Universidades de SP esperam definição do Enem para resolver vestibular

USP e Unesp mantiveram a posição de aguardar a definição da nova data do Enem para decidirem sobre vestibulares
06/06/2020 20:00 – Estadão Conteúdo – Correio do Estado

Mesmo com o anúncio de mudanças no vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) devido à pandemia do novo coronavírus, a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) mantiveram a posição de aguardar a definição da nova data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que foi adiado pelo Ministério da Educação, para avaliar o adiamento de suas provas.

Nesta sexta-feira, 5, a Unicamp comunicou que a primeira fase do vestibular 2021 será realizada em janeiro e a segunda, em fevereiro. Além disso, o exame terá 72 questões, não mais 90, e os estudantes terão, no máximo, quatro horas para completá-lo, em vez das cinco anteriores. Procurada nesta sexta, a Unesp disse ainda estudar “medidas para adequação da realização do seu vestibular à nova realidade em que vivemos, entre as quais o seu possível adiamento”.

A diretora executiva da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), Belmira Oliveira Bueno, afirmou que “o calendário da Fuvest (principal exame de ingresso na USP) está sujeito a revisões, mas consideramos prematuro definir novas datas”. Ela afirma que a fundação também aguarda desfecho sobre as novas datas do Enem, mas, enquanto isso, a equipe tem se “dedicado a analisar e prever como as provas poderão ser viabilizadas, levando em conta as normas estabelecidas pelo governo de São Paulo e as recomendações das autoridades sanitárias”.

Entre as medidas previstas estão aumentar o número de locais onde as provas serão realizadas a fim de garantir o distanciamento social, estimular os candidatos a usarem máscaras durante o exame e disponibilizar sabonete líquido em todos os banheiros dos locais de provas, bem como álcool aos candidatos e profissionais que irão atuar diretamente na aplicação dos testes

Estudo a distância exige foco, dizem professores de cursinho

Apesar de o anúncio da Unicamp ter surpreendido e sido visto como uma atitude antecipada, diretores de cursinhos pré-vestibular ouvidos pelo Estadão veem o adiamento dos vestibulares e do Enem com bons olhos. Ter mais tempo para que os estudantes se preparem é um fator positivo unânime, mas eles orientam que os candidatos devem continuar estudando, não parar com a perspectiva de que poderão recuperar conteúdos adiante.

Ensino superior

Professores de cursinhos pré-vestibular orientam que estudantes mantenham rotina de estudos apesar de incertezas sobre datas das provas. Foto: JF Diório/Estadão

“O que muda é que o curso vai ter de se adaptar para oferecer simulados que sejam compatíveis com os novos modelos de prova. Até agora, a gente não tinha nenhum formato de prova novo, a Unicamp é o primeiro. Contudo, tem de aguardar possíveis mudanças no formato de prova do Enem, Fuvest e Unesp”, aponta Daniel Perry, diretor do Anglo Vestibulares. Ele avalia que adiar a prova para janeiro é bom porque, possivelmente, a situação da pandemia estará mais sob controle.

Para Edmilson Motta, coordenador geral do Grupo Etapa, o que mudou mesmo na preparação dos alunos para os vestibulares foi a própria pandemia. “Você ter de estudar à distância exige um tipo de foco, dedicação e rotina bem diferentes, demanda muito mais esforço de autonomia do que a rotina de aulas de ir para a escola ou cursinho”, afirma.

Manter rotina na quarentena é desafio

A barista Midori Martins, de 26 anos, está fazendo cursinho online com a meta de cursar Letras na USP. Para ela, a incerteza se a Fuvest será adiada não interfere no planejamento de estudos, porque está com o foco no aprendizado. “Estudar está sendo um ponto de equilíbrio psicológico, de ter uma meta. Estudar está sendo bom no sentido de que tenho um norte”, afirma “Não estou com essa ansiedade de saber datas, porque a gente está em uma situação tão surreal que não tem como você ficar querendo que as coisas aconteçam da forma normal.”

