Torcida apedreja ônibus do Benfica e dois jogadores ficam feridos

© reprodução / Instagram

Clube e Federação Portuguesa exigem punição imediata a agressores

Publicado em 05/06/2020 – 12:00 Por Mauricio Costa, repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

Os protestos da torcida do Benfica, após o empate de 0 a 0 com o Tondela, não ficaram apenas em reclamações no Twitter. Logo após a partida, alguns torcedores apedrejaram o ônibus da delegação benfiquista, que deixava o Estádio da Luz. Os jogadores Julian Weigl e Andrija Zivkovic foram atingidos por estilhaços de vidro das janelas do veículo e precisaram ser atendidos no Hospital da Luz.

De acordo com o jornal A Bola, além do ataque ao ônibus, torcedores também picharam com insultos as portas das casas dos atletas Pizzi e Rafa Silva, além da do técnico Bruno Lage. No caso de Pizzi, ainda há  ameaça com a frase “tas avisado”.

Nesta sexta-feira (05), Julian Weigl e Andrija Zivkovic publicaram mensagens em suas contas pessoais no Instagram condenando as ações.

Zivkovic publicou mensagem na conta dele, no Instagram, dizendo estar bem

Zivkovic publicou mensagem na conta dele, no Instagram, dizendo estar bem – Instagram / Zivkovic

Weigl escreveu: “Quero que todos saibam que estou bem. Tivemos sorte! Todos cometemos erros, mas houve uma linha que foi ultrapassada. Atirar pedras em um ônibus sem ligar se alguém vai se machucar? Eu sei que não é assim que verdadeiros torcedores do Benfica são! Especialmente estas últimas semanas e dias deveriam ter nos mostrado que a melhor solução sempre é ficarmos juntos, em vez de literalmente jogar pedras uns nos outros! Agradeço pelas amáveis mensagens e a preocupação de todos”.

Weigl publicou na conta dele no Instagram mensagem em que lamenta as agressões

Weigl publicou na conta dele no Instagram mensagem em que lamenta as agressões – Instagram / Weigl

O alemão recebeu apoio de torcedores em sua página pessoal no Instagram, a maioria ressaltando que os verdadeiros benfiquistas não compactuam com os ataques. Não é a primeira vez que Weigl sofre com ações violentas após uma partida. Em 2017, ele estava no ônibus do Borussia Dortmund que sofreu atentado com três bombas artesanais, quando a equipe seguia para enfrentar o Mônaco, pela Champions League. O clube alemão também se manifestou nas redes sociais para prestar solidariedade a seu ex-jogador.

Borussia Dortmund publicou mensagem de apoio ao jogador Weigl

Borussia Dortmund publicou mensagem de apoio ao jogador Weigl – Twitter / Borussia Dortmund

Ouça a reportagem de Mauricio Costa na Rádio Nacional: Audio Player00:0000:00Use Up/Down Arrow keys to increase or decrease volume.

O Benfica utilizou sua página oficial para repudiar os ataques sofridos. Em nota, o clube afirmou que o resultado da partida foi injusto, uma vez que os donos da casa dominaram o jogo. Contudo, reconhece que o time precisa voltar a vencer. O comunicado também classifica o apedrejamento como um ato covarde e criminoso, e exige o máximo rigor das autoridades para identificar e punir os responsáveis, chamados de “verdadeiros delinquentes que devem ser erradicados do futebol e que mancham a imagem de todos os clubes sem exceção”.

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, também em comunicado oficial, prestou solidariedade ao Benfica e condenou os atos de violência, exigindo ação implacável do Estado para que o futebol possa se regenerar e cumprir de forma plena as suas vitais funções desportivas, sociais e econômicas.

O Benfica tinha a oportunidade de reassumir a liderança do Campeonato Português se derrotasse o Tondela na noite desta quinta-feira (04). Apesar do domínio, os donos da casa não conseguiram abrir o placar. Com o resultado, os Encarnados seguem na segunda posição, com a mesma pontuação do líder Porto, mas perdendo no critério de desempate, que é o confronto direto. O próximo compromisso dos Águias será na quarta-feira (10), contra o Portimonense, no Estádio Municipal de Portimão.

A nota do Benfica

“Falhada a oportunidade de passarmos para a liderança isolada do Campeonato, exige-se agora uma resposta imediata da equipa, com a ambicionada vitória na difícil deslocação a Portimão na próxima quarta-feira, 10 de junho.

Neste carrossel de emoções que tem caracterizado a luta pelo título desta época, todo o foco tem de estar nas nove finais que faltam disputar e que terão de ser enfrentadas com o máximo de rigor e exigência competitiva de acordo com a ambição a que estamos habituados.

O resultado, ontem, foi injusto. A nossa equipa dominou o jogo, instalou-se no meio campo adversário na esmagadora maioria do tempo e criou oportunidades de golo mais do que suficientes para vencer a partida (só Odysseas não rematou à baliza adversária), mas a ineficácia ofensiva penalizou-a.

O regresso aos triunfos é fundamental para alcançarmos o bicampeonato, numa retoma caracterizada pela necessidade de nos adaptarmos a toda esta nova realidade de não se sentir o apoio dos adeptos no Estádio.

Mas infelizmente a noite também ficou marcada pelo cobarde e criminoso ato de apedrejamento de que foi alvo o autocarro que transportava os nossos jogadores à saída da A2, quando se deslocava para o Benfica Campus no Seixal.

São situações que se têm repetido com maiores ou menores consequências, sendo a mais grave, recorde-se, a que vitimou o nosso adepto Bruno Simões quando o autocarro de adeptos do Benfica foi apedrejado no regresso a Barcelos, após um Benfica-Braga na Luz, para além das diversas situações que têm sido recorrentes no futebol português.

Em todos estes casos, sem exceção, importa e exige-se que as autoridades atuem com o máximo rigor, e identifiquem e punam os responsáveis destes atos criminosos, verdadeiros delinquentes que devem ser erradicados do futebol e que mancham a imagem de todos os clubes sem exceção.

