CE: Suspeito de matar ganhador da Mega-Sena é morto a tiros em Campos Sales

Ganhador da Mega-Sena, Miguel Ferreira de Oliveira foi morto no dia 4 de fevereiro de 2018 (Crédito: Reprodução/ Facebook)

Da Redação 09/06/20 – 09h40 – Atualizado em 09/06/20 – 11h40

De acordo com a polícia, em abril de 2019, Antônio foi preso após mandado de prisão temporária por suspeita de participação na morte do empresário. O suspeito foi solto cerca de dois meses depois e estava respondendo ao inquérito em liberdade.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Antônio foi encontrado junto de outra vítima, identificada como Israel Antonio Paz de Sousa, de 20 anos, na zona rural da cidade.

A Delegacia Municipal de Campos Sales instaurou um inquérito para apurar o duplo homicídio. Equipes da Força Tática da Polícia Militar fazem buscas para capturar os suspeitos do crime. A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) também foi acionada.

Relembre o caso do ‘milionário da Mega-Sena’

Miguel Ferreira de Oliveira foi morto na madrugada do dia 4 de fevereiro de 2018. Ele estava no bar Ponto da Pizza, no bairro Alto Alegre, em Campos Sales. Oliveira, que era natural de São Paulo, faturou, em 2011, o prêmio de R$ 39 milhões na Mega-Sena. Após ganhar o prêmio, ele se mudou para Campos Sales, onde comprou imóveis e vivia dos aluguéis.

Ele participava de uma seresta quando foi atingido por três tiros disparados por um homem. Segundo testemunhas ouvidas pela polícia, o autor dos disparos chegou e saiu caminhando. Para fugir, entrou em um terreno baldio, próximo a um posto de gasolina. A vítima morreu na mesa do bar.

Fonte: IstoÉ

Polícia recebe denúncia e encontra dois corpos com roupas militares na fronteira

FRONTEIRA, INTERIOR, Policial – Jornal do Estado MS

Equipes foram acionadas por volta das 10h deste domingo

Equipe cobre corpo achado na fronteira ©DIVULGAÇÃO

Dois corpos com vestimenta militar foram encontrados na manhã deste domingo (7) no Departamento de Amambay, a 45 km de Pedro Juan Caballero, município paraguaio que faz divisa com Ponta Porã, a 323 km da Capital.
De acordo com as forças de segurança do país vizinho, denúncia anônima recebida por volta das 10h levou os investigadores a região conhecida como Lorito Picada.
A suspeita inicial era de que tenha ocorrido um enfrentamento entre integrantes do Exército do Povo Paraguaio e da Força Tarefa Conjunta, mas a informação foi descartada pelas autoridades.
Os corpos foram encontrados em estado de decomposição, indicando que foram desovados no local. A polícia também investigará a ligação das vítimas com as roupas militares.

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS Por: Gabriel Neris e Helio de Freitas, de Dourados

‘Namorada’ teria tramado assassinato de PM aposentado encontrado morto em casa

Campo Grande, Policial – Jornal do Estado MS

A mulher e mais dois homens foram presos em uma casa no Jardim Tijuca

Militar foi morto com três facadas ©Ranziel Oliveira

Suposta namorada do militar aposentado Valdecir Ferreira de 59 anos que foi encontrado morto em cima da sua cama, no bairro Azaléia em Campo Grande, na manhã deste domingo (7) teria tramado o assassinato da vítima para roubar pertences.
Além da mulher, os policiais do GOI (Grupo de Operações e Investigações) prendeu mais uma dupla. Os três foram encontrados no início da tarde deste domingo (7) em uma casa, no Jardim Tijuca. O trio estava na ‘festinha’ na casa do militar.
Segundo informações passadas pela polícia, a mulher seria namorada de um dos bandidos envolvidos no crime, e teria também um relacionamento com o militar aposentado. Ela teria tramado o assassinato ao achar que a vítima tinha dinheiro. Ainda não foi esclarecido como o crime aconteceu, já que o depoimento dos três foi contraditório.
Da casa, o trio levou um par de tênis, um perfume, uma térmica, um cinto e o celular do militar. Eles estavam na festa que aconteceu na casa de Valdecir antes do assassinato.

©ARQUIVO

Valdecir foi assassinado com três facadas nas costas e uma no pescoço. O militar aposentado foi encontrado morto em cima da sua cama. A filha do militar teria recebido uma ligação avisando que o celular de Valdeci estava no bairro Bom Jardim e que era para ela ir buscar o aparelho.
Com medo, a mulher chamou a polícia para ir até a casa do pai, que estava trancada e teve de ser arrombada pelos militares, que acabaram encontrando o corpo em cima da cama. A residência estava toda revirada e com restos de alimentos espalhados na casa, assim como, várias latas de cerveja. Antes de fugir, o autor ainda teria tido o trabalho de trancar a casa levando as chaves da residência.

Fonte: Midiamax Por: Thatiana Melo e Ranziel Oliveira

PONTA PORÃ| Mulher é assassinada com tiros de pistola no Centro

INTERIOR, Policial, Ponta Porã – Jornal do Estado MS

Crime ocorreu na noite de sábado na Rua Marechal Floriano

Policiais militares em frente ao local do crime ©Ponta Porã News

Mulher identificada por Diana “Negona” foi assassinada a tiros na noite de sábado (6) na Rua Marechal Floriano, região central de Ponta Porã, distantes 323 km de Campo Grande.
De acordo com o site Ponta Porã News, a mulher estava do lado de fora de um barraco onde morava. Seu companheiro contou que estava para o lado de dentro preparando a refeição quando ouviu os disparos. Ao sair, viu a mulher caída e dois homens fugindo a pé.
Ele contou que estava junto com a vítima há seis anos, mas sequer sabia o nome completo dela.
De acordo com a perícia, a mulher foi assassinada com tiros de pistola calibre 380. O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal.

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS Por: Gabriel Neris

Encontrado no Paraguai corpo de fazendeiro brasileiro sumido há 5 dias

FRONTEIRA, INTERIOR, Policial – Jornal do Estado MS

Corpo de Israel Tomaz da Silva foi encontrado nesta tarde na colônia Sapucai, perto de Yby Yaú, no departamento de Concepción


Local onde corpo de fazendeiro brasileiro foi encontrado nesta sexta-feira, no Paraguai ©Última Hora

Foi encontrado na tarde desta sexta-feira (5) o corpo do fazendeiro brasileiro Israel Tomaz da Silva, 71. Ele morava em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande e estava desaparecido desde domingo (31)
O corpo foi localizado no matagal nos fundos de uma olaria na colônia Sapucai, perto de Yby Yaú, povoado localizado a cem quilômetros de Ponta Porã, no departamento de Concepción. A caminhonete Toyota Hilux do brasileiro tinha sido localizada ontem na mesma região.
Policiais que faziam as buscas encontraram primeiro o chapéu do fazendeiro e cordas que estariam na caminhonete. O corpo estava escondido por sucatas de eletrodomésticos jogadas no meio do mato. O comissário Feliciano Martínez informou ao jornal Última Hora que ainda aguardava a chegada de peritos para saber a causa da morte.
O principal suspeito do crime é um peão da fazenda de Israel, identificado como César Lopes, 30. A Hilux do fazendeiro foi encontrada na casa de Lídia Britez Espinoza, cunhada de César.
Ela contou aos policiais que o cunhado pediu para deixar a caminhonete no pátio da casa e não voltou mais ao local. A mulher de César, Antonia Brítez Espinoza, 24, foi detida por ordem do Ministério Público do Paraguai por suspeita de envolvimento no crime. 

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS Por: Helio de Freitas, de Dourados

Homem é acusado de estuprar filha de 5 anos em posto abandonado

Campo Grande, Policial – Jornal do Estado MS

Casal está separado há um mês e menina contou à mãe que este não teria sido o primeiro estupro

Delegada Fernanda Piovano disse que menina será submetida a exame ©Henrique Kawaminami

A Polícia Civil investiga a denúncia de que homem de 30 anos teria estuprado a filha de 5 anos na madrugada de hoje (6), em posto de combustíveis abandonado no Loteamento Nova Serrana. Pelo relato da vítima, esta não teria sido a primeira vez que ele teria abusado dela.
A delegada plantonista da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Fernanda Piovano, disse que a PM (Polícia Militar) foi acionada à 0h50.
A mulher de 30 anos relatou à polícia ela e o marido estão separados há um mês. Ontem, ela deixou a filha com a avó e, à noite foi buscá-la, mas recebeu a informação de que o pai havia passado antes e levado a menina.
Desesperada, disse que saiu gritando pelo bairro em busca da filha. O homem deixou a criança na casa da avó por volta da 0h e foi embora sem falar com ninguém.
A mãe conversou com a criança que relatou ter sido levada a um posto de combustíveis abandonado. Lá, foi beijada na boca pelo pai. Depois, pela explicação da menina, ela teria sido estuprada pelo homem que só parou ao ouvir os gritos da ex-mulher levou a filha para casa. Pelo relato da vítima, esta não teria sido a primeira vez que ele cometeu o crime.
A delegada disse que a mulher deve prestar depoimento novamente, assim como o homem e a criança, esta, com acompanhamento psicológico. O homem não foi localizado.
Fonte: CAMPO GRANDE NEWS Por: Silvia Frias e Bruna Marques

RS: Influenciadora e namorado são executados com mais de 60 tiros

Instagram

Um casal foi morto a tiros na noite desta quinta-feira (4) em Araricá, no Vale do Sinos, no Rio Grande do Sul. A influencer Karuel Barbosa, de 24 anos, e o companheiro Adiar Silva, de 31 anos, foram encontrados dentro de um apartamento em um condomínio localizado na Rua Emílio Jung, no centro da cidade. As informações são do jornal GaúchaHZ.

De acordo com a polícia, vizinhos acionaram a Brigada Militar após ouvirem os disparos por volta das 23h. Karuel e Adiar foram mortos com mais de 60 disparos – as balas eram de armas de diversos calibres, inclusive fuzil.

No Instagram, Karuel tinha mais de 70 mil seguidores. No dia do crime, ela postou nos stories da rede social sua rotina de treinos e fez a divulgação de uma loja de roupas íntimas.

Segundo a Polícia Civil de Sapiranga, que investiga o caso, ainda não há informações de quem são os autores do crime nem quantos eram. Pela quantidade de tiros, a polícia trabalha com a possibilidade de o crime ter sido uma execução.

IstoÉ

Desaparecido há 3 dias, homem é encontrado morto a facadas embaixo de ponte

Dourados, INTERIOR, Policialn – Jornal do Estado MS

Corpo do indígena Ozéias Medina foi encontrado nesta manhã na ponte sobre o Córrego Calarge, região norte de Dourados

Guarda municipal no local onde corpo foi encontrado ©Adilson Domingos

Homem que estava desaparecido desde quarta-feira (27) foi encontrado morto na manhã deste sábado (30) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. O indígena Ozéias Rodrigues Medina, 38, foi assassinado a golpes de faca. O corpo foi encontrado embaixo da ponte sobre o Córrego Calarge, na região norte da cidade, no acesso entre o perímetro urbano e a reserva indígena.
De acordo com moradores da região, o local é conhecido por ser ponto de encontro de usuários de drogas. O corpo foi encontrado pelo funcionário de empresa que faz manutenção na rede de telefonia.
O irmão de Ozéias, que reconheceu o corpo, disse que o homem morava na Aldeia Jaguapiru e tinha sido visto pela última vez na quarta-feira. O corpo foi levado para o IML (Instituto Médico Legal).
Fonte: CAMPO GRANDE NEWS Por:   Helio de Freitas, de Dourados (Colaborou Adilson Domingos)

SERIAL KILLER| Casado, educado, tranquilo: Perfil de homem que matou 7 não levantava suspeitas

Campo Grande, Policial – Jornal do E$stado MS

Vítimas eram sempre homens, que moravam sozinhas e tinham bens; Vizinhos nunca desconfiaram

Pedreiro tinha comportamento normal em sociedade, mas cometeu, no mínimo, sete assassinatos

Educado, respeitável, tranquilo, assim os vizinhos descrevem como era Cesár de Souza, que confessou ter matado ao menos sete pessoas em Campo Grande. As características apontadas por vizinhos coincidem com um dos perfis tradicionais de serial killers. Conforme especialistas, muitos dos assassinos em série são “pessoas normais”, bem sucedidas e ativas na comunidade, até que seus crimes sejam descobertos. 
Até a tarde deste sábado (16), César confessou o assassinato de sete pessoas. Nesta sábado, foi encontrado o corpo do aposentado Timóteo Pontes Roman, 62 anos, dentro de um poço, na Vila Planalto. 
Conforme a criminologia, os assassinos em série são pessoas que matam uma porção de indivíduos seguindo uma lógica ou sequência em cada um deles. Geralmente as vítimas tem um mesmo tipo ou características semelhantes. No caso de César, a lógica encontrada é que todas as vítimas eram homens, que moravam sozinhos e tinham bens em seus nomes.
Segundo o delegado responsável pela investigação, Carlos Delano, o perfil das vítimas era o mesmo e o criminoso afirmou que as matou para que pudesse se apossar de seus bens. 
“É o perfil da vítima que evidenciamos que ele vem matando. Normalmente as vítimas tinham relacionamento com ele, nas que a gente identificou ontem e semana passada, eram pessoas com que ele havia ido trabalhar”, disse.
De acordo com a definição de serial killer, existem basicamente dois tipos de assassinos em série: os organizados e os desargonizados. Os do tipo organizado são os que normalmente exibem inteligência normal, conseguem se inserir bem na sociedade e tem vida aparentemente normal, com esposa e filhos. 
Em análise dedutiva, conforme relatos de vizinhos e conhecidos sobre o comportamento em sociedade, César se encaixa no perfil de organizados. 
Pessoas que moram no bairro onde ele viveu por aproximadamente 30 anos, foram unânimes em afirmar ao Correio do Estado que o pedreiro nunca demonstrou qualquer traço que os levasse a desconfiar que ele seria um criminoso e que sempre tratou todos bem.
O guarda municipal Ramão Carlos Cordeiro, 67 anos, conhecia tanto o assassino quanto a esposa e filha dele, e afirma que a única coisa diferente que reparou é que a menina sempre deu problemas na escola e quem comparecia na unidade era a avó e não os pais. 
“Ele morava aqui no bairro [Planalto], se criou aqui. Era um cara que conversava com a gente, mas não era de dar risada, era meio na dele. Ninguém nunca desconfiou de nada. Trabalhava de pedreiro, a mulher dele trabalhava por aqui. Mas a filha bebia, dava problema na escola, vinha de festa, nunca deram valor na menina”, disse. A menina teria ajudado o pai a ocultar alguns cadáveres. 
Também moradores do bairro, os aposentados Ari Paes Ribeiro, 74 anos, e Francisco Custódio, 73, conheceram e nunca desconfiaram do vizinho assassino.
“Ninguém desconfiava, era uma educação, passava e cumprimentava, quem via pensava “é um coitado. Só bebia bastante”, disse Ribeiro.
Ainda conforme a criminologia, ciência que estuda o comportamento dos criminosos em busca da criação de seus perfis criminais, outro padrão de serial killers é o modus operandi, ou seja, a execução do crime, que segue sempre um mesmo modo.
Delegado explicou que todas as sete vítimas encontradas até hoje, foram mortas com pauladas na cabeça. 
Outra característica de César notada pela Polícia Civil é a frieza com que trata os crimes. Após ser preso por um homicídio, ele confessou os demais de maneira tranquila, indicando onde enterrou ou escondeu os corpos. 
“É notável a desvalorização da vida humana. Pelo menos dois a gente sabe que ele já conhecia há meses, do bairro ou então chamava para trabalhar junto, e matava”, disse Delano.
A polícia também não descarta a possibilidade de haver mais vítimas enterradas. “Pode ter outras vítimas. Ele fala que não, mas desde que disse que não já achamos mais duas, não dá para confiar no que ele fala”, disse o delegado.
Além do perfil dedutivo, baseado em evidência, também há o perfil indutivo, que traça o perfil comportamental e deve ser elaborado por um psicólogo ou psiquiatra e podem apontar, por exemplo, se o criminoso é psicopata.
VÍTIMAS
O primeiro corpo encontrado foi de José Leonel Ferreira dos Santos, de 61 anos, que foi morto dia 2 de maio em sua própria casa. No dia seguinte ao crime, a família de César se mudou para a residência, fato que fez um vizinho da vítima desconfiar e registrar boletim de ocorrência.
Polícia investigou o caso e, ao ser descoberto, César confessou a morte de José Leonel e outros homicídios, indicando onde havia enterrado os corpos.
A segunda vítima era ajudante do serial killer. José de Jesus de Souza, 45 anos, trabalhava como pedreiro nas obras e foi morto depois de desentendimento com o criminoso. Ele era da Bahia e não tinha familiares em Campo Grande. A irmã de César estava morando na casa de José de Jesus e ele também vendeu um terreno que pertencia à vítima.
Geraldo, de 48 anos, também trabalhava com o assassino. Ele foi com o suspeito até um terreno no Zé Pereira, onde foi encontrado, com a intenção de limpar e invadir o local. Lá, se desentenderam e o criminoso golpeou a vítima na cabeça com o cabo de uma picareta. O autor enterrou o corpo e arma do crime no mesmo lugar. Dessa vez, não se apropriou de nenhum bem material da vítima.
Taíra, 74 anos, fazia bicos de jardinagem, foi contratado pelo pedreiro para capinar um lote, na Vila Planalto. Eles também se desentenderam e o assassino o matou e enterrou o corpo no local. O idoso estava desaparecido desde novembro de 2016. A família que mora na casa não sabia da existência do cadáver enterrado em uma área concretada, na calçada lateral da residência.
A 5º vítima do serial killer é da própria família. Flávio Pereira, de 34 anos, primo de César foi morto em 2015, depois de brigar com o suspeito devido a um terreno que pertencia à vítima. Após o crime, o pedreiro depois vendeu a propriedade para um barbeiro, de 53 anos, por R$50 mil.
Sexto corpo encontrado é dee Claudionor Longo Xavier, de 48 anos, que estava desaparecido desde abril de 2019. César conheceu Claudionor como caseiro em uma chácara, resolveram fazer juntos um investimento em imóvel, mas acabaram brigando. O suspeito matou e levou o cadáver no terreno de uma casa no bairro Sírio Libanês e vendeu a motocicleta da vítima.
Última vítima conhecida até então é o aposentado Timóteo Pontes Roman, 62 anos. Ele contratou o pedreiro para fazer reparos na calçada da casa onde morava, na Planalto, onde foi morto com duas pauladas na cabeça e o corpo jogado em um poço de mais de 10 metros, nos fundos da casa. Assassino disse que intenção era se apropriar da casa do aposentado, que morava sozinho.

Fonte: CE
Por: Gabrielle Tavares, Glaucea Vaccari

Radialista é morto com vários golpes de facão e suspeito de assassinato é preso em MS

INTERIOR, Maracaju, Policial – Jornal do Estado MS

De acordo com a polícia, jovem de 22 anos foi preso e confessou crime, em Maracaju. Um outros suspeito está foragido.

Radialista é morto com vários golpes de facão, em Maracaju (MS) ©Redes Sociais

Um radialista de 39 anos foi morto com vários golpes de facão no início da manhã dessa sexta-feira (7), em Maracaju, a 158 km de Campo Grande. De acordo com a delegada Glaucia Valerio, um dos suspeitos, um jovem de 22 anos, foi preso em flagrante horas depois do assassinato e confessou o crime. Um outro suspeito continua foragido.
Conforme a ocorrência policial, Vladimir Lenin Rosa, foi morto com vários golpes de facão, dentro de um barraco em uma área de acampamento conhecida como Poerinha.

Segundo a polícia, testemunhas informaram que o radialista estava com o jovem consumindo bebida alcoólica e droga durante a noite anterior. Dentro do barraco, os policiais encontraram o facão utilizado no crime e uma calça do suspeito suja de sangue.

Facão utilizado no assassinato de radialista, em Maracaju ©Adilson Domingos

O corpo do radialista foi encontrado no início da manhã depois de uma denúncia anônima. Policiais do Setor de Investigações Gerais (SIG) de Dourados fizeram rondas na região e localizaram o jovem próximo a um posto de combustível. O casaco que ele usava estava sujo de sangue e no momento da prisão, ele acabou confessando que era o autor do assassinato.
O caso foi registrado como homicídio e até a publicação desta reportagem não havia sido divulgado a motivação da morte. O suspeito está sendo ouvido na Delegacia de Maracaju.

Por Flávio Dias, G1 MS