Governo defende integração do setor público e privado de Brasil e Paraguai para desenvolver fronteira

Campo Grande (MS) – O Governo de MAto Grosso do Sul defendeu a integração entre os setores Público e Privado para desenvolver  fronteira de Brasil e Paraguai. O secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) participou no fim da tarde de segunda-feira (8) da live promovida pela Câmara de Comércio Paraguai Brasil sobre os “Desafios e Oportunidades Regionais de Integração Produtiva – Capítulo Mato Grosso do Sul” e defendeu a importância da integração entre os setores público e privado do Brasil e Paraguai para identificar oportunidades de negócio e de modernização de protocolos sanitários e alfandegários que favoreçam as relações comerciais e contribuam para promoção do desenvolvimento econômico da região de fronteira.

“Esse processo de integração regional é fundamental para a logística e nos traz desafios e oportunidades, uma delas é Rota Bioceânica. Hoje temos o fechamento das fronteiras, que é uma questão momentânea, mas também um momento para nos dedicarmos ás ações mais burocráticas, como licitações, verificar leis, como alfândega entre os países do Corredor Bioceânico”, afirmou o secretário.

O titular da Semagro reforçou que “essa deve ser uma agenda de curto prazo. Temos de fazer um novo protocolo sanitário e de regramento alfandegário, principalmente nos municípios da fronteira, como Mundo Novo, Ponta Porã e Porto Murtinho. Promover de fato a integração hidroviária, rodoviária e ferroviária. A Rota Bioceânica já é uma realidade em execução, vai promover a integração dos países ao longo do trajeto, mas a grande oportunidade é que ela vai nos permitir chegar ao mercado asiático, o maior do mundo hoje, de forma competitiva”.

Ainda conforme Jaime Verruck, outra grande preocupação são os pequenos investimentos e negócios. “A preocupação do fechamento da fronteira está nesses pequenos negócios e vejo esse debate como de extrema importância para também discutirmos os impactos que eles terão mesmo após a reabertura das fronteiras. Precisamos de uma política de crédito e de reestruturação das cadeias. A integração ocorre, mas precisamos de capacidade para tomar decisões de forma mais rápida”, finalizou.

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, defendeu que o momento é uma oportunidade para o alinhamento de ações entre os dois países, pontuando os principais gargalos enfrentados pelo setor privado, tanto do Paraguai como do Brasil. “Acredito que podemos fazer vários encontros de forma virtual, elencando cinco prioridades para discutirmos formas de solucionar esses problemas. As questões de fronteira nos preocupam bastante, principalmente com relação aos feriados prolongados, quando temos caminhões por um longo período presos dos dois lados da fronteira”, afirmou.

A ministra de Indústria e Comércio do Paraguai, Liz Cramer, também defendeu o uso dos meios digitais para promover reuniões e também para fortalecer os negócios. “Acreditamos em um crescimento no comércio eletrônico e estamos trabalhando para desenvolver essa questão. Além disso, temos um plano de ações para a reativação da economia para minimizar os efeitos dessa pandemia, principalmente envolvendo as pequenas empresas com crédito e redução de custos para essas empresas”, declarou.

Entre as ações, destacam-se investimentos em infraestrutura com obras públicas de transporte e saneamento, incluindo as obras relativas à Rota Bioceânica, que ligará o Brasil aos portos do Chile no Oceano Pacífico, passando por Paraguai e Argentina. “Vemos essas ações como oportunidades de empresas brasileiras se consorciarem com empresas paraguaias para essas obras e, assim, ajudar na retomada da economia dos dois países”, acrescentou Liz Cramer.

O senador Nelsinho Trad, que também participou do debate, ressaltou que as relações entre os países vizinhos são prioritárias para o governo brasileiro. “Como sou de Mato Grosso do Sul, considero essencial esse tipo de ação diplomática, que, com certeza, vai trazer ações comerciais entre o Brasil e o Paraguai. Entendo que todos nós sofreremos grandes transformações pós-pandemia e essas relações de confiança, como as que temos entre o Mercosul, serão ainda mais importantes”, salientou.

Também participaram da live sobre “Desafios e Oportunidades Regionais de Integração Produtiva – Capítulo Mato Grosso do Sul” o ministro da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, João Carlos Parkinson de Castro, o embaixador do Brasil no Paraguai, Flávio Soares Damico, o vice-ministro de Relações Econômicas e Integração do Paraguai, Didier Olmedo, e o presidente da Câmara de Comércio Paraguai e Brasil, Rubén Jacks.

