aplicação de uma enorme gama de conformidades, envolvendo diversos sistemas estruturais e de instalações, além de observar uma grande quantidade de acabamentos e equipamentos muito mais complexos do que os observados em outros tipos de projetos. Como, por exemplo, as normas específicas referentes à infraestrutura de estabelecimentos assistenciais de saúde, publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), bem como os controles de atividades em obras e procedimentos de execução que tem que estar voltados ao controle rigoroso desses sistemas, e dos seus componentes.

A MPD Engenharia, empresa que atua há 37 anos no mercado de construção e incorporação, conta com profissionais com experiência e conhecimento de projetos e obras na área da saúde, na qual já opera há mais de 15 anos.  Um dos aspectos fundamentais para o sucesso na execução de uma obra hospitalar é a multidisciplinariedade das equipes de construção, contando com profissionais com expertise nos diferentes sistemas que precisam se integrar em uma obra com essa qualificação, tais como sistemas elétricos, sistemas de ar, sistemas de gases, e sistemas de controles que auxiliam na gerência dos diversos equipamentos que compõe a construção de um hospital. Em maio, por exemplo, a MPD concluiu uma importante obra no Estado de São Paulo, o Hospital de Urgência de São Bernardo do Campo, com 220 leitos e hoje totalmente voltado ao tratamento do COVID-19. E está em fase de finalização o novo Hospital Metropolitano de Salvador, com 320 leitos, que também será, quando inaugurado, direcionado integralmente ao tratamento da pandemia.

A expertise necessária para uma obra como essa requer contínuo aprendizado das mais recentes técnicas de construção hospitalar, que se renovam constantemente, demandando maior experiência adquirida e atualização de conhecimentos. O planejamento e a gestão de uma obra hospitalar são fundamentais para o sucesso do empreendimento em função da quantidade de sistemas complexos envolvidos, e pelo seu nível de certificação.

Diferente das edificações residenciais e comerciais em geral, que possuem uma repetição do padrão desenvolvido, no caso de projetos ligados à área da saúde, as exigências mudam constantemente. Cada área específica, como salas de cirurgia, UTIs, salas de tomografia, salas de Raios X, quartos de internação, consultórios, quartos de isolamento, áreas comuns, almoxarifado, cada uma têm as suas exigências próprias, com necessidades de instalação de sistemas também específicos que garantam o perfeito atendimento aos pacientes. Centros cirúrgicos de oncologia, de problemas cardíacos, ou neurológicos, entre outros setores, requerem atenção especial, já que qualquer descuido, mínimo que seja, pode comprometer o funcionamento de equipamentos e, até mesmo dos diagnósticos.

“O domínio de métodos construtivos atualizados, assim como materiais e equipamentos dentro das conformidades, garante que se conclua uma obra com eficiência e confiabilidade. Com o variado tipo de equipamentos que um hospital recebe, muitos deles delicados e de alta precisão, o comissionamento é muito importante, por exemplo. O dimensionamento dos espaços, iluminação adequada, instalação de gases medicinais, blindagem com paredes baritadas, implantação de IT médico, equipamentos de tomografia, equipamentos de Raios X, de ultrassonografia, de ressonância magnética, respiradores mecânicos, entre outros, devem ser detalhadamente considerados”, explica Hideo Oki, Diretor Comercial da MPD Engenharia.

Acabamentos e instalações precisam ser previamente planejados, seja de foco cirúrgico, isolamento eletromagnético com Gaiola de Faraday no caso de equipamentos de ressonância magnética, piso condutivo para salas de cirurgia com manta vinílica condutiva e chapas metálicas. Sem um projeto adequado, um equipamento de grande potência ou de grande precisão poderia distorcer os diagnósticos ou até mesmo causar grandes danos às instalações.

Acabamentos hospitalares atuais têm padrões sofisticados e similares a projetos de hotelaria. Assim, questões de higiene, fluxo de serviços e acessibilidade possuem uma importância ainda maior. Afinal, devem-se considerar acessos adequados para todos os públicos: pacientes, visitantes, equipes médicas, colaboradores, prestadores de serviços, portadores de necessidades especiais, ambulâncias e veículos particulares.

