Polícia Federal prende homem por tráfico de acessórios para armas

Divulgação / Polícia Federal

Publicado em 14/04/2019 – 13:44

Por André Richter – Repórter da Agência Brasil Brasília

A Polícia Federal (PF) prendeu na noite de ontem (13) um homem por tráfico internacional de acessórios para armas de fogo. A prisão foi realizada em Foz do Iguaçu (PR), onde os agentes encontraram 124 miras telescópicas, três dispositivos de pontaria e 20 recipientes de spray de pimenta. Os objetos estavam no bagageiro de um ônibus que seguia para Balneário Camboriú (SC).De acordo com a PF, o responsável pela bagagem confessou que comprou o armamento no Paraguai e venderia os objetos ilegais em Itajaí (SC) e Balneário Camboriú. O acusado está preso na delegacia da PF em Foz do Iguaçu.

O crime de tráfico internacional de acessório de arma de fogo de uso restrito tem pena mínima de 6 anos e máxima de 12 anos de prisão.

Edição: Fernando Fraga

Seis pessoas morrem em ações policiais no Rio

Publicado em 11/04/2019 – 19:43 – Foto Tânia Rego da Agência Brasil

Por Douglas Corrêa e Vladimir Platonow – Repórteres da Agência Brasil Rio de Janeiro

Seis criminosos foram mortos em duas ações policiais em pontos diferentes do Rio de Janeiro. Na primeira, dois criminosos morreram e quatro pessoas ficaram feridas. Uma mulher foi atingida por bala perdida na cabeça e está em estado crítico. Na Alameda São BoavVentura, uma das principais vias de Niterói, que liga o município à Ponte Rio-Niterói, policiais militares tentaram abordar um carro com três homens que praticavam roubos a pedestres.

Houve troca de tiros, e dois criminosos abandonaram o automóvel e roubaram outro veículo para fugir. Um deles foi morto no local e uma mulher que passava pela alameda foi ferida e levada para o Hospital Estadual Azevedo Lima. Atingida na cabeça, quando estava parada numa banca de jornal, a mulher  teve perda de massa encefálica, e seu estado de saúde é considerado gravíssimo.

Equipes do 12º Batalhão da PM, baseado em Niterói, localizaram o carro dos suspeitos no bairro de Ititioca. Houve novo tiroteio. Um dos homens morreu e o outro ficou ferido. Foram apreendidas duas pistolas e recuperados diversos objetos roubados.

Na ação, dois policiais militares foram feridos de raspão, assim como uma mulher de 79 anos. Todos foram socorridos no mesmo hospital e já foram liberados.

Morro Azul

Quatro pessoas morreram e duas foram presas nesta quinta-feira durante operação da Polícia Civil na comunidade do Morro Azul, no bairro do Flamengo, zona sul do Rio. Na ação, agentes da 7ª Delegacia Policial, de Santa Teresa, e agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), foram verificar informações de que o traficante Alex Marques de Melo, conhecido como Léo Serrote, estaria escondido na localidade.

De acordo com a Polícia Civil, o traficante, que liderou há dois meses a invasão do Morro da Coroa, no Catumbi, tem diversos mandados de prisão pendentes. Alex de Melo conseguiu escapar ao cerco policial, mas foramm presos Carlos Eduardo Martins de Oliveira e Hugo de Jesus Lábio, que eram procurados pela polícia.

Em uma região de mata, no alto do Morro Azul, os policiais encontraram cerca de 25 quilos de maconha, enterrados em tonéis e apreenderam duas pistolas, dois revólveres e duas granadas. Nenhum policial foi ferido na operação.