Marcelo Armôa, Semagro

Turismo de MS lança logomarca para sinalizar boas vindas ao público LGTB

O lançamento da marca acontece hoje, em sistema online, para sinalizar que diversidade é bem – vinda nos roteiros turísticos sul-mato-grossenses

Campo Grande (MS) – No mês do orgulho LGBT, comemorado dia 28 de junho, a Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul dá mais um passo no posicionamento do estado para agregar o turismo LGBT. Uma votação online entre trade turístico e população do estado elegeu a marca da comunicação desse segmento. A logomarca escolhida, disponibilizada para download no site www.visitms.com.br, poderá ser usada em todos os estabelecimentos e materiais gráficos ou digitais voltados a esse público para sinalizar que a diversidade é bem-vinda.

“O lançamento da logomarca é o resultado de um trabalho responsável e coletivo, realizado pela Fundação de Turismo e pelo trade sul-mato-grossense que se mostrou muito interessado em bem receber o público LGBT em nossos destinos turísticos. Considerando a questão da pandemia, na medida do possível, estamos trabalhando muito para manter planos de desenvolvimento e promoção em andamento. Por isso, a comemoração do mês do orgulho LGBT com o fortalecimento de nosso posicionamento é muito significativo para nós”, afirma Bruno Wendling, diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul.

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), o turismo LGBT representa 10% do volume do turismo mundial, sendo responsável por 15% de todo valor movimentado no setor. O Brasil é o segundo maior mercado LGBT no mundo, ficando atrás somente dos Estados Unidos.

Para a gerente de Mercado da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Karla Cavalcanti, a participação nos principais eventos voltados ao mercado LGBT foi importante para o posicionamento do estado. “Percebemos a necessidade de entendermos como esse público se comporta e a maneira de nos posicionarmos para abrir as portas efetivamente para eles. Então a Fundtur promoveu discussões com o trade estadual, inclusive no Seminário Isto é MS ano passado e no Workshop realizado em Bonito este ano, para começarmos a definir ações do destino Mato Grosso do Sul com a intenção de atrair e melhor atender esse público”, ressalta a gerente. 

Em 2017, Mato Grosso do Sul deu um dos passos mais importantes para as políticas públicas LGBT, com a criação de uma subsecretaria que trata exclusivamente desse público. “O estado de Mato Grosso do Sul busca a segurança do público LGBT. Temos uma lei de 2005 que pune administrativamente pessoas que cometam atos de discriminação, que é levada em palestras e seminários com servidores públicos e estabelecimentos privados para o atendimento humanizado para a população”, complementa Frank Rossatte, da subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT.

Lei contra a homofobia e racismo

A Lei Estadual 3.157/05 dispõe sobre as medidas de combate à discriminação devido à orientação sexual no Estado de Mato Grosso do Sul. O Art. 1º fala que toda e qualquer forma de discriminação, prática de violência, seja de ordem física, psicológica, cultural e verbal ou manifestação de caráter preconceituoso contra pessoa por motivos derivados de sua orientação sexual e gênero, feminino ou masculino é ilícita, devendo ser combatida e punida na forma da Lei.

O Art. 2º explica que discriminação é qualquer ação ou omissão que, motivada pela orientação sexual, causar constrangimento, exposição a situação vexatória, tratamento diferenciado, cobrança de valores adicionais ou preterição no atendimento a gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e travestis.

Já em 21 de maio de 2020, a Prefeitura de Bonito encaminhou à Câmara Municipal um Projeto de Lei que veta pessoas condenadas pelos crimes de racismo de qualquer natureza, incluindo homofobia e transfobia, de serem nomeadas para ocupar cargo de comissão ou contratação de qualquer natureza nos Poderes Executivo e Legislativo do município, que é considerado um dos mais importantes destinos de ecoturismo do Brasil. 

O projeto tem como base a Lei Federal nº 7.716, de 05 de janeiro de 1989, que define crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor, a qual se aplica aos delitos de homofobia e transfobia ante a omissão legislativa sobre a matéria.

Débora Bordin , FundturMS 
Foto: @visitmsoficial

Operação Pátio Zero encerra dois leilões online de sucata aproveitável

Campo Grande (MS) – Operação Pátio Zero do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) encerra dois leilões de sucata aproveitável, nesta terça-feira (09) e quarta-feira (10). O edital de abertura do certame foi publicado em Diário Oficial no dia 25 e 27 de maio. No total, 624 motocicletas e 43 automóveis estão disponíveis para os lances online.

