Dólar fecha no menor valor em quase 50 dias, abaixo de R$ 3,90

dólar

Arquivo/Agência Brasil      Economia


Bolsa de valores encerra segunda-feira estável

Publicado em 03/06/2019 – 18:30

Por Agência Brasil Brasília O dólar norte-americano iniciou o mês de junho em queda. O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (3), vendido a R$ 3,889, com recuo de R$ 0,035 (-0,9%). Abaixo de R$ 3,90 pela primeira vez em quase 50 dias, a divisa está no menor nível desde 15 de abril (R$ 3,869).

O dólar comercial abriu com pequena alta, mas caiu nas horas seguintes. Na mínima do dia, por volta das 15h, chegou a ser vendido a R$ 3,885. Nas últimas semanas, a moeda norte-americana enfrentou fortes oscilações, tendo atingido R$ 4,10 em 20 de maio.

No mercado de ações, o dia foi de tranquilidade. O índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), fechou esta segunda praticamente estável, com queda de 0,01%, aos 97.020 pontos. Edição: Nádia Franco Tags: Bolsa de Valoresdólar

Dólar fecha em R$ 3,92 e tem maior recuo semanal em quatro meses

dólares

Marcello Casal Jr./Agência Brasil      Economia


Bolsa de valores sobe 3,63% na semana e aproxima-se de recorde

Publicado em 31/05/2019 – 19:17

Por Wellton Máximo Brasília

Depois de muita volatilidade durante o mês, a moeda norte-americana encerrou maio praticamente estável em relação a abril. Nesta sexta-feira (31), o dólar comercial encerrou a sessão vendido a R$ 3,924, com forte queda de R$ 0,055 (-1,37%). A cotação está no menor valor desde 30 de abril (R$ 3,923).

Com o desempenho de hoje, o dólar fechou a semana com queda de 2,28% e acumulou valorização de apenas 0,04%. Este mês caracterizou-se pela volatilidade nas cotações. Nas últimas duas semanas, a divisa superou a barreira dos R$ 4, o que não ocorria desde outubro do ano passado.

O dia também foi de ganhos no mercado de ações. O Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), fechou esta sexta-feira com alta de 0,44%, aos 97.030 pontos. O indicador acumula valorização de 3,63% na semana e encerrou o mês com alta de 0,7%. Essa foi a primeira vez desde 2008 que o Ibovespa registra ganhos no mês de maio.

Saiba mais

Edição: Liliane Farias Tags: dólarIbovespaBolsa de Valores

Dólar cai para R$ 3,97 e fecha no menor valor em duas semanas

Dólares

Arquivo/Agência Brasil      Economia


Bolsa encerrou no melhor nível em quase dois meses

Publicado em 29/05/2019 – 19:03

Por Da Agência Brasil Brasília

Num dia de alívio no mercado financeiro, a moeda norte-americana caiu e fechou abaixo de R$ 4 pela primeira vez em quase duas semanas. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (29) vendido a R$ 3,976, com recuo de R$ 0,048 (-1,19%). Esse foi o menor valor de fechamento desde 14 de maio (R$ 3,975).

No mercado de ações, o dia foi de tranquilidade. O Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou a sessão com alta de 0,18%, aos 96.566 pontos. Essa foi a terceira alta seguida do índice, que está no maior nível desde 8 de abril, quando tinha atingido 97.369 pontos.

O otimismo no mercado financeiro ocorre um dia depois de o Senado aprovar a medida provisória da reforma administrativa, que reduziu o número de ministérios, mantendo o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Economia. A alta também ocorre no dia seguinte à assinatura de um pacto entre o presidente Jair Bolsonaro e os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; do Senado, Davi Alcolumbre, e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.  Edição: Fábio Massalli Tags: dólarIbovespaB3

Dólar tem maior queda diária em quatro meses e fecha a R$ 4,04

dólares

Marcello Casal Jr./Agência Brasil      Economia


Bolsa sobe mais de 2% pelo segundo dia seguido

Publicado em 21/05/2019 – 18:42

Por Wellton Máximo Brasília

Num dia de reposição de perdas no mercado financeiro, a moeda norte-americana teve forte queda, e a bolsa de valores subiu. O dólar comercial encerrou esta terça-feira (21) vendido a R$ 4,048, com queda de R$ 0,057 (-1,39%). Esse foi o maior recuo diário desde 31 de janeiro, quando a divisa tinha caído 1,77%.

No mercado de ações, o dia foi de euforia. Em alta pelo segundo dia seguido, o Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), subiu 2,76%, aos 94.484 pontos. Essa foi a maior alta diária desde 11 de março (+2,79%). Ontem (20), o índice tinha subido subiu 2,17% depois de uma sequência de quedas que fez o Ibovespa fechar no menor nível do ano.

