Boletim de Pautas nº 284

Caravana Embrapa em MT – Rondonópolis

Sistemas ILPF alteram a dinâmica de ocorrência de pragas

Integração de árvores com espécies agrícolas e forrageiras favorece a presença de inimigos naturais

Leia mais

Técnica de processamento melhora a digestibilidade do sorgo e seu potencial antioxidante

Avanço é capaz de aumentar as propriedades funcionais do cereal e compor fórmula de nutrição humana enteral sem glúten

Leia mais

Consórcio com fruteiras nativas amplia a manutenção da biodiversidade amazônica

Iniciativa pretende expandir a oferta desses frutos nas feiras e mercados da Região Norte

Leia mais

Embrapa,.

Herbalife Nutrition anuncia parceria com PicPay e inova no cadastro de clientes

Novos usuários que adquirirem o voucher garantem descontos e as demais vantagens do programa Cliente Premium e ainda podem receber um cashback de R$ 20 para usar em compras futuras usando PicPay

São Paulo, junho de 2020 – Uma parceria entre a Herbalife Nutrition, empresa global de nutrição, e a PicPay, maior aplicativo de pagamentos do Brasil, com mais de 20 milhões de usuários, vai trazer vantagens para novos clientes da marca e também para os Consultores Independentes que comercializam seus produtos.

Os novos usuários que se cadastrarem no PicPay e comprarem o voucher Herbalife Nutrition no valor de R$ 20 receberão um código de acesso automático para o programa de benefícios Cliente Premium da Herbalife Nutrition – um clube de vantagens que oferece diferenciais, como parcelamento facilitado, descontos de até 35%, entrega no endereço de sua preferência, além de acesso a eventos e conteúdos exclusivos, e uma linha direta com nutricionistas que oferecem dicas e orientações sobre o consumo dos produtos da marca, incentivando a adoção de um estilo de vida saudável e ativo.

A parceria também vai possibilitar um cashback (bônus) de R$ 20 àqueles que baixarem o app pela primeira vez e fizerem o cadastro usando o código HERBALIFE20 para usar numa próxima compra com PicPay. Além disso, os Consultores Independentes e Clientes Premium da marca que optarem por utilizar o PicPay para pagar os pedidos pagos via boleto bancário poderão receber até 10% de cashback, limitado a R$ 30 por dia, além de parcelar o pagamento do boleto no cartão de crédito*.

“A parceria com o PicPay nos permite oferecer uma série de vantagens aos consumidores, inclusive a possibilidade de receber os produtos no endereço de sua preferência, facilitando o processo de cadastro. Um diferencial de grande importância neste momento em que estamos enfrentando o isolamento social, que nos permite garantir uma nutrição de qualidade a todos, sem que saiam de suas casas”, coloca Jordan Rizetto, diretor geral da Herbalife Nutrition do Brasil. Além da aquisição de produtos online, o cliente pode passar a contar com um consultor exclusivo que irá ajudá-lo na melhor forma de consumir os produtos.

O diretor comercial do PicPay, Elvis Tinti, explica que os benefícios dessa parceria são mútuos. “Com o app, o Cliente Premium da Herbalife Nutrition tem praticidade, rapidez e segurança para fechar sua compra direto do celular. Isso sem falar nas vantagens de cashback que serão oferecidas para os Consultores Independentes da marca”. O executivo também ressalta a importância dessa parceria: “Temos buscado parceiros para reforçar a presença do PicPay pelo Brasil e a Herbalife Nutrition tem uma importante base de consumidores, além de uma eficiente cadeia de distribuição”.

*As transações parceladas terão incidência de juros.

Sobre o PicPay

O PicPay é a maior empresa de mobile payment da América Latina e conta com quase 1.500 colaboradores em seu time. O aplicativo tem democratizado o acesso ao sistema financeiro e, neste ano, tem a projeção de processar um volume na ordem de R$ 30 bilhões em sua plataforma.

Pioneiro entre as carteiras digitais no Brasil, o app permite armazenar dinheiro, realizar pagamentos instantâneos de diversas formas, pagar contas, transferir para outras pessoas, ao mesmo tempo em que concentra diversos serviços como: recarga de celular e do cartão de transporte público, pagamento de estacionamentos, compras de jogos e no e-commerce. Além disso, o dinheiro em saldo rende mais do que na poupança.

Combinando tecnologia e segurança, o objetivo do PicPay é facilitar a vida dos seus usuários em diversos momentos, como dividir a conta do bar, cobrar o dinheiro da viagem ou rachar o presente de aniversário do amigo.

Para mais informações, acesse: http://www.picpay.com

Sobre a Herbalife Nutrition

A Herbalife Nutrition é uma empresa global que vem mudando a vida das pessoas por meio de produtos de nutrição e oportunidade de negócios para seus Consultores Independentes desde 1980.