Conforme a Coordenadora de leilão do Detran-MS, Sandra Regina Vera Celestino, os veículos leiloados  são de sucata aproveitável, ou seja, veículos cujas peças poderão ser reaproveitadas em outro veículo, com inutilização de placas e chassi em que conste o número de identificação veicular.

Sandra explica que de acordo com as regras do leilão, somente pessoas jurídicas podem participar desta categoria. “Não podem participar servidores do órgão e seus parentes até segundo grau, cônjuge e companheiros, o leiloeiro e seus parentes, ou membros de sua equipe de trabalho, aqueles que sejam prestadores de serviço do Departamento, pessoas menores de 18 anos ou declaradas inidôneas”, finaliza.

O diretor-presidente do órgão, Rudel Trindade, enfatiza que a iniciativa de incluir essa nova categoria aos leilões, irá agilizar a venda e a retirada dos veículos dos pátios do órgão.

Leilões disponível

Mais de 400 veículos para circulação estão disponíveis no leilão aberto na última terça-feira (02). O certame é online, realizado pelo portal www.casadeleiloes.com.br, com encerramento previsto para às 15h do dia 23 de junho.

Viviane Freitas, Detran
Foto: Arquivo Subcom

Publicada mudança em regra de idade para ingresso na carreira penitenciária

Campo Grande (MS) – O Diário Oficial do Estado (DOE), desta terça-feira (9.6), traz alteração da Lei 4.490/2014, que disciplina a carreira Segurança Penitenciária e reestrutura o quadro de pessoal da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul (Agepen/MS).

A nova publicação altera o § 2º do artigo 11 e estabelece que a comprovação da idade para investidura nos cargos efetivos seja realizada já no ato da inscrição do concurso público, para evitar que o candidato seja eliminado por esse critério nas etapas finais da seleção. Conforme a Lei, a idade mínima é de 21 e a máxima de 40 anos.

A regulamentação foi idealizada pelo Executivo a partir da impossibilidade de se antever a data em que será realizada a fase para verificação do requisito da idade.

Confira na íntegra, a alteração da lei a partir da página 02 (clique aqui!).

Assessoria de Comunicação Agepen/MS

Foto: Divulgação Agepen/MS

MS: Em fiscalização, Agepan determina substituição de veículo com excesso de passageiros

Campo Grande (MS) – O descumprimento da medida preventiva de saúde sobre limite de passageiros nos veículos levou a fiscalização da Agepan a reter um micro-ônibus e determinar a substituição para seguir viagem. O carro foi retido durante operação no terminal rodoviário de Dourados, na sexta-feira (6/6), quando se preparava para a saída da linha com destino a Douradina, distante cerca de 40 quilômetros.

O veículo levava um total de 27 passageiros, sendo que seis deles viajavam em pé. Já irregular em condições normais, a lotação contraria orientações indicadas pela Agência como medida preventiva de contaminação do novo coronavírus. Para manter o distanciamento social adequado à segurança dos passageiros, o veículo só poderia transportar 11 pessoas.

A fiscalização determinou que a empresa Maranata Transportes substituísse o micro-ônibus por um veículo com capacidade maior para que a viagem prosseguisse.

Fiscalização

Retomadas a partir de 7 de maio, as fiscalizações volantes foram intensificadas, com ênfase no combate ao transporte clandestino e à verificação do cumprimento dos procedimentos que tratam do controle da disseminação do novo coronavírus pelos transportadores legalizados. Concessionárias e autônomos do sistema só podem rodar se seguirem os protocolos orientados pelas autoridades de saúde, entre eles o de restringir a quantidade de pessoas no veículo à metade da capacidade, para evitar aglomeração.

Gizele de Oliveira, Agepan
Foto: Arquivo Agepan

Nova diretoria do Sinted toma posse para gestão 2020-2023

Sob a presidência de Maria Aparecida Diogo e vice-presidência de Adriana Paula Vasconcelos Medeiros, o evento foi realizado via webconferência.

08/06/2020 17h46
Por: Julia Vasquez com informações do Sinted

Na manhã de hoje (8), aconteceu a cerimônia de posse da chapa eleita “SINTED Nossa Força, Nossa Voz!”, para a Diretoria Triênio 2020-2023. Foto: Assessoria Sinted.

