UE aprova quase 296 mil pedidos de asilo em 2019

Refugiados sírios aguardam na fronteira com a Turquia para fugir dos ataques do Estado Islâmico (EPA/Sedat Suna/Agência Lusa)

© EPA/Sedat Suna

Internacional

Número de aprovações, em relação a 2018, recuou 6%

Publicado em 27/04/2020 – 08:50 Por RTP* – Lisboa

RTP - Rádio e Televisão de Portugal

A União Europeia (UE) aprovou, em 2019, 295.785 pedidos de asilo, dos quais 141.055 pessoas conseguiram o estatuto de refugiado, e recebeu 21.245 reinstalados de campos de refugiados em países terceiros, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, em relação a 2018, o número de aprovações de pedidos de asilo recuou 6%.

O número total de requerentes de asilo a quem foi concedida proteção na UE em 2019 incluiu 141.055 concessões do estatuto de refugiado (48% de todas as decisões positivas), 82.070 concessões de proteção subsidiária (28%) e 72.660 concessões de proteção humanitária (25%). 

O maior grupo de beneficiários de proteção continuou a ser o de pessoas procedentes da Síria (78.575, 27% do total), seguindo-se o Afeganistão (40.030, 14%) e a Venezuela (37.490, 13%).

A Alemanha (116.230) foi o país que maior número de pedidos de asilo aprovou, em 2019, seguida pela França (42.120) e a Espanha (38.525), tendo a Síria, o Afeganistão e a Venezuela sido, respetivamente, as principais nacionalidades dos requerentes.

No ano passado, Portugal deu parecer positivo a 170 pedidos de asilo e recebeu 375 refugiados ao abrigo do programa de reinstalação.

A Síria (85, 50% do total) foi o principal país de origem, seguindo-se a Ucrânia (15, 8%) e a Eritreia (15, 8%).

*Emissora pública de televisão de Portugal

Irã: navios de guerra dos EUA serão destruídos se ameaçarem no Golfo

Bandeira do Irã

© Reuters/Leonhard Foeger/Direitos Reservados

Internacional

Segurança é uma das prioridades do Irã, diz chefe da força de elite

Publicado em 23/04/2020 – 10:53 Por Reuters – Dubai

Reuters

O Irã destruirá navios de guerra dos Estados Unidos se a segurança do país for ameaçada no Golfo Pérsico, disse o chefe da Guarda Revolucionária, Hossein Salami, na televisão estatal nesta quinta-feira, um dia depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, alertar Teerã por causa do “assédio” a navios dos EUA.

“Ordenei nossas forças navais a destruírem qualquer força terrorista americana no Golfo Pérsico que ameace a segurança de navios militares ou não militares do Irã”, disse o chefe da força de elite na TV estatal.

“A segurança do Golfo Pérsico é parte das prioridades estratégicas do Irã.”

Na quarta-feira, Trump disse ter instruído a Marinha a disparar contra qualquer navio iraniano que a assedie no mar, mas mais tarde disse que não está alterando as regras de combate militar.

Tiroteio no leste do Canadá deixa pelo menos 16 mortos

RCMP debrief after search for Wortman in Great Village

Atirador, de 51 anos, morreu durante a prisão

Publicado em 20/04/2020 – 06:16 Por RTP* – OTTAWA

RTP - Rádio e Televisão de Portugal

Pelo menos 16 pessoas morreram na madrugada desse domingo (20) em Nova Escócia, no leste do Canadá, quando um homem armado abriu fogo em vários locais por motivos ainda desconhecidos, disse a polícia.

O atirador, de 51 anos, morreu durante a detenção, ao final de uma busca por toda a província que durou cerca de 12 horas.

Gabriel Wortman, um técnico em próteses dentárias, de acordo com a imprensa, circulava a bordo de um veículo idêntico aos da polícia, vestindo parte de um uniforme policial.

O homem abriu fogo em diferentes locais, em circunstâncias e por motivos ainda desconhecidos, num ataque que chocou o país, onde os tiroteios são raros.

Inicialmente, a comissária da Real Polícia Montada do Canadá (polícia federal), Brenda Lucki, informou que 13 pessoas tinham morrido, mas posteriormente disse que o balanço dos ataques era de pelo menos 16 mortos, incluindo o atirador, segundo a rede pública CBC.

