Pai de presidente da OAB foi morto por guerrilheiros, diz Bolsonaro

Publicado em 29/07/2019 – 17:42

Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil Brasília

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na tarde desta segunda-feira (29) que o advogado Fernando Santa Cruz, que era militante de esquerda durante a ditadura militar (1964-1985), foi morto por integrantes da Ação Popular (AP), um grupo de luta armada contra o regime, e não pelas Forças Armadas. Santa Cruz é pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz. 

“O pai do Santa Cruz integrava a Ação Popular do Recife, era o grupo terrorista mais sanguinário que tinha. E esse pessoal tinha algumas ramificações pelo Brasil, tinha uma grande no Rio de Janeiro. O pai dele, bastante jovem ainda, veio para o Rio de Janeiro. (…) O pessoal da AP no Rio de Janeiro ficou, primeiro, estupefato:  ‘como é que pode esse cara vir do Recife se encontrar conosco aqui?’ O contato não seria com ele, seria com a cúpula da Ação Popular de Recife. E eles resolveram sumir com o pai do Santa Cruz. Essa é a informação que eu tive na época sobre esse episódio. Por que, qual é a tendência? ‘Se ele sabe, nós não podemos ser descobertos’. Existia essa guerra naquele momento. Isso que aconteceu, não foram militares que mataram ele não. É muito fácil culpar os militares por tudo o que acontece”, disse o presidente durante uma transmissão ao vivo (live) em sua página no Facebook, na qual ele apareceu cortando o cabelo. 

Pela manhã, em uma entrevista na porta do Palácio do Alvorada, Bolsonaro disse que sabia como Fernando havia morrido. Ele fez a revelação ao responder uma pergunta sobre sobre a atuação da OAB na investigação do caso de Adélio Bispo, autor do atentado à faca contra o então candidato a presidente, durante as eleições do ano passado.

“Por que a OAB impediu que a Polícia Federal entrasse no telefone de um dos caríssimos advogados [de Adélio Bispo]? Qual a intenção da OAB? Quem é essa OAB? Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Conto pra ele”, afirmou a jornalistas.

Bolsonaro ressaltou que não quer “polemizar” com o presidente da OAB e que apenas expressou uma divergência. “Não quero polemizar com ninguém, não quero mexer com os sentimentos do senhor Santa Cruz porque não tenho nada pessoal contra ele. Eu acho que ele está equivocado em acreditar em uma versão apenas do fato. Ele tem todo direito de me criticar, mas essa é a versão minha, de quem participou ativamente do nosso lado, na época”, acrescentou.

OAB

Em nota oficial, a OAB repudiou as declarações de Bolsonaro e prestou solidariedade à família de Santa Cruz. “Apresentamos nossa solidariedade a todas as famílias daqueles que foram mortos, torturados ou desaparecidos, ao longo de nossa história, especialmente durante o Golpe Militar de 1964, inclusive a família de Fernando Santa Cruz, pai de Felipe Santa Cruz, atingidos por manifestações excessivas e de frivolidade extrema do Senhor Presidente da República.”

Jogos eletrônicos

Jair Bolsonaro também aproveitou a live para anunciar que está preparando um decreto para reduzir o valor do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre jogos eletrônicos. Segundo ele, o setor é taxado em alíquotas que variam de 20% a 50%. 

“Foi feito um decreto, foi analisado a questão de arrecadação, que temos a responsabilidade em cima disso. Vamos diminuir pouca coisa, mas vamos diminuir. Vamos dar atenção para esse setor da sociedade”, afirmou o presidente. Ele disse ter aceitado participar de um festival de games previsto para o ano que vem. Edição: Narjara Carvalho Tags: OABSanta CruzAção Popular

Governo regulamenta concessão de residência a médicos cubanos

Autorização pode ter prazo indeterminado

Publicado em 29/07/2019 – 11:26

Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil undefined

Portaria publicada pelo Ministério da Justiça e pelo Ministério das Relações Exteriores no Diário Oficial da União de hoje (29) regulamenta a residência de cubanos que participaram do programa Mais Médicos no Brasil. A apresentação do requerimento de autorização de residência em território brasileiro deverá ser feita junto à Polícia Federal.