TRÊS LAGOAS (MS) – Na manhã de hoje (8), aconteceu a cerimônia de posse da chapa eleita “SINTED Nossa Força, Nossa Voz!”, para a Diretoria Triênio 2020-2023, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Três Lagoas e Selvíria – MS. Sob a presidência de Maria Aparecida Diogo e vice-presidência de Adriana Paula Vasconcelos Medeiros, o evento foi realizado via webconferência. Foto: Sinted.

Sob a presidência de Maria Aparecida Diogo e vice-presidência de Adriana Paula Vasconcelos Medeiros, o evento foi realizado via webconferência, para preservar a saúde dos trabalhadores em educação, contra a pandemia da Covid-19. Além da Diretoria, a Comissão Eleitoral esteve presente para a regulamentação de posse.

“Hoje é um dia muito especial e marcante para todos nós. Infelizmente estamos fazendo esse evento virtualmente, mas gostaríamos de agradecer a todos que nos apoiaram durante esse percurso, e que juntos iremos lutar por melhorias e valorização dos trabalhadores em educação, com muita união, força e representatividade”, ressalta a presidente.

Ainda durante a manhã, houve as primeiras mobilizações da diretoria, protocolando o primeiro ofício referente ao empréstimo consignado dos servidores públicos, e realizando um agendamento de reunião com a SEMEC e Comitê de Enfrentamento da Covid-19, para debater sobre o retorno ou suspensão das aulas nas unidades de ensino.

DIRETORIA “SINTED NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ!”:

Presidente: Maria Aparecida Diogo;

Vice-Presidente: Adriana Paula Vasconcelos Medeiros;

Primeira Secretária: Isabel de Lourdes Lopes Souza Borges;

Segunda Secretária: Lucilene da Silva Santos;

Primeira Tesoureira: Valdenia Aparecida de Almeida;

Segunda Tesoureira: Celenir Maria Soares Nunes;

Departamento de Imprensa e Divulgação: Petrônio Alves Corrêa Filho;

Departamento de Educação e Sócio-Cultural: Milene Machado Ribeiro;

Departamento de Formação Sindical: Rosimeire Leiko Tsuruda;

Departamento de Assistência e Jurídicos: Izabela de Lourdes Silva Dantas;

Departamento de Lazer e Desportos: Luiz Henrique Bueno Sferra;

Departamento dos Aposentados: Arlinda Fátima de Andrade;

Departamento dos Administrativos: Lindinalva de Melo Ferreira Rego.

Primeira Suplente de Departamento: Ana Maria Silva Antunes;

Segunda Suplente de Departamento: Maria Luiza Barrios de Lamare.

Conselho Fiscal: Ana Maria Neves, Luciene Soares da Silva, Nilva Aparecida Costa, Fátima Pereira Gonsalves; Conselheira Érica Adriana Bertoletti Lemes;

Suplentes: Adriana Ribeiro Santana e Gislaine Maria da Silva Marquez.

Fonte: Rádio Caçula

Jovem de 27 anos é mais uma vítima da Covid-19 em Três Lagoas

Três Lagoas chegou a 1212 casos notificados, destes, 160 deram positivo para a doença, porém 133 já se recuperaram e 05 foram a óbito

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio do setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), divulgou o Boletim Epidemiológico COVID-19 desta segunda-feira (8).

Foi registrado 01 novo caso positivo, trata-se de um homem de 27 anos que teve contato com caso confirmado e está em isolamento domiciliar. No hospital estão 04 casos suspeitos da doença, 02 em enfermaria pública e 02 em UTI pública.

Três Lagoas chegou a 1212 casos notificados, destes, 160 deram positivo para a doença, porém 133 já se recuperaram e 05 foram a óbito, 1017 foram descartados, 33 ainda aguardam resultado e 02 foram excluídos.

Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, médica conscientiza sobre essa questão

A data tem a finalidade de divulgar medidas preventivas necessárias para a redução e tratamento deste tipo de acidente

Junho é o mês das festas juninas, mas também traz o perigo de fogueiras e balões, típicos da comemoração. No entanto, mesmo que, em decorrência da pandemia, não haja festas neste ano, os acidentes domésticos ainda podem causar graves ferimentos e devem ter atenção das pessoas. Em 06 de junho, foi o Dia Nacional de Luta contra Queimaduras. A data alusiva pede a conscientização às queimaduras e seus agentes causadores. 

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Queimaduras, cerca de um milhão de pessoas sofrem queimaduras no Brasil. A cada ano, 200 mil são atendidos em serviços de emergência e 40 mil demandam hospitalização. As maiores vítimas, segundo o Ministério da Saúde, são crianças e pessoas de baixa renda. A médica generalista que atua na Cassems, Rayssa Zanatta, fala sobre esse fenômeno.