Já o estudante Gabriel Alves, de 21 anos, sente que essas indefinições de datas das provas atrapalham. Morador da Vila Inglesa, periferia de São Paulo, ele já enfrenta dificuldades com a falta de um computador para seguir com as aulas. “Não tenho mais o tempo e o cronograma que tinha antes da pandemia, e a necessidade de criar outro foi extremamente urgente. Mesmo assim, ainda não consigo ter um retorno bom, já que tive de ‘me virar nos 30’ e tentar usar o pouco recurso que tenho para acompanhar os alunos do cursinhos”, relata o jovem, que pretende cursar Medicina na USP.

Por causa das medidas de distanciamento social, os cursinhos também adotaram aulas online, gravadas ou ao vivo, o que, segundo os diretores, vai permitir aos alunos manter a preparação para os vestibulares. Porém, Gilberto Alvarez, diretor do Cursinho da Poli, observa que os estudantes que usam a plataforma lançada pelo governo estadual para continuidade das aulas estão com sobrecarga de conteúdos. “Isso atrapalha o planejamento deles de estudo. Na soma, a carga está sendo maior para quem tem acesso à internet”, diz.

Outra medida anunciada pela Unicamp, e cogitada também pela Unesp, é preparar as provas dos vestibular com maior ênfase nos conteúdos do 1º e 2º anos do Ensino Médio, uma vez que alunos do 3º ano enfrentam dificuldades em 2020 para acompanhar as aulas. “Não sei se isso vai fazer a prova ser mais fácil, mas não dá para contar que a prova será mais fácil porque esse período de isolamento, de fato, está gerando desigualdade muito grande”, diz Alvarez.

Essa também é uma preocupação do diretor e professor do Cursinho Maximize, Tony Manzi. “Se as escolas estão padronizadas, na teoria é legal, mas as escolas não são padronizadas. Escola particular pega conteúdo do 3º (ano do Ensino Médio) e condensa nos dois primeiros anos e o ‘terceirão’ é uma revisão de conteúdo. As escolas públicas não têm isso de ‘terceirão’. Na verdade, acredito eu, a Unicamp deve abrir um pouco mais os olhos para as escolas públicas e vai ter de divulgar novo edital para dizer qual conteúdo vai cortar”, diz ele. Para Alvarez, prorrogar a prova para janeiro “não é suficiente”, porque não há indícios de que haverá equidade para os estudantes.

Vestibular on-line

A Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) também decidiu mudar o formato e a data do vestibular. O exame será on-line e ocorrerá em 14 de junho, com 36 questões e uma redação. Já a Universidade Presbiteriana Mackenzie, campus Campinas, manteve o vestibular em 18 de julho, sendo que as provas serão aplicadas em um único dia no próprio campus da instituição.Mesmo com o anúncio de mudanças no vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) devido à pandemia do novo coronavírus, a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) mantiveram a posição de aguardar a definição da nova data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que foi adiado pelo Ministério da Educação, para avaliar o adiamento de suas provas.

Nesta sexta-feira, 5, a Unicamp comunicou que a primeira fase do vestibular 2021 será realizada em janeiro e a segunda, em fevereiro. Além disso, o exame terá 72 questões, não mais 90, e os estudantes terão, no máximo, quatro horas para completá-lo, em vez das cinco anteriores. Procurada nesta sexta, a Unesp disse ainda estudar “medidas para adequação da realização do seu vestibular à nova realidade em que vivemos, entre as quais o seu possível adiamento”.

A diretora executiva da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), Belmira Oliveira Bueno, afirmou que “o calendário da Fuvest (principal exame de ingresso na USP) está sujeito a revisões, mas consideramos prematuro definir novas datas”. Ela afirma que a fundação também aguarda desfecho sobre as novas datas do Enem, mas, enquanto isso, a equipe tem se “dedicado a analisar e prever como as provas poderão ser viabilizadas, levando em conta as normas estabelecidas pelo governo de São Paulo e as recomendações das autoridades sanitárias”.

