Dia 12 de junho, dia dos namorados

Amor, poder que une corações para sempre!

O amor é o unificador de corações, almas e destinos!

De todos os sentimentos que envolvem o relacionamento de um casal, há um que norteia o comportamento, estreita a união e alarga os horizontes do entendimento e escreve o destino com letras de ouro; um sentimento único, puro como o lúmen das estrelas, que perdoa, conforta a dor, ilumina as trevas da desesperança e faz resplandecer a aurora de um novo dia: o amor!

O amor é o mais sublime dos sentimentos, aquele que une duas pessoas para, juntas, viverem a mesma vida até o final dos tempos. Sim, amantes, o amor é a aliança divinal que encadeia dois corações como se fosse uma só unidade!

“O amor é uma essência produzida nas indústrias do céu. De fragrância divinal, é uma química miscigenada por mãos de anjos nefelibatas, tendo como matéria-prima filamentos de sóis e estrelas…” (I.D)

O amor é isso, docilidade, meiguice, calor humano; é dar-se sem nada pretender em troca, senão o bem-viver; é condescender, ser amigo, cúmplice, amado, amante. É aceitar um ao outro com suas virtudes e defeitos, e, juntos, conjugarem o verbo viver em todos os tempos e formas.

O amor é uma música suave que o casal deve cantar a uma única voz. E, a um só movimento, dançar, ventres unidos, a dança mágica que conduz os corpos à explosão do prazer e à perpetuação da vida!

“Que belos são os teus amores, minha irmã, esposa minha! Quanto melhor é o teu amor do que o vinho! E o aroma dos teus unguentos do que o de todas as especiarias!” Cânticos 4:10

Por Inácio Dantas

Do livro “Segredos para uma união vencedora” – www.agbook.com.br

UMA NOTA ACIMA DO TOM

Por Galdêncio Torquato *

Basta apurar os sentidos para perceber que há uma nota acima do tom na orquestração da política. O presidente da República tem se comportado como um incontrolável rebelde no uso da liturgia da expressão. Todos os dias recita substantivos ácidos e adjetivos ferinos para animar suas galeras e atacar adversários. Magistrados, de alto coturno, incluindo os que carregam grande bagagem no acervo do Direito, extravasam a linguagem peculiar dos juízes, abrindo polêmica na frente institucional. Dos políticos, então, tanto dos bastiões de defesa do governo quanto das hostes de oposição, o tiroteio do palanque virtual não arrefeceu como seria de esperar nesses tempos de encolhimento pandêmico.

A conclusão a que se pode chegar sinaliza para uma sobrecarga de energia acumulada, como se o alvo dos tiros não fosse o danado do Covid-19 e sim os interlocutores e protagonistas que agem nas esferas das nossas instituições. Até os generais que, em tempos idos, sob o escudo da hierarquia e da disciplina, eram comedidos no uso do verbo, extrapolam os limites de sua linguagem. É razoável pensar que esses comportamentos venham a oxigenar nossa democracia ante a hipótese de que o franco debate desperta a sociedade, mas há uma questão de fundo a balizar o jogo das ideias. Povoam a paisagem temas como intervenção militar, golpe, impeachment, rebelião social, entre outros. Há de se ter cuidado com a banalização de escopos desse teor.

Entremos nos temas. A retórica de conflitos, como podemos designar as querelas, se impregna de interesse estratégico dos protagonistas eleitorais. O presidente Bolsonaro estica a campanha de 2018 até hoje. Os 30% que o apoiam montam na garupa do azarão. O PT, que perdeu o trono depois do gigantesco buraco em que afundou o país, só pensa em voltar ao primeiro plano da cena. Basta ver Lula, condenado em duas instâncias, defendendo agora a primazia do PT na esfera partidária, negando-se a assinar manifestos em favor da democracia ao lado de entidades de renome. Os grandes partidos já apontam alguns nomes como eventuais candidatos em 2022. As médias e pequenas siglas se atrelam a quem, nesse momento, lhes oferece recompensas. São, por exemplo, os entes que formam o Centrão e que começam a se aboletar no governo Bolsonaro.