Estão a mais no futebol e devem ser punidos de uma forma exemplar.” 

A nota da Federação Portuguesa:

“Foi com enorme tristeza e indignação que tomei conhecimento do inaceitável ato de violência que atingiu o SL Benfica e os seus atletas.

A FPF confia que as autoridades policiais encontrarão, no mais curto espaço de tempo possível, os responsáveis pelo ato bárbaro e cobarde de ontem – o apedrejamento do autocarro do SL Benfica em andamento – e exige que os autores deste crime não passem impunes.

Atacar, pela calada da noite, com a mão escondida, atletas, equipa técnica, staff e dirigentes de um clube exige uma resposta à altura de todos os que amam o futebol e que se sentem revoltados por este tipo de comportamentos.

O futebol, ao longo de semanas, uniu-se e sacrificou-se para conseguir garantir a retoma de uma parte essencial da sua atividade. Exemplares na forma como seguiram todas as indicações das autoridades sanitárias e governamentais, os clubes nacionais voltaram a proporcionar uma enorme alegria aos seus adeptos que ansiavam, porque o futebol também é importante nas suas vidas, o regresso a uma competição que é, em si mesma, crucial para a recuperação desportiva, financeira e económica e social de todos os agentes do futebol.

Os atos ocorridos ontem, sejamos claros, mancham, de novo a imagem do futebol. Mas, no essencial, responsabilizam aqueles que arremessaram as pedras, motivados pelo ódio. Essas pessoas não são do futebol, não gostam do futebol e têm de ser expulsas do futebol.

Como já afirmei em outros momentos infelizes, o futebol precisa da ação implacável do Estado nestas ocasiões. O futebol precisa da vossa ajuda para se poder regenerar e cumprir de forma plena as suas vitais funções desportivas, sociais e económicas.

Dirijo uma última palavra de solidariedade aos técnicos e particularmente aos atletas duramente atingidos pelos incidentes de ontem. Envio-vos, em nome da FPF e de todo o futebol português, os meus votos de que rapidamente possam recuperar das agressões que foram alvo para que voltem a fazer aquilo que mais gostam de fazer e que tanto significa para nós – jogar futebol.

Fernando Gomes.”

Edição: Sergio du Bocage

Porto perde para Famalicão na volta do Campeonato Português

Brasileiro Lucas Fernandes faz o gol da vitória do Portimonense

Publicado em 03/06/2020 – 21:07 Por Rodrigo Ricardo, repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro
Atualizado em 03/06/2020 – 21:00

A volta do Campeonato Português, depois de 87 dias, foi marcada pelo gol de um brasileiro e pelo tropeço do ainda líder. No primeiro jogo da 25ª rodada, o Portimonense, em casa, venceu o Gil Vicente por 1 a 0, gol de Lucas Fernandes, brasileiro de São Bernardo do Campo (SP). E na principal partida desta quarta-feira (3), o líder Porto tropeçou fora de casa e perdeu para o Famalicão por 2 a 1. Com isso, o Benfica, que está na segunda posição a apenas um ponto dos Dragões, poderá recuperar a liderança da Liga Portugal nesta quinta-feira (4), em partida contra o Tondela, 14º colocado, no Estádio da Luz.

A vitória do Famalicão é histórica. O modesto time da região Norte de Portugal não vencia o Porto há 73 anos. Na tabela, o Famalicão, que voltou à primeira divisão depois de 25 anos, subiu para a quinta posição e entrou na zona de classificação para a Liga Europa. Já o Portimonense, mesmo com a vitória, segue na penúltima colocação da tabela. O Gil Vicente está em 10º lugar.

Por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19), que deixou 33 mil moradores infectados e provocou a morte de 1.447 pessoas, as partidas aconteceram com portões fechados ao público e obedecendo protocolos de segurança para evitar o contágio da doença. Nesta quinta-feira, além de Benfica x Tondela, às 15h15min, mais cedo, às 15h, o Marítimo recebe o Vitória de Setúbal. Às 17h15min, no estádio Dom Afonso Henriques, o Vitória de Guimarães enfrenta o Sporting.

Edição: Sergio du Bocage

Todos contra o Paris Saint-Germain no país campeão do mundo

O Paris Saint-Germain é o grande favorito para conquistar o Campeonato Francês. Considerado um dos clubes mais poderosos da Europa após a parceria com a empresa Oryx Qatar Sports Investments, o time da Capital francesa montou um elenco estrelado a partir da temporada 2017/2018 para ganhar tudo.

As maiores contratações aconteceram na temporada passada. Neymar e Mbappé são as estrelas do PSG que ainda conta com o uruguaio Cavani, o argentino Di Maria e os brasileiros Thiago Silva, Marquinhos e Daniel Alves.

Mesmo com este time de craques, a equipe francesa não conseguiu vencer a Liga dos Campeões, o sonhado título. Em compensação, o Campeonato Frances foi vencido de forma tranquila, sem muitos sustos. Para 2018/2019, o PSG quer ir mais longe e vencer a Champions League, mas o Francês é obrigação para Neymar e Cia.

Quem vai parar o PSG?

Quem vem embalado para a nova temporada é o Olympique de Marselha. Vice-campeão da Liga Europa, o time azul e branco manteve a base para as próximas competições e aposta na continuidade da boa fase. Destaque para o meia Dimitri Payet, craque da seleção francesa, mas que ficou de fora da Copa da Rússia por lesão. O elenco ainda conta com o volante Luiz Gustavo, titular da Seleção Brasileira na disputa da Copa do Mundo de 2014.

O Olympique é o segundo maior vencedor da Ligue 1 com 9 títulos conquistados. O clube só perde para o Saint Étienne, com 10 títulos. O terceiro maior campeão francês é o Mônaco com 8 títulos. O time do Sul do país foi o único a quebrar a sequência vitoriosa do PSG nos últimos anos. A equipe de Paris venceu todas as competições nacionais desde 2012/2013, mas acabou ficando para trás do Mônaco em 2016/2017.