A Empresa oferece produtos de alta qualidade e respaldados pela ciência, comercializados em mais de 90 países por Consultores que fornecem orientações individuais e uma comunidade de apoio que inspira seus consumidores a adotarem um estilo de vida mais saudável e ativo.

Através da campanha global da empresa para erradicar a fome, a Herbalife Nutrition também está comprometida em levar nutrição e educação para comunidades em todo o mundo.

Para mais informações, visite Herbalife.com.br ou HerbalifeNutrition.com.br .

A Herbalife Nutrition também incentiva os investidores a visitarem o site de relações com investidores em ir.herbalife.com à medida que informações financeiras são atualizadas e novos dados são publicados.

Cadastro para o Auxílio Emergencial pode ser feito nas agências dos Correios a partir desta segunda-feira

O Ministério da Cidadania e os Correios firmaram uma parceria para atender à população mais vulnerável, sem acesso a meios digitais, que ainda não conseguiu solicitar o Auxílio Emergencial.

A partir desta segunda-feira (8), as mais de seis mil agências da empresa, presente em todos os municípios do país, estão habilitadas a fazer o cadastramento de quem precisa do benefício. A expectativa é realizar até 27 milhões de atendimentos.

A capilaridade da estatal foi um dos fatores que motivou o acordo, conforme destacou o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni: “Há uma porção importante da sociedade brasileira que é ainda mais vulnerável e que precisa de ajuda para fazer o cadastramento. Então, esse convênio é importante porque os Correios têm uma vasta capilaridade em todas as cidades brasileiras. As agências dos Correios, já a partir desta segunda-feira, estão preparadas para receber as pessoas”, afirmou.

Para o presidente dos Correios, general Floriano Peixoto Vieira Neto, o contrato assinado na última sexta-feira (5) é uma oportunidade para a empresa reafirmar seu compromisso social. “Para os Correios, essa é uma missão que vai além de colocar à disposição do cidadão a nossa rede de agências. É com orgulho e comprometimento que os nossos empregados se dispõem a atender e aproximar os brasileiros nesse momento de dificuldade que atravessamos”, ressaltou.

A população sem acesso aos meios digitais terá o cadastro feito gratuitamente por funcionários dos Correios. Os demais interessados que possuem condições de acesso à internet devem fazer o cadastro no aplicativo ou site da Caixa Econômica Federal ou da Dataprev. “É um serviço para buscarmos os mais vulneráveis, que vão fazer o cadastramento assistido por um funcionário dos Correios. Ele vai cuidar de todos os detalhes para cumprirmos o nosso compromisso, que o presidente Bolsonaro nos determinou, de que nenhum brasileiro vai ficar para trás”, afirmou o ministro Onyx Lorenzoni.

Documentação

Para pedir o cadastramento numa agência dos Correios, o interessado deve apresentar os seguintes documentos: identificação oficial com foto, em que conste também o nome da mãe do beneficiário; Cadastro de Pessoa Física (CPF) do usuário e dos membros da família que dependem da renda do titular e dados bancários ou documento de identificação (RG, CNH, passaporte, CTPS, RNE ou CIE) para solicitar abertura de Conta Social Digital, em nome do titular.

Para os que não são bancarizados, será aberta uma Conta Social Digital na Caixa, caso o cadastro seja aprovado. Para abertura de conta deverá ser apresentado um documento de identificação (RG, CNH, passaporte). O cidadão receberá um protocolo de cadastro ao final do atendimento.

Quem realizar o cadastramento nos Correios poderá consultar o andamento do pedido em qualquer agência da empresa após o prazo determinado pela Dataprev para a conclusão da análise. Para isso, deverá retornar com o comprovante do atendimento de cadastro e o CPF.

Vale ressaltar que os Correios não realizarão o pagamento do benefício e que acompanhamento da liberação também pode ser feito nos canais disponibilizados pelo Ministério da Cidadania, Dataprev e Caixa ou pelo telefone 121.

Na página dos Correios, no sistema Busca Agência, é possível obter informações sobre as unidades abertas ao público. A grande maioria dos pontos de atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Medidas preventivas

Em atenção à saúde de seus profissionais e do público, os Correios adotaram medidas de proteção para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Além do trabalho remoto por empregados classificados como grupo de risco, há controle do fluxo de atendimento e organização dos clientes para manter a distância recomendada.