Sob a malha eleitoral, a polarização política ganha volume e agita chefes, chefetes e lideranças de todos os setores. Para acirrar as tensões, enfrenta o país uma das maiores (senão a maior) epidemia de sua história, que causa milhares de mortos, podendo, logo, logo, chegar aos milhões de contaminados. A tragédia se expande na onda de uma reversão da economia, que esvazia o bolso de milhões de pessoas, empobrecendo as classes sociais, podendo até gerar convulsões aqui e ali, abrindo caminho para o caos social.

É evidente que, sob esse risco, estariam criadas as condições para a arrebentação da maré política, dando margem a eventos graves na esfera do Congresso Nacional. Portanto, a ideia de impeachment só se fundamenta na base da mobilização social, sendo improvável pensar em afastamento do presidente como ato unilateral do Parlamento. Só mesmo uma onda centrípeta – das margens para o centro – seria capaz de dar xeque mortal no tabuleiro da política.

Da mesma forma, é irrazoável a alternativa de intervenção militar. As Forças Armadas, com muito custo e graças ao profissionalismo, conseguiram firmar imagem de respeito, credibilidade e seriedade. Não topariam entrar numa aventura de tomada do poder na marra. Podem ir às ruas, em caráter excepcional, para garantir a lei e a ordem. A par desse compromisso, sempre renovado por suas lideranças, as Forças estão diante de uma sociedade mais atenta, crítica e solidária. Há um formidável contingente formado por imensa classe média, onde habitam núcleos que tendem a rejeitar os extremos do espectro ideológico. Apenas um minúsculo grupo – que não chega a 10% da população -, perfilaria a ideia de um golpe para levar o país ao território do autoritarismo.

Portanto, é conveniente baixar a bola, senhores guerreiros da arena político-institucional. O momento está a exigir que o foco de combate ao novo coronavírus não seja tumultuado por tiros dados ao léu, como a lenha que os fogueteiros de todos os lados jogam nas redes sociais, com calúnias, difamações, versões estapafúrdias.

Quanto aos magistrados, generais e mandatários, a mensagem é esta dos romanos: homo loquax, homo mendax – homem falador é homem mentiroso. Ou acaba se transformando em mentiroso.

Gaudêncio Torquato *, jornalista, é professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

Acesse o blog: www.observatoriopolitico.org

Deus, a seara e o trabalhador

Por Paiva Netto

“O Senhor dará chuvas às sementes com que proverdes o solo e o pão que produzir a terra será nutritivo e saboroso. Naquele dia teu gado pastará em vastas pastagens.”

(Isaías, 30:23)

A vida na Pátria da Verdade (o Mundo Espiritual) não é uma abstração, mas, sim, realidade avassaladora, como o tempo provará. De suas fronteiras, desce ao ser humano incomensurável mensagem de Esperança, posto que à dor, companheira contumaz da existência terrestre, sobrevirá a luz da Eternidade, de acordo com o que houvermos semeado na Terra. A colheita lá depende de nosso cultivo aqui. Nada mais justo. Portanto, usemos bem a seara que Deus nos oferece no plano das formas, de maneira que, nesse solo fértil, plantemos a semente da transformação de nós mesmos, que resultará no amadurecimento das coletividades.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com 

_______________________________

ServiçoE-book A Esperança não morre nunca (Paiva Netto). Você pode baixar gratuitamente o livro digital e/ou audiolivro acessando www.paivanetto.com/esperanca

Saneamento e a retomada da economia

Por Luiz Pladevall (*)

A retomada dos empreendimentos públicos e privados em saneamento básico pode ser uma das soluções para diminuir o forte impacto da queda da atividade econômica, provocada pela pandemia do novo coronavírus. Independentemente da aprovação do novo marco legal do saneamento, o setor tem demandas em todo território brasileiro.