A experiência e a expertise da equipe e da construtora são fundamentais para se levar a um bom termo uma obra desafiadora como a de um hospital.

Sobre a MPD

A MPD atua há 37 anos na construção de indústrias, hospitais, universidades, galpões de logísticas, shopping centers e na incorporação de apartamentos e escritórios de médio e alto padrão, prezando pela qualidade de acabamento, entregou 100% das obras no prazo e preza pelo respeito aos seus clientes e colaboradores. Além disso, investe em desenvolvimento tecnológico e boas práticas construtivas, sem deixar de lado as responsabilidades social e ambiental. Para a MPD, seus colaboradores são seu principal pilar, sendo primordiais para que alcance seus objetivos de negócio. Pela constante valorização de sua equipe, a empresa já foi reconhecida duas vezes com o Prêmio Valor Carreira como uma das Melhores Empresas na Gestão de Pessoas, sete vezes como uma das Melhores Empresas para Você Trabalhar da revista Você S.A e está entre as 100 maiores construtoras do país pelo Ranking ITC.

Máquina Cohn & Wolfe

Home office pode aumentar problemas decorrentes da má postura

Especialistas do Hospital São Camilo e da SELFIT Academias dão dicas para combater dores e melhorar a qualidade de vida durante quarentena

Com o avanço da pandemia do COVID-19, trabalhar em regime home office passou a fazer parte da realidade de muitas pessoas. No entanto, a medida exigiu uma adaptação emergencial, cujos recursos, em muitos casos, não contemplam a saúde física e mental.

De acordo com o Dr. Leandro Gregorut, ortopedista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, a maioria das pessoas não possui um espaço adequado e equipamentos ergonômicos, como cadeira, apoio para a coluna e para os braços, mesa na altura correta etc.

“É comum que as pessoas que trabalham em casa utilizem a mesa de jantar para trabalhar, o sofá da sala ou, até mesmo, a cama, com o notebook apoiado sobre as pernas, por exemplo. São posições não ergonômicas que, quando mantidas, podem sobrecarregar as estruturas ósseas, ligamentares e musculares”, alerta o ortopedista.

Segundo o especialista, a má postura pode fadigar os músculos, causando dores nas costas, principalmente na coluna cervical e na região lombar.

Com o agravamento do problema, podem ocorrer alterações na coluna, como escoliose, hérnias de disco e hipercifose, entre outros.

Sinais e soluções para melhorar a postura

Dr. Gregorut alerta para os principais sinais de que algo vai errado com a sua postura. Eles podem ser leves ou mais intensos, variando em cada caso:

– Ombros encurvados para a frente;

– Dores frequentes de cabeça e no pescoço;

– Dores lombares ao sentar e ao levantar;

– Formigamento nos pés ou nas mãos.

Para reduzir os riscos e ter uma qualidade de vida melhor durante o período de home office, a recomendação do médico é fazer alongamentos periódicos.

“Você gasta 15 minutinhos do seu dia para se alongar, esta atividade vai ajudar a trabalhar as fibras do corpo, evitando contraturas”, explica.
O ortopedista recomenda, também, que se façam pequenos ajustes com o objetivo de reduzir as dores e melhorar a postura, principalmente durante o horário de trabalho.

– Utilizar suporte para apoio do notebook ou elevar o monitor para que a cabeça não fique inclinada para baixo. O ideal é manter a tela na altura dos olhos para que a cabeça fique reta e a pessoa não precise forçar a musculatura do pescoço;

– Caso não seja possível utilizar uma cadeira ergonômica em casa, o efeito pode ser reduzido com um travesseiro de espuma consistente apoiado nas costas;

– Fazer pausas frequentes para ativar a circulação, alongando as pernas e a coluna;

– Utilizar um apoio para o antebraço, evitando que ele fique abaixo da altura ideal ou que a pessoa tenha que mantê-lo suspenso, fatores que aumentam o desconforto;

– Vale investir em um suporte para os pés, sobretudo quando a altura da cadeira não é adequada, evitando forçar os joelhos e prejudicar a circulação sanguínea.

Atividade física na quarentena: como fazer?