O objetivo é repetir aquela campanha e para isso conta com um grupo experiente e de qualidade. Destaque para o atacante colombiano Falcao García, o meia russo Golovin e o lateral marfinense Touré. O Mônaco foi semifinalista da última Liga dos Campeões e também vem embalado para mais um Francês.

Vivendo um jejum de 10 anos sem título, o último aconteceu na temporada 2007/2008, o Lyon também vem forte para a temporada. O clube perdeu o campeão mundial Dembelé para o Barcelona, mas ainda conta com o ala brasileiro Rafael, ex-Manchester United, no grupo.

O melhor futebol do mundo

A conquista da França na última Copa do Mundo colocou os holofotes novamente no campeonato francês. Todo mundo quer saber e ver o melhor futebol do mundo. Os campeões do Mundial também estão presentes na Ligue 1. São 9 jogadores que participaram da conquista da Copa na Rússia.

Destaque fica para a revelação de 19 anos, Mbappé, do PSG. O time da Capital ainda teve o goleiro Areola e o zagueiro Kimpembre como reservas na Copa. O Olympique de Marselha conta com três campeões: o goleiro Mandanda, o zagueiro Rami e o meia Thauvin. Completam a lista o defensor Sidibé e o meia Thomas Lemar, do Mônaco e o atacante Nabil Fekir, do Lyon.

Com tantas estrelas, fica difícil não se empolgar com a competição.

A probabilidade do título do PSG é grande. Nas casas de apostas as ODDs são de 1,1(R$ 1,10/um). Mesmo que o título do favorito não pague muito, os dez por cento pagam mais do que a poupança, que rende 6% ao ano. Ainda segundo as casas de apostas, o Lyon será o vice-campeão e aparece no ranking com R$ 13,00 / um.

Será que algum clube vai conseguir superar o PSG? Quem será alguém que pode desbancar o “dream team” francês? Você seria capaz de apostar em alguma “zebra” para desbancar o time de Nilmar, Cavani e companhia?

Para facilitar a vida de quem quer fazer uma “fezinha” o site de apostas Bet365 oferece a possibilidade de ganhar até R$ 200,00 de bônus.

A Bet365 é uma das melhores casas de apostas e um dos seus diferenciais são os bônus oferecidos. Com o bet365 bónus, além da diversão de poder apostar no cassino online e em eventos esportivos, assim como o PSG, você tem ainda mais chances de ganhar.

Redação

Apostas em futebol no Brasileirão podem ser boa fonte de renda

Mais do que entretenimento, o Brasileirão se consolida cada vez mais como uma forma de ganhar dinheiro. Apreciadores do jogo têm sites estrangeiros à disposição para apostar.

No mês de outubro, o Brasileirão 2018 entra em sua reta final: o campeonato, iniciado em abril, terá sua última rodada no dia 02 de dezembro. Assim como os times que concorrem ao título, classificação para Libertadores ou ainda que querem fugir do rebaixamento, concentram todos esforços reta final para atingir seus objetivos, é também nos meses de outubro e novembro que se concentram o maior volume de apostas, como já vem ocorrendo em anos anteriores.

Apesar de ser algo relativamente desconhecido entre os brasileiros, apostar nos resultados do Brasileirão pode se transformar em uma boa fonte de renda extra, ou, até mesmo, de sustento. No Brazilian Gaming Congress, que aconteceu em 2013, os especialistas estimavam que o volume total de dinheiro movimentado pelo jogo chegava a R$ 400 milhões anuais.

Apostas em futebol em sites estrangeiros não são ilegais

O brasileiro adora “fazer uma fézinha”, basta observar as longas filas que se formam nas lotéricas nos dias anteriores aos sorteios da Mega-Sena para confirmar isso. Agora, quando o assunto são as apostas esportivas, as pessoas costumam ser mais relutantes: como os diplomas legais brasileiros reservam a organização de apostas às loterias federais, há quem tema estar cometendo um crime.

Há, porém, uma brecha legal significativa neste campo. Para que um jogo seja considerado ilegal, ele deve ser feito no Brasil. E, quando alguém aposta em um site estrangeiro, a transação é processada no país onde a página está hospedada. Logo, o ato não é punível.

Isso faz com que esses sites sejam a opção de escolha dos apreciadores de apostas que não querem entrar em conflito com a lei. Uma das grandes vantagens oferecidas pelos sites de cassino e apostas aos iniciantes é o oferecimento de bônus. A maioria deles oferece créditos adicionais que permitem ao jogador fazer mais apostas sem precisar gastar muito. O Bumbet Bónus é um código promocional que pode chegar a R$ 150 para uso nas apostas esportivas e até R$ 1.500 para quem quer aproveitar os jogos de cassino.

Apostas em futebol: um investimento como qualquer outro

Independentemente do meio usado para apostar e das questões legais sobre o tema, quem opta por entrar no universo do jogo deve vê-lo como um lazer mas também como um investimento. Este é o conselho que especialistas costumam dar aos iniciantes.

Portanto, a única maneira de obter sucesso é guiar-se pela razão, nunca pela emoção. É imprescindível analisar o histórico de cada time, jogador e partida, além de verificar outras variáveis que possam intervir no resultado (clubes com salários atrasados ou jogadores com problemas pessoais, por exemplo). Munido destas informações, o apostador tem muito mais chances de acertar – e, consequentemente, lucrar.

Além disso, é preciso fazer uma gestão cautelosa do caixa. O ideal é atingir um equilíbrio: investir parte dos retornos em mais apostas e poupar o restante. Portanto, não se deixe levar por marés de sorte e mantenha os pés no chão para ser um apostador bem-sucedido

Nem só de resultados vivem os apostadores

Em uma partida de futebol, não faltam palpites sobre quem ganha e quem perde, a quantidade de gols de cada time, quem irá marcá-los e muito mais. Para quem já está acostumado com isso, a boa notícia é que é possível transformar todos eles em possibilidades de ganhos financeiros.