A área de infraestrutura deve ser vista como fundamental para retomada do nosso crescimento no período pós-pandemia. Um levantamento do Projeto Infra2038 revela que, para o país chegar ao nível de 77% de estoque de infraestrutura, serão necessários recursos financeiros na ordem de R$ 8,7 trilhões em energia, saneamento, logística, entre outros. Uma parcela desse valor pode fazer uma grande diferença. O estudo mostra que 4,7 milhões de empregos podem ser criados com R$ 200 bilhões de investimentos.

As características inerentes ao setor de saneamento aponta que o retorno dos investimentos não será apenas na criação de trabalho e renda para milhões de brasileiros, mas também na queda significativa de doenças relacionadas a veiculação hídrica. O país tem urgência na redução das desigualdades provocadas pela falta de água tratada para 35 milhões de brasileiros e de esgotamento sanitário para outros 100 milhões de pessoas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), para cada U$S 1 investido em saneamento, os governos economizam outros U$S 4 em saúde. Reverter esse quadro requer expressivos investimentos, que podem ocorrer com uma maior participação da iniciativa privada por meio das ferramentas já disponíveis como concessões, Parcerias Público Privadas (PPPs) entre outras.

Investir na diminuição de perdas, por exemplo, pode significar a redução de mais de R$ 10 bilhões de gastos em todo o território nacional, valor inclusive superior aos investimentos governamentais de alguns dos últimos anos de Norte a Sul do país. Os indicadores mostram uma média próxima a 40% de perdas de água tratada nos estados brasileiros. Para efeitos de comparação, nos EUA, as perdas chegam a 12,8% do total produzido e na Dinamarca, 6,9%.

Temos um trabalho muito grande para reduzir esse enorme desperdício de recursos hídricos, suficientes para abastecer aproximadamente 30% da população brasileira. Segundo dados do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), o desperdício de água tratada chega a 55,14% na região Norte, sendo 34,14% no Centro-Oeste brasileiro.

A redução de perdas demanda ainda o trabalho de revisão das redes. Hoje, 90% dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário não têm cadastros confiáveis. A maioria das cidades brasileiras dispõe de tubulações antigas, com mais de 70 anos de uso, que estão sujeitas a rompimentos a qualquer alteração de pressão. O brasileiro está, inclusive, acostumado a encontrar ruas pavimentadas com remendos resultantes do trabalho da companhia de água e esgoto.

O setor de saneamento traz boas oportunidades que, além de ajudar a impulsionar a economia, podem contribuir para reduzir significativamente despesas e oferecer um serviço com melhor qualidade para a população.

(*) Luiz Pladevall é presidente da Apecs (Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente) e vice-presidente da ABES-SP (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental).

Fruto do Espírito e frutos da carne

Brasília 06 de Junho de 2020

Segue link do vídeo – Fruto do Espírito e frutos da carne – Introdução – 002

A carne é a grande inimiga da vida virtuosa e da vida cristã. É esta carne que torna a lei fraca e enferma (Rm 8.3). Isto quer dizer que a carne é a responsável pela situação humana sempre repetida, em que o homem sabe com perfeita clareza o que deve fazer, mas é totalmente incapaz de fazê-lo.

YOUTUBE: https://youtu.be/8gqPuw9f7L4
 
Deus te abençoe
 
Por Pr.Paulo
escravo do DEUS ALTÍSSIMO
Nosso portal de encontro:
www.igrejacristasementedevida.com.br

A educação é individual e não plural

O filósofo, psicanalista e especialista psicopedagogo Fabiano de Abreu diz que a educação está defasada

“Estamos na era da selfie, na era do usuário de rede social, na era da identidade pessoal como digital. A educação está defasada, seja ela a dos pais, seja ela do governo ou das instituições particulares. Temos educar as crianças como persona, indivíduo único, direcionado.”, inicia Fabiano de Abreu, filósofo, psicanalísta e especialista em psicopedagogia que defende uma educação focada no individual.