Rayssa Zanatta explica que a principal consequência das queimaduras é a lesão na pele. “Dependendo do grau da queimadura, pode atingir tecidos mais profundos. Ela pode causar vermelhidão, bolhas, dor intensa e até a morte do tecido”.

De acordo com a médica, os cuidados de um profissional da saúde são fundamentais para o tratamento efetivo de uma queimadura. “Mesmo que em menor grau, as queimaduras exigem cuidados específicos para a devida recuperação. No atendimento médico, a ferida será avaliada e tratada, evitando algumas complicações, como infecção no local”.

Rayssa ressalta, também, a recomendação para que pacientes não tentem amenizar as feridas com receitas caseiras. “No pronto socorro, vemos muitos casos de pacientes que usam em suas queimaduras pomadas para assaduras de bebê, café, sal, entre outros elementos  e, isso, não se deve fazer, não existe benefício nessas aplicações, elas apenas pioram o quadro e necessitam da retirada, sendo por muitas vezes dolorosa. Ainda, não se deve retirar objetos ou roupas grudadas na pele ou estourar as bolhas que surgirem, é preciso ir à uma unidade de saúde e deixar que os profissionais realizem esse procedimento de forma adequada”.

Para socorrer uma vítima de queimadura leve, a médica orienta para lavar com água corrente, esfriando o local do ferimento. “Pode-se usar compressas frias também, mas deve-se levar o paciente imediatamente a uma unidade hospitalar. Nas queimaduras graves, é preciso, imediatamente, acionar unidade de transporte móvel para prestar o atendimento devido”.

Quando procurar atendimento médico

Rayssa explica que a gravidade da queimadura é definida pela extensão da pele atingida. “A classificação do ferimento pode ser elencada em primeiro grau, quando há apenas área avermelhada, atingindo a parte mais superficial da pele. Segundo grau, quando há bolhas e muita dor. Por último, terceiro grau, com lesão esbranquiçada ou mais escura, seca, endurecida, que acomete todas as camadas da pele, podendo atingir estruturas mais internas, como músculo, tendão e osso”.

Conforme explica a médica, é necessário procurar um médico  quando não se tem certeza da gravidade da queimadura. “É preciso buscar atendimento, também, em queimaduras com produtos químicos ou por eletricidade e queimaduras de segundo grau que atingem 10% da superfície corporal em adultos e 5% em crianças. Como, muitas vezes, é difícil saber a porcentagem, em caso de dúvida, a orientação é para buscar o atendimento médico. Queimaduras de terceiro grau e na presença de sinais de infecção precisam de atendimento médico imediato”.

Assessoria de Comunicação CassemsRua Antônio Maria Coelho, 6065 – Vivendas do Bosque – Campo Grande/MSFone: 67 3309-5365 / 9 9983-3869 / 9 9974-0628Email: comunicacao@cassems.com.br
www.cassems.com.br
www.twitter.com/CASSEMS
www.facebook.com/cassems

Descobrindo doenças nos primeiros dias de vida | Teste do Pezinho

Obrigatório no Brasil desde 2001 pela Lei número 822, tem o objetivo da detecção precoce de patologias genéticas, infecciosas e hematológicas e, em sendo assim, é fundamental para o início do tratamento específico para eliminar ou diminuir sequelas nas crianças1.

Teste do Pezinho reforça a importância do exame para detectar doenças importantes nos primeiros dias de vida dos bebês

O Teste do Pezinho faz parte do Programa de Triagem Neonatal (PNTN) e está disponível na saúde púbica (SUS), ou seja, é um direito de toda criança ao nascer2,  consegue diagnosticar até sete tipos de doenças, algumas raras, logo nos primeiros dias de vida do bebê. Simples e pouco invasivo, o exame, realizado por meio de uma gota de sangue coletada do calcanhar do recém-nascido entre o terceiro e o quinto dia de vida, é de extrema importância para o desenvolvimento saudável das crianças.

Ressalta-se que a triagem neonatal é fundamental porque, por meio deste teste, é possível termos a detecção, diagnóstico e a intervenção precoce que podem prevenir a morte ou incapacidade das crianças. Porém, existe uma doença muito grave, chamada de Atrofia Muscular Espinhal (AME) que ainda não está contemplada no PNTN. Trata-se de um dos distúrbios genéticos letais mais comuns, com incidência de aproximadamente um a cada 10.000 nascidos vivos, uma condição em que os pacientes perdem neurônios motores responsáveis pelas funções como respirar, engolir, falar e andar3.