Existem ainda reforço nos procedimentos de limpeza e cuidados extras de higiene, além de métodos para evitar o contato físico, como a desativação de totens de senhas e o não compartilhamento de objetos. Com o intuito de evitar aglomerações, foi estabelecido um calendário para a solicitação do cadastro do Auxílio Emergencial nas agências, conforme o mês de nascimento do cidadão:

Segunda-feira: nascidos em janeiro e fevereiro;

Terça-feira: nascidos em março e abril;

Quarta-feira: nascidos em maio e junho;

Quinta-feira: nascidos em julho, agosto e setembro;

Sexta-feira: nascidos em outubro, novembro e dezembro.

Assessoria de Comunicação – Ministério da Cidadania e Correios

Assessoria de Imprensa
Superintendência Estadual de MS
ms.imprensa@correios.com.br

(67) 3389-5105 / 5219

Sala de Imprensa | Blog dos Correios

Ministério da Saúde divulgará dados de Covid-19 em plataforma interativa

BOLETINS DIÁRIOS

O novo modelo de divulgação de informações sobre a COVID-19 abordará o cenário atual da doença, com análise de casos e mortes por data de ocorrência, de forma regionalizada

O novo modelo de divulgação de informações sobre a COVID-19 abordará o cenário atual da doença, com análise de casos e mortes por data de ocorrência, de forma regionalizada. Dessa forma, toda a rede de atenção à saúde estará em condições de se adequar e agir com mais efetividade contra a doença. O uso da data de ocorrência (e não da data de registro) auxiliará a se ter um panorama mais realista do que ocorre em nível nacional e favorecerá a predição, criando condições para a adoção de medidas mais adequadas para o enfrentamento da COVID-19, nos âmbitos regional e nacional

O Ministério da Saúde vem aprimorando os meios para a divulgação da situação nacional de enfrentamento à COVID-19. Os dados fornecidos nas coletivas de imprensa passaram a ser entregues em plataforma online, o que só reforça a transparência de informações para que toda a população realmente tenha acesso a qualquer momento às informações acerca da pandemia.

Leia o conteúdo na íntegra em saude.gov.br

Agência Brasil explica o que é reprodução assistida

Saiba também as normas que regem essas técnicas no país

Publicado em 08/06/2020 – 05:28 Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil – São Paulo

Com dificuldades para engravidar, muitas mulheres recorrem à reprodução assistida, procedimento que, hoje, no Brasil, é regulamentado pela Resolução 2.168/2017, do Conselho Federal de Medicina (CFM). Por definição, todo processo reprodutivo que conta com alguma intervenção médica pode ser classificado dessa maneira.

Desde 2005, o Brasil conta com a Política Nacional de Atenção Integral em Reprodução Humana Assistida, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). No Distrito Federal, por exemplo, um dos locais com serviço gratuito de reprodução assistida é o Hospital Materno-Infantil de Brasília (HMIB). Para entrar na fila de atendimento, é necessário que a interessada seja encaminhada para um hospital regional, por um médico ginecologista de um dos centros de saúde. O profissional do hospital regional irá direcioná-la para o Ambulatório da Reprodução Humana do HMIB.

Entre as operadoras de planos de saúde não há consenso a respeito da obrigatoriedade de cobrir procedimentos de reprodução assistida, o que tem levado à judicialização de casos no Brasil. A presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), Hitomi Nakagawa, afirma que, em geral, as famílias interessadas custeiam com recursos do próprio bolso os procedimentos de reprodução assistida. O valor varia de acordo com uma série de fatores, como faixa etária e condições de saúde de cada paciente, mas, em média, segundo Hitomi, o custo é de cerca de R$ 15 mil.

Caminhos distintos

São vários os motivos que levam as mulheres a optarem pela reprodução assistida, procedimento que utiliza técnicas complexas e diversas. Às vezes, para se antecipar a problemas de fertilidade, considerando-se que, em média, por volta dos 35 anos de idade, a produção de óvulos começa a entrar em declínio. Convergindo para essa saída também estão pessoas que realizam reprodução assistida post mortem, situação em que se usa o material genético de uma pessoa já falecida, mediante autorização prévia.

A reprodução assistida é vista como uma alternativa também para pacientes oncológicas que fazem tratamento contra o câncer com medicações gonadotóxicas, isto é, que ocasionam esterilidade. Por essa razão, buscam clínicas especializadas na área, para garantir que possam ter filhos futuramente, lançando mão, por exemplo, do congelamento de gametas (óvulos ou espermatozoides). 

Casais de mulheres são outro grupo que se beneficia da reprodução assistida. Para dividir ainda mais a emocionante vivência de ver a família aumentar, é comum que optem pela gestação compartilhada, que se caracteriza pela transferência do embrião formado pela fecundação do óvulo de uma delas para o útero da outra.