Segundo o especialista, “Há, hoje em dia, mais do que em qualquer período histórico a possibilidade de criarmos ciclos de educação individualizada com base em todo o potencial tecnológico.
Os alunos devem deixar de ser vistos como um todo, como uma massa homogénea que se comporta e pensa da mesma forma. A hora é de mudança.”.

Abreu refere que as particularidades de cada aluno se devem sobrepor a um todo composto pelo aglomerado.

“O aluno, o ser que está diante de nós deve ser visto nas suas particularidades, deve ser motivado a desenvolver as suas capacidades, as áreas de seu interesse e onde é particularmente notável. O ensino deve ser feito com ritmo próprio explorando o melhor de cada um.
Todos têm um papel nesta alteração, desde os pais aos professores, passando pelas instâncias governativas.
O desenvolvimento passa por uma capacidade ampla de pensar, encontrar soluções e produzir. A nossa sociedade seria muito mais avançada e faria face a muitas problemáticas se tivéssemos mentes a pensar de forma diferenciada. A formatação não trás nada de positivo, a formatação não trás inovação.”, defende o psicanalista.

Para Fabiano de Abreu não há qualquer dúvida que o, “O indivíduo deve ser tratado exatamente assim, de forma especial por ser único.”, concluí.

Fruto do Espírito e frutos da carne – Introdução – 001

Aquilo que se podia dizer do pensamento hebraico era igualmente verídico no caso do pensamento grego. Platão descreve a alma como o carroceiro cuja tarefa é dirigir em arreios duplos dois cavalos, um dos quais é “nobre e de raça nobre”, e o outro é “o oposto na raça e no caráter”.

YOUTUBE: https://youtu.be/yrUYFOZF7QM
 
Deus te abençoe
 
Por Pr.Paulo
escravo do DEUS ALTÍSSIMO
Nosso portal de encontro:
www.igrejacristasementedevida.com.br

O impacto do estresse da desmama sob o consequente desempenho produtivo de bovinos

Por Bruno Cappellozza *

 Durante a vida produtiva dentro de uma fazenda, os ruminantes de corte e leite são inevitavelmente expostos a diversos tipos de situações que levam o animal ao estresse. Por definição, o estresse na pecuária é considerado como quaisquer situações que tirem os animais de sua zona de conforto (homeostase). Essas, anteriormente citadas, podem ser chamadas de estressores que, por vezes podem ser classificadas em: Físicos, como enfermidades, castração, descorna e lesões causadas por brigas entre os animais e/ou manejo; Psicológicos, como desmama, mudança de ambiente/fazenda, transporte, mudanças hierárquicas no grupo, restrição alimentar e hídrica e, por fim, Fisiológicos, resultado  das mudanças no funcionamento dos sistemas endócrinos e neuroendócrinos, causadas pelos estressores físicos e psicológicos. 

Dentre as etapas dos processos produtivos em bovinos de corte e leite, a desmama que constitui-se da separação do par bezerro/bezerra-vaca, inevitavelmente exige grande atenção da fazenda, já que os animais são expostos a diversos fatores de estresse, tais como o próprio ato da desmama, que afeta tanto a vaca quanto o bezerro, e fatores exclusivos aos bezerros, como: nova reorganização social dentro do grupo de bezerros recém-desmamados, novos ambientes (pastos, instalações e/ou fazendas), exposição a diferentes alimentos e novas fontes alimentares, bebedouros, colaboradores e manejo. Esses estressores e, principalmente, como o animal lida com esses estressores, podem comprometer a saúde e o desempenho produtivo dos animais durante toda a fase da recria.

De maneira geral, a desmama em bovinos de corte ocorre entre os meses de Abril e Agosto, quando os animais estão aproximadamente com 7 – 8 meses de idade e pesando, na média, algo em torno de 180 – 190 kg de peso vivo (PV). Após o processo da desmama, os animais podem ser vendidos para produtores que recriam esses animais e engordam no confinamento ou podem ser recriados na mesma fazenda e/ou grupo de origem desde o nascimento. Já em bovinos leiteiros, a realidade acaba sendo um pouco diferente, já que a separação do par vaca-bezerro(a) ocorre nas primeiras 48 horas após o nascimento e os bezerros(as) acabam sendo mantidos em instalações, chamadas de bezerreiros, por um período aproximado de 8 – 9 semanas até a desmama de fato acontecer.

Como relatado para bovinos leiteiros, o processo de separação do bezerro da vaca é realizado de forma abrupta, enquanto que em bovinos de corte diversas técnicas podem ser adotadas pelos produtores, tais como o desmame abrupto e lado a lado. No desmame abrupto, como o próprio nome sugere, os bezerros são separados das suas mães de uma hora para outra, sendo colocados após o desmame em pastos distintos e distantes. É sabido que essa técnica de desmame pode ser estressante para os animais (vaca e bezerros) e prejudicar de maneira significativa a saúde e o desempenho produtivo do rebanho. Por isso, é importante o desenvolvimento de tecnologias ou técnicas de manejo que possam reduzir o estresse da desmama, melhorando assim a saúde e o desempenho dos animais no período pós-desmama.

Uma das técnicas de manejo a ser considerada é a desmama lado a lado. Nessa técnica, os bezerros são desmamados e colocados em piquetes um ao lado do outro, estando separados assim apenas por uma cerca. Essa técnica permite, com limites através da cerca, um certo contato físico e visual entre a vaca e o bezerro, reduzindo assim o estresse e as respostas resultantes dele na saúde e desempenho dos animais. Entretanto, em algumas situações, a propriedade não possui a capacidade de realizar a desmama lado a lado, fazendo com que o desmame abrupto seja a única forma de desmame disponível e factível.

Com base nesses cenários, uma tecnologia vem sendo inicialmente utilizada em situações práticas com resultados extremamente positivosé o SecureCattle®, um produto análogo a uma substância que a vaca produz no momento do parto, chamada de Substância Apaziguadora Bovina (SAB). A Nutricorp vem realizando diversos experimentos com essa tecnologiapara demonstrar a efetividade  na redução dos efeitos negativos ocasionados pelo estresse com uma consequente melhoria do desempenho e saúde do rebanho nesse período delicado para o sistema produtivo de bovinos.

O produto deve ser aplicado topicamente entre os chifres dos animais em diversos momentos de estresse, inclusive nocaso da desmama. O SecureCattle® é sentido pelos animais através do sistema olfatório por receptores localizados no órgão vomeronasal e no epitélio olfatório, gerando assim sinais para o Sistema Nervoso Central (SNC) que, por sua vez, causa um efeito apaziguador nos animais com uma consequente redução do estresse ocasionado pela situação de manejo a que os animais são expostos.

Nos estudos de pesquisa inicialmente conduzidos pela Nutricorp, a aplicação de 1 dose (5 mL/cabeça) de SecureCattle® no momento da desmama aumentou o ganho de peso diário (GPD) na ordem de 70 a 376 gramas/dia. Ao final do período de avaliação (45 dias), os animais que receberam o SecureCattle® estavam entre 3 e 16 kg mais pesados do que os animais que foram desmamados, mas não receberam a tecnologia da Nutricorp. Além disso, os dados de pesquisa com o SecureCattle® demonstram que o mesmo age pela redução nas concentrações circulantes de haptoglobina, um dos principais marcadores de estresse e inflamação em bovinos. Em outras palavras, quando as concentrações dessa proteína são reduzidas, os animais apresentam um status imunológico e de saúde mais fortalecido, assim como um melhor desempenho, seja ele através do GPD ou eficiência alimentar (EA). 

Alguns pontos importantes sobre a tecnologia SecureCattle® devem ser considerados pelo produtor, tais como (1) o fato de o produto ser aplicado junto com o manejo programado e já realizado pela fazenda, não causando manejo extra à mesma e (2) o produto é aplicado de maneira tópica e, por isso não se faz necessário o uso de agulhas que podem levar a abscessos nos animais e trazer risco à segurança dos colaboradores da fazenda.

Em resumo, podemos concluir que a desmama causa um estresse nos animais, prejudicando assim a sua competência imunológica (saúde) e o desempenho do rebanho pós-desmama. Por isso, faz-se necessário o uso de algumas tecnologias para reduzir o estresse e suas respostas negativas no rebanho, tais como o SecureCattle® da Nutricorp.

Sobre a Nutricorp

A Nutricorp, empresa referência em qualidade e inovação no agronegócio, é especialista em soluções criativas em nutrição e bem-estar de bovinos de corte e leite, tendo qualidade e segurança incorporadas no seu DNA, sempre visando a satisfação de seus clientes e o cuidado com o meio-ambiente. Com mais de 20 anos de mercado, a marca sempre atuou próxima aos produtores e fábricas, atendendo suas demandas com o máximo de expertise e personalização. Pioneira em transformar coprodutos da agroindústria alimentícia em produtos inovadores e eficazes criando novas soluções com foco em nutrição animal e desempenho produtivo na cadeia de ruminantes. Como principal valor, a companhia preza por suas relações com clientes, fornecedores e colaboradores, entregando e pensando sempre na promoção do melhor e como objetivo, seu desejo é nutrir com inovação as relações na agropecuária, assegurando sabor e saúde, na fazenda e na mesa. http://www.nutricorp.com.br

Por Bruno Cappellozza *

**Pesquisa e Desenvolvimento 

***pela Nutricorp

Você sabe o que é Varicocele?

Por Marco Lipay *

A Varicocele é a dilatação das veias dos testículos (espermáticas) e pode estar presente em até 30% da população masculina em geral. Acomete preferencialmente o lado esquerdo e pode aumentar de volume com o tempo. Muitas vezes é assintomática e pode ser detectada no autoexame, em uma consulta de rotina durante exame físico dos genitais ou em exames de imagem, como ultrassom. As varicoceles são classificadas em I, II ou III, de acordo com o tamanho do novelo varicoso identificado no exame.

Quando sintomáticas, podem ser identificadas em razão de dor no escroto, diminuição do volume testicular, aumento de volume no escroto (formação de varizes) e nas investigações para fertilidade masculina. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), é a causa mais comum, conhecida e tratável de infertilidade masculina, acometendo perto de 35% dos homens com infertilidade primária e 80% com infertilidade secundária.

Nem sempre é necessário tratar uma varicocele. No entanto, considera-se o tratamento quando há:

• Orquialgia (dor testicular);

• Atrofia testicular;

• Infertilidade para posterior aplicação de técnica de reprodução assistida in vitro (FIV).

A opção de tratamento é cirúrgica, conhecida como varicocelectomia, procedimento via inguinal que visa abordar as veias varicosas do cordão espermático. A SBU, em seu consentimento informado, menciona que o tratamento proposto pode resultar em algumas situações como:

Ausência de melhora do espermograma, quando a indicação da cirurgia objetivar o tratamento da infertilidade,

Recidiva da varicocele, requerendo novo procedimento cirúrgico,

Aparecimento de hidrocele (água no escroto) após a cirurgia,

Infecção,

Lesão venosa (arterial).

O tratamento cirúrgico, realizado sob efeito anestésico e ambulatorial, necessitará de um repouso relativo de atividades físicas, analgésicos e ausência de atividade sexual nos primeiros dias, entre outros cuidados, principalmente com a ferida cirúrgica.

Converse com seu urologista, ele saberá avaliar o seu problema e indicar a melhor forma de tratamento.

*Dr. Marco Aurélio Lipay é Doutor em Cirurgia (Urologia) pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Titular em Urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia, Membro Correspondente da Associação Americana e Latino Americano de Urologia e Autor do Livro “Genética Oncológica Aplicada à Urologia”

Dez “dicas” para uma boa avaliação profissional.

Retomada da economia, volta ao trabalho.

Suas palavras e ações falam por si. Por isso, para ser ouvido e bem avaliado tenha na boca palavras positivistas e nas ações honradez, probidade e respeito. Sucesso, em qualquer área da vida, tem esses quesitos como fundamento.

i.Respeitar o horário de trabalho. Não atrasar-se na entrada; não antecipar-se na saída. Não abandonar o local de trabalho, aleatoriamente, sem o consentimento superior. Cumprir integralmente o tempo e as atribuições diárias estabelecidas;

ii.Respeitar os colegas de trabalho. Não se engrandecer com os subalternos nem se apequenar com os superiores. Relacionar-se profissionalmente, com equidade, educação, senso colaborativo;

iii.Zelar pelos materiais, ferramentas e equipamentos da empresa. Não desperdiçar tempo e matéria-prima. Produzir nas formas e no cronograma estipulado. Evitar morosidade ou pressa que possa prejudicar a qualidade do produto final;

iv.Não relaxar, não se acomodar. Buscar aperfeiçoamento contínuo da profissão. Contribuir ativamente na produtividade – qualidade e quantidade. Buscar o menor custo e a maior produção;

v.Não faltar, não se ausentar, não negligenciar os compromissos trabalhistas. Assiduidade, comprometimento, dedicação, espírito solidário, qualidades que destacam e notabilizam o profissional.

vi.Você é um Nerd? Não se chateie nem se retraia se vivenciar situações de bullying. Rechace-as. A inveja existe, sobretudo nos “gênios” e grandes inteligências. Não revide com gestos ou ofensas, siga em frente nos seus propósitos e sonhos. Conforte-se porque você está pertíssimo da linha de chegada, e os demais estão pertíssimo da linha de partida…

vii.Firmar-se nas vigas fortes do seu bom desempenho, nas suas esmeradas qualificações, na sua alta produtividade, no seu caráter ilibado. Você, no seu trajeto profissional rumo a postos máximos, vai encontrar, sim, invejosos[1] que irão esperar uma falha sua para criticá-lo negativamente e “tomar seu lugar”. Não se rebele. Mantenha-se firme, atuante, confie em si, na energia da sua disposição, nos seus dotes do saber e siga em frente!

viii.Ser humilde[2] no seu cabedal do saber e do fazer. Você se acha incrível? Cale a voz do seu ego, “fique na sua”. Não comente nem alardeie “que você é o tal, que faz e acontece”, deixe que os outros o façam por você. Isso repercute positivamente e lhe traz, rapidamente, olhares de admiração. 

ix.Expressar-se de forma clara, simples e pausada. Evitar o rebuscamento em plateias simples. Seja efetivo[3] como dizer, e contundente no que diz. O importante é sua mensagem sair da sua boca e chegar aos ouvidos dos outros com total compreensão.

x.Lutar sempre, todos os dias, todas as batalhas. Viver é a arte de domar dragões[4], ora com força-bruta, ora com poesia. O resultado, hoje, pode não ser de alvíssaras, mas amanhã o será. Viva, lute, faça-se por si!

Por Inácio Dantas

Do livro “Lições para o Autoaperfeiçoamento Profissional” – www.agbook.com.br


[1] que dá fruta é o que mais leva pedrada.” (Ditado popular)

[2]“Pessoas são como janelas de vidro. Elas brilham quando o sol está lá fora. Mas é só quando a escuridão chega é que vemos sua luz interior e o quão incríveis elas são” – (Elisabeth Kubler-Ross – psiquiatra suíça autora do livro “Death and Dying”)

[3]“Se você não pode explicar algo de forma simples, então você não entendeu muito bem o que tem a dizer” – (Einstein)

[4]Sobre dragões, o ator Bruce Lee (“Operação Dragão”) nos ensina: “O guerreiro de sucesso é um homem médio, mas com um foco apurado como um raio-laser”