Isto porque, ao contrário do que muitas pessoas pensam, os sites de apostas em futebol permitem investir em muito mais do que no resultado de uma partida. Há, inclusive, as apostas combinadas, nas quais o apostador prevê resultados de vários jogos. Se, por um lado, o risco é maior (caso um dos resultados não se concretize, a aposta é perdida), a possibilidade de lucros financeiros também é, já que o retorno é calculado com base nos odds (possibilidades) de todas as partidas em questão.

Alguns times são os mais procurados por apostadores

Outro conselho que os apostadores veteranos sempre dão aos novatos nas apostas em futebol é nunca apostar no time do coração. Afinal de contas, quando ele ganha ou perde, é muito fácil se deixar levar pela emoção, e, consequentemente, tomar más decisões quanto ao caixa.

A boa notícia é que, mesmo assim, não faltam opções lucrativas. Levantamentos de sites de apostas revelam que Corinthians, Vasco, Atlético Mineiro, Criciúma e São Paulo são os preferidos de quem investe em futebol.

Apesar disso, recomenda-se que, no caso dos iniciantes, eles comecem investindo em partidas menos visadas pelo mercado, como as das séries B e C do Brasileirão. Por mais que o potencial de retorno financeiro não seja tão grande como nos clássicos, elas são uma excelente opção para praticar e adquirir confiança antes de partir para jogos mais disputados.

Na hora de apostar todo mundo quer ganhar. Então, a dica é ouvir os conselhos dos mais experientes, se preparar bem e seguir as boas práticas.

Redação

Apaixonados e fanáticos pelas duas equipes já começaram a disputa

Esta será uma das principais disputas do ano. Além do jogo entre Barcelona e Real Madrid, é possível acompanhar várias outras partidas e eventos dos principais campeonatos europeus e de outros continentes, incluindo Ásia, América do Sul e a Major League Soccer (MLS) e a Liga dos Campeões da Europa que este ano também está sendo disputada por Atlético Madrid e Valencia, além, é claro, do Barcelona e do Real.  Para acompanhar esta grande disputa do continente europeu e ainda arriscar a chance de ganhar algum dinheiro, contar com o código promocional de apostas 1XBet é uma grande ajuda. Ao se cadastrar no site e fazer o primeiro depósito, o bonus de R$ 500,00 aumenta ainda mais as chances do apostador ter sucesso.

Os pequenos grandes times

Quem acompanha o Campeonato Espanhol a bastante tempo vai lembrar daqueles times inesquecíveis do La Coruña no final da década de 90 e do Valência no início dos anos 2000. Nesta época, a disputa entre os clubes era mais acirrada e times com menor expressão davam trabalho para os mais ricos.

O La Coruña desbancou os favoritos e ficou com o título da temporada 1999/2000. Com um timaço que tinha no elenco o volante Mauro Silva, o meia Djalminha e o atacante Donato, a equipe azurra dominou a La Liga daquele ano. Este foi o único título espanhol do Desportivo.

O Valência foi um dos últimos campeões antes do domínio da dupla Real e Barça. Na temporada 2001/2002, o supertime tinha o zagueiro argentino Ayala e o meia Didier Deschamps, atual técnico da França e campeão mundial com a seleção na Rússia. Em 2003/2004, o artilheiro do time era o brasileiro Ricardo Oliveira, que hoje veste a camisa do Atlético-MG.

A expectativa é que nesta temporada algum “pequeno grande clube” resolva incomodar os grandes. Além do Atletico Madri, que conta com o craque Griezmann e que nos últimos anos bem sempre encostando nos lideres, nesta temporada, o Alavés e o Espanyol estão no grupo de classificação para a Liga dos Campeões e também na cola dos líderes. Agora é esperar para ver se estas equipes vão conseguir se manter.

Redação

Futebol espanhol está cheio de atrações nesta temporada

Por que o Campeonato Espanhol tem tanto destaque no cenário do futebol mundial? Para começar porque a competição reúne os dois clubes mais poderosos e mais ricos do mundo, Real Madrid e Barcelona. A rivalidade entre as equipes também tem destaque na La Liga, já que a dupla é a que mais venceu o torneio, 33 conquistas dos madrilenos contra 25 dos catalães.

O atual campeão é o Barcelona e também é o líder da competição na temporada 2018/19. O problema é que o Real Madrid é o campeão da Liga dos Campeões da Europa e também chega como favorito, assim como o rival. Fora desta briga e correndo por fora está o Atlético de Madri, que sempre chega entre os primeiros colocados do torneio, mas não vence La Liga desde a temporada 2012/13. Vale lembrar que o time rubro-anil foi o último clube que conseguiu quebrar a sequência de títulos do Barça e do Real.

A La Liga também se destaca pelo número enorme de craques que disputam a competição. Grandes nomes do futebol mundial estão presentes nos clubes do país. Para se ter uma ideia, dos atletas que foram eleitos os melhores do mundo em 2018 no prêmio The Best da Fifa, cinco deles atuam na Espanha: Varrane, Sergio Ramos, Marcelo e Modric, do Real Madrid, e Messi, do Barcelona. Isso sem contar com Cristiano Ronaldo, eleito um dos melhores atacantes deste ano, mas que agora está na Juventus.

E por falar de Modric, o croata foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa, por sua brilhante temporada vestindo a camisa do Real Madrid e da Croácia e também pelo brilhante desempenho na Copa do Mundo da Russia, quando foi escolhido também o melhor jogador da competição. Ele deve receber os holofotes a partir de agora, com a saída de Cristiano Ronaldo. Sem contar, é claro, que do outro lado tem nada mais nada menos que o maior craque do futebol mundial, Lionel Mussi, que no momento está em baixa, mas que pode sempre se recuperar e encantar a todos apaixonados pelo bom futebol.