Para Diovana Loriato, Presidente do Instituto Nacional da Atrofia Muscular Espinal (INAME), é vital a incorporação da AME no PNTN. “Essa discussão é urgente porque estamos falando de uma doença degenerativa e, assim, quanto mais cedo a criança for diagnosticada, mais cedo receberá a terapia adequada. Se tratada antes do aparecimento dos sintomas, maiores serão as chances do sucesso do tratamento”, complementa Loriato.

“A AME é uma doença grave e fatal com grande impacto econômico e social. É causada pela perda irreversível dos neurônios motores na medula. Atualmente, existem tratamentos capazes de evitar a progressão da doença e, assim, manifestações mais graves como e ventilação permanente”, explica Vanessa Van Der Linden, neuropediatra do Centro de Referência em Doenças Raras de Pernambuco. A especialista complementa dizendo que se faz necessário a implementação de Triagem Neonatal em todo território nacional visando diagnosticar bebês com AME em uma fase anterior ao início das manifestações clínicas da doença para que, assim, possamos salvar mais vidas.

Sobre a Atrofia Muscular Espinhal

A AME é uma doença rara causada pela deleção do gene SMN16. Crianças com AME Tipo 1 representam de 50% a 60% dos casos e perdem rápida e irreversivelmente os neurônios motores responsáveis pelas funções musculares7-11. “Quando não diagnosticada e tratada a tempo, os músculos do bebê vão enfraquecendo progressivamente, o que pode levar à paralisia ou morte, na maioria dos casos até os dois anos de idade4. A doença é a principal causa genética de morte em bebês4-5.

Alguns tratamentos com o apoio multidisciplinar – tais como fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, entre outros-  são capazes de reduzir complicações e sintomas e até impedir o agravamento das doenças raras.

Isabela Lucena

Junior Associate, Media Relations

/Users/catherine.lim/Library/Containers/com.microsoft.Outlook/Data/Library/Caches/Signatures/signature_404713458

M: +55 11 94809 4235

Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 1297 | São Paulo, SP 04571-010 | BrazilThis message contains information which may be confidential and privileged. Unless you are the intended recipient (or authorized to receive this message for the intended recipient), you may not use, copy, disseminate or disclose to anyone the message or any information contained in the message. If you have received the message in error, please advise the sender by reply e-mail, and delete the message. Thank you very much.

Lucena, Isabela (SPL-IPG)

Projeto social doa 13 carretas de EPIs para MS

Campo Grande (MS) – Remessas de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), doadas pelo projeto social “Todos Pela Saúde”, do Banco Itaú, chegará a Mato Grosso do Sul nos próximos dias para reforçar o combate ao coronavírus. Ao todo, 13 carretas com máscaras, toucas, óculos e outros equipamentos serão entregues ao Estado.

Representante do projeto, Sandra de Paula falou sobre a doação durante live nas redes sociais do Governo nesta segunda-feira (8/6). Ela destacou que o projeto acompanha, diariamente, a “forma transparente” com que o Governo do Estado tem tratado a pandemia e informado a população. “Admiramos muito a gestão que vocês (Estado) estão fazendo”, pontuou.

Desde que o projeto foi iniciado em abril, mais de 5,7 milhões de itens foram doados para todos os estados brasileiros – entre EPIs e outros equipamentos, como respiradores e monitores cardíacos. O projeto é coordenado por especialistas de diversas áreas, entre elas a da saúde. Um dos nomes à frente da iniciativa é o do médico Drauzio Varella.

Coronavírus

Mato Grosso do Sul atingiu hoje a marca de 2.324 casos confirmados de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Os diagnósticos foram registrados em 52 das 79 cidades do Estado. Ao todo, 22 pessoas perderam a vida por causa da infecção. Os números colocam MS em último lugar na lista dos estados brasileiros atingidos pelo novo vírus.

Mais detalhes sobre a doação do projeto “Todos pela Saúde” podem ser conferidos no vídeo de hoje publicado no Facebook do Governo do Estado: facebook.com/GovernodeMatoGrossodoSul. No material também é possível conferir os números da doença em MS.

Live

Diante da pandemia de coronavírus e da frequente necessidade de utilizar a informação como ferramenta de saúde, o Governo do Estado adotou o formato de live em redes sociais para informar jornalistas e sociedade sobre a situação da doença em MS, evitando assim a propagação de fake news.

Bruno Chaves, Subcom
Foto: Arquivo Subom