Pelo segundo dia seguido, o Banco Central (BC) vendeu dólares das reservas internacionais, no chamado leilão de linha. O órgão injetou US$ 1,25 bilhão no mercado de câmbio com compromisso de recomprar o dinheiro mais tarde. Amanhã (22), o BC repetirá a operação.

Também hoje, a agência de classificação de risco Fitch manteve a nota da dívida pública brasileira, com perspectiva estável (sem a possibilidade de alterar a classificação nos próximos meses). O país continua três notas abaixo do grau de investimento – garantia de que o país não corre o risco de não conseguir pagar a dívida pública.

Saiba mais

Edição: Liliane Farias Tags: dólarmercado financeirorisco Brasil

Dólar supera R$ 4,10 e fecha no maior valor em oito meses

dólares

Marcello Casal Jr./Agência Brasil      Economia


Bolsa encerrou praticamente estável

Publicado em 17/05/2019 – 19:06

Por Wellton Máximo Brasília

Em um dia de tensões no mercado de câmbio, a moeda norte-americana voltou a subir. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (17) vendido a R$ 4,102, com alta de R$ 0,065 (+1,62%). A divisa está no maior valor desde 19 de setembro (R$ 4,124).

O dólar operou em alta durante toda a sessão. A moeda abriu em R$ 4,05, mas disparou ao longo do dia até encerrar próximo do valor máximo. Somente na semana, a cotação subiu 4%.

Na bolsa de valores, o dia foi mais calmo. Depois de operar em alta por boa parte do dia, o Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), fechou praticamente estável, com recuo de 0,04%, aos 89.993 pontos. O indicador está no menor nível desde 28 de dezembro (87.887 pontos). A bolsa acumulou perda de 4,52% nesta semana.

A semana foi marcada pela revisão para baixo do crescimento da economia brasileira. Na quarta-feira (15), o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que funciona como uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país), encolheu 0,68% no primeiro trimestre de 2019 contra o último trimestre de 2018.

No cenário externo, a tensão comercial entre Estados Unidos e China dominou as preocupações. Os dois países atravessam uma escalada de tensões comerciais, após os Estados Unidos terem sobretaxado produtos chineses em US$ 200 bilhões na última semana. Na segunda-feira (13), o país asiático informou que aplicarão tarifas sobre US$ 60 bilhões em mercadorias norte-americanas a partir de junho.

Saiba mais

Edição: Liliane Farias Tags: dólarcâmbiomercado financeiroIbovespa

Dólar volta a encostar em R$ 4 e fecha no maior valor em sete meses

Dólares

Arquivo/Agência Brasil      Economia


Bolsa caiu 0,51%, em dia de nervosismo no mercado financeiro

Publicado em 15/05/2019 – 18:19

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil Brasília

Em um dia de tensões no mercado financeiro, a bolsa de valores caiu e a moeda norte-americana fechou no maior nível em sete meses. O dólar comercial no encerramento desta quarta-feira (15) foi vendido a R$ 3,996, com alta de R$ 0,02 (0,51%). Esse foi o maior valor de fechamento desde 1º de outubro, semana do primeiro turno das eleições, quando a cotação tinha atingido R$ 4,018.

Pela manhã, o dólar comercial ultrapassou a barreira de R$ 4. Na máxima do dia, por volta das 10h, chegou a ser vendido a R$ 4,02. No início da tarde, a cotação desacelerou, ficando em torno de R$ 3,99.

Ibovespa

O nervosismo também refletiu-se no mercado de ações. O Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou o dia com queda de 0,51% aos 91.623 pontos. Esse é o nível mais baixo em quatro meses e meio, desde 3 de janeiro. Na ocasião, o indicador tinha encerrado em 91.564 pontos.

Num dia de protestos contra o contingenciamento (bloqueio) de verbas na educação, o mercado financeiro também prestou atenção à divulgação do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). O indicador, que funciona como uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país), encolheu 0,68% no primeiro trimestre de 2019 contra o último trimestre de 2018.

Cenário externo

No cenário externo, as vendas no comércio nos Estados Unidos caíram 0,2% em abril. Paralelamente, as vendas e a produção industrial na China registraram desaceleração. Os dois países atravessam uma escalada de tensões comerciais, após os Estados Unidos terem sobretaxado produtos chineses em US$ 200 bilhões.

No início da semana, o país asiático informou que aplicarão tarifas sobre US$ 60 bilhões em mercadorias norte-americanas a partir de junho. Edição: Fernando Fraga Tags: dólarcâmbioIbovespamercado financeiroB3

Dólar encosta em R$ 4 e fecha no maior valor em sete meses

DólaresArquivo/Agência Brasil

Bolsa interrompeu sequência de três altas e fechou em queda

Publicado em 24/04/2019 – 18:30

Por Da Agência Brasil Brasília

Num dia de tensões no mercado financeiro, a moeda norte-americana encostou em R$ 4 e fechou no maior valor em sete meses. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (24) vendido a R$ 3,986, com alta de R$ 0,064 (+1,63%).