El Clássico

Outro grande atrativo em todas as temporadas da La Liga é o clássico entre Barcelona x Real Madrid. O El Clássico é disputado desde 1902. Neste ano foi realizado o primeiro confronto entre as duas equipes, que terminou com vitória do time catalão por 3 a 1. Até agora foram disputados 271 jogos entre os rivais, com 112 vitórias do Barcelona, 97 do Real Madrid e 60 empates.

Mais dois jogos, pelo menos, já estão garantidos para esta temporada, os dois pela La Liga. O primeiro acontece nos dias 28 de outubro deste ano e 3 de março de 2019. Os dois jogos prometem. Muitos momentos históricos aconteceram neste confronto.

Quem será o vencedor? Quem será o campeão da La Liga?

A ansiedade pelo jogo e por saber quem será o vencedor vai além da internet ou dos programas de TV. Este será o primeiro Campeonato Espanhol dos últimos 9 anos que não vai ter o duelo entre Lionel Messi x Cristiano Ronaldo. A saída do português para o futebol italiano coloca o Barça levemente como favorito na disputa pela La Liga. Segundo as cotações dos sites de apostas, o time de Messi paga R$ 1,66 a cada R$ 1,00 apostado em seu título,  enquanto as probabilidades indicam o Real Madrid na segunda posição com R$ 2,87 a cada R$ 1,00 apostado. Correndo por fora, o bravo Atlético de Madri tem Odds de R$ 8,50 a cada R$ 1,00.

Apaixonados e fanáticos pelas duas equipes já começaram a disputa

Esta será uma das principais disputas do ano. Além do jogo entre Barcelona e Real Madrid, é possível acompanhar várias outras partidas e eventos dos principais campeonatos europeus e de outros continentes, incluindo Ásia, América do Sul e a Major League Soccer (MLS) e a Liga dos Campeões da Europa que este ano também está sendo disputada por Atlético Madrid e Valencia, além, é claro, do Barcelona e do Real.  Para acompanhar esta grande disputa do continente europeu e ainda arriscar a chance de ganhar algum dinheiro, contar com o código promocional de apostas 1XBet é uma grande ajuda. Ao se cadastrar no site e fazer o primeiro depósito, o bonus de R$ 500,00 aumenta ainda mais as chances do apostador ter sucesso.

Os pequenos grandes times

Quem acompanha o Campeonato Espanhol a bastante tempo vai lembrar daqueles times inesquecíveis do La Coruña no final da década de 90 e do Valência no início dos anos 2000. Nesta época, a disputa entre os clubes era mais acirrada e times com menor expressão davam trabalho para os mais ricos.

O La Coruña desbancou os favoritos e ficou com o título da temporada 1999/2000. Com um timaço que tinha no elenco o volante Mauro Silva, o meia Djalminha e o atacante Donato, a equipe azurra dominou a La Liga daquele ano. Este foi o único título espanhol do Desportivo.

O Valência foi um dos últimos campeões antes do domínio da dupla Real e Barça. Na temporada 2001/2002, o supertime tinha o zagueiro argentino Ayala e o meia Didier Deschamps, atual técnico da França e campeão mundial com a seleção na Rússia. Em 2003/2004, o artilheiro do time era o brasileiro Ricardo Oliveira, que hoje veste a camisa do Atlético-MG.

A expectativa é que nesta temporada algum “pequeno grande clube” resolva incomodar os grandes. Além do Atletico Madri, que conta com o craque Griezmann e que nos últimos anos bem sempre encostando nos lideres, nesta temporada, o Alavés e o Espanyol estão no grupo de classificação para a Liga dos Campeões e também na cola dos líderes. Agora é esperar para ver se estas equipes vão conseguir se manter.

Coluna – Covid-19 reduz receita dos clubes em mais de R$ 1 bilhão

© Reuters/Sergio Moraes/Direitos Reservados

Estudo da EY diz que cenário econômico vai regredir ao patamar de 2016

Publicado em 02/06/2020 – 16:23 Por Sergio du Bocage, apresentador do programa No Mundo da Bola. A coluna do apresentador será publicada pela Agência Brasil semanalmente às terças-feiras. – Rio de Janeiro

O impacto da pandemia do novo coronavírus (covid-19) na economia brasileira não deixaria de fora o futebol. E um estudo divulgado essa semana pela EY, assinado por Alexandre Rangel, Pedro Daniel e Gustavo Hazan, mostra que podemos retroagir em até três anos. Clubes como Cruzeiro e Botafogo, em especial, são os que mais preocupam. Segundo as estimativas, o mercado brasileiro – com receita total de R$ 6 bilhões em 2019 – poderá regredir a um patamar semelhante ao visto em 2016, com uma retração que varia de R$ 1,34 bilhão a R$ 1,92 bilhão.

Algumas premissas foram utilizadas nesse estudo da EY, e reconheço que algumas são bem drásticas. O estudo avalia o cenário com todas as competições sendo realizadas e finalizadas ainda em 2020, mas sem público. Fontes de receita, como direitos de transmissão e premiações, teriam redução de 30% a 40%, com a ressalva de que alguns clubes tem valores mínimos garantidos, o que os faz mais imunes a essa queda – casos de Corinthians, Flamengo, Grêmio e Palmeiras. As transferências de jogadores para o exterior também devem diminuir, mas a desvalorização do real pode compensar essa perda, estimada de 25% a 40%. E sem público, os clubes não terão receita de rendas e deverão perder sócios-torcedores. Em resumo, na média, a queda seria de 22% a 32%, esse percentual no pior dos cenários.

Gráfico com possíveis impactos no faturamento dos clubes da Série A do Brasileirão, em 2020, provocados pela covid-19, segundo análise da EY

Gráfico com possíveis impactos no faturamento dos clubes da Série A do Brasileirão, em 2020, provocados pela covid-19, segundo análise da EY – EY / Reprodução

Mais do que nunca uma administração bem estruturada se faz necessária em um momento como esse. Não é de agora que toco nesse assunto, e não são poucas as análises que mostram que clubes como Flamengo e Palmeiras se sobressaem no cenário nacional. Os analistas, aliás, sempre citam outros clubes como exemplos de administração, e aí se incluem Bahia e Fortaleza.