Além do alongamento diário, o médico recomenda também a prática constante de exercícios físicos, fundamental para melhorar o condicionamento físico e promover o bem-estar.

“Executada de forma regular, de média intensidade, pode liberar até 18 tipos de hormônio no corpo, responsáveis pela felicidade, prazer e o bem-estar.”

Conforme explica o médico da Rede São Camilo, os treinos deixam as artérias mais elásticas, diminuindo a pressão arterial. Também irão dificultar o acúmulo de placas de gordura nas artérias do cérebro e do coração, diminuindo as chances de um AVC ou um infarto.

“Quando começa a ser treinada, a musculatura fica mais eficiente na absorção da glicose. Dessa forma, você precisa de menos insulina, o hormônio criado pelo pâncreas, para colocar esta glicose dentro do músculo, contribuindo para diminuir as chances de ter diabete tipo 2”, frisa.

Para auxiliar no treino e na manutenção da saúde, diversos profissionais e academias lançaram atividades que podem ser acessadas via internet.

É o caso da SELFIT Academias, que criou uma série de exercícios especialmente para quem não tem o hábito de praticar em casa, disponibilizados nos seus canais (site, redes sociais e aplicativo).

Para os iniciantes, o educador físico da SELFIT Rafael Oliveira recomenda um treino com quatro atividades simples, seguindo as dicas abaixo:

1º Exercício – fortalecer as panturrilhas

Série: entre 15 e 20 repetições

Apoiar as duas mãos na parede, dar um passo para trás esticando as pernas e fazer a flexão e extensão do tornozelo, movimentando o calcanhar para cima, ficando na ponta dos pés e voltando ao normal.

2º Exercício – parte posterior da coxa e os glúteos

Série: entre 10 e 12 repetições com cada perna

Em pé, com os pés unidos, os braços abertos como o Cristo Redentor e a coluna reta, fazer movimentos com o tronco para frente e, ao mesmo tempo, levantar uma das pernas para trás, quase como um avião. Oliveira explica que, neste exercício, é importante flexionar bem o joelho da perna que fica apoiada no chão.

3º Exercício – exercício aeróbico

Série: 3 séries de 1 minuto cada

Simular os movimentos de uma corrida, porém sem sair do lugar.

4º Exercício – abdominal

Série: 3 séries de 15 movimentos

Deitar-se com a barriga para cima e esticar as pernas para o alto, apontando o calcanhar para cima. Fazer um pêndulo com as pernas de forma sutil, sem tirar a lombar do chão. “Conforme for ganhando resistência, aumente o balanceamento do pêndulo, respeitando a estabilidade da coluna”, explica o especialista.

Para mais dicas de treinos como este, Rafael recomenda o vídeo de ginástica laboral disponibilizado pela SELFIT Academias no seu canal do IGTV: https://www.instagram.com/tv/CAIJmeXJTEI/.

Sobre a Rede de Hospitais São Camilo

A Rede de Hospitais São Camilo é composta por três hospitais modernos em São Paulo, que ficam nos bairros da Pompeia, Santana e Ipiranga, capacitados para atendimentos eletivos, de emergência e cirurgias de alta complexidade, além de realizar transplantes de medula óssea.

Hoje, a Rede presta atendimento em mais de 60 especialidades, oferece aproximadamente 800 leitos e um quadro clínico de mais de 7,4 mil médicos qualificados.

As unidades possuem importantes acreditações internacionais, como a Joint Commission International (JCI), renomada acreditadora dos Estados Unidos reconhecida mundialmente no setor, e a Acreditação Internacional Canadense.

A Rede faz parte da Sociedade Beneficente São Camilo, uma das entidades que compreende a Ordem dos Ministros dos Enfermos (Camilianos), uma organização religiosa presente em mais de 30 países, fundada pelo italiano Camilo de Lellis há mais de 400 anos. No Brasil desde 1922, a Rede conta com expertise, tradição em saúde e gestão hospitalar. 

Sobre a SELFIT

A SELFIT Academias foi fundada em 2012, com a primeira unidade implantada em Salvador, na Bahia. Desde então, atinge um crescimento médio de 100% e já opera como a segunda maior do segmento no Brasil.