Entre as medidas previstas estão aumentar o número de locais onde as provas serão realizadas a fim de garantir o distanciamento social, estimular os candidatos a usarem máscaras durante o exame e disponibilizar sabonete líquido em todos os banheiros dos locais de provas, bem como álcool aos candidatos e profissionais que irão atuar diretamente na aplicação dos testes

Estudo a distância exige foco, dizem professores de cursinho

Apesar de o anúncio da Unicamp ter surpreendido e sido visto como uma atitude antecipada, diretores de cursinhos pré-vestibular ouvidos pelo Estadão veem o adiamento dos vestibulares e do Enem com bons olhos. Ter mais tempo para que os estudantes se preparem é um fator positivo unânime, mas eles orientam que os candidatos devem continuar estudando, não parar com a perspectiva de que poderão recuperar conteúdos adiante.

Ensino superior

Professores de cursinhos pré-vestibular orientam que estudantes mantenham rotina de estudos apesar de incertezas sobre datas das provas. Foto: JF Diório/Estadão

“O que muda é que o curso vai ter de se adaptar para oferecer simulados que sejam compatíveis com os novos modelos de prova. Até agora, a gente não tinha nenhum formato de prova novo, a Unicamp é o primeiro. Contudo, tem de aguardar possíveis mudanças no formato de prova do Enem, Fuvest e Unesp”, aponta Daniel Perry, diretor do Anglo Vestibulares. Ele avalia que adiar a prova para janeiro é bom porque, possivelmente, a situação da pandemia estará mais sob controle.

Para Edmilson Motta, coordenador geral do Grupo Etapa, o que mudou mesmo na preparação dos alunos para os vestibulares foi a própria pandemia. “Você ter de estudar à distância exige um tipo de foco, dedicação e rotina bem diferentes, demanda muito mais esforço de autonomia do que a rotina de aulas de ir para a escola ou cursinho”, afirma.

Manter rotina na quarentena é desafio

A barista Midori Martins, de 26 anos, está fazendo cursinho online com a meta de cursar Letras na USP. Para ela, a incerteza se a Fuvest será adiada não interfere no planejamento de estudos, porque está com o foco no aprendizado. “Estudar está sendo um ponto de equilíbrio psicológico, de ter uma meta. Estudar está sendo bom no sentido de que tenho um norte”, afirma “Não estou com essa ansiedade de saber datas, porque a gente está em uma situação tão surreal que não tem como você ficar querendo que as coisas aconteçam da forma normal.”

Já o estudante Gabriel Alves, de 21 anos, sente que essas indefinições de datas das provas atrapalham. Morador da Vila Inglesa, periferia de São Paulo, ele já enfrenta dificuldades com a falta de um computador para seguir com as aulas. “Não tenho mais o tempo e o cronograma que tinha antes da pandemia, e a necessidade de criar outro foi extremamente urgente. Mesmo assim, ainda não consigo ter um retorno bom, já que tive de ‘me virar nos 30’ e tentar usar o pouco recurso que tenho para acompanhar os alunos do cursinhos”, relata o jovem, que pretende cursar Medicina na USP.

Por causa das medidas de distanciamento social, os cursinhos também adotaram aulas online, gravadas ou ao vivo, o que, segundo os diretores, vai permitir aos alunos manter a preparação para os vestibulares. Porém, Gilberto Alvarez, diretor do Cursinho da Poli, observa que os estudantes que usam a plataforma lançada pelo governo estadual para continuidade das aulas estão com sobrecarga de conteúdos. “Isso atrapalha o planejamento deles de estudo. Na soma, a carga está sendo maior para quem tem acesso à internet”, diz.