FATURAMENTO DO FLAMENGO SUPERA R$ 3 BILHÕES

A receita total dos clubes brasileiros chegou a R$ 6 bilhões em 2019, crescimento de 17% em relação a 2018. O Flamengo, com receita de R$ 950 milhões, representou 16% desse total. O Palmeiras, com R$ 642 milhões vem em seguida. Esses dois clubes, nos dois últimos anos, ampliaram a vantagem para os demais. E não foi à toa, já que são os que apresentam as melhores administrações. É importante ressaltar dois tópicos: os clubes gaúchos, Grêmio e Internacional, aparecem entre as quatro maiores receitas; e nove clubes tiveram faturamentos recordes no ano passado – Athletico-PR, Atlético-MG, Bahia, Ceará, Flamengo, Fortaleza, Goiás, Internacional e Santos. (veja gráfico no fim da coluna)

Os tricolores baiano e cearense merecem ser destacados, e se aparecem bem no ranking devem isso a suas torcidas. No gráfico referente às receitas em dias de jogos, incluindo faturamento com camarotes e bares, venda de ingressos e programa de sócio-torcedor, Fortaleza e Bahia superam Atlético-MG, Santos, Fluminense e Botafogo, por exemplo. Com marca própria de material esportivo,  eles ocupam, respectivamente, os 8º e 9º lugares no ranking das receitas comerciais. Não custa lembrar que o Bahia esteve na Série B em 2015 e 2016, enquanto o Fortaleza estava na Série C até 2017. Atenção a eles, portanto.

Quando são considerados os cinco últimos anos, Flamengo e Palmeiras dão um salto ainda maior. No acumulado do período, o Rubro-Negro carioca vai a R$ 3,008 bilhões, enquanto o Palmeiras atinge R$ 2,628 bilhões. O Verdão supera o rival Corinthians, terceiro colocado, em cerca de R$ 500 milhões. O São Paulo, quarto colocado, fecha o ranking dos que bateram a marca dos R$ 2 bilhões.

ENDIVIDAMENTO DOS CLUBES TAMBÉM É RECORDE

Mas o futebol não é feito apenas de receitas. E o endividamento também é alto. Aliás, ano passado, atingiu a marca histórica de R$ 8,35 bilhões, 15% a mais que em 2018. E é nesse grupo dos mais endividados que os efeitos da Covid-19 poderá ter efeito ainda pior.

O Botafogo é o clube que apresenta o maior endividamento líquido, com R$ 819 milhões, seguido pelo Cruzeiro, com R$ 799 milhões. Se em 2018 apenas quatro dos 20 clubes analisados apresentavam valores acima dos R$ 600 milhões, agora eles são sete: Internacional, Corinthians, Atlético-MG, Fluminense e Vasco. O Colorado aparece nessa lista porque cedeu algumas áreas do Beira Rio para exploração comercial, sem desembolso financeiro. (veja gráfico no fim da coluna)

O Cruzeiro, ano passado, foi quem apresentou o maior déficit, quando se analisam os resultados operacionais dos clubes – R$ 394 milhões. É o quinto ano seguido com desempenho negativo, o que leva a Raposa ao déficit acumulado de R$ 540 milhões desde 2015.

E agora, então, chegamos à conclusão preocupante. O estudo da EY relaciona o endividamento líquido com a receita total. E o Sport, que ano passado estava na Série B, atinge o índice de 4,53, ou seja, o endividamento é 4,5 vezes maior que o faturamento. Quase ao lado vem o Botafogo, com 4,29, seguido por Vasco, Cruzeiro, América-MG e Fluminense, todos com índice acima de dois pontos. A chegada da Covid-19, com um mercado de transferências menos aquecido esse ano, vai dificultar a tentativa de recuperação desses clubes. Na outra ponta da tabela, Grêmio, Palmeiras, Athletico-PR, Flamengo, Goiás, Fortaleza e Ceará, em ordem decrescente, estão abaixo de 1. O distanciamento promete aumentar no fim da temporada.

Gráfico de receitas e de endividamento, em 2019, dos 20 clubes da Série A do Brasileirão 2020, segundo análise da EY

Gráfico de receitas e de endividamento, em 2019, dos 20 clubes da Série A do Brasileirão 2020, segundo análise da EY – EY / Reprodução

Por Sergio du Bocage, apresentador do programa No Mundo da Bola, da TV Brasil.

TAGS – esportes, futebol, covid-19, Flamengo, Palmeiras, Cruzeiro, Botafogo, Sergio du Bocage

Edição: Verônica Dalcanal

Jogadores e clubes brasileiros se posicionam contra o racismo

© Fernando Torres/CBF/Direitos Reservados

Pesquisador acredita em geração que pense para além das quatro linhas

Publicado em 01/06/2020 – 16:39 Por Rodrigo Ricardo – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

A luta contra a discriminação racial começou a semana repercutindo com força no mundo do futebol. A revelação do Vasco Talles Magno publicou no Twitter: “Não adianta não ser racista, temos que ser antirracistas”. A frase é da ativista política norte-americana Angela Davis. O lateral do Fluminense Igor Julião também tratou do tema nas redes sociais e indagou: “Já parou de tratar as religiões de matrizes africanas de forma pejorativa, tem consumido música, filmes, livros e etc de artistas negros. Já separou um tempo para estudar e entender a influência africana em nosso país”.