Edição: Nádia Franco

CAPITAL| Em 1 dia, mais 3 ameaças de massacre em escolas são levados à polícia

Dois casos ocorreram em Campo Grande e um em Dourados; já chegam a 9 os números de ameaças em escolas de Mato Grosso do Sul

Aluno da Escola Estadual Hércules Maymone foi encaminhado à delegacia após ameaça. (Foto: Henrique Kawaminami)
Nas últimas horas a Polícia Civil registrou mais três ameaças de massacre em escolas públicas de Mato Grosso do Sul. Dois casos ocorreram em Campo Grande e um em Dourados. Já chega a nove os registros desse tipo de crime desde o atentado em Suzano, no dia 13 de março, que deixou 10 mortos.
Na noite de ontem (10), a Polícia Militar foi acionada após uma ameaça de massacre na Escola Estadual Hércules Maymone, localizada na Rua Joaquim Murtinho, em Campo Grande. Um aluno de 18 anos roteou a rede de Wi-Fi com a mensagem ”Massacre Hércules às 20h30”.
Por meio de um aplicativo, a Polícia Militar chegou ao autor da ameaça. Aos militares, o estudante disse que escreveu a mensagem em tom de brincadeira. Ele foi detido e encaminhado à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. O celular foi apreendido.
O segundo caso registrado em Campo Grande foi na Escola Estadual Padre José Scampini, no Coophavila II. O diretor procurou a polícia após tomar conhecimento de que uma pessoa estaria mandando mensagens em grupos de WhatsApp dizendo que a escola seria alvo de massacre.
Nas mensagens, o autor disse que sete pessoas vestidas de preto entrariam na escola nesta quinta-feira (11) no horário do recreio e fariam um massacre. O responsável por repassar a mensagem não foi identificado.
Em Dourados, cidade distante a 233 quilômetros de Campo Grande, a polícia está monitorando um adolescente de 17 anos, após identificar potencial dele para um possível ataque contra colegas e professores da escola pública onde estuda.
Ontem (10), uma equipe do SIG (Serviço de Investigações Gerais) cumpriu mandado de busca na casa do estudante e apreendeu o celular dele, um canivete e uma “faca oculta”, feita pelo próprio adolescente usando um cabo de estilete de cortar papel. No nome da escola e o bairro onde o rapaz moram não foram revelados.
Com esses três casos, chegam a nove o número de ameaças de massacres em escolas públicas do Estado.
Segundo a delegada Fernanda Félix, da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), esse tipo de ameaça generalizada pode ser equiparada ao ato infracional de ameaça, apologia e instigação ao crime. Os autores podem ser encaminhados para Unei (Unidade Educacional de Internação).
Fonte: campograndenews
Por: Kerolyn Araújo

Secretaria de Segurança Pública deflagra Operação Fronteira Segura Sul na região de Naviraí

  Regiane Ribeiro Categorias:

Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul 34 visualizações

Campo Grande (MS) – A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) deflagrou na manhã desta quarta-feira (10.4), por meio do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira e Divisas (GGIFRON/DIV), a operação integrada “Fronteira Segura Sul” na região do município de Naviraí. O objetivo é intensificar o enfrentamento aos crimes de tráfico de drogas e de armas e visa também a recuperação veículos furtados/roubados e contrabando.

A ação está sob coordenação do secretário executivo do GGIFRON/DIV, coronel Edimilson de Oliveira Ribeiro, que está na localidade acompanhando todas as atividades que estão sendo desenvolvidas. “A operação foi planejada com base nos dados estatísticos monitorados diuturnamente pela Sejusp e em levantamentos realizados pelas equipes de inteligência. No clarear do dia as equipes das forças de segurança pública federal e estadual, em trabalho conjunto, foram cumprir vários mandados de prisão e de busca e apreensão nos municípios de Naviraí e Mundo Novo”, informou o coronel.

As atividades estão sendo realizadas nas áreas urbanas e rurais dos municípios da região sul do Estado, com fiscalização de trânsito, blitz, barreiras, fiscalização a comércios, além do cumprimento de mandados de busca/apreensão e de prisão.

A operação, que acontece por tempo indeterminado, conta com a participação de equipes da Polícia Federal (PF), Força Nacional (FN), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Receita Federal do Brasil (RFB), Departamento de Operações de Fronteira (DOF), DEFRON, Polícia Militar do Comando de Policiamento de Área 1(CPA-1), do 12° Batalhão da Polícia Militar de Naviraí (12° BPM), Polícia Militar Ambiental (PMA), Polícia Civil de Naviraí (DRPC) e do Grupamento de Patrulhamento Aéreo (GPA) com uma aeronave (helicóptero) em apoio às equipes terrestres que fiscalizam possíveis locais catalogados como ponto de distribuição de entorpecentes.