Outra medida anunciada pela Unicamp, e cogitada também pela Unesp, é preparar as provas dos vestibular com maior ênfase nos conteúdos do 1º e 2º anos do Ensino Médio, uma vez que alunos do 3º ano enfrentam dificuldades em 2020 para acompanhar as aulas. “Não sei se isso vai fazer a prova ser mais fácil, mas não dá para contar que a prova será mais fácil porque esse período de isolamento, de fato, está gerando desigualdade muito grande”, diz Alvarez.

Essa também é uma preocupação do diretor e professor do Cursinho Maximize, Tony Manzi. “Se as escolas estão padronizadas, na teoria é legal, mas as escolas não são padronizadas. Escola particular pega conteúdo do 3º (ano do Ensino Médio) e condensa nos dois primeiros anos e o ‘terceirão’ é uma revisão de conteúdo. As escolas públicas não têm isso de ‘terceirão’. Na verdade, acredito eu, a Unicamp deve abrir um pouco mais os olhos para as escolas públicas e vai ter de divulgar novo edital para dizer qual conteúdo vai cortar”, diz ele. Para Alvarez, prorrogar a prova para janeiro “não é suficiente”, porque não há indícios de que haverá equidade para os estudantes.

Vestibular online

A Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) também decidiu mudar o formato e a data do vestibular. O exame será online e ocorrerá em 14 de junho, com 36 questões e uma redação. Já a Universidade Presbiteriana Mackenzie, campus Campinas, manteve o vestibular em 18 de julho, sendo que as provas serão aplicadas em um único dia no próprio campus da instituição.

Vestibulares ainda não tiveram data definida – Divulgação

Coleta de dados do Censo da Educação Superior termina na sexta-feira


© Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Participação é requisito para adesão a programas como o Prouni

Publicado em 02/06/2020 – 10:02 Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Termina na próxima sexta-feira (5) o prazo para a coleta de dados do Censo da Educação Superior (Censup) 2019. A declaração deve ser feita por todas as instituições brasileiras de ensino, públicas e privadas, que ofertam cursos de graduação e cursos sequencias de formação específica.

O Sistema Censup], do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), está disponível para preenchimento dos dados desde 20 de janeiro. Devidos às restrições impostas pela pandemia de covid-19, em abril o Inep prorrogou o prazo para coleta de dados.

Durante o período de preenchimento do questionário, os pesquisadores institucionais (PIs) podem fazer, a qualquer momento, alterações ou inclusões necessárias nos dados das respectivas instituições. Após o período de coleta de dados, há uma fase de conferência e validação dos dados pelo Inep, em colaboração com os pesquisadores institucionais.

O Censup, então, é finalizado, os dados são divulgados e a Sinopse Estatística é publicada. Depois disso não pode mais haver alteração nas informações, pois passam a ser estatísticas oficiais.

O Censo da Educação Superior reúne informações sobre as instituições, cursos e vagas oferecidas, matrículas, ingressantes e concluintes e informações sobre docentes nas diferentes formas de organização acadêmica e categoria administrativa. A participação das instituições de ensino no Censo é requisito para adesão a programas do Ministério da Educação, como o Programa Universidade para Todos (Prouni), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e as bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O Censup ainda subsidia o planejamento e a avaliação de políticas públicas, além de contribuir no cálculo de indicadores de qualidade.

Edição: Maria Claudia

Una realiza Vestibular Digital no dia 30 de maio, com bolsas de até 100%

A prova será on-line em todas as unidades de Minas Gerais

O vestibular online é a solução para estudantes e universidades em meio ao cenário desafiador causado pela Covid-19. Assim como a internet é a principal fonte de estudo nesse momento, a plataforma digital também oferece a chance de seguir com o sonho do ensino superior ainda em 2020.

A Una permanece cumprindo o calendário letivo normalmente, com suas aulas em ambiente digital, ao vivo, nos mesmos horários e com os mesmos professores habituais, mantendo  o compromisso com a educação e a formação de qualidade.