Em 2015, decidiu associar-se ao fundo H.I.G Capital, elevando o negócio a uma nova escala e acelerando o seu crescimento.

A SELFIT iniciou em 2019 um forte processo de expansão para o Sudeste brasileiro, que inclui o sistema de franquias também. 

O formato da academia tem o objetivo de atender às necessidades dos alunos que desejam encontrar a sua melhor versão, desenvolvendo uma relação de felicidade, leveza e prazer com os exercícios.

Instagram: @SelfitAcademias
Facebook: www.facebook.com/SELFITacademias
Site e app: www.selfitacademias.com.br

Saiba como as crenças limitantes atrapalham na inovação

Por Georgia Roncon *

Muito mais do que uma frescura ou preguiça, as crenças limitantes são cicatrizes formadas por algumas das experiências ruins que todos nós algum dia vivenciamos. Elas geralmente estão relacionadas com a sensação de insegurança sobre autoestima (“não sou bom o suficiente”), incapacidade (“não consigo viajar de carro”) ou julgamento de outras pessoas (“minha chefe me olhou com uma cara ruim”).

Isso acontece porque a nossa mente, na tentativa de evitar sofrimento, cria um processo de sabotagem. Então, um modelo mental (crença) bloqueia o indivíduo da realização de determinadas ações. Assim, o que antes era uma proteção justificada acaba se tornando um limitador e um desafio para o sucesso de grande parte dos empreendedores.

Neste artigo, nós ajudaremos você a reconhecer e superar alguns conflitos limitantes e determinar um novo rumo em sua carreira. Continue a leitura e confira!

Como identificar o seu sistema de crenças?

O primeiro passo para a identificação de seus padrões limitantes é a observação. Isso implica que você deve “ler” o comportamento de seus pensamentos diante de algumas situações e identificar a mensagem de bloqueio que é enviada ao seu cérebro.

Como exemplo, suponha que você tenha dificuldades para escrever textos em inglês, mesmo depois de ter concluído um curso de idiomas. Toda vez que começa uma redação, não consegue terminá-la e corre para as redes sociais.

Sempre que essa situação se repetir e você se sentir desconfortável, atente-se para a mensagem que age como um gatilho em seus pensamentos, como:

escrever textos em inglês é muito difícil;

vou errar e as pessoas vão me julgar; ou

nunca termino o que começo.

Nesse exemplo, falamos sobre uma pessoa que concluiu um curso de idiomas. Então, como ela pode achar que nunca termina o que começa? Como ela julga que escrever em outro idioma é difícil, se ela completou o curso?

Como podemos ver, essas crenças são irreais e simplesmente entregues a você, sendo capazes de limitar a liberação de seu pleno potencial. Lembre-se de que os empreendedores são feitos para brilhar e modificar o mundo.

Como superar as crenças limitantes?

Conhecer a maneira pela qual você reage diante de determinadas situações ajuda bastante na identificação de seus bloqueios. Até superá-los, você deverá realizar um processo e torná-lo um hábito. Para isso, deixamos algumas dicas que vão ajudá-lo na substituição de seu sistema de crenças.

Reflita e olhe para dentro

Sempre que identificar um bloqueio, pare o que estiver fazendo e busque entender a mensagem que está sendo enviada para a sua mente. A seguir, pense sobre o assunto de forma racional, como: pergunte-se se você realmente não consegue realizar tal atividade; veja se já realizou algo semelhante. Pergunte-se se a outra pessoa realmente não gosta de você, ou se ela está apenas tendo um dia ruim; ou veja se outras pessoas também apresentam as mesmas dificuldades que você.

Busque por evidências

Para responder às perguntas da etapa anterior, busque fornecer fortes evidências de suas capacidades — como os cursos que fez, as experiências positivas anteriores, os comentários de outras pessoas ou os prêmios recebidos. Não tenha medo de argumentar!

Mude os seus hábitos

A descoberta de novos modelos mentais é a forma mais natural de você substituir o seu sistema de crenças. Uma vez que ele está diretamente relacionado aos seus hábitos, obter novas experiências é a melhor forma de trabalhar com modelos mentais diferentes.

