FPA – Análise de Mídia – 04/06

– Coluna do Estadão divulga fala do deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS), que bombou nas redes: “O Tribunal de Contas da União (TCU) calcula que 8,1 milhões de brasileiros possam ter recebido indevidamente o auxílio emergencial de R$ 600. Além de revoltante, comprova que, enquanto existir a massiva mentalidade da malandragem no país, dificilmente vamos progredir de verdade.” Leia +: https://bit.ly/36Y7dJb

– Canal Rural noticia que está para ser votado no Senado o projeto de lei complementar que prevê o pagamento de R$ 65,5 bilhões a estados e municípios, como parte do acordo feito com o governo federal para compensar as perdas de arrecadação geradas pela Lei Kandir. No último mês, esse acordo foi reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal. O senador Wellington Fagundes (PL-MT), que é autor do projeto, preparou um requerimento para que a proposta seja votada com urgência no plenário do Senado. De acordo com a assessoria do parlamentar, o requerimento já conta com as assinaturas necessárias para ser aprovado. Wellington Fagundes aguarda apenas que o presidente da casa, Davi Alcolumbre, inclua o requerimento na pauta do plenário. Leia +: https://bit.ly/2Y2gziO

– Canal Rural informa também que um novo pacote de ajuda a produtores de hortifrúti foi tema do programa Conexão Brasília da última terça-feira, 2. Apesar de o governo já ter anunciado algumas ações de socorro, como prorrogações de dívidas e novas linhas de crédito, o deputado Evair de Melo (PP-ES) acredita ser importante instituir um programa emergencial para atender a esse segmento, um dos mais atingidos do agro em função de queda de demanda de restaurantes, bares e a suspensão de feiras livres na pandemia. Leia +: https://bit.ly/3gOUAVc

– Folha de S. Paulo informa que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, assinou nessa quarta-feira (3) a revogação de despacho que regularizava invasões até 2008 na mata atlântica. A iniciativa, que era vinculada a parecer da AGU (Advocacia-Geral da União) e aplicava o Código Florestal, permitia, na prática, que fossem cancelados autos de infração ambientais. Leia +: https://bit.ly/3dCemBi

– Isto É repercute Estadão Conteúdo e fala que o Plano Safra 2020/21 deve ter o mesmo volume de recursos do atual, referente ao ciclo 2019/20, informou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em “live” promovida pelo Centro de Estudos do Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas (FGV Agro) nesta terça-feira. “Trabalhando conservadoramente, estamos prevendo o mesmo valor do ano passado”, disse. Segundo informou a ministra, a previsão é anunciar o plano no próximo dia 15. Leia +: https://bit.ly/2U93Nhc

– Isto É Dinheiro repercute Estadão Conteúdo e diz que o anúncio de uma página inteira nos principais jornais do País, na semana passada, de entidades do agronegócio, da indústria, da construção civil e do comércio em apoio ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não caiu bem no agronegócio e pode ter tido um efeito contrário ao desejado. A opinião é de Marcello Brito, presidente da Associação Brasileira de Agronegócio (Abag), entidade que não assinou a nota. Leia +: https://bit.ly/2z1es6o

– Revista Veja fala que coordenados pelo deputado federal Rodrigo Agostinho (PSB-SP), deputados e ex-deputados que participam das articulações da Frente Parlamentar Ambientalista do Congresso se reuniram hoje para videoconferência para falar da semana do Meio Ambiente. Na pauta, o desmonte ambiental promovido pelo atual ministro Ricardo “passar a boiada” Salles. De Sarney Filho (PV) a Ricardo Tripoli (PSDB), passando por Alessandro Molon (PSB) e Nilto Tatto (PT), uma unanimidade: todos defenderam a demissão do ministro do motosserra bolsonarista. Leia +: https://bit.ly/2Y19qPW

– Revista Exame noticia que a maioria dos deputados do parlamento holandês aprovou ontem moção contra a ratificação do acordo comercial do Mercosul com a União Europeia (UE), anunciado no ano passado. A questão ambiental, relacionada à agricultura no Mercosul, foi o argumento central para o voto dos holandeses. Para os parlamentares, o acordo comercial não deve se concretizar. Leia +: https://bit.ly/2A0tCcD

– G1 fala que o setor agropecuário deve ter um ano de produção e faturamento recordes, apesar da queda em outras áreas da economia por causa da pandemia do novo coronavírus. A Confederação da Agricultura e Pecuária no Brasil (CNA) prevê que a agropecuária aumente sua participação na soma de bens e produtos produzidos no país. A safra boa e o dólar alto devem ajudar o setor a registrar a maior produção, em valor bruto, dos últimos anos: R$ 728 bilhões. A expectativa é que 25% da economia brasileira venha do campo em 2020. Leia +: https://glo.bo/2A1Lxj1

– UOL informa que 150 entidades de defesa do meio ambiente assinaram um manifesto pedindo ações do Ministério Público Federal (MPF) contra as políticas do ministro Ricardo Salles. No documento, enviado nessa quarta-feira (3) à Associação Nacional dos Procuradores da República e ao Conselho Superior do Ministério Público, as instituições questionam a atuação do procurador-geral da República, Augusto Aras, e dizem temer que “o recente assédio pelo Planalto, inclusive com a promessa de uma indicação ao Supremo Tribunal Federal (STF), possa inibir investigações essenciais para preservação do meio ambiente”. Leia +: https://bit.ly/2XuJ5uk