O vestibular online será no dia 30 de maio, às 14h. A Una oferecerá bolsas de estudo de 50% e 100% para todo o curso para os primeiros colocados e não haverá taxa de inscrição.

Para garantir a transparência na aplicação da prova, a plataforma usada para o concurso conta com mecanismo de câmera para acompanhar a realização do teste para cada candidato.

Serviço:

Vestibular Digital Una

Data: 30 de maio (sábado)

Horário: 14h

Taxa de inscrição isenta

Mais informações e inscrições: una.br/vestibular/

Izabela Ferreira

Relacionamento com a Imprensa

Rede Comunicação de Resultado

(31) 2537-5731 – 99835-6427

www.redecomunicacao.com

Sisu oferecerá bolsas de estudo de ensino a distância

© Agência Brasil

As vagas são oferecidas com base nas notas do Enem

Publicado em 25/05/2020 – 16:20 Por Agência Brasil – Brasília

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ofertará, a partir do segundo semestre, bolsas de estudo para cursos de ensino a distância (EaD). A nova modalidade de oferta foi publicada em portaria no Diário Oficial da União hoje (25). O Sisu oferta vagas em instituições públicas de ensino superior com base nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A portaria determina ainda que as instituições de ensino superior devem disponibilizar um meio digital para que o estudante entregue a documentação necessária para a matrícula. Além disso, as instituições devem publicar na internet a lista de espera por curso, turno e modalidade de concorrência, assim como a sistemática adotada para convocação dos candidatos.

Adesão

O Ministério da Educação (MEC) já divulgou o cronograma para adesão das instituições de educação superior públicas ao processo seletivo do segundo semestre do Sisu. O prazo de adesão vai de hoje (25) até a sexta-feira (29), às 23h59. Já o prazo de retificação do termo de adesão tem iníco no dia 1º de junho e se encerra 5 de junho, às 23h59.

Edição: Fernando Fraga

Começa prazo para instituições de ensino superior aderirem ao Sisu

© Agência Brasil

Período de adesão ficará aberto até as 23h59 de 29 de maio

Publicado em 25/05/2020 – 09:21 Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Instituições de ensino superior públicas e gratuitas que quiserem oferecer vagas para seus cursos de graduação por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para o segundo semestre de 2020, poderão aderir ao programa a partir desta segunda-feira (25). O período de adesão ficará aberto até as 23h59 de 29 de maio. Já o prazo para retificação do termo de adesão será de 1º a 5 de junho. O processo seletivo usa as notas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) como critério de classificação.

Os estudantes interessados em concorrer a uma vaga em uma universidade ou instituto público poderão consultar os cursos e o número de vagas que serão disponibilizados por cada instituição participante.Os interessados poderão fazer as inscrições para o Sisu 2020 entre os dias 16 e 19 de junho.

O Sisu é o único programa do governo federal para acesso de brasileiros a um curso de graduação em universidades públicas do país. As vagas são abertas semestralmente e para participar é preciso ter feito as provas do Enem 2019 e não ter zerado a redação. Também é preciso ter garantido um bom desempenho nas provas objetivas.

Edição: Graça Adjuto

Governo prorroga prazo de inscrição do Enem até dia 27

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Medida foi anunciada pelo ministro da Educação pelo Twitter

Publicado em 22/05/2020 – 14:09 Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil – Brasília

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou a prorrogação do prazo de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 para a próxima quarta-feira (27). Pelo calendário inicial, as data limite para os estudantes se inscreverem era hoje (22).

Abraham Weintraub @AbrahamWeint

Decidimos prorrogar o prazo das inscrições do Enem até 23h59 de quarta-feira, 27 de maio. Os boletos da taxa da prova poderão ser pagos até 28/05. Os candidatos devem ficar atentos à confirmação da inscrição na Página do Participante, do @inep_oficial. 4.002 13:26 – 22 de mai de 2020Informações e privacidade no Twitter Ads 1.042 pessoas estão falando sobre isso

As inscrições começaram no último dia 11 e podem ser feitas por meio da página do Enem na internet.