Entre as técnicas de reprodução assistida atualmente disponíveis, está a inseminação artificial, que consiste na introdução de espermatozoides no trato genital feminino, isto é, no interior da vagina, no canal cervical ou diretamente no útero. Outro meio largamente difundido, também considerado simples, é o coito programado, em que se acompanha o ciclo menstrual da paciente, a fim de que se programe para manter relações sexuais no período mais propício para fecundação do óvulo. 

Já na fertilização in vitro, o grau de complexidade aumenta. Nela, induz-se a união entre óvulo e espermatozoide, em ambiente laboratorial. Para se aumentar as chances de o procedimento dar certo, os embriões formados são cultivados e selecionados.

A reprodução assistida também pode contemplar o congelamento – ou criopreservação – de gametas e embriões, que tem por objetivo mantê-los intactos ante a ação do tempo. Tanto os gametas como os embriões podem ficar congelados por período indeterminado. 

Para que uma mulher possa se candidatar à reprodução assistida, é preciso atender a alguns critérios. De acordo com a resolução do CFM, a paciente deve ter, no máximo, 50 anos de idade. A resolução permite que as técnicas sejam aplicadas em mulheres acima desta idade, desde que haja posicionamento médico nesse sentido.

Gravidez de substituição

A reprodução assistida suscita diversas discussões éticas. Uma delas se refere à gravidez por substituição, que, apesar de ser chamada popularmente de “barriga de aluguel”, não pode envolver nenhuma negociação financeira. O mesmo se aplica à doação de gametas ou embriões, prática pouco conhecida no Brasil, segundo a SBRA, e que respeita uma série de restrições, como a de que os doadores não devem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa.

A resolução do CFM também impede que a reprodução assistida sirva para escolha do sexo biológico da criança e alerta que os pacientes precisam ser informados claramente sobre os riscos e benefícios que as técnicas implicam.

Em entrevista concedida à Agência Brasil, a presidente da SBRA, Hitomi Nakagawa, destacou que doadores de gametas ou embriões passam, antes, por testes que verificam o estado geral de saúde, inclusive, o psicológico. O objetivo é evitar anomalias genéticas e outros problemas. Já as pacientes que pretendem engravidar têm uma etapa de preparo do endométrio, com estimulação hormonal. 

Covid-19

No dia 3 de abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu a Nota Técnica 12/2020, em que recomenda o adiamento de qualquer tratamento de reprodução humana assistida até o final da crise sanitária de covid-19. Em meados de maio, reiterou a orientação, por meio da Nota Técnica 23/2020.

Registro civil

A emissão da certidão de nascimento de crianças concebidas por meio de reprodução assistida se tornou simplificada em março de 2016, com a publicação do Provimento nº 52, da Corregedoria Nacional de Justiça. Até então, esse tipo de registro só poderia ser conseguido através de decisão judicial, já que não havia um dispositivo que tratasse do assunto.

A resolução obriga os cartórios a adaptar as informações que constam da certidão para informar o nome de pais homoafetivos sem indicar um ou outro como mãe ou pai. Há, ainda, outra regra, que diz respeito à supressão do nome da gestante na Declaração de Nascido Vivo (DNV), em caso de gestação por substituição. 

Edição: Lílian Beraldo

ABERT: Informe Semanal – 05/06/2020

Edição nº 465 | 05 de junho de 2020

Câmara aprova MP que permite distribuição de prêmios pelas emissoras de rádio e TV

Após intenso trabalho da ABERT, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quinta-feira (4), a Medida Provisória 923, que autoriza a distribuição gratuita de prêmios a título de propaganda, quando efetuada mediante sorteio, vale-brinde, concurso ou operação assemelhada, pelas emissoras de rádio e TV. O texto aprovado foi o relatório do deputado Fernando Monteiro (PP-PE), que ampliou a proposta do governo federal, permitindo às emissoras de radiodifusão a distribuição de prêmios.

Leia mais

MCTIC prorroga suspensão dos prazos de processos administrativos

A pedido da ABERT, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações(MCTIC) prorrogou, até 30 de junho, a suspensão dos prazos nos processos administrativos e de atendimento ao público em tramitação na Secretaria de Radiodifusão (SERAD). Após essa data, os prazos serão reiniciados pelo tempo remanescente.

Leia mais

SERAD tem novas nomeações

Após designação de Wilson Wellisch para o comando da Secretaria de Radiodifusão (SERAD) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o Diário Oficial da União publicou, na edição desta sexta-feira (5), os nomes dos novos titulares dos departamentos vinculados ao setor.

William Ivo Zambelli (abaixo, à esquerda) responderá pelo Departamento de Radiodifusão Comercial. Rodrigo Cruz Gebrim (abaixo, à direita) assume o Departamento de Radiodifusão Comunitária e de Fiscalização.