Regiane Ribeiro – Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública.

MORTE A ESCLARECER: Policia encontra arma de fogo em carro incendiado

A perícia encontrou uma perfuração de tiro no crânio da vítima carbonizada

9 ABR 19 – 09h:58 – MATHEUS HENRIQUE – Correio do Estado

A Polícia Civil encontrou um revólver dentro do carro que foi incendiado na tarde de sábado (6) na MS-320, em Três Lagoas. O veículo está no nome de Jalde Antonio Alves, 63 anos, que está desaparecido e  pode ser o corpo encontrado carbonizado no veículo. Além do revólver, constataram uma perfuração de tiro no crânio, o que pode indicar um possível homicídio.

Segundo o site JP News, familiares de Antônio afirmaram em depoimento que ele estaria desaparecido. O delegado responsável pelo caso Ailton Pereira do Setor de Investigações Gerais (SIG) diz que apesar do carro estar no nome de Jalde e ele está desaparecido, é preciso aguardar o resultado dos exames para saber a identidade do cadáver.

O delegado não descarta a possibilidade de homicídio pois a perícia detectou uma perfuração de tiro no crânio, além de ter encontrado uma arma de fogo dentro do carro. Não há uma data para sair o resultado dos exames de identificação devido aos ossos estarem carbonizados.

Ainda, conforme o site, Antônio é dono de imóveis em Três Lagoas e em 2014 foi vítima de um roubo, que foi esclarecido na época.Também há processos em nome de Antônio,um deles trata-se de herança, mas não há informação se o crime estaria relacionado. O caso segue sendo apurado.

O CASO

Um veículo do modelo Tucson foi encontrado carbonizado na tarde de sábado (6), na rodovia MS-320 no município de Três Lagoas. Informações preliminares foram de que havia um motorista dentro do carro que morreu carbonizado. O veículo ficou completamente destruído. As informações são do site JP News.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas no local mas o veículo já estava totalmente queimado. A Polícia Civil e a Perícia também estiveram na região e as causas do incêndio serão investigadas.

O que restou do corpo da vítima foi recolhido e após exame será identificado o sexo e se possível a identidade da vítima.

*Colaborou: Bruna Aquino

Rio: emocionada, viúva diz que queria ter morrido ao lado do marido

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Luciana Nogueira foi ao IML para liberar o corpo de Evaldo Rosa

Publicado em 08/04/2019 – 13:25

Por Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

A família do músico Evaldo dos Santos Rosa, de 51 anos, foi hoje (8), no final da manhã, ao Instituto Médico-Legal (IML), no centro do Rio de Janeiro, para liberar o corpo. Ele foi morto em uma operação do Exército, em Guadalupe, na zona oeste da cidade, na qual o carro em que estava foi atingido por mais de 80 tiros de fuzil.

Em estado de choque, a técnica em enfermagem Luciana dos Santos Nogueira, viúva de Evaldo, disse que a família passava pelo local onde houve a operação com frequência e que sentiu-se segura ao observar a presença do Exército.

“Por que o quartel fez isso? Eu disse, amor, calma, é o quartel. Ele só tinha levado um tiro, os vizinhos começaram a socorrer. Eu ia voltar, mas eles continuaram atirando, vieram com arma em punho. Eu coloquei a mão na cabeça e disse: ‘Moço, socorre meu esposo’. Eles não fizeram nada. Ficaram de deboche. Tem um moreno que ficou de deboche e rindo.”

Luciana dos Santos Nogueira, mulher de Edvaldo dos Santos Rosa, músico, morto em uma operação do Exército, em Guadalupe, comparece ao Instituto Médico Legal (IML) para liberar o corpo.
Luciana dos Santos Nogueira vai ao IML para liberar o corpo do marido – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Emoção

Aos prantos, a viúva disse que preferia ter morrido ao lado do marido, com quem era casada há 27 anos. “Eles me deixaram e mandaram eu correr. Eu tinha que ter ficado para morrer com ele, eu e meu filho”, disse. “Ele [o marido] era meu melhor amigo. Meu filho estava no carro, eu dei calmante para ele, ele viu tudo”, afirmou a técnica de enfermagem, que disse ao filho que pai estava hospitalizado.