De acordo com a portaria, o imigrante poderá requerer a autorização de residência – que poderá ter prazo indeterminado – no período de 90 dias anteriores à expiração do prazo de 2 anos, previsto para que as autoridades brasileiras concluam o processo de autorização de residência.

A autorização de residência implicará na “desistência expressa e voluntária de solicitação de reconhecimento da condição de refugiado”.

Durante a instrução do pedido de autorização de residência, os interessados terão da apresentar uma série de documentos. Além de documento de identidade (ou documento de viagem), será necessária a apresentação de certidão de antecedentes criminais dos estados em que tenha residido no Brasil nos últimos cinco anos; e declaração de ausência de antecedentes criminais nos outros países onde ele tenha residido.

Também será necessário apresentar documentações que comprovem o vínculo com o Programa Mais Médicos, além de carteira de registro nacional migratório (ou declaração de extravio) e de duas fotos 3×4.

Assista na TV Brasil: Ministério da Saúde anuncia esta semana nova versão do Mais Médicos

Edição: Narjara Carvalho Tags: cubanosMais Médicosresidênciamultimídia

Brasil e França destacam importância do acordo Mercosul-UE

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Chaceleres dos dois países se reuniram hoje no Itamaraty

Publicado em 29/07/2019 – 15:20

Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Brasília

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o ministro da Europa e dos Negócios Estrangeiros da França, Jean-Yves Le Drian, destacaram hoje (29), a importância do acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia concluído no dia 28 de junho para o setor privado dos dois blocos.

Em declaração à imprensa, no Palácio Itamaraty, Ernesto Araújo ressaltou que o acordo abre perspectivas “excelentes” para o setor privado e investidores e permitirá às empresas dos países dos dois blocos “se posicionarem melhor nas cadeias globais de valor”.

Antes de entrar em vigor, o tratado terá que ser aprovado pelos parlamentos dos países do Mercosul e da União Europeia.

Jean-Yves Le Drian disse que trouxe mensagem do presidente francês, Emmanuel Macron, ao governo brasileiro, sobre a importância de um diálogo bilateral direto e transparente sobre todos os temas de interesse comum.

“Há um potencial econômico importante que este acordo representa para nossas empresas. Ao mesmo tempo, devemos tomar o tempo de realizar, por nossa parte, uma avaliação nacional completa, independente e transparente deste acordo que permitirá, assim, determinar a posição das autoridades francesas”, disse Jean-Yves.

O chanceler francês destacou que há três elementos importantes que serão levados em conta pelo país antes de ratificar o documento: a implementação do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas, o respeito às normas ambientais e sanitárias francesas e a proteção de áreas sensíveis da economia francesa por meio de salvaguardas.

Meio ambiente

Os ministros informaram que os países concordaram em estabelecer um grupo de trabalho para trocar de maneira sistemática informações sobre os compromissos do Acordo de Paris, além de temas como biodiversidade, desmatamento e preservação ambiental.

Os países assinaram acordo de cooperação entre a Agência Francesa de Desenvolvimento e a Caixa Econômica Federal, que vai priorizar o apoio a projetos de abastecimento de água e esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos, mobilidade urbana e iluminação pública em municípios brasileiros.

Saiba mais

Edição: Fernando Fraga Tags: União EuropeiaMercosulacordoErnesto AraújoJean-Yves Le Drian

Sistema E-Visita amplia alcance e chega a 60 municípios de MS

Campo Grande (MS) – Técnicos da Coordenadoria de Tecnologia da Informação (CETEC), da Secretaria de Estado de Saúde (SES), vão realizar essa semana treinamento para Agentes de Combate a Endemias (ACE’s) de três municípios: Taquarussu, Iguatemi e Itaquiraí.

O objetivo é efetuar o treinamento dos profissionais para o uso adequado do e-Visita, sistema que substitui o registro de informações no papel, com o uso de um aplicativo no aparelho de smartphone.

Na reunião de trabalho, que acontecerá no Núcleo Regional de Saúde de Dourados nos dias 31 de julho (quarta-feira) a partir das 14 horas e 1º de agosto (quinta-feira), a Secretaria Estadual de Saúde também fará a entrega dos aparelhos para os ACE’s, a exemplo do que já fez para outros 57 municípios, dos quais apenas três ainda não estão fazendo o uso: Figueirão, Porto Murtinho e Santa Rita do Pardo.