Leia mais

MCTIC e BNDES apresentam linhas de crédito para radiodifusão O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Marcos Pontes e os secretários Wilson Wellisch (Radiodifusão) e Vítor Elísio (Telecomunicações) participam, nesta sexta-feira (5), às 17h, de um encontro online sobre linhas de crédito para pequenas e médias empresas de radiodifusão e de telecomunicações.

Leia mais

Criatividade para assuntos relevantes ajuda na superação de crise A comunicação assertiva e criativa no rádio para superar a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus foi tema de debate entre Leo Cardoso, jornalista e professor de locução, e Robson Ferri, CEO da RF Mídia, durante a AMIRT Live, na quarta-feira (3). 

Leia mais

ABERT debate notícias falsas A Frente Parlamentar Mista da Economia e Cidadania Digital promoveu, na segunda-feira (1º), um webinário gratuito para debater o tema “Todos Contra as Fake News – Liberdade de Expressão Online e Estratégias de Mitigação da Informação”. O evento online contou com a participação de parlamentares, representantes de empresas de tecnologia e do conselheiro da ABERT, Marcelo Bechara.
Leia mais
Alcance do rádio aumenta durante COVID-19 Mesmo diante de uma crise de proporções incalculáveis, causada pelo novo coronavírus, o alcance das emissoras de rádio de São Paulo não para de crescer. Agora, já são 18 emissoras de rádio FM a alcançar um milhão de ouvintes, cada. Os dados são do Kantar IBOPE Media e valem para o período de fevereiro a abril de 2020.
Leia mais
Imunidade mental, física e emocional durante pandemia em foco A palestrante motivacional Leila Navarro mostrou, durante o AESP Talks, encontro online promovido pela Associação das Emissoras de Rádio e Televisão do Estado de São Paulo, na quinta-feira (4), como o humor e outros estados emocionais podem ser armas importantes para melhorar nossa saúde mental.
Leia mais
Rádios baianas ajudam empreendedores durante crise sanitária Empreendedores baianos que atravessam dificuldades financeiras provocadas pela pandemia de COVID-19 ganharam um reforço de peso. Um grupo composto por dez rádios do estado se uniu para ajudar os negócios locais a superar a crise. As ações do grupo, que ganhou o nome de Rádios Solidárias, envolvem capacitar os pequenos e médios empresários, por meio de cursos online, além de abrir espaço de divulgação gratuito na grade de programação.
Leia mais
Campanha “O Rádio faz a diferença” tem apoio da ABERT Um espaço dedicado a depoimentos de locutores e profissionais do rádio sobre a importância do meio faz parte da campanha “O Rádio faz a diferença”, que tem a parceria da ABERT. Lançado pelo empresário de radiodifusão Fábio Schuck, o projeto surgiu durante a pandemia do novo coronavírus e traz reflexões de profissionais de várias partes do país, de diferentes gerações, de artistas e personalidades com forte ligação com o rádio.
Leia mais

Hospital em Brasília dá atenção especial a mães na hora do parto

© Marcello Casal/Agência Brasil

Medidas são para impedir contaminação pelo novo coronavírus

Publicado em 06/06/2020 – 19:40 Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil * – Brasília

Equipes médicas que atuam no combate ao novo coronavírus (covid-19) têm dado atenção especial às grávidas com suspeitas de contaminação pelo vírus. Em Brasília, o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) já contabiliza 17 partos cujas mulheres tinham suspeitas da doença. Desse total, seis tiveram a contaminação confirmada.

Tido como referência no atendimento a pacientes com a covid-19, o Hran divulgou, por meio da Secretaria de Saúde, os cuidados que vêm adotando no atendimento às grávidas. 

Segundo a técnica assistente Telma Nascimento, a Referência Técnica Assistencial da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin) do Hran exige todo o cuidado com o recém-nascido, desde a hora do parto até a alta.

“No nascimento, o recém-nascido é recebido por um pediatra devidamente paramentado. A ligadura do cordão umbilical é realizada no momento oportuno, bem como os cuidados da assistência ao recém-nascido em sala de parto. Caso o bebê não necessite de cuidados intensivos, ele permanece em quarto privativo de alojamento conjunto com medidas de isolamento de contato e respiratório”, explicou a técnica.

As mães são orientadas a fazer uso permanente de máscara; higienização de mãos (limpeza com água e sabão ou uso de álcool em gel 70%) antes e após o contato com o recém-nascido e manter o berço a dois metros de distância da cama da mãe.

“Caso seja necessário acompanhante durante a internação, ele deve ser único, sem trocas. Não pode pertencer ao grupo de risco e deve estar assintomático. O uso de máscara e a higienização de mãos antes e após contato com o recém-nascido também se faz necessário”, disse Telma.

Na alta hospitalar, as mães recebem também a orientação de fazer isolamento por 14 dias e entrar em contato com a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima para receber visita domiciliar.