Luciana Nogueira informou que Evaldo era músico e trabalhou como vigilante, mas perdeu o emprego há dois anos. Débora dos Santos Araújo, irmã da técnica, disse que o filho do casal, de 7 anos, ainda não foi informado da morte do pai.

“A gente ainda não falou que ele morreu. O menino fica perguntando quando o pai vai sair do hospital. Ele está na casa do avô, do meu padrasto. Era filho único, tinha muito amor pelo pai”, ressaltou Débora Araújo.

Segundo Débora, houve uma tentativa de militares de fazer a perícia no local. “Tem um vídeo mostrando que queriam colocar alguma coisa embaixo do meu cunhado”, disse. “Nós exigimos que fosse a polícia. Isso foi [por volta das] duas horas, a polícia chegou às seis e pouco. Nós não deixamos eles fazerem porque eles podiam tentar fraudar.”

Ação

O carro em que estava a família foi atingido por mais de 80 tiros disparados pelos militares. Evaldo, a mulher, o filho de 7 anos, o sogro e uma amiga da família estavam indo para um chá de bebê. O músico foi atingido por três tiros e morreu na hora.

O sogro, Sérgio Gonçalves de Araújo, recebeu um tiro nas costas e outro no glúteo e está internado em estado estável no Hospital Albert Schweitzer ao lado de um homem, que estava no local, e tentou socorrer a família, mas foi atingindo por um tiro no peito.

Segundo Luciana Nogueira, não houve confronto, e os tiros começaram assim que o carro da família entrou na rua. “Eu me senti protegida quando vi o quartel. Meu padrasto estava no banco da frente. O Evaldo já estava caindo no volante, mas falou ‘corre com o Davi’. Eu abri a porta e disse que ajudava a levar o carro. Os vizinhos vieram para ajudar a socorrer.”

Edição: Juliana Andrade e Renata Giraldi

Homens são encontrados mortos com carta dos “Justiceiros da Fronteira”

Um dos mortos, segundo o site Capitanbado, foi identificado e se trata de um policial da região que tinha prisão domiciliar

Corpos foram localizados próximo a caminhonete ©Capitanbado
Três corpos com marcas de tiros foram encontrados na manhã deste domingo (7), numa estrada vicinal, no Bairro da Colônia Aceiteí, localizado a 35 quilômetros de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.
Os homens estavam com as mãos algemadas para trás e um deles com as pernas amarradas. Próximo aos corpos foi localizado um caminhão Ford F 1000 prata abandonado e um cartaz com a frase: “Não roube caminhão de inocentes, assinado Justiceiros da Fronteira”. Ainda não há informação se os três foram mortos em outro lugar e desovados ali.

Um dos mortos, segundo o site Capitanbado, foi identificado e se trata de um policial da região que tinha prisão domiciliar. O “Justiceiros da Fronteira” é um grupo de exterminadores que existe há vários anos na Linha Internacional, com atuação principalmente em Pedro Juan Caballero.

Cartaz com a frase: “Não roube caminhão de inocentes, assinado por Justiceiros da Fronteira” foi encontrado próximo aos corpos ©Capitanbado
Fonte: campograndenews
Por: Viviane Oliveira

Ronnie Lessa vai responder também por comércio ilegal de arma

REUTERS / Lucas Landau /Direitos reservados

Sargento da PM reformado é acusado da morte de Marielle Franco

Publicado em 04/04/2019 – 21:44

Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

A Justiça do Rio aceitou nova denúncia contra os acusados de envolvimento na morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, crime ocorrido no dia 14 de março do ano passado. Além da ação de homicídio triplamente qualificado, o sargento da Polícia Militar reformado Ronnie Lessa vai responder também pelo crime de comércio ilegal de arma de fogo e o ex-policial militar Élcio Queiroz, por posse ilegal de arma de uso restrito.

O novo processo contra Lessa, apontado pelo Ministério Público estadual como o autor dos disparos contra a vereadora, é resultado da apreensão de 117 componentes de fuzil, acessórios como miras e supressores de ruído, além de mais de 360 munições e uma arma calibre 22 na casa de Alexandre Motta de Souza, 48 anos, que é amigo de infância do sargento, que já morou no mesmo condomínio no bairro do Méier, na zona norte da cidade, onde os componentes das armas foi localizado.