Frequente novos lugares, conheça outras pessoas, viaje, escreva, leia e consuma coisas e vivências diferentes. É como construir uma casa, iniciando pelo alicerce.

O mais importante é compreender que as suas crenças limitantes não definem quem você é. Com esforço, análise e determinação, além de apenas identificá-las, é possível realizar uma verdadeira reprogramação da sua mente.

Georgia Roncon

Empresária e empreendedora com mais de 13 anos de experiência em gerenciamento comercial, marketing, desenvolvimento de equipes, criação de produtos e implementação de cultura organizacional e inovação, atualmente é Co- Founder do ECQ Lifelong Learning. É formada em Letras Inglês e possui MBA em Gestão Empresarial e Marketing pela FGV.

Apaixonada por educação, marketing e tecnologias é  co- fundadora da AGE GROUP, que atua em seguimentos como:  Turismo, Investimentos e com Educação em Inovação e Tecnologia com o ECQ Lifelong Learning, que opera tanto no Brasil e nos EUA.

Sobre ECQ

Os cursos, palestras e sistema de Networking do ECQ Lifelong Learning, são voltados para empresários, CEO’s e líderes em geral e tem como intuito preparar esses profissionais para enfrentar a revolução tecnológica que irá impactar todas as empresas, carreiras e atividades existentes.

Referência em disseminar conhecimento através da inovação, para as mais diversas áreas de atuação, o ECQ tem como missão transformar vidas, carreiras e negócios. Os fundadores, Alexandre Rodrigues e Georgia Roncon, realizam constantes eventos em diversos formatos, seja meet ups ou congressos, com o objetivo de debater sobre os últimos acontecimentos da economia 4.0 com empresários, empreendedores, gestores e estudantes. Para saber mais, acesse o site  – https://ecqonline.com.br/ e também pelas redes sociais @ecqonline_br .

Cinco produtos e serviços inusitados que podem ser pedidos por delivery

Lista inclui desde extratoras e buffets infantis até plantas exóticas e automóveis

Diante do inevitável isolamento social, a pandemia de Covid-19 obrigou muitas empresas a buscarem soluções para manterem-se vivas. Uma dessas saídas foi a aposta no delivery. Hoje, empresas dos mais variados segmentos já entregam desde extratoras e buffets infantis até combustíveis e automóveis.  

Confira a seguir cinco itens inusitados para se receber em casa:  

  • Equipamentos de construção 
    Casa do Construtor oferece a entrega de centenas de máquinas e equipamentos úteis para quem trabalha com construção (marteletes, betoneiras, cortadoras de piso, misturadores etc.) e também para quem realiza tarefas de casa – aspiradores de pó, enceradeiras, extratoras de limpar sofás e tapetes, lavadoras, varredeiras e furadeira. O serviço atende todo o país. 
    casadoconstrutor.com.br 
  • Festa completa em domicílio 
    Bolo, salgadinhos, docinhos, bebidas, decorações e acessórios, um pacote completo para comemorar aniversários. É o que a Casa X está oferecendo em algumas unidades da rede, como Balneário Camboriú (SC), Belém do Pará (PA),Maringá (PR), Tatuapé e Santo André, situadas em São PauloAlém disso, no projeto Casa X Delivery os clientes ainda podem solicitar itens extras como pratos quentes e tortas. 
    casax.com 
  • Gasolina e etanol 
    No Rio de Janeiro, o aplicativo GoFit (disponível para Android)possibilita aos usuários pedir gasolina e etanol para receber em casa. O transporte e entrega do combustível são feitos por meio de carros-pipa próprios. Inicialmente, as regiões atendidas são a Barra da Tijuca, Recreio e Vargem Grande.  
    appgofit.com.br 
  • Plantas exóticas 
    Em São Paulo e na Região Metropolitana, a Uemura Flores e Plantasentrega flores tradicionais, arranjos, temperos e ervas, mas o que chama a atenção são as plantas exóticas e os vasos vietnamitas. 
    uemurafloreseplantas.com.br 
  • Automóveis 
    Após anunciar a venda de carros online, aCaoaCheryoferece a possibilidade de os clientes experimentarem os veículos em teste drives mesmo em tempos de pandemia. Para isso, por meio de sua rede de concessionárias, vendedoressão acionados e levam um modelo do carro desejado até a casa do cliente – seguindo, claro, todos os cuidados de higienização. Se o negócio for fechado, o comprador recebe o carro novo em casa em poucos dias. 
    caoachery.com.br 