O e-Visita foi criado em Mato Grosso do Sul e começou a ser implantado em 2016. A tecnologia já desperta interesse de outros estados, como é o caso de Pernambuco, que vem implantando o sistema em seus municípios. Em MS, mais de dois mil profissionais estão envolvidos, entre agentes de campo, supervisores e coordenadores.

O aplicativo desenvolvido em Mato Grosso do Sul já está sendo usado em outros estados

“Com essa tecnologia, em vez de fazer anotações no papel, o profissional, registra no aplicativo todas as condições encontradas podendo, se necessário, tirar fotos e enviá-las via on-line para o município ou Estado. Desta forma, os gestores podem tomar decisões e providências de forma mais rápida e eficiente”, afirma Marcos Espíndola, coordenador da CETEC.

Para possibilitar o uso adequado do sistema, a SES faz o treinamento dos agentes em seus próprios municípios ou em sedes regionais e entrega a cada um deles um aparelho smartphone com o aplicativo devidamente instalado. No total, já foram entregues mais de mil celulares. A utilização da tecnologia depende da adesão dos municípios, uma vez que o cadastro das residências é feito com base em dados fornecidos pelas prefeituras.

“A concepção do e-Visita enquanto aplicativo para celulares e plataforma Web para gestão, propõe total mudança da abordagem do modelo anterior de registro das visitas domiciliares realizada pelo Agente de Controle de Endemias”, explica Marcos Espíndola.

Em Mato Grosso do Sul ACE’s de 77 municípios já foram treinados, porém alguns municípios ainda não estão utilizando a tecnologia por ainda não terem concluído o cadastro dos imóveis no sistema. As 19 cidades que ainda não receberam os smartphones deverão ser contemplados até o final deste ano.

Adesão

O e-Visita já vem sendo utilizado pelos municípios de Água Clara, Alcinópolis, Amambai, Antônio João, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Aral Moreira, Bandeirantes, Bataguassu, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Caracol, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Coronel Sapucaia, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Douradina, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Guia Lopes, Iguatemi, Inocência, Itaporã, Ivinhema, Japorã, Jaraguari, Jardim, Juti, Laguna Carapã, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Paraíso das Águas, Paranaíba, Paranhos, Ponta-Porã, Rio Verde de Mato Grosso, Sidrolândia, Sonora, Tacuru e Três Lagoas.

Deverão receber os smartphones, até o final do ano, as cidades de Anastácio, Anaurilândia, Angélica, Batayporã, Camapuã, Campo Grande, Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Eldorado, Jateí, Iguatemi, Itaquiraí, Ladário, Miranda, Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante, Rio Negro, Rochedo, Pedro Gomes, Ribas do Rio Pardo, São Gabriel do Oeste, Sete Quedas, Selvíria, Taquarussu, Terenos e Vicentina.

Os municípios de Camapuã e São Gabriel do Oeste ainda não fizeram a capacitação de seus agentes para o uso do e-Visita. No total, dois mil aparelhos celulares com o aplicativo serão distribuídos em Mato Grosso do Sul para os profissionais de campo até o final do projeto.

Ricardo Minella – Secretaria de Estado de Saúde (SES)

Fotos: Divulgação 

Bolsonaro diz que busca parceria internacional para gestão da Amazônia

Fernando Frazão/Agência Brasil

Publicado em 27/07/2019 – 15:13

Por Vítor Abdala – Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

Em resposta a questionamentos de países europeus sobre a gestão das riquezas naturais da Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro disse hoje (27), durante cerimônia de formatura de paraquedistas no Rio de Janeiro, que busca parcerias “no primeiro mundo” e, em especial com os Estados Unidos, para a exploração do território amazônico brasileiro.