De acordo com Weintraub, mais de cinco milhões de estudantes já se inscreveram para a prova até a manhã desta sexta-feira (22). “Como já anunciei, os candidatos inscritos serão ouvidos, em junho, pela Página do Participante, do Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira]. Eles, os interessados, vão escolher quando fazer a prova”, explicou o ministro, em outra publicação no Twitter.

Na quarta-feira (20), o Ministério da Educação anunciou o adiamento do Enem por algo entre 30 a 60 dias, em razão dos impactos ocasionados na sociedade pela pandemia de covid-19. As provas impressas estavam previstas para serem aplicadas em 1º e 8 de novembro e as provas do Enem digital para os dias 22 e 29 de novembro.

A estrutura dos dois exames será a mesma. Serão aplicadas quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e uma redação em língua portuguesa. A redação será manuscrita, em papel, nas duas modalidades. Durante o processo de inscrição, o participante deverá selecionar uma opção de língua estrangeira – inglês ou espanhol.

Neste ano, será obrigatória a inclusão de uma foto atual do participante no sistema de inscrição, que deverá ser utilizada para procedimento de identificação no momento da prova. O valor da taxa de inscrição é de R$ 85 e deverá ser pago até 28 de maio.

Quem tem direito à gratuidade da taxa de inscrição, por se enquadrar nos perfis previstos nos editais do Enem, terá a isenção automática, a partir da análise dos dados declarados no sistema. A regra se aplica, inclusive, aos isentos em 2019 que faltaram aos dois dias de prova e não tenham justificado ausência. De acordo com o Inep, a medida beneficia quem teve dificuldades em realizar a solicitação de isenção devido às restrições impostas pelo isolamento social decretado em razão da pandemia de covid-19.

Edição: Aline Leal

MEC divulga cronograma para adesão das instituições ao Sisu

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

Sistema usa notas do Enem para ingresso de estudantes na educação superior pública

O Ministério da Educação publicou nesta quarta-feira, 20 de maio, o cronograma para a adesão das instituições de educação superior públicas e gratuitas ao processo seletivo do segundo semestre do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Confira o período de adesão ao programa no segundo semestre:

  • adesão: de 25 de maio de 2020 até as 23h59 de 29 de maio;
  • retificação do termo de adesão: de 1º de junho de 2020 até as 23h59 de 5 de junho.

As datas estão em portaria publicada na edição desta quarta-feira do Diário Oficial da União (DOU).

O ministério já havia divulgado as datas para inscrição: de 16 a 19 de junho. À época, também foram informados os dias para pleitear participação no Programa Universidade para Todos (Prouni) e no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies): de 23 a 26 de junho e de 30 de junho a 3 de julho, respectivamente. 

O programa – O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação, no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). Os candidatos com melhor classificação são selecionados de acordo com suas notas no exame.

MEC

Inscrições para o Enem terminam nesta sexta-feira

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Datas das provas foram adiadas pelo MEC

Publicado em 22/05/2020 – 05:34 Por Agência Brasil – Brasília

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 terminam às 23h59 desta sexta-feira (22). As provas, entretanto, foram adiadas na quarta-feira (20) por 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto inicialmente no edital, por determinação do Ministério da Educação.Ontem (21), segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, mais de 4, 3 milhões de estudantes tinham feito a inscrição para participar desta edição do Enem.

Neste ano, o Inep também oferecerá o Enem Digital, porém, desde a semana passada, as 101,1 mil vagas ofertadas para a versão informatizada do exame já haviam se esgotado. A aplicação do Enem Digital será em laboratórios de informática, em diversas faculdades brasileiras, e o candidato receberá um cartão de confirmação da inscrição no exame, com o endereço da faculdade e o laboratório de informática onde fará a prova, sob supervisão de fiscais.