* Com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal

Edição: Fernando Fraga

SBP faz alerta sobre o uso saudável da tecnologia durante pandemia e possível aumento da “dependência virtual” em crianças e adolescentes

Para minimizar os impactos do uso excessivo da tecnologia durante a pandemia, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou duas novas publicações para orientar pais e responsáveis sobre como conciliar a rotina de crianças e adolescentes com a utilização saudável de smartphones, computadores e tablets. Em sua mobilização, a entidade reitera todas as recomendações sobre o tempo de exposição às telas indicado para cada faixa etária, chamando atenção para a possibilidade de dependência digital e agravamento dos prejuízos causados pelo consumo exagerado dessas mídias, especialmente durante a atual crise.

Conforme destaca a presidente da SBP, dra. Luciana Rodrigues Silva, a entidade está atuando para alertar as famílias sobre os riscos inerentes a esse momento de tensão global, em que todos estão isolados em casa, em regime de adaptação. Na avaliação da pediatra, os pais devem redobrar especialmente os cuidados em relação à tecnologia e reavaliar a rotina dos filhos, para verificar se há extrapolação no uso de equipamentos digitais (TV, notebooks, celular e outros).

Para auxiliar os pais nessa tarefa, a nota de alerta “Recomendações sobre o uso saudável das telas digitais em tempos de pandemia da COVID-19 # BOAS TELAS # MAIS SAÚDE” elenca algumas sugestões para esse período de isolamento social. Segundo a publicação, é imprescindível equilibrar a rotina doméstica e estabelecer atividades múltiplas, principalmente fora das telas, para entreter, educar e desenvolver as habilidades dos filhos. Nesse contexto, os responsáveis devem reservar e delimitar um tempo para cada uma das áreas abaixo:

  • Afetividade: as crianças e adolescentes precisam conviver com amigos e demais parentes, mantendo ativo o círculo de afetividades. No entanto, é importante combinar um tempo mínimo e máximo para isto acontecer através das telas, sempre com algum acompanhamento.
  • Escola e atividades funcionais: o tempo dedicado às aulas, pesquisas e tarefas é variável em função da escola, dos equipamentos disponíveis e de outros fatores. É importante acompanhar a abordagem pedagógica e a qualidade de horas gastas com as aulas online. Estes fatos terão impacto no processo educacional e potencialmente na saúde, em casos de exageros.
  • Lazer: investir em jogos, brincadeiras e passatempos tradicionais. Os videogames, jogos online, filmes e aplicativos precisam ser sempre avaliados quanto à regularidade e à pertinência, conforme os critérios da Classificação Indicativa.
  • Convivência familiar: trocar experiências entre si, dialogar e conhecer. Este talvez seja o tempo mais precioso para observar e reconhecer o filho, em suas habilidades, valores, dificuldades e limites. Ocasião propícia para divisão de tarefas domésticas e criar novas formas de unir a família.
  • Saúde: respeitar as horas de sono adequadas para cada faixa etária e manter o horário habitual de ir para a cama; investir numa alimentação saudável e com horários pré-fixados para café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar, evitando ao máximo produtos ultraprocessados; e praticar ao menos uma atividade física regular, seja por meio de exercícios ou brincadeiras com movimentos ativos.

LEIA AQUI: Recomendações sobre o uso saudável das telas digitais em tempos de pandemia da COVID-19.

DEPENDÊNCIA DIGITAL – A preocupação com os possíveis agravos à saúde foi enfatizada no documento científico “Dependência virtual – um problema crescente #MENOS VÍDEOS #MAIS SAÚDE”. Na mais recente Classificação Internacional de Doenças (CID-11), a Organização Mundial de Saúde (OMS) já reconhece o vício em videogames ou jogos online como doença: gaming disorder.

Segundo a coordenadora do Grupo de Trabalho sobre Saúde na Era Digital da SBP, dra. Evelyn Eisenstein, a falta de controle sobre o jogo (início, duração, frequência, intensidade), o aumento da prioridade dada ao ambiente virtual em comparação com outras atividades diárias e a continuidade ou aumento do uso, apesar das consequências negativas, são as principais características dessa nova doença.

LEIA AQUI: Dependência virtual – um problema crescente.

“Diante dos atuais acontecimentos globais e a pandemia, estamos ainda mais receosos com essa problemática. Os pais estão sobrecarregados e assim, inadvertidamente, acabam por admitir práticas exageradas que certamente trarão prejuízos para o desenvolvimento físico e psicológico dos seus filhos. Aparentemente inofensivos, os games são uma fonte recorrente de excessos. Não é razoável um jovem passar cinco ou seis horas por dia em jogos, mesmo na quarentena”, afirma a pediatra.