Talles Magno @talles_magno2

✊🏿

NÃO ADIANTA “não ser racista” TEMOS que ser ANTIRRACISTAS! #VidasNegrasImportam  46,9 mil 12:04 – 1 de jun de 2020 · Duque de Caxias, BrasilInformações e privacidade no Twitter Ads

Para Marcelo Carvalho, fundador do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, há uma nova geração que se posiciona e dialoga com a sociedade e com as comunidades de onde muitos vieram. “Eles percebem que não adianta ser rico e famoso, porque o racismo vai continuar a persegui-los, seja nos campos brasileiros ou europeus”, afirma, lembrando que as redes sociais, além de trazer informações com maior velocidade, formam um coro de protesto que pensa fora das quatro linhas: “Uma voz puxa a outra. Eles vão se encorajando e passam a não ter mais medo de uma possível represália do sistema. É um movimento que, caso não seja silenciado, pode crescer e se aprofundar para falar de outras lutas políticas e sociais do país”.

Os clubes de futebol também se manifestaram contra o racismo. Houve inclusive uma corrente virtual na qual cada um citava o nome de três jogadores históricos negros. O Grêmio, por exemplo, afirmou: “Racismo não é opinião ou preferência política, racismo é crime! Bruno Cortez, Airton Pavilhão e Roger Machado”.

Grêmio FBPA (de ) @Gremio

Racismo não é opinião ou preferência política, racismo é crime!

Bruno Cortez, Airton Pavilhão e Roger Machado ajudaram a construir e manter a nossa história.

E vocês, @SaoPauloFC, @FluminenseFC e @Nacional?

Cite três jogadores e três clubes.#VidasNegrasImportam #ClubeDeTodos https://twitter.com/vascodagama/status/1267450242565312525 …

Vasco (de ) @VascodaGama Respeite a cor da nossa história!

Barbosa, Jorginho Carvoeiro e Odvan: negros que marcaram época em São Januário!

E vocês? @CearaSC, @Gremio e @Atletico

Citem três jogadores e três clubes. #VidasNegrasImportam https://twitter.com/Paysandu/status/1267283569141047297 …

O São Paulo respondeu com “Leônidas da Silva, Kátia Cilene e Mineiro”.

São Paulo FC (de ) @SaoPauloFC

É preciso ser antirracista!

Leônidas da Silva, Kátia Cilene e Mineiro ajudaram a construir e manter a nossa história.

E vocês, @Flamengo, @Chapecoense e @Coritiba? Citem três jogadores e três clubes.#VidasNegrasImportam#ClubeDeTodos https://twitter.com/Gremio/status/1267486775947284480 …

Grêmio FBPA (de ) @Gremio Racismo não é opinião ou preferência política, racismo é crime!

Bruno Cortez, Airton Pavilhão e Roger Machado ajudaram a construir e manter a nossa história.

E vocês, @SaoPauloFC, @FluminenseFC e @Nacional?

Cite três jogadores e três clubes.#VidasNegrasImportam #ClubeDeTodos https://twitter.com/vascodagama/status/1267450242565312525 …

Já o Corinthians fez um vídeo e colocou na internet: “O racismo mata e destrói famílias no Brasil e no mundo. Não se cale. Nós nos importamos com essas vidas”.

Corinthians (de ) @Corinthians

✊🏾

O racismo mata e destrói famílias no Brasil e no mundo. Não se cale. Nós nos importamos com essas vidas. Por isso somos Corinthians. #VidasNegrasImportam#BlackLivesMatter

https://twitter.com/i/status/1267425663159590912

Edição: Fábio Lisboa

O que esperar do esporte de alto rendimento após a pandemia?

© Reuters/Direitos Reservados

Pesquisadores tentam apontar tendências após impacto da covid-19

Publicado em 31/05/2020 – 10:48 Por Fábio Lisboa – jornalista da TV Brasil – Rio de Janeiro

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) obrigou a humanidade a parar. A parar, repensar e mudar vários aspectos da vida. Diante de um vírus que se espalha com muita facilidade, um novo normal começa a se estabeler a partir de alguns princípios: restrições de movimentação, menor interação social e cuidados extremos de higiene. No mundo do esporte de alto rendimento não é diferente. Grandes eventos, como os Jogos Olímpicos, a Copa América, a Eurocopa e campeonatos nacionais de futebol, tiveram de ser adiados ou cancelados enquanto se pensa em formas de realizá-los com segurança.

E é para tentar imaginar as mudanças que a prática esportiva de alto rendimento sofrerá em um futuro próximo que a Agência Brasil conversou com dois pesquisadores que tem o universo do esporte como seu objeto de estudo, o sociólogo e professor da Faculdade de Comunicação Social da Universidade do Rio de Janeiro (Uerj) Ronaldo Helal e o professor da Escola de Ciências Sociais/FGV-CPDOC Bernardo Buarque de Hollanda.

Jogos sem a presença de torcedores

Um dos elementos que mais chama a atenção no novo normal do esporte de alto rendimento é a ausência de torcedores em praças esportivas. Segundo Ronaldo, diante de um vírus novo e com contágio muito rápido, não dá para ser diferente. No Campeonato Alemão, por exemplo, esta mudança fica bem evidente: “Com jogos com portões fechados e os jogadores sem se abraçarem na comemoração dos gols. E também fazendo testes regulares. Esta é a mudança que é possível no momento”.

Bundesliga - RB Leipzig v SC Freiburg

Campeonato Alemão fez várias adaptações para recomeçar no período de pandemia – Reuters/Direitos Reservados

Bernardo também aponta o Alemão como o campeonato a ser observado, pois é a primeira das principais competições nacionais do Velho Continente a reiniciar após a pandemia, mas afirma que a realização das partidas sem a presença de torcidas não vai servir para todos os clubes, mas apenas para aqueles que estão na “vitrine do futebol mundial […], tendo exibição e alcance planetário”. No entendimento do pesquisador, estes conseguem, minimamente, “contornar o atual momento” com as receitas provenientes de transmissões televisivas.