Sobre a Casa do Construtor

Fundada em 1993, a Casa do Construtor é uma rede de franquias especializada em locação de equipamentos para construção civil e soluções para o dia a dia, que entrou para o segmento do franchising em 1998. A rede trabalha com a locação de equipamentos como andaimes, rompedores e betoneiras. Desde a abertura, a rede de franquias registrou crescimento significativo ano após ano. Prova são os números de 2019, em que a empresa apresentou um crescimento de 25%, faturando cerca de R$ 275 milhões, com 277 unidades. Para 2020, as metas de faturamento são de R$ 350 milhões e 330 unidades.

Economídia Com,.

Competências socioemocionais podem ser desenvolvidas durante o isolamento

#FiqueemCasa

Ainda que todas as competências sejam importantes para o desenvolvimento pleno das pessoas, algumas habilidades são ainda mais essenciais em momentos de crise, como essa de pandemia que estamos vivendo. Por isso, o Instituto Ayrton Senna criou a página Competências Socioemocionais em contexto de crise. Lá você encontra dicas e práticas que auxiliam toda a família no desenvolvimento de empatia, resiliência, foco, responsabilidade, cuidado consigo e com o outro, entre outras. 

#Sobral

Viviane Senna faz análise sobre futuro da Educação

A Secretaria da Educação de Sobral (CE) promoveu uma live no Youtube sobre o tema “Competências socioemocionais e lições para a educação em contexto de crise”. A presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, participou da conversa e falou sobre a importância das habilidades no atual contexto de distanciamento social. Além disso, Viviane promoveu uma reflexão sobre as lições que podemos tirar de tudo isso para pensar
a educação do futuro.

#Socioemocional
Como manter o foco e a persistência em tempos de distanciamento social?

Foco e persistência ajudam a lidar com o volume de informações que recebemos e a selecionar aquelas que merecem ser passadas adiante. Também colaboram para enfrentar os desafios do cotidiano da vida em isolamento, pois são elas que nos ajudam a seguir em frente em situações de estresse. Veja no site do Instituto dicas de como desenvolver essas duas competências socioemocionais.

#Futuro
Impacto da pandemia no Ensino Básico 
é tema de especial da Folha de S. Paulo

A vice-presidente do Instituto, Tatiana Filgueiras, participou do Ao Vivo em Casa, série de lives do jornal Folha de S. Paulo durante a quarentena, cujo tema abordado foi o impacto da pandemia do Covid-19 na Educação. Ao longo da conversa, Tatiana falou sobre a importância do desenvolvimento de responsabilidade e organização neste momento de crise. Além disso, deu dicas para educadores e famílias e apresentou formas dos professores se aproximarem de seus alunos online. Confira na íntegra aqui.

#Grátis
Livro reúne atividades para fazer com crianças 

Editora MOL, parceira de longa data do Instituto Ayrton Senna, disponibilizou a versão digital de três livros voltados para crianças. Entre eles está “101 coisas para fazer com as crianças antes que elas cresçam”, que reúne dicas de brincadeiras para distrair os pequenos e criar boas recordações. Muitas delas podem ser feitas dentro de casa. Os conteúdos estão disponíveis para download aqui.

#Responsabilidade
Instituto define home office até agosto

Nos últimos dias, o Instituto Ayrton Senna realizou uma pesquisa com todos os colaboradores para desenhar um planejamento do retorno ao escritório com ações que atendessem às necessidades de todo o time e de seus familiares. A análise mostrou que parte importante da equipe é mais vulnerável à contaminação do vírus e deu clareza e segurança para definir a volta no dia 3 de agosto, de forma faseada e progressiva, mesmo com a previsão do governo estadual de flexibilizar o isolamento antes desta data.

Instituto Ayrton Senna