Essa foi a maior cotação de fechamento desde 1º de outubro do ano passado (R$ 4,018). A divisa também registrou a maior alta diária desde 27 de março, quando tinha subido 2,27%.

A turbulência também foi sentida no mercado de ações. O Ibovespa, principal índice da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), fechou o dia em queda de 0,92%, aos 95.045 pontos. O indicador interrompeu uma série de três altas seguidas.

O dólar subiu e a bolsa caiu no dia seguinte à aprovação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara . Agora, a proposta vai para a Comissão Especial , onde a retirada de pontos pode reduzir a economia prevista de R$ 1,1 trilhão em dez anos. Hoje, foi divulgado que 43,1 mil postos formais de trabalho foram fechados em março, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O cenário externo também influenciou as negociações. O dólar subiu em todo o planeta em meio a preocupações com o Brexit, processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Edição: Fábio Massalli

Dólar fecha no maior valor em três semanas

dólarArquivo/Agência Brasil

Bolsa caiu 1,11% em dia tenso no mercado

Publicado em 17/04/2019 – 18:45

Por Da Agência Brasil Brasília

Num dia de tensões no mercado financeiro, a moeda norte-americana fechou no maior valor em três semanas e a bolsa de valores caiu. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (17) vendido a R$ 3,934, com alta de R$ 0,033 (0,83%). A divisa está no nível mais alto desde 27 de março (R$ 3,955).

Essa foi a segunda alta consecutiva do dólar. No mercado de ações, o Ibovespa (principal índice da B3, antiga Bolsa de Valores de São Paulo) fechou em queda de 1,11%, aos 93.285 pontos. O indicador interrompeu uma sequência de duas altas seguidas.

Nos primeiros minutos de negociações, o dólar operava com pequena queda, e a bolsa estava em alta. O movimento inverteu-se após a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara encerrar a sessão sem votar o parecer sobre a reforma da Previdência, adiando a votação para a próxima semana.

Edição: Fábio Massalli

Bolsa fecha com queda de 1,98%; dólar tem alta de 0,83%

DólaresArquivo/Agência Brasil

Publicado em 12/04/2019 – 19:49

Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil Brasília

A Bolsa de Valores fechou esta sexta-feira (12) com baixa de 1,98%, com 92.875 pontos. Na abertura do mercado, a Bolsa registrava 94.682 pontos. Logo caiu para baixo dos 93.500 pontos, em seguida retomou o fôlego mas, no início da tarde, registrou forte queda e não se recuperou até seu fechamento. O dólar comercial fechou em alta de 0,835%, valendo R$ 3,8892.

Um dos responsáveis pela queda na bolsa foi o desempenho da Petrobras. A estatal registrou queda de 8,54% após o presidente Jair Bolsonaro determinar a suspensão do aumento do diesel. O presidente disse que quer entender os motivos do reajuste de 5,7% no combustível.

“Eu não vou ser intervencionista, não vou praticar a política que fizeram no passado, mas eu quero os números da Petrobras. Tanto é que na terça-feira convoquei todos da Petrobras para me esclarecer porque 5,7% de reajuste, quando a inflação projetada para este ano está abaixo de 5%. Só isso, mais nada. Se me convencerem, tudo bem”, disse o presidente hoje, em Macapá.

Apesar de negar que está intervindo nos preços, o mercado costuma reagir mal quando o governo interfere diretamente em uma estatal competitiva como a Petrobras. As ações da empresa iniciaram o dia valendo R$ 30,23; chegaram a valer R$ 30,52, mas encerraram o dia valendo R$ 29,13.

A maior alta foi registrada pela JBS. Suas ações tiveram alta de 4,44% e encerraram o dia valendo R$ 17,64.

 

Edição: Fábio Massalli

Saída de dólares do país supera entrada em US$ 4,2 bilhões em março

dólaresArquivo/Agência Brasil

Publicado em 03/04/2019 – 13:05

Por Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil Brasília

O saldo de entrada e saída de dólares do país ficou negativo em março. As saídas superaram as entradas em US$ 4,237 bilhões, informou hoje (3) o Banco Central (BC).

Esse é o primeiro saldo negativo do ano, após janeiro e fevereiro registrarem entradas de dólares maiores que as saídas: US$ 55 milhões e US$ 8,626 bilhões, respectivamente. Nos três meses do ano, o fluxo cambial ficou positivo em US$ 4,444 bilhões.

Em março, o fluxo financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações) registrou saldo negativo de US$ 7,101 bilhões e o comercial (operações de câmbio relacionadas a exportações e importações) teve saldo positivo de US$ 2,863 bilhões.

Edição: Juliana Andrade