Na publicação da SBP sobre dependência digital, há uma extensa lista de problemas relacionados ao mau uso das tecnologias, entre eles: problemas de saúde mental, como irritabilidade, ansiedade e depressão; Transtornos do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH); transtornos do sono; transtornos de alimentação; sedentarismo; miopia e síndrome visual do computador; transtornos posturais e músculo-esqueléticos; e mais.

“Nesse momento de isolamento, as dificuldades de adaptação são compreensíveis. Além do cuidado com os filhos, há novos desafios para as famílias solucionarem, seja nos serviços domésticos diários ou home office. Por isso mesmo, os adultos devem atuar mais ativamente”, diz.

Conforme orienta a especialista, as relações humanas precisam prevalecer, norteadas por afeto e compreensão, para que essa fase difícil seja superada em conjunto. “A adequação no dia a dia depende sobretudo do bom senso dos pais, que precisam observar atentamente as recomendações dos pediatras e analisar a rotina da criança para minimizar possíveis agravos à saúde. Um adolescente em regime de Educação à Distância (EAD), que gasta outras quatro ou cinco horas diárias em redes sociais, pode desenvolver problemas graves”, frisa.

As recomendações expressas no Manual de Orientação #MenosTelas #MaisSaúde da SBP, publicado pelo  Grupo de Trabalho sobre Saúde na Era Digital da entidade, permanecem  vigentes e devem ser utilizados como base para orientar o uso de telas por crianças e adolescentes:

  • Evitar a exposição de crianças menores de dois anos às telas, mesmo que passivamente. *Liberado apenas para o uso afetivo (contato breve com avós e familiares) gerenciado pelos pais;
  • Limitar o tempo de telas ao máximo de uma hora por dia, sempre com supervisão para crianças com idades entre dois e cinco anos;
  • Limitar o tempo de telas ao máximo de uma ou duas horas por dia, sempre com supervisão para crianças com idades entre seis e 10 anos;
  • Limitar o tempo de telas e jogos de videogames a duas ou três horas por dia, sempre com supervisão; nunca “virar a noite” jogando para adolescentes com idades entre 11 e 18 anos;

Confira todas as orientações da SBP a respeito da COVID-19 e saúde pediátrica em: https://www.sbp.com.br/especiais/covid-19/

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA SBP.

CONTATO: (21)2256-6856/2548-1999 (ramal 33) / Email: imprensa@sbp.com.br

Como saber a hora de usar aparelho auditivo

A partir dos 50 anos, muitas pessoas já começam a sentir dificuldades para ouvir mas relutam em procurar a orientação de um especialista.

O envelhecimento é um dos fatores que provoca a perda auditiva. Isso ocorre porque as células ciliadas do ouvido, responsáveis pela audição, vão morrendo com o passar do tempo e a situação piora a partir dos 50 anos. 

O processo de perda de audição fica mais acelerado na Terceira Idade. É o que os especialistas chamam de Presbiacusia. No entanto, o distúrbio vem atingindo cada vez mais a população jovem e adulta. Com a exposição prolongada a sons muito altos, principalmente por causa do hábito de ouvir música em fones de ouvido, os brasileiros estão desenvolvendo perda auditiva mais cedo. Se o seu amigo está ao seu lado com fone de ouvido e, mesmo assim, você consegue escutar a música que ele está ouvindo, chama a atenção dele!

Como a expectativa de vida dos brasileiros vem aumentando a cada ano e o processo de perda auditiva está mais acelerado – atingindo até mesmo adultos com vida profissional intensa por causa da overdose de barulho na sociedade atual -, é importante ficar atento e se cuidar o quanto antes para manter a comunicação com familiares, amigos e colegas de trabalho.

“Alguns indivíduos perdem a audição mais cedo que outros, mas é a partir dos 50 anos, na maior parte das vezes, que as pessoas começam a observar as primeiras dificuldades para ouvir. A partir dos 60 anos, o quadro tende a se agravar. Por isso, é importante buscar ajuda aos primeiros sinais de incômodo”, explica a Fonoaudióloga Marcella Vidal, da Telex Soluções Auditivas.

Dados da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia apontam que as pessoas demoram cerca de sete anos para procurar um especialista após perceberem algum dano à audição e ainda levam mais dois anos para escolher um tratamento. Estudos da entidade comprovaram que quem precisa e não usa aparelho auditivo tem, frequentemente, grande dificuldade de participar de atividades sociais, principalmente no ambiente familiar. Isso pode provocar efeitos psicológicos negativos, como isolamento, insegurança, tristeza, irritação, medo e até depressão. Além disso, pessoas com perda de audição não tratada apresentam, em geral, mais problemas físicos do que as que usam aparelho, como cansaço, fraqueza, dor de cabeça, vertigem, tensão muscular, estresse, falta de apetite e insônia.