“É demasiado cedo para falar de motivações”, declarou, em entrevista, o responsável pelos inquéritos criminais da polícia federal de Nova Escócia Chris Leather, que tinha anunciado inicialmente “mais de dez mortos”.

Várias vítimas “parecem não ter qualquer ligação com o atirador”, mas “o fato desse indivíduo ter um uniforme e um veículo da polícia leva a crer que não se tratou de um ato espontâneo”, acrescentou.

O ataque começou no sábado (18) à noite, na pequena localidade rural de Portapique, a cerca de 100 quilômetros da capital provincial de Halifax. Várias vítimas foram encontradas à frente e no interior de uma casa, para onde a polícia foi chamada depois de terem sido ouvidos tiros.

O atirador fugiu à chegada da polícia, desencadeando grande busca durante várias horas por toda a província. As autoridades pediram aos moradores que ficassem em casa.

Gabriel Wortman foi detido no domingo de manhã, em circunstâncias que a polícia ainda não esclareceu.

“A perseguição terminou esta manhã [hora local], e o suspeito foi localizado. Posso confirmar que está morto”, disse Leather. Uma agente policial morreu no domingo e um ficou ferido.

O massacre é considerado o pior já registado no Canadá.

Em 6 de dezembro de 1989, um homem matou a tiro 14 mulheres no Instituto Politécnico de Montreal, antes de se suicidar.

Em 2018, em 23 de abril, o motorista de um caminhão atropelou deliberadamente oito mulheres e dois homens no centro de Montreal.

Com menos de 1 milhão de habitantes, que vivem sobretudo da exploração da madeira e da pesca, Nova Escócia é uma das províncias menos povoadas do país.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Homem mata duas pessoas e fere outras seis em padaria na França

Policiais se reúnem no comércio de Romans-sur-Isère, onde um sudanês de 33 anos esfaqueou duas pessoas até a morte e feriu outras seis.

© Direitos Reservados/Reuters

Internacional

Ataque não tem motivações claras. Polícia não descarta terrorismo

Publicado em 04/04/2020 – 13:40 Por Agência Brasil – Brasília

Reuters

Um homem matou duas pessoas e feriu outras seis no centro da cidade de Romans-sur-Isère, no sudeste da França. Entre os feridos, quatro estão hospitalizadas em estado grave. O autor usou uma faca para atacar as vítimas, e foi detido logo após a ofensiva. 

De acordo com informações da Rádio França Internacional, “a tese de um atentado terrorista não é descartada.” O homem detido é um refugiado sudanês, que pediu asilo político à França. Ele tem 33 anos. A justiça francesa vai determinar se o caso será tratado como um atentado terrorista.

As pessoas atingidas estavam em fila do lado de fora de uma padaria, adotando distanciamento físico exigido pela epidemia do novo coronavírus. Além dos fregueses da padaria, o agressor também teria entrado em outras lojas e tentado esfaquear clientes e funcionários.

O presidente francês, Emmanuel Macron, se solidarizou com as vítimas através das redes sociais e classificou o ataque como “um ato odioso.”

Emmanuel Macron@EmmanuelMacron

Mes pensées accompagnent les victimes de l’attaque de Romans-sur-Isère, les blessés, leurs familles. Toute la lumière sera faite sur cet acte odieux qui vient endeuiller notre pays déjà durement éprouvé ces dernières semaines.9,4189:57 AM – Apr 4, 2020Twitter Ads info and privacy2,887 people are talking about this

Papa apoia pedido do secretário da ONU por cessar-fogo global

O Papa Francisco participa da audiência geral semanal no Vaticano,

© REUTERS / Remo Casilli

Internacional

A medida é para que o mundo possa se concentrar no combate à pandemia

Publicado em 30/03/2020 – 08:14 Por Philip Pullella, da Reuters – Roma

Reuters

O papa Francisco apoiou nesse domingo (29) apelo feito pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, por um cessar-fogo global para que o mundo possa se concentrar no combate à pandemia de coronavírus.

Em comentário durante sua bênção semanal, realizada na biblioteca oficial do Vaticano, em vez da Praça de São Pedro, por causa do isolamento na Itália, Francisco mencionou especificamente o apelo que Guterres fez em entrevista coletiva virtual na segunda-feira.

Dizendo que a doença não conhece fronteiras, Francisco apelou a todos para “interromper todas as formas de hostilidade belicosa e favorecer a criação de corredores para ajuda humanitária, esforços diplomáticos e atenção àqueles que se encontram em situações de grande vulnerabilidade”.

Mais de 662.700 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o mundo e 30.751 morreram, segundo contagem da Reuters.

Cerca de um terço das mortes ocorreu na Itália, onde no sábado (28) ultrapassou os 10 mil casos, um número que deixa quase certa a extensão de um isolamento nacional.

Os casos confirmados na Itália chegavam a 92.472, o segundo maior número de casos no mundo, atrás dos Estados Unidos.

.

EUA e Coreia do Sul investigam disparo de projéteis norte-coreanos

Os dois mísseis teriam sido disparados em direção ao Mar do Japão.

Publicado em 29/03/2020 – 08:56 Por NHK – Japão

As Forças Armadas da Coreia do Sul disseram que a Coreia do Norte lançou dois projéteis que seriam mísseis balísticos de curto alcance neste domingo (29) de manhã. Ambos teriam sido disparados em direção ao Mar do Japão.

Militares americanos e sul-coreanos têm coletado e analisado informações ligadas aos lançamentos para identificar a categoria dos projéteis. Esta é a quarta vez em março que os norte-coreanos realizam disparos do tipo. Pyongyang estaria visando aprimorar sua tecnologia com eles.

O Estado-Maior da Coreia do Sul anunciou que os lançamentos ocorreram às 6h10 da manhã (horário local), e teriam sido feitos perto de Wonsan, cidade no leste do território norte-coreano.

Os projéteis voaram cerca de 230 quilômetros e chegaram a atingir uma altitude de aproximadamente 30 quilômetros.

UA fazem ataques em retaliação a milícia apoiada pelo Irã no Iraque

Iran, EUA
© ALAA AL-MARJANI

Três soldados do Exército iraquiano foram mortos

Publicado em 13/03/2020 – 11:29 Por Reuters – Washington

Os Estados Unidos (EUA) realizaram uma série de ataques aéreos de precisão na quinta-feira (12) contra uma milícia iraquiana apoiada pelo Irã, que culparam por um grande ataque com foguete no dia anterior que matou duas tropas norte-americanas e um soldado britânico de 26 anos.

Os ataques norte-americanos pareciam limitados em seu alcance e mal ajustados, visando a cinco instalações de armazenamento de armas usadas por militantes do Kataib Hezbollah, incluindo lojas de armas utilizadas em ataques anteriores a tropas de coalizão lideradas pelos EUA, informou o Pentágono.

Em um comunicado, os militares iraquianos disseram que os ataques aéreos atingiram quatro locais no Iraque que abrigavam unidades policiais e militares, além de grupos paramilitares.

Três soldados do exército iraquiano foram mortos e quatro ficaram feridos, informou a polícia da província de Babel em comunicado. Cinco combatentes paramilitares e um policial também ficaram feridos, de acordo com a organização, acrescentando que o destino de mais dois policiais era desconhecido.

Um dos ataques atingiu um aeroporto civil em construção na cidade muçulmana xiita de Kerbala e matou um trabalhador, disseram autoridades religiosas do Iraque nesta sexta-feira.

As forças armadas dos EUA não estimaram quantas pessoas podem ter sido mortas nos ataques ao Iraque, que, segundo autoridades, foram realizados por aeronaves pilotadas.

No entanto, não havia sinal dos ataques de alto nível que o presidente Donald Trump autorizou em janeiro, quando os norte-americanos atacaram o general iraniano Qassem Soleimani.

O secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, detalhando os ataques em uma declaração do Pentágono, alertou que o país estava preparado para responder novamente, se necessário.

“Vamos tomar as medidas necessárias para proteger nossas forças no Iraque e na região”, disse Esper.

Ataque a base militar no Iraque deixa três pessoas mortas

Pelo menos 12 pessoas ficaram feridas

Publicado em 12/03/2020 – 07:26 Por Reuters* – Washington

A coalizão liderada pelos Estados Unidos (EUA) para combater o Estado Islâmico confirmou que três pessoas foram mortas em um ataque de foguetes a um acampamento militar no Iraque. Cerca de 12 pessoas ficaram feridas. 

Em nota, a coalizão afirmou que aproximadamente 18 foguetes Katyusha atingiram a base.

“O ataque está sob investigação pelas Forças da Coalizão e pelas Forças de Segurança do Iraque”, afirmou a nota.

Mais cedo, a Reuters havia informado que dois americanos e um britânico haviam sido mortos e que cerca de uma dúzia de pessoas teriam ficado feridas após 15 pequenos foguetes atingirem o acampamento militar Taji, ao norte de Bagdá. 

*Agência de notícias britânica

Itamaraty condena atentado contra primeiro-ministro do Sudão

Ministério disse repudiar todo ato de terrorismo

Publicado em 11/03/2020 – 19:03 Por Agência Brasil – Brasília

O Itamaraty publicou uma nota nesta quarta-feira (11) condenando a tentativa de assassinato do primeiro-ministro do Sudão, Abdalla Hamdok, que sofreu um atentado na segunda-feira (9) em Cartum, capital do país. 

“Ao manifestar seu repúdio a todo ato de terrorismo, independentemente de sua motivação, o Brasil expressa sua solidariedade com o povo sudanês e reitera seu apoio ao governo civil de transição no Sudão”, diz a nota do Ministério das Relações Exteriores.

O atentado contra Hamdok também foi condenado pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas,  António Guterres, que se declarou “chocado e entristecido” ao tomar conhecimento do ataque e expressou “completa solidariedade” ao primeiro-ministro e ao povo do Sudão.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro do Sudão sofreu uma tentativa de assassinato na cidade de Cartum. Após o atentado, Hamdok tuitou que ele estava “a salvo e em bom estado”. 

Segundo informações divulgadas pela ONU, foi informado que ninguém se feriu durante o ataque, que ocorreu perto da entrada nordeste de uma ponte que liga o norte da cidade até o escritório do primeiro-ministro no centro de Cartum.

O ministro da Informação do Sudão disse que o atentado se tratou de um “ataque terrorista”. A transição política pela qual passa o país fez com que muitas ex-figuras-chave na política e nas forças armada perdessem influência e autoridade.

Edição: Fábio Massalli

EUA alertam talibã sobre aumento de violência

Casa Branca
© Arquivo/Agência Brasil

Acordo visa encerrar mais de 18 anos de guerra

Publicado em 11/03/2020 – 08:53 Por NHK (emissora pública de televisão do Japão) – –

O Talibã e os Estados Unidos continuam debatendo a logística para implementação de um acordo de paz assinado no mês passado. Entretanto, Washington disse que o atual nível de violência do grupo militante é inaceitável, e que isso pode levar ambos os lados a um ciclo vicioso que comprometa a paz.

O Departamento de Estado americano divulgou uma declaração na ontem (10). Ela diz que o talibã está matando muitos afegãos e que a situação precisa mudar.

O acordo entre Estados Unidos e talibã visa encerrar mais de 18 anos de guerra. Ele levaria a uma retirada das tropas americanas do país, fazendo com o que talibã se abstenha de atacar os Estados Unidos ou seus aliados.

Entretanto, um grande obstáculo é que o governo afegão foi deixado de fora das negociações.

O talibã e o governo estão em um impasse com relação aos termos de uma troca de prisioneiros. Mas a Reuters agora informa que Cabul concordou em libertar 1.500 prisioneiros do Talibã nos próximos dias. Em troca, o grupo militante vai libertar mil membros de tropas do governo. A troca é considerada crucial para um avanço na situação.

Outro desafio é a incerteza em torno das recentes eleições presidenciais. Ashraf Ghani e Abdullah Abdullah reivindicam a vitória, e cada um deles realizou sua cerimônia de posse nesta semana. Os Estados Unidos dizem que essa crise está atrasando a nomeação de uma equipe nacional de negociadores.