Inscrições

Para evitar erros na hora da inscrição, o Inep recomenda que todos os participantes façam o procedimento com calma. O aluno deve, por exemplo, verificar cuidadosamente as informações declaradas, pois, após a conclusão, algumas não poderão ser modificadas.

Os dados que constam na Receita Federal (nome, nome da mãe e data de nascimento) devem ser os mesmos declarados por quem vai fazer o Enem. Quando há divergência, o sistema informa que o participante precisa fazer a correção no órgão. A inscrição poderá ser concluída apenas após a atualização dos dados na Receita.

O participante que já concluiu a inscrição tem a oportunidade de fazer modificações em alguns itens do sistema do Enem, mas somente ao final do prazo de inscrições.

Os inscritos que se enquadram nos requisitos apresentados nos editais como beneficiários da gratuidade da taxa de inscrição ficarão isentos sem a necessidade de um pedido formal. Para os demais, a taxa de R$ 85 deve ser paga até 28 de maio, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU), gerada ao final da inscrição.

Nova data

Nos próximos dias, o Inep fará uma consulta aos inscritos para definir novas datas para o exame, que estava previsto para os dias 1º e 8 de novembro (impresso) e 11 e 18 de novembro (digital).

Os candidatos serão convidados a responder a uma enquete na Página do Participante, para que possam manifestar sua opinião em relação ao melhor momento para realizar as provas.

As informações a respeito do Enem 2020 podem ser acompanhadas no portal do Inep e do Ministério da Educação, assim como nas redes sociais oficiais dos dois órgãos. Dúvidas relativas ao processo de inscrição podem ser sanadas pelo Fale Conosco, do Inep, por meio do autoatendimento online ou do 0800 616161 (somente chamadas de telefone fixo).

Tanto na versão impressa quanto na digital, os participantes farão provas de linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias, com 45 questões de múltipla escolha em cada área de conhecimento. A redação será manuscrita, em papel, nas duas modalidades.

Edição: Fábio Massalli

Inscrições para o Enem 2020 se encerram nesta sexta-feira

Desta vez, avaliações serão realizadas de forma presencial, com a prova impressa, e virtualmente, em todo o País.

Campo Grande (MS) – As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se encerram nesta sexta-feira (22.05) em todo o País. Para garantir a participação na edição de 2020 da avaliação, os estudantes devem acessar a página do participante, no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), e seguir os passos para o preenchimento dos formulários de inscrição até as 23 horas e 59 minutos do dia 22 de maio (horário de Brasília).

A partir deste ano o Enem terá duas modalidades de provas, as impressas, com aplicação prevista – inicialmente – para os dias 1º e 8 de novembro, e as digitais, para os dias 22 e 29 de novembro. Para a realização do Enem digital, foram disponibilizadas 2.000 (duas mil) vagas para Mato Grosso do Sul, sendo 1.800 (um mil e oitocentas) para Campo Grande e 200 (duzentas) para Dourados. 

A estrutura dos dois exames continua a mesma. Serão aplicadas quatro provas objetivas, por área de conhecimento, constituídas por 45 questões cada, e uma redação. Durante o processo de inscrição, o participante deverá selecionar uma opção de língua estrangeira – inglês ou espanhol.

Ressalta-se, ainda, que o Inep vai garantir a gratuidade da taxa de inscrição a todos os participantes que se enquadrarem nos perfis especificados nos editais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mesmo sem o pedido formal dos inscritos.

A regra vale tanto para os participantes que optarem pelo Enem impresso quanto para os que escolherem o Enem digital e se aplica, inclusive, aos isentos em 2019 que faltaram aos dois dias de prova e não tenham justificado ausência. A medida está contemplada nos editais nº 33 e nº 34, de 20 de abril de 2020, publicados pelo Inep no Diário Oficial da União do dia 22 de abril de 2020.