Ronaldo diz que a primeira mudança causada pela ausência de torcedores nos estádios é percebida na performance dos atletas: “Você perde muito. Um espetáculo de massa, sem a massa. Mesmo transmitido pela televisão. É o mesmo que um teatro vazio. A tendência dos atores é não ter uma performance tão motivada por adrenalina como tem com a presença do público. Isso pode acontecer também no caso do futebol, sem o incentivo da torcida. Mas é o que se pode fazer no momento. Não sabemos quanto tempo vai durar. Acho que o público não vai se sentir nem satisfeito, nem insatisfeito, mas acho que vai entender que isso é o que é possível fazer no momento”. 

Bundesliga - FC Cologne v 1. FSV Mainz 05

Uso de máscaras e arquibancadas vazias estão no novo normal do Campeonato Alemão – Reuters/Direitos Reservados

Porém, em suas observações Bernardo identifica grupos que não receberam bem esta nova forma de consumir o futebol: “É interessante que, no caso da Europa, algumas torcidas organizadas estão promovendo campanhas contra a volta dos campeonatos. Partem da ideia de que, se não vai ter torcida, é melhor não ter futebol”.

Em meio a tantas incertezas, e pensando na realidade brasileira, o pesquisador da FGV afirma que “é muito pouco provável que aconteça algum campeonato com a presença do público no Brasil em 2020”.

Disputa e torcida à distância

Para o esporte brasileiro, que ainda está pensando em formas de retorno aos treinos, imaginar formas alternativas de torcer ainda parece algo distante. Mas na Dinamarca esta já é uma realidade. O campeonato nacional do país europeu optou por “levar” a torcida ao estádio através de telões instalados nas arquibancadas nos quais os jogadores veem imagens dos torcedores transmitidas por aplicativos de teleconferência (veja no vídeo abaixo).

AGF @AGFFodbold

David Nielsen savnede #ultratwitteragf ved #agfrfc, men sikke et vigtigt point for os, lød det efter kampen fra cheftræneren til AGF TV

#ksdh 61 17:41 – 28 de mai de 2020Informações e privacidade no Twitter Ads

<

Para Bernardo, em um contexto de agravamento da pandemia, as novas tecnologias não devem se restringir ao ato de torcer, mas também podem ser usadas para permitir que atletas que estejam em locais diferentes possam competir entre si: “Estamos em um ponto de inflexão em que paradigmas são repensados […]. Até que ponto podem ser criadas formas de cobrir performances esportivas nas quais as pessoas não estejam presentes? Isto pode ser especulado. Os atletas não estarão no mesmo locus presencialmente, mas você pode criar formas de competição filmada. Soa absurdo e especulativo hoje, mas de fato ainda estamos em um momento nebuloso no qual não conseguimos discernir o que acontecerá adiante”.

Jogos para celebrar a humanidade

Um dos paradigmas que pode vir a ser questionado caso a pandemia perdure por um período de tempo muito longo é o da realização de grandes eventos esportivos no atual formato. “O formato tradicional de um encontro a cada quatro anos, que reúne todos

[os atletas]

no mesmo local, com vila olímpica, pode ter de ser refeito […]. Entendo que, assim como todas as áreas estão se adaptando, pode ser que muitas coisas no âmbito do esporte que sejam consideradas imprescindíveis, das quais não se abre mão, sejam reinventadas”, diz o pesquisador da FGV.

Presidente do COI, alemão Thomas Bach, fala sobre Jogos de Tóquio 2020

Presidente do COI espera Jogos que celebrem a humanidade em 2021 – REUTERS / Denis Balibouse / Direitos Reservados

Mas algo que os dois pesquisadores afirmam torcer para não mudar, quando se fala em grandes eventos esportivos, é que eles continuem a ser entendidos como momentos de celebração da humanidade. “Entendo também [assim como o presidente do Comitê Olímpico Internacional, o alemão Thomas Bach] a ideia dos Jogos como uma celebração da humanidade após a pandemia. Tomara que sejam vistos desta maneira mesmo. Porque há uma metáfora nos Jogos Olímpicos de uma união entre nações. O esporte proporciona um pouco isso. De as regras serem as mesmas para todos, que o melhor vence pelos seus méritos. Se superarmos esta pandemia, se já tivermos uma vacina, e espero que sim, espero que seja uma grande celebração da humanidade [os Jogos de Tóquio], da vida após a pandemia, de união entre as nações e povos”, conclui Ronaldo.

Edição: Verônica Dalcanal

Liga de Futebol autoriza treinos no Equador a partir de 8 de junho

© Reuters/Direitos Reservados

Emelec confirma que oito profissionais testaram positivo para covid-19

Publicado em 31/05/2020 – 15:49 Por Rafael Monteiro – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

No mesmo dia em que o Emelec revelou que oito profissionais haviam testado positivo para o novo coronavírus (covid-19), a Liga Profissional de Futebol do Equador (LigaPro) autorizou os treinamentos de jogadores a partir do próximo dia 8 de junho, desde que cumpram o Protocolo Sanitário elaborado pela entidade. O comunicado oficial foi publicado ontem (30) no site da entidade. Este é o primeiro passo para a retomada do Campeonato Equatoriano, interrompido no dia 14 de março, devido à pandemia. Até ontem (30) o país registrava 38.571 casos confirmados e 3.334 mortes causadas pela covid-19.

“A LigaPro em seu Conselho de Presidentes decidiu estabelecer como data de início do Protocolo Sanitário em 8 de junho de 2020. Os clubes e seus associados podem realizar as atividades permitidas por lei”, informou a entidade em sua conta no Twiiter. 

LigaPro @LigaProEC

📌

Comunicado

Também neste sábado (30), o Emelec confirmou, por meio de um boletim informativo, que oito profissionais do departamento de futebol testaram positivo para a covid-19. A equipe equatoriana preservou os nomes e a função exercida pelos infectados. O Emelec figura como um quatro maiores clubes do país, junto a El Nacional, LDU, e Barcelona de Guayaquil.

Ainda não existe uma data para a retomada da competição nacional, que foi foi suspensa na quinta rodada, quando o time Técnico Universitário liderava, com 11  pontos na tabela.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues