Tiroteio que baleou 2 e matou 1 começou após rojão estourar em campo de futebol

Policial – Jornal do Estado MS

Jovem chegou a ser socorrido, mas morreu mas morreu na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Universitário

Sangue da vítima na calçada de casa onde pediu socorro. (Foto: Henrique Kawaminami)

Um rojão pode ter desencadeado a fúria dos atiradores que balearam dois jovens e mataram Rafael Ryan Oliveira Costa, 19 anos, na noite de ontem (24) na Rua Conde de Pinhal, no Jardim Colibri, em Campo Grande. O rapaz pediu socorro em uma casa, chegou a ser socorrido, mas morreu na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Universitário.
Uma testemunha de 27 anos, que preferiu não se identificar, contou que havia um grupo de aproximadamente sete pessoas ingerindo bebida alcoólica e fumando narguilé no campo de futebol em frente ao local onde ocorreu o crime.
Segundo a testemunha, na hora que os atiradores passaram no local de motocicleta, uma das pessoas que estavam no local soltou um rojão. Em seguida, a dupla teria voltando já abrindo fogo contra o grupo. ”Cada um correu para um lado. Uma mulher, que está grávida, se escondeu atrás de uma árvore. Eles podem ter se irritado com a bomba ou atiraram por engano”, disse.
Os disparos atingiram Rafael na região do tórax e outros dois rapazes, de 20 e 25 anos, no ombro e nas nádegas, respectivamente.
Ferido, Rafael pediu socorro na casa de uma dona de casa de 57 anos.”Ele tentou entrar em casa e já chegou falando que havia sido atingido, mas que não tinha feito nada”, lembrou.
Rafael sentou na calçada na residência e foi levado de motocicleta para a UPA do Universitário. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada desta quarta-feira (25). ”Estávamos tão felizes e daí aconteceu isso. Acabou com a nossa noite. É muito triste ver alguém naquela situação e não poder fazer nada”, disse a dona de casa.
Os outros dois feridos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhados para a Santa Casa. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Piratininga.
Por: Kerolyn Araújo e Clayton Neves

Fortalecimento do serviço de inteligência e trabalho integrado desmontam plano de roubo milionário do Banco do Brasil no MS

Campo Grande (MS) – Além de melhorar o aparelhamento das unidades de segurança pública e valorizar a carreira, o Governo do Estado vem investindo na ampliação da estrutura do serviço de inteligência e na integração entre as forças estaduais e de outros estados e também outros órgãos, como o Ministério Público. “Entendemos que investindo no serviço de inteligência e na integração com outros órgãos vamos alcançar eficiência e melhores resultados, otimizando recursos financeiros e de logística”, tem afirmado o governador Reinaldo Azambuja.

Com essa convicção, já no primeiro mandato, iniciado em 2015, a administração estadual implantou núcleos de inteligência nas 11 Regionais da Polícia Civil. “Com as ações de inteligência reduzimos custos e otimizamos os resultados. O serviço de inteligência serve para subsidiar os gestores na tomada de decisões de prevenção e repressão aos crimes”, pontuou o secretário de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira.

A integração entre as forças de segurança também tem sido importante no combate à criminalidade

Ele disse que as estatísticas mostram que o Governo do Estado acertou em fortalecer as unidades de inteligência e na integração entre as forças de segurança. Um dos casos mais recentes é o da prisão da quadrilha de assaltantes que estava fazendo um túnel para roubar cofre da central do Banco do Brasil, em Campo Grande. “Foi um trabalho do Garras e da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil”, comentou Videira. A partir do levantamento do serviço de inteligência, a quadrilha passou a ser monitorada e no último domingo (22) foi presa o plano de roubo desmontado. O túnel feito com sofisticação, já tinha quase 70 metros de comprimento e estava próximo ao cofre. Os criminosos eram de São Paulo, do Nordeste e de Mato Grosso.

Outro bando preso graças ao trabalho integrado entre as forças policiais e o serviço de inteligência, foi a da chamada “Quadrilha do Chapéu”, que havia feito vários assaltos a comércio em Campo Grande em novembro, usando armas pesadas. Trabalho realizado pelo Batalhão de Choque e o serviço de inteligência da Polícia Militar.

Antonio Carlos Videira destaca ainda as várias operações realizadas no âmbito do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras e Divisas (GGIFRON/Div), envolvendo Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Militar Rodoviária. Além das ações de combate à criminalidade na fronteira, foram realizadas operações conjuntas com as policiais dos estados vizinhos.

As forças de segurança de Mato Grosso do Sul atuaram também com o Ministério Público do Estado (MPMS) e de São Paulo e Minas Gerais, em operações para desarticular grupos que tinham atuação interestadual. E com o Gaeco/MS (Grupo de Atuação Especial de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), participou em outubro deste ano da Operação Omertà, em investigação sobre suposta milícia que atuava no Estado.

Nos presídios também o trabalho da inteligência tem sido fundamental para evitar motins e rebeliões. “Sempre que a inteligência detecta alguma movimentação rapidamente o Choque é acionado e junto com a Agepen é realizada a ação preventiva”, afirmou o secretário. 

Ranking

Como esse modelo de gestão do Governo, Mato Grosso do Sul assumiu neste ano o segundo lugar no pilar Segurança Pública, no Ranking de Competitividade dos Estado, elaborado pelo Centro de Liderança Política (CLP). MS obteve 89,2 pontos, numa escala de zero a 100, desempenho acima da média nacional, que foi 57,5. O Estado só perdeu para Santa Catarina.

E os números comprovam a eficiência da política de segurança pública implantada no governo de Reinaldo Azambuja. O último balanço divulgado pela Sejusp mostra a redução no índice de criminalidade. Comparando com o mesmo período do ano passado, neste ano as ocorrências de roubos seguidos de morte (latrocínio), que tiveram recuo de 50% no Estado, sendo registrados oito casos, enquanto na Capital esse percentual é ainda maior: 87,5% – uma ocorrência em 2019 e oito em 2018.

Outro delito que também tem apresentado uma queda significativa no Estado são crimes contra o patrimônio. Os roubos em comércios, por exemplo, caíram 30,6%, sendo registrados 259 ocorrências em 2019. Logo depois estão os roubos de veículos, que registraram uma redução de 29,4%, passando de 531 registros para 375 em 2019. Em seguida estão as ocorrências em vias públicas, com queda de 23,3%. Já os delitos ocorridos em residências, as estatísticas apontam que os índices caíram 16,6%.

Paulo Yafusso – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Fotos: Divulgação

Três mulheres são encontradas mortas com sinais de espancamento

Funcionária da CPTM é encontrada morta ao lado da mãe e da tia. Suspeito é o irmão adotivo dela que saiu temporariamente da prisão

As três mulheres tinham marcas de espancamento

As três mulheres tinham marcas de espancamento

Reprodução/Facebook

Três mulheres foram encontradas mortas, com sinais graves de espancamento, em uma casa na rua Fulvio Morganti, altura do número 369, no Jardim Paraíso, zona norte de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (23). 

Leia mais: Mulher morre após tentativa de assalto na zona sul de São Paulo

A polícia descobriu que uma das mulheres trabalhava na CPTM, na unidade da Barra Funda. Funcionários relataram que Denise Pacheco, de 53 anos, não frequentava o trabalho havia dois dias e que tentaram entrar em contato com ela, porém não conseguiram.

Os familiares de Denise também estavam preocupados com o desaparecimento dela. Um tio foi até a delegacia e insistiu para que as equipes da polícia tentassem abrir a porta de sua casa.

Leia mais: Três viaturas da Guarda Civil são incendiadas e base é atacada

Filho que saiu da prisão é suspeito do crime

Filho que saiu da prisão é suspeito do crime

Reprodução/Record TV

Após um mandado de busca, a delegada abriu a porta do local e encontrou Denise, sua tia Benilde, de 70 anos, e sua mãe Elsa, de 90 anos, mortas dentro da casa, com sinais graves de espancamento.

A polícia suspeita do filho adotivo de Elsa, Flavio Augusto. O homem é usuário de drogas e saiu temporariamente da prisão nesta sexta-feira (20). Ele também é suspeito de ter pegado o carro da irmã e deixado na via, após ter cometido o crime.

A investigação foi realizada pela 2° Companhia do 43° Batalhão, juntamente com o 20° DP desde às 7h da manhã. As equipes da PM encontraram um veículo Fox, na cor prata, estacionado de forma incorreta e com o vidro quebrado na rua Pestana, local próximo à casa.

Após levarem o carro apreendido para o 20° DP, a delegacia localizou a dona do veículo, Denise Pacheco. A Polícia Civil foi até o endereço da mulher.

Jovem drag queen em MS é morto a tiro em bairro nobre: ‘Sempre alegre, um show de pessoa’, diz amigo

Policial – Jornal do Estado MS

Polícia trabalha com hipótese de crime passional e já tem um suspeito, que fugiu em um carro.

Éder Henrique morreu com tiro no peito — Foto: Redes Sociais

Conhecido como uma das melhores drag queens de Mato Grosso do Sul, Éder Henrique Coenga, de 27 anos, foi morto a tiros na noite de sexta-feira (20), no bairro Santa Fé, em Campo Grande. A polícia já tem um suspeito e trabalha com a hipótese de crime passional.

De acordo com o delegado José Roberto de Oliveira Júnior, imagens feitas por câmeras de segurança de imóveis da região mostram a vítima chegando primeiro ao local e depois o suspeito. Em seguida, os dois conversam, discutem, o homem saca uma arma, atira e foge.

“Foi uma discussão de 30 segundos. […] Ele [suspeito] não vasculhou nada, não desfigurou a vítima com socos. […] Foi muito rápido”, disse o delegado.
Após matar Éder, o suspeito seguiu para uma rua próxima e entrou em um carro que já o aguardava com motorista.

O crime aconteceu em uma rua sem saída e escura, atrás de um shopping da capital. Para a polícia, vítima e suspeito marcaram de se encontrar no local.

Nada foi roubado de Éder. Nos pertences dele a Polícia Militar encontrou porções de maconha.

Éder Henrique fazia diversos shows em MS — Foto: Redes Sociais

Manifestações de carinho

Éder trabalhava em uma rede de lojas. Também atuava como drag queen e era conhecido por ser uma das melhores no estado.

Nas redes sociais dele, muitas manifestações de carinho, amor e respeito. Muitas fotos também e declarações do próprio Éder. Uma delas, em agosto, o rapaz cita um trecho de uma música. “”Tudo que vai. Deixa o gosto, deixa as fotos…”.

Entre as homenagens para ele , várias citam as performances de Éder em shows como drag queen. ” Um cara maravilhoso, querido, divertido, sempre alegre, um show de pessoa. Eu tenho certeza que aonde você estiver o sol brilhará junto de você”.

Em outra postagem, o resumo da admiração que ele tinha por parte dos amigos: “Seu papel foi muito bem feito aqui, agora é hora de brilhar ainda mais aí em cima”. Em outra, uma declaração de amor: ” Te amaremos eternamente nossa DRAG STAR!❤️👑❤️”

Um amigo desabafa. “A última vez em que nos falamos, há cerca de um mês, disse o quanto ele era foda e como o admirava como pessoa e artista. Que bom ter conseguido dizê-lo antes dessa partida tão prematura”. E outro finaliza: “Nos ensinou que ser diferente aos olhos do povo é ser sempre notado aos olhos de Deus”.

Éder Henrique tinha 27 anos e trabalhava em loja de calçados e roupas — Foto: Redes sociais

Por G1 MS e TV Morena

Corpo achado boiando em rio é de homem que teve pênis decepado

Bataguassu, Policial – Jornal do Estado MS

Vítima foi encaminhada para o núcleo de perícia em Nova Andradina e ainda não há confirmação da identificação

Corpo de vítima boiando na represa ©CENÁRIOMS

CONEXAO-CIDADE
FALE_CONOSCO

Ouvir: 0:00

22/11/2019 às 18:05

HomeBataguassuPolicial Corpo achado boiando em rio é de homem que teve pênis decepado

Corpo achado boiando em rio é de homem que teve pênis decepado

18:05Bataguassu, Policial

Vítima foi encaminhada para o núcleo de perícia em Nova Andradina e ainda não há confirmação da identificação

Corpo de vítima boiando na represa ©CENÁRIOMS

O corpo encontrado boiando em uma represa em Bataguassu, no começo da tarde desta sexta-feira (22) é de um homem que teve o pênis decepado. A informação inicial era de que a vítima era uma mulher.
O corpo foi encaminhado para o núcleo de perícias em Nova Andradina e ainda não há confirmação da identificação da vítima. A reportagem tentou contato com o órgão, mas a instituição não abre aos finais de semana. 
A vítima também tinha várias perfurações de faca pelo corpo e foi encontrada por testemunhas, conforme o site Da Hora Bataguassu. A represa fica a cerca de 2 quilômetros do perímetro urbano de Bataguassu à margem da BR-262, próximo a um frigorífico.
Policiais militares e investigadores do SIG (Setor de Investigações Gerais) da cidade estiveram no local. O resgate foi feito pelo Corpo de Bombeiros e uma equipe do núcleo de perícias de Nova Andradina também foi acionada para fazer a remoção e a possível identificação da vítima.

Fonte: Dahorabataguassu
Por: Adriano Fernandes

Repórteres sem Fronteiras: 49 jornalistas foram mortos em 2019

América Latina se tornou região tão “letal” quanto Oriente Médio

Publicado em 17/12/2019 – 16:37

Por Agência Brasil Brasília

Em 2019, 49 jornalistas foram mortos em todo mundo. Balanço anual de violências graves cometidas contra jornalistas aponta ainda que 389 estão presos e 57 são reféns. De acordo com o relatório da organização não governamental (ONG) Repórteres sem Fronteiras (RSF), o jornalismo permanece uma atividade perigosa, apesar de o número de mortes registrado ser o menor dos últimos 16 anos. Com relação ao ano anterior, houve uma redução de 44% no número de mortes.

“Esse número historicamente baixo, quando comparado à média de 80 mortes registradas nas duas últimas décadas, reflete essencialmente o declínio no número de jornalistas mortos em conflitos armados. A cobertura dos conflitos na Síria, no Iêmen e no Afeganistão mostrou-se, assim, duas vezes menos letal para os jornalistas: 17 foram mortos nos três países em 2019, em comparação com 34 no ano anterior”, diz nota.

Embora o total de jornalistas mortos em conflitos armados tenha caído muito, o número de jornalistas mortos em países “em paz” segue alto. Segundo o relatório, a América Latina se tornou um local tão “letal” quanto o Oriente Médio, com 14 mortes. Foram 10 óbitos apenas no México.

“Agora há, proporcionalmente, mais mortes em países em paz (59%) do que em regiões em conflito e um aumento de 2% no número de jornalistas assassinados ou deliberadamente executados”, afirma a entidade.

O secretário-geral da RSF, Christophe Deloire, disse que a fronteira entre os países em guerra e em paz está desaparecendo. Outro fato preocupante é que o número de jornalistas presos arbitrariamente no mundo continua a crescer. “No final de 2019, 389 jornalistas estão presos por desempenharem suas funções, ou seja, 12% a mais do que no ano passado. Quase metade dos jornalistas presos está detida em apenas três países: China, Egito e Arábia Saudita.”

O relatório é realizado desde 1995 e os dados são coletados entre 1º de janeiro e 1º de dezembro do ano da publicação. Para fazer parte do relatório, a detenção, o sequestro, o desaparecimento ou a morte do jornalista precisa ser uma consequência direta do exercício de sua atividade. Edição: Lílian Beraldo Tags: Repórteres sem FronteirasJornalistasviolênciaAmérica Latina

Homem invade hospital e mata seis pessoas na República Tcheca

Vítimas foram mortas na cidade de Ostrava

Publicado em 10/12/2019 – 07:10

Por RTP (emissora pública de televisão de Portugal) Ostrava (República Tcheca)

Seis pessoas morreram hoje (10) depois de terem sido alvejadas a tiros numa sala de espera de um hospital da cidade checa de Ostrava por um homem que ainda não foi identificado.