“O senhor presidente da França [Emmanuel Macron], a senhora Merkel

[chanceler da Alemanha]

queriam que eu voltasse para cá [depois da reunião do G20], demarcando mais 30 reservas indígenas, ampliando reservas ambientais. Isso é um crime. Só de reserva indígena já temos 14% tomados aqui no Brasil. Na Reserva Ianomâmi, são 9 mil índios e tem o dobro do estado do Rio de Janeiro. É justo isso? Terra riquíssima. Se junta com Raposa Serra do Sol é um absurdo o que temos de reservas minerais ali. Estou procurando o primeiro mundo para explorar essas áreas em parceria e agregando valor. Por isso, a minha aproximação com os Estados Unidos”, disse Bolsonaro.

Durante o discurso, na cerimônia de formatura, o presidente já havia abordado o assunto. “O Brasil é nosso. A Amazônia é nossa. A Presidência é do povo brasileiro. Povo esse ao qual devo lealdade absoluta”, disse, ao reafirmar que está cumprindo promessa feita durante a campanha eleitoral, de “colocar o Brasil no local destaque que ele merece. É declarar nossa verdadeira independência, e é lutar para o bem de todos”, finalizou.

Saiba mais

Edição: Kleber Sampaio Tags: Bolsonaroparcerias internacionaisreservasAmazônia

Programa que vai rever Mais Médicos será lançado na próxima semana

Anúncio foi feito pelo ministro da Saúde

Publicado em 27/07/2019 – 16:22

Por Agência Brasil Brasília

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou, no Rio de Janeiro, que será lançado na próxima semana o programa que vai reestruturar o Mais Médicos.

“A Casa Civil e a Presidência da República deram o OK. Na semana que vem, a gente lança o Médicos pelo Brasil, que é o novo programa que vai rever o programa Mais Médicos”, disse.

Segundo o ministro, o dia do anúncio na próxima semana depende da agenda do presidente Jair Bolsonaro. “Isso também é reforçar a atenção primária. É basicamente direcionado para a atenção primária, praticamente voltado para o que a gente chama de Brasil profundo, as cidades mais vulneráveis”, destacou.

Ele acrescentou que nas cidades do interior é onde, muitas vezes, as campanhas públicas têm “menos apelo”. “É no interior do Brasil que eu tenho mais dificuldades para usar capacete para motocicleta”, exemplificou. Edição: Kleber Sampaio Tags: Mais MédicosMédicos pelo Brasil

Bolsonaro defende redução da carga tributária

Publicado em 27/07/2019 – 17:36

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro


Bolsonaro disse hoje, no Rio de Janeiro, que o Brasil tem que reduzir a carga de impostos    (Fernando Frazão/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (27), no Rio de Janeiro, que o país tem que reduzir a carga de impostos e que deve apresentar uma reforma tributária depois da aprovação da reforma da Previdência. A afirmação foi feita durante cerimônia de formatura de novos paraquedistas do Exército.
 
“Queremos adiantar a reforma da Previdência e apresentar nossa reforma tributária. A reforma mãe é a da Previdência. Temos que mostrar para o mundo que gastamos mais do que arrecadamos e queremos equilibrar isso aí. Depois é simplificar. A carga tributária temos que começar a diminuir, caso contrário você estimula o contrabando e a entrada desse material de outras maneiras, o que é ruim para todo mundo”, disse.

O presidente voltou a defender a nomeação de seu filho, Eduardo Bolsonaro, que é deputado federal, como embaixador brasileiro nos Estados Unidos. “Vocês acham que eu botaria um filho meu num posto de destaque como esse para pagar vexame? Eu quero um contato imediato, rápido, com o presidente norte-americano”.

Explicação

Durante entrevista, depois da cerimônia na 26ª Brigada de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, Bolsonaro também falou sobre o dia do casamento do filho, Eduardo Bolsonaro,  em maio. No dia, de acordo com o presidente, ele e alguns membros da família foram levados à cerimônia em um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB). O presidente destacou que não cometeu nenhuma irregularidade.
 
“Eu fui no casamento do meu filho. Minha família da região do Vale do Ribeira estava comigo. Eu vou negar o helicóptero pra ir pra lá? E mandar de carro pra lá? Não gastei nada além do que já ia gastar”, disse o presidente.
 
Ele convidou os jornalistas a conferirem seus gastos com cartão corporativo e a compararem com os de governos anteriores. “Se eu errar, eu assumo meu erro e arco com as consequências. Até o momento, pelo que vejo, nada de errado aconteceu em meu governo”.
 
O presidente disse, ainda, que quer tornar opcional a matrícula em autoescolas para quem quiser tirar sua carteira de motorista.

“Quem quiser fazer uma autoescola que faça. Não pretendo acabar com a autoescola, pretendo [deixar que] quem quiser fazer a prova prática sem aulas, que faça”.
 
Segundo ele, a meta é desburocratizar o Brasil. “Eu não sabia que atestado de óbito tinha validade. É grana para cartório. Por que ninguém mexe nisso?”, indagou. Edição: Kleber Sampaio Tags: Bolsonaroreforma da Previdênciareforma tributária

Bolsonaro diz que obra em rodovia no Piauí deve ser inaugurada logo

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Publicado em 28/07/2019 – 15:54

Por André Richter – Repórter da Agência Brasil Brasília

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (28) que o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, deve inaugurar em breve o alargamento da BR-135, no Piauí. O trecho, em obras, liga as cidades de Eliseu Martins e Bom Jesus.

“A BR 135, que liga Eliseu Martins a Bom Jesus, no Piauí, está sendo alargada. O Capitão Tarcísio, Ministro da Infraestrutura, em breve inaugurará essa obra, hoje conhecida como Rodovia da Soja. O PIAUÍ É NORDESTE. O NORDESTE É BRASIL”, publicou o presidente no Twitter.

A BR-135 liga o norte do Maranhão a Minas Gerais, passando pelo Piauí e pela Bahia.

Jair M. Bolsonaro @jairbolsonaro

🇧🇷

– A BR 135, que liga Eliseu Martins à Bom Jesus, no Piauí, está sendo alargada. O Capitão Tarcísio, Ministro da Infraestrutura, em breve inaugurará essa obra, hoje conhecida como Rodovia da Soja. O PIAUÍ É NORDESTE. O NORDESTE É BRASIL.

Vídeo incorporado

26,8 mil 13:46 – 28 de jul de 2019Informações e privacidade no Twitter Ads 6.145 pessoas estão falando sobre isso

Edição: Maria Claudia Tags: Jair Bolsonaroalargamento da BR-135Twitter

Mulheres negras marcham por direitos e contra o feminicídio

Publicado em 28/07/2019 – 16:08

Por Alana Gandra – Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

O Fórum Estadual de Mulheres Negras do Rio de Janeiro realizou hoje (28), pelo quinto ano consecutivo, a Marcha das Mulheres Negras, na orla de Copacabana, zona sul da capital, com o tema “Mulheres Negras resistem: em movimento por direitos, contra o racismo, o sexismo e outras formas de violência”. O ato contou com a presença de mulheres negras de todas as idades, desde bebês a “vovós” de mais de 80 anos.

Coordenadora do fórum, Ana Gomes disse à Agência Brasil que o intuito do evento é mostrar para o público as questões que afligem e mobilizam as mulheres negras no Rio de Janeiro e no país. Uma das reivindicações é dar visibilidade ao fato de que as mulheres negras são as maiores vítimas do feminicídio. Ainda segundo ela, apesar de a violência doméstica contra as mulheres brancas ter diminuído, os números referentes às mulheres negras aumentaram.

>> Veja a galeria de fotos 

O ato também denuncia o genocídio da juventude negra.  “Na medida em que morre um jovem negro, é uma mulher negra que está na ponta sofrendo”, destacou Ana.

O Fórum Estadual de Mulheres Negras do Rio de Janeiro realizou pelo quinto ano consecutivo, a Marcha das Mulheres Negras, na orla de Copacabana, zona sul da capital.

O Fórum Estadual de Mulheres Negras do Rio de Janeiro realizou pelo quinto ano consecutivo, a Marcha das Mulheres Negras, na orla de Copacabana, zona sul da capital. – Fernando Frazão/Agência Brasil

A falta de creches, a precariedade das escolas e o acesso restrito às urbanidades, além da violência praticada contra os povos tradicionais de matriz africana também estão entre as críticas das mulheres negras. “Tanta coisa que o racismo acaba nos colocando nessa situação de desprestígio, de desumanização”, explicou Ana Gomes.

A Marcha das Mulheres Negras também comemora o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, instituído no dia 25 de julho de 1992, durante o 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, realizado na República Dominicana.

Homenagens

Uma oficina de cartazes, realizada pela manhã no Posto 4 da Praia de Copacabana, abriu a marcha que se estendeu até o Leme. Durante o evento, várias homenagens à vereadora Marielle Franco, assassinada com seu motorista Anderson Gomes em 14 de março de 2018.

Na Praça Heloneida Studart, foi montada a exposição “Vitrine Negra”, com trabalhos artesanais de afro-empreendedoras. O evento será encerrado à noite, com a roda de samba “Divas Negras – Nossa Africanidade”.

Adesão

O Fórum Estadual de Mulheres Negras do Rio de Janeiro realizou pelo quinto ano consecutivo, a Marcha das Mulheres Negras, na orla de Copacabana, zona sul da capital.

O Fórum Estadual de Mulheres Negras do Rio de Janeiro realizou pelo quinto ano consecutivo, a Marcha das Mulheres Negras, na orla de Copacabana, zona sul da capital. – Fernando Frazão/Agência Brasil

A marcha contou com a participação de movimentos de mulheres negras de vários municípios e regiões fluminenses. A organização não governamental (ONG) Mulheres Yepondás, que desenvolve ações sociais, culturais e artísticas, montou um “painel de afroestima”, no qual as pessoas podiam colocar um turbante ou outro acessório disponibilizado pelo grupo e tirar fotografias.

O professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) Walkimar Carneiro compareceu à marcha pela primeira vez. “As mulheres e, particularmente, as mulheres negras, ainda estão em uma situação difícil no país. Se a gente olhar para o mercado de trabalho, para as condições de vida como um todo, para o tratamento das pessoas, ainda há muita discriminação. Portanto, acho importante que haja essas manifestações. Todos temos que apoiar”, destacou.

Luíza de Figueiredo, 12 anos, disse que os cartazes cobrando respostas para o assassinato de Marielle chamaram a sua atenção. Estudante da 8ª série do ensino fundamental, Luíza defendeu as mulheres de todas as raças.

“Nós, mulheres, em geral, somos sempre diminuídas. E as mulheres negras, principalmente, são colocadas em um patamar muito inferior ao dos homens e das mulheres brancas. Então, acho muito importante a mulher negra mostrar que ela é também mulher e tem os mesmos direitos de todo mundo, assim como as mulheres têm os mesmos direitos dos homens.” Edição: Lílian Beraldo Tags: mulheres negrasMarcha das Mulheres NegrasviolênciafeminicídioMarielle Franco

Com apoio do Governo do Estado, OAB/MS realiza em agosto Fórum Segurança na Fronteira

Campo Grande (MS) – Integração das ações entre as polícias brasileira e do Paraguai e Bolívia, além da criação de um laboratório de inteligência na fronteira, são algumas das propostas defendidas pelo presidente da OAB/MS, Mansur Elias Karmouche, durante o lançamento do Fórum Permanente de Segurança na Fronteira, na manhã desta sexta-feira (26.7). O evento conta com o apoio do Governo do Estado.

O Fórum será realizado no dia 22 de agosto no campus da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) das 7h às 18h e contará com a participação de representantes dos governos do Paraguai e Portugal e da ONU (Organização das Nações Unidas).

Mansur Karmouche defendeu mais investimentos na área da segurança na fronteira, atribuição do Governo Federal, e também a união de esforços no combate aos crimes transfronteiriços. “Esta ação precisa ser integrada pela nossa polícia local, além da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e países vizinhos, pois assim teremos um Estado mais seguro”, afirmou.

O lançamento foi feito como parte das comemorações dos 40 anos da OAB/MS, na sede da seccional da Ordem, em Campo Grande. A procuradora-Geral do Estado, Fabíola Marquetti Sanches Rahim representou o Governo do Estado na solenidade, que contou também com a presença do prefeito da Capital, Marquinhos Trad, procurador-geral de Justiça, Paulo Passos, superintendente da Polícia Federal, Cleo Mazotti, presidente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande, João Carlos Polidoro.

Faça a inscrição e veja a programação do Fórum aqui.

Paulo Yafusso – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Foto: Gerson Walber/OAB-MS