Mudança de data

Na última terça-feira (19.05), o Ministério da Educação (MEC) anunciou que o governo vai abrir consulta direta, por meio da internet, aos candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para decidir a data de realização das provas deste ano. De acordo com o MEC, a consulta ocorrerá na Página do Participante em final de junho. A pasta estima que 5 milhões de candidatos se inscreverão para a atual edição da avaliação.

Todos os inscritos poderão escolher entre a manutenção da data das provas, o adiamento por 30 dias e a suspensão indefinida do exame deste ano por causa da pandemia de covid-19.

Informações adicionais podem ser obtidas pelo site www.inep.gov.br.

Vinícius Espíndola – Secretaria de Estado de Educação – SED
Foto: Divulgação

Sexta-feira é o último dia para se inscrever no Enem

© enem.inep.gov.br

Mais de 4 milhões de estudantes já estão inscritos

Publicado em 21/05/2020 – 10:02 Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil – Brasíia

Mesmo com o anúncio do adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, as inscrições para a prova não serão prorrogadas. O prazo termina nesta sexta-feira (22), às 23h59 . Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, mais de 4, 3 milhões de estudantes já estão inscritos para participar desta edição.

Enem Digital

Para o Enem Digital não há mais vagas. As 101,1 mil vagas oferecidas se esgotaram desde a semana passada. A prova é a versão informatizada do Enem. Em vez de cadernos de provas e cartão de respostas em papel, os participantes fazem as provas diretamente no computador.

Os candidatos não farão a prova em casa. A aplicação será em laboratórios de informática em diversas faculdades brasileiras. Nessa opção, o candidato receberá um cartão de confirmação da inscrição no Enem com o endereço da faculdade e o laboratório de informática onde fará a prova, sob supervisão dos fiscais no Enem.

Inscrições

Para evitar erros na hora da inscrição, o Inep recomenda a todos os participantes que o procedimento seja feito com calma. O aluno deve, por exemplo, verificar cuidadosamente as informações declaradas. Algumas delas não poderão ser modificadas depois da inscrição concluída.

Os dados que constam na Receita Federal (nome, nome da mãe e data de nascimento) devem ser os mesmos declarados por quem vai fazer o Enem. Quando há divergência, o sistema informa que o participante precisa fazer a correção no órgão. A inscrição poderá ser concluída apenas após a atualização dos dados na Receita.

O participante que já concluiu a inscrição tem a oportunidade de fazer modificações em alguns itens do sistema do Enem, mas somente até amanhã, antes do prazo final de inscrições.

Isenção

Os inscritos que se enquadram nos requisitos apresentados nos editais como beneficiários da gratuidade da taxa de inscrição ficarão isentos sem a necessidade de um pedido formal. Para os demais, a taxa de R$ 85 deve ser paga até 28 de maio, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU), gerada ao final da inscrição.

Nova data

Nos próximos dias , o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vai fazer uma consulta aos inscritos para definir novas datas para o exame, que estava previsto para os dias 1 e 8 de novembro (impresso) e 11 e 18 de novembro (digital). Eles serão convidados a responder uma enquete na Página do Participante para que possam manifestar sua opinião em relação ao melhor momento para realizar as provas.

Informação

As informações a respeito do Enem 2020 podem ser acompanhadas no portal do Inep e do Ministério da Educação, assim como nas redes sociais oficiais dos dois órgãos do Governo Federal. Dúvidas relativas ao processo de inscrição podem ser sanadas pelo Fale Conosco, do Inep, por meio do autoatendimento online ou do 0800 616161 (somente chamadas de telefone fixo).

Provas

Tanto na versão impressa quanto na digital, os participantes farão provas de linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias, com 45 questões de múltipla escolha em cada área de conhecimento. A redação será manuscrita, em papel, nas duas modalidades.

Edição: Fernando Fraga