O primeiro-ministro Andrje Babis disse que os disparos foram efetuados por um homem, cuja identidade é ainda desconhecida, na sala de espera do hospital. O atirador disparou sobre pelo menos sete pessoas ao entrar no hospital.

Police officers stand guard near the site of a shooting in front of a hospital in Ostrava, Czech Republic, December 10, 2019.   REUTERS/Lukas Kabon
Policiais montam guarda perto de um hospital onde seis pessoas foram mortas em Ostrava – Reuters/LUKAS KABON/Direitos Reservados

O ministro do Interior, Jan Hamáček, confirmou que o tiroteio ocorreu no hospital universitário de Ostrava e, nas buscas para encontrar o suspeito em fuga, foram mobilizadas várias unidades especiais da polícia e um helicóptero. A operação de caça ao criminoso se estende por toda a República Tcheca.

Todos os acessos ao hospital, situado no campus da Universidade de Ostrava, estão fechados.

Em declarações à televisão checa CT24, um diretor do hospital afirmou que “o plano de emergência foi ativado. As instalações do nosso hospital estão fechadas e a polícia está no local desde o início do incidente”. Edição: – Tags: OstravaRepública Tchecacrimehospital

ANTES DE SER MORTO: Sequestradores teriam feito adolescente cavar própria cova

Corpo de Alex Ziole foi encontrado em um galão no Anel Viário de Ponta Porã

8 DEZ 19 – 17h:05 – FÁBIO ORUÊ – Correio do Estado

Alex foi sequestrado no dia 23 de novembro e seu corpo encontrado na quinta-feira (5) – Foto: Divulgação

Assassinos do estudante Alex Ziole Areco Aquino, de 14 anos, teriam feito o adolescente cavar a própria cova antes de matarem e esquartejarem seu corpo. A vítima foi julgada em um tribunal paralelo, semelhante ao tribunal do crime, mas sem ligação com a facção Primeiro Comando da Capital (PCC). 

Saiba Mais

POLÍCIA

Ao checar vazamento, homem descobre corpo em caixa d’água

TRAGÉDIA

Corpos de adolescentes que morreram no rio Paraná são encontrados

PONTA PORÃ

Corpo carbonizado é encontrado em tambor próximo a anel viário

PONTA PORÃ

Corpo encontrado carbonizado é de adolescente desaparecido

Segundo informações do site MS em Foco, após a cova estar pronta, o garoto, que já havia sido espancado e torturado por várias horas, foi morto por um tiro na cabeça. Ele ainda supostamente teve o crânio destruído o com golpes de pás. Depois da morte, ele foi enterrado, mas devido à repercussão do desaparecimento, os suspeitos o desenterraram e queimaram o corpo deixando ele esquartejado em um galão no Anel Viário da cidade fronteiriça, na madrugada da última quinta-feira (5).  

Na manhã o galão foi encontrado e na parte da tarde ele foi identificado como sendo o adolescente. Pouco tempo depois policiais do Setor de Investigações da Polícia Nacional do Paraguai prenderam Diana Clavel Pimentel Acosta, de 24 anos – que está grávida – e a irmã dela, Denise Pimentel Acosta, também de 24, além de um adolescente de 15 anos.

Motivo do assassinato seria uma briga entre Alex e o jovem de 15 anos apreendido, que é cunhado do principal suspeito do crime, o brasileiro Genaro Lopes Martins. A briga teria acontecido no banheiro da escola João Brembatti Calvoso em Ponta Porã, no dia 22 de novembro, um dia antes dele ser sequestrado na mesma cidade pelos ocupantes de uma caminhonete.

Sob protesto e pedidos de justiça o corpo de Alex foi enterrado na manhã deste sábado em Pedro Juan Caballero.

Polícia paraguaia prende suspeitos de esquartejar estudante de 14 nos

FRONTEIRA, Policial

Polícia Civil aguarda exame, mas família do adolescente afirma que ossada encontrada em tambor é de Alex Aquino

Policial com materiais apreendidos durante buscas em Pedro Juan Caballero ©Porã News

Pelo menos três pessoas suspeitas de envolvimento no desaparecimento do estudante paraguaio Alex Ziole Areco Aquino, 14, foram presas há pouco em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.
As duas mulheres, identificadas como Diana Clavel Pimentel Acosta, 24, e Denise Pimentel Acosta, e um adolescente foram localizados por agentes do Departamento de Investigações Criminais da Polícia Nacional em uma casa no bairro San Geraldo. Materiais foram apreendidos no local, como duas pás usadas para perfurar a terra, roupas, um facão e outras evidências que ligariam o grupo ao desaparecimento e assassinato do estudante.

©REPRODUÇÃO/FACEBOOK

Alex está desaparecido desde o dia 23 de novembro, quando foi visto pela última sendo levado por ocupantes de uma caminhonete. A principal suspeita é de que Alex tenha sido assassinado.

Na manhã de hoje, restos mortais foram encontrados dentro de um tambor de plástico, deixado na margem do rodoanel de Ponta Porã. Ao Campo Grande News, o delegado Alcides Bruno Braun, da Polícia Civil, informou que partes do corpo já em decomposição foram desenterradas e colocadas no tambor, deixado na estrada.

© PORÃ NEWS

Apesar de a polícia evitar fazer qualquer afirmação antes do resultado dos exames, é grande a possibilidade de que o corpo seja do estudante paraguaio desaparecido.
De acordo com o jornal ABC Color, familiares de Alex já afirmaram que o corpo é do estudante. Segundo a família, dias antes de desaparecer, Alex brigou no banheiro da escola com outro estudante, que seria o detido nesta tarde em Pedro Juan.
Nas duas cidades, os boatos são de que a pressão contra os criminosos aumentou após policiais dos dois lados da fronteira apertarem o cerco para descobrir o paradeiro do garoto. Temendo serem descobertos, os autores do crime teriam desenterrado o corpo e deixado no tambor.

Policiais paraguaios na casa onde três suspeitos foram presos © PORÃ NEWS

Fonte:  campograndenews Por: Helio de Freitas, de Dourados

VÍDEO| Dois homens são executados com mais de 30 tiros de pistola 9 mm – IMAGENS FORTES

FRONTEIRA, Policial

Crime aconteceu por volta das 6h desta sexta-feira (6), na Rua Marechal Floriano, na Linha Internacional

Carro com placas de Ponta Porã foi crivado por tiros de pistola 9 mm ©Porã News

Dois homens ainda não identificados foram executados por volta das 6h desta sexta-feira (6), na Rua Marechal Floriano, na Linha Internacional, em Ponta Porã, distante 323 quilômetros de Campo Grande. As vítimas estavam em um VW Parati branca. 
As primeiras informações dão conta que foram disparados mais de 30 tiros de pistola 9 milímetros contra os dois ocupantes do carro. Eles morreram no local. O carro ficou clivado de bala. Uma pessoa que passava pelo local foi ferida por estilhaços e levada para o Hospital Regional de Pedro Juan Caballero. Ainda não há informação sobre o estado de saúde dela. 
Os atiradores fugiram num carro preto, possivelmente um Hyundai Tucson. Ainda não há informação sobre a motivação para o crime. Policiais militares e civis atenderam a ocorrência. Números não oficiais apontam pelo menos 160 assassinatos em Ponta Porã e Pedro Juan Caballero somente neste ano. As duas cidades são separadas por uma rua e os moradores de ambos os lados da Linha Internacional circulam livremente entre um lado a outro da fronteira.

©Porã News
©Porã News
©Porã News

Por: Viviane Oliveira e Helio de Freitas, de Dourados