O próprio Lessa, ao ser interrogado, admitiu que o material era dele. Souza, que também está com a prisão preventiva decretada, passa a ser réu na mesma ação que o sargento, acusado de posse ilegal de arma de fogo. O processo contra os dois será julgado pela 40ª Vara Criminal do Rio. Souza agiu como uma espécie de “laranja” de Lessa e guardou o armamento em casa para atender a um pedido do amigo.

A denúncia contra o ex-policial militar Élcio Queiroz foi distribuída para a 32ª Vara Criminal. Durante a operação policial feita na madrugada do dia 12 de março, a polícia encontrou, dentro do armário do quarto da casa dele, uma pistola Glock, calibre ponto 380, com cinco carregadores e 46 munições; e uma outra pistola, Taurus, calibre ponto 40, com três carregadores e 72 munições, de uso proibido ou restrito.

De acordo com a denúncia, no carro usado por Queiroz na hora da prisão, um Renault Logan de cor prata, foram encontradas, embaixo do banco do carona, oito munições de fuzil, calibre ponto 556, embaladas em saco plástico, também de uso proibido ou restrito.

Na semana passada, Lessa e Queiroz foram transferidos do Rio de Janeiro para o presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, a pedido da Justiça.

Os advogados de Ronnie Lessa e Elcio Vieira de Queiroz negam o envolvimento de seus clientes no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Edição: Fábio Massalli

CAMPO GRANDE-MS: Funcionária pública vai sacar dinheiro para pagar aluguel e acaba furtada

Vítima foi forçada por suspeito dentro de agência a trocar de caixa eletrônico

4 ABR 19 – 15h:41 – RAFAEL RIBEIRO – Correio do Estado
Funcionária pública de 58 anos foi à Polícia Civil após ser vítima de um crime que lhe tirou R$ 1,3 mil de sua conta corrente na manhã desta quinta-feira (4), em uma agência do Banco do Brasil na Rua João Pedro de Souza, no Jardim Monte Líbano, região central de Campo Grande.

Segundo o registro da ocorrência feito na delegacia de plantão do Centro, o caso aconteceu por volta das 11.

A vítima chegou ao local para sacar a quantia mencionada, que seria usada para o pagamento do aluguel do mês, quando foi abordada por um homem que lhe informou que aquele caixa eletrônico, em específico, não possuía dinheiro.

Ela foi a outro e aí veio a surpresa: o valor exato já tinha sido sacado de sua conta. A ida à outra agência e um extratro comprovou o que poderia ser um susto inicial. O crime havia sido consumado.

À polícia, ela relatou que o suspeito apertou um botão na máquina que estava usando. E a empurrou, forçando sua ida a outro caixa. O detalhe que chama a atenção, contudo, vem no fato de que esse homem agiu de fato como se fosse funcionário da agência.

O caso foi registrado como furto qualificado, pelo abuso de confiança ou mediante fraude e destreza, e será investigado. Ninguém havia sido identificado pelo crime até a publicação desta reportagem.

Morador de rua é queimado com gasolina em obra abandonada de Três Lagoas

Roberto teve 60% do corpo queimado, mas sobreviveu ao ataque por desconhecido

©Rádio Caçula

Roberto Pedro da Silva, de 46 anos, teve o corpo queimado durante a madrugada desta quarta-feira (3), enquanto dormia em uma obra abandonada, na cidade de Três Lagoas – a 338 quilômetros de Campo Grande.

O crime teria acontecido por volta da 00:20 desta quarta (3), quando o morador que junta materiais recicláveis para sobreviver, teria parado em uma obra abandonada, no bairro Carioca para dormir.
Um desconhecido teria entrado na obra e jogado combustível no corpo de Roberto ateando fogo em seguida. A vítima foi socorrida e levada para um hospital da cidade. Ele teve 60% do corpo queimado, tórax, costas, abdômen e rosto, e está internado. Segundo informações, ele não corre risco de morte.
A vítima teve queimaduras de 3º grau. Não se sabe sobre a autoria do crime.
Fonte: Midiamax
Por: Thatiana Melo