“Fica aqui o nosso alerta para a importância de se buscar o quanto antes a orientação de um médico otorrinolaringologista. Ele vai verificar o tipo e o grau de perda auditiva e indicar o melhor tratamento. Na maioria dos casos, o uso de aparelho auditivo melhora a condição auditiva do indivíduo”, ressalta a Fonoaudióloga da Telex.

Nos Estados Unidos, a pesquisa MarkeTrak revelou que 88% dos usuários de aparelhos auditivos afirmaram que a qualidade de vida deles melhorou depois do uso das próteses. Na Europa, a pesquisa EuroTrak, feita na Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Polônia, Países Baixos, Suiça e Dinamarca, mostrou que 82% dos usuários também disseram ter tido maior qualidade de vida. E no Japão, a pesquisa JapanTrak chegou a um índice de satisfação de 85% entre usuários de aparelhos auditivos.

Antigamente, quem tinha problemas de audição usava aparelhos enormes nos ouvidos que causavam constrangimento. Por isso, muitos resistiam e preferiam ficar sem ouvir. Mas atualmente, com a evolução tecnológica, os aparelhos auditivos têm tanta tecnologia quanto os celulares e são bem discretos. Muitas vezes, as pessoas em volta nem notam o aparelho. Ninguém mais precisa sofrer com situações incômodas porque não ouve bem. As modernas próteses resgatam os sons e permitem que se viva com mais alegria e disposição.



Vantagens do uso de aparelho auditivo

– Melhoria nos relacionamentos com a família e amigos;
– Maior bem-estar físico e mental;
– Melhoria do foco e concentração;
– Sentir-se mais independente e seguro;
– Menor sensação de cansaço;
– Mais disposição e confiança para participar de reuniões sociais;
– Ser mais produtivo no trabalho.


Mais informações:

Assessoria de imprensa da Telex Soluções Auditivas
Ex-Libris Comunicação Integrada 
Cristina Freitas (21) 99431-0001 – cristina@libris.com.br

CONSUMIDORES DA SODEXO TÊM ACESSO À PROMOÇÕES E DESCONTOS ESPECIAIS NO DIA DOS NAMORADOS

Clube de vantagens da Sodexo disponibiliza produtos e experiências com descontos de até 30%, além de brindes oferecidos pelas empresas parceiras participantes

São Paulo, junho de 2020 A Sodexo Benefícios e Incentivos, referência em serviços que levam mais qualidade de vida às pessoas e organizações, reuniu uma série de ofertas especiais em comemoração ao Dia dos Namorados, celebrado na próxima sexta-feira, dia 12 de junho.

A partir da página especial criada para a ocasião, todos os consumidores da marca têm acesso a promoções e descontos de até 30%, oferecidos por empresas parceiras, em produtos e serviços como cestas personalizadas, moda íntima, artigos esportivos, flores, maquiagem, perfumes, eletroeletrônicos, experiências exclusivas e muito mais.

As promoções e descontos estão disponíveis para os consumidores de todo o Brasil que contam com os cartões Sodexo.

O Sodexo Club

Lançado em agosto de 2018, o aplicativo disponibiliza informações que ajudam na gestão diária dos benefícios, como: consulta de saldo e extrato; gasto médio no período; busca de rede credenciada; acesso a festivais gastronômicos; e promoções que aumentam o poder de compra dos consumidores.

Sobre a Sodexo Benefícios e Incentivos

É a empresa do grupo francês Sodexo, líder mundial em serviços de qualidade de vida. Tem em sua missão desenhar, gerenciar e entregar serviços para empresas de todos os portes, segmentos e regiões do Brasil com o objetivo de melhorar a qualidade de vida diária das pessoas e contribuir para o desenvolvimento econômico, social e ambiental das cidades, regiões e dos países em que atua.

Atende aproximadamente 103 mil clientes, que representam 5,9 milhões de usuários, com uma rede de 505 mil estabelecimentos credenciados em todo o País com serviços únicos no mercado de benefícios, gestão de despesas, incentivos e reconhecimento: Refeição Pass, Alimentação Pass, Cultura Pass, VT Pass, Combustível Pass, Gift Pass, Alimentação Pass Natal, Brinquedo Pass, Premium Pass, Wizeo, GymPass e Apoio Pass.

________________________________

Informações

Assessoria de imprensa Sodexo Brasil

Tamer Comunicação

Claudia Reis – 11 3031-2388 – ramal 219 – 11 97514-0815

(claudia@tamer.com.br)

Leonardo Nascimento – 11 3031-2388 – ramal 221

(leonardo@tamer.com.br)

www.sodexobeneficios.com.br