– Valor Econômico divulga que controladas pelo fundo de investimentos brasileiro Aqua Capital, as distribuidoras de insumos Agro 100 e Agro Ferrari faturaram no ano passado R$ 1,6 bilhão e neste ano deverão crescer 20% e chegar a R$ 1,9 bilhão, segundo Renato Seraphim, CEO da Agro 100. O impulso vem da ampliação das operações de barter (troca de insumos por grãos), do avanço no comércio online e de um novo modelo de lojas físicas. Além disso, o executivo diz que novas aquisições não são descartadas – duas ou três empresas estão na mira do Aqua Capital. Leia +: https://glo.bo/3gRn5BJ

– G1 divulga que o faturamento do trigo e do leite foi de R$ 39,5 bilhões no ano passado, segundo o Ministério da Agricultura. E de onde vêm, afinal, esses alimentos? Rio Grande do Sul e Paraná são grandes produtores de trigo e de leite. Minas Gerais, principal bacia leiteira do país, também é uma aposta para a expansão do cultivo do cereal pelo Brasil. Mas ambas as produções ainda enfrentam dificuldades. No caso do trigo, a maior parte do que é consumido no Brasil precisa ser importada. Para o leite e seus derivados, a queda no poder de compra dos brasileiros se tornou o principal problema. Leia +: https://glo.bo/2AzNgwb

– Canal Rural divulga que quatro unidades frigoríficas de aves e uma de suínos foram habilitadas para exportar carnes do Brasil ao Vietnã, informou o Ministério da Agricultura. O analista da Scot Consultoria Hyberville Neto afirma que a abertura de mercado é discreta, mas com potencial para crescimento. O país produz cerca de 2,2 milhões de toneladas de carne suína e 2,5 milhão de carne de frango, mas por conta da peste suína africana, espera-se que o Vietnã importe 75 mil toneladas de carnes suína e 200 mil toneladas de carne de frango. Leia +: https://bit.ly/3086fs8

– G1 fala que num levantamento do Ministério Público do Trabalho (MPT), 3.201 trabalhadores de frigoríficos no Rio Grande do Sul testaram positivo novo coronavírus. Esse número corresponde a 34,63% do total de casos divulgados pela Secretaria da Saúde do Estado até a noite dessa terça-feira (2). Segundo a promotora Priscila Dibi Schvarcz, as empresas têm feito testagens em massa. “O Ministério Público do Trabalho vem atuando fortemente no setor”, pontua Priscila. Leia +: https://glo.bo/2MsYPYD

– Broadcast Agro, do Estadão, diz que a consultoria Datagro aumentou a previsão de produção de soja do Brasil em 2019/20 para 122,06 milhões de toneladas, ante 121,26 milhões de toneladas no último levantamento, divulgado em abril. O volume representa aumento de 2% ante a colheita da temporada anterior, estimada pela consultoria em 119,19 milhões de toneladas, mas fica abaixo do recorde de 2017/18 de 122,30 milhões de toneladas. Leia +: https://bit.ly/3gSeheG
 

– Valor Econômico noticia que o presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta quarta-feira, a Lei 14.007, que extingue o fundo administrado pelo Banco Central formado pelas reservas monetárias. Mas, vetou artigos que previam o repasse de R$ 8,6 bilhões em recursos desse fundo a governos estaduais e municipais para uso no combate à pandemia de covid-19. Leia +: https://glo.bo/3gVvXGe

– Painel, da Folha de S. Paulo, informa que antes de acessar a ajuda da União, aprovada no Congresso para compensar perdas de arrecadação com a crise do coronavírus, governadores e prefeitos terão que cumprir mais uma etapa. Eles têm até sexta (5) para entregar ao Ministério da Economia um documento se comprometendo a não abrir reclamação contra o pacote de socorro do governo federal na Justiça. Dez estados ainda não apresentaram o requisito e 1.020 municípios. Leia +: https://bit.ly/2U78CHS

– Coluna do Estadão divulga que aliados do ex-ministro Sérgio Moro já veem seu caminho na política como certo. Mesmo com uma postura mais discreta, sem mostrar explicitamente suas intenções, Moro tem deixado claro, segundo esses interlocutores, que o percurso mais provável no médio prazo será mesmo o político-eleitoral. A intenção de seguir carreira como advogado ou palestrante enfrentará obstáculos e será observada pela opinião pública com lupa, afirmou um aliado. Até Rodrigo Maia disse: “Não sei se ele é candidato, mas tem agido como político”. Leia +: https://bit.ly/3dAu4gf

Assessoria de Comunicação
+55 61 3248-4682 | +55 61 3263-1717
fpa.imprensa@gmail.com | www.fpagropecuaria.org.br

Tembici recebe aporte de US$ 47 milhões em round liderado por Valor Capital Group e Redpoint eventures

Investimento será direcionado à implementação de bikes elétricas, ampliação da frota e tecnologia

São Paulo, 4 de Junho do ano 2020 – No Dia Mundial da Bicicleta, a Tembici, empresa líder de micromobilidade na América Latina, anuncia aporte Série B de US$ 47 milhões (cerca de R$ 270 milhões) liderado por Valor Capital Group e Redpoint eventures. International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial, e Joá Investimentos também participaram da rodada. 

O aporte marca a entrada da IFC no mercado de micromobilidade, já que é a primeira vez que a organização investe no setor. O valor será usado para a implementação de bikes elétricas, ampliação da frota nas cidades em que a Tembici já opera e mais investimentos em tecnologia. Essas ações consolidam ainda mais a empresa como liderança do setor nas principais praças da América Latina.

O mercado de micromobilidade para startups disparou primeiro na China e “atraiu muitos adeptos, o que o fez crescer cerca de duas a três vezes mais rápido que o compartilhamento de carros ou caronas”, de acordo com uma análise realizada pela McKinsey & Company sobre o setor do mercado de mobilidade urbana global no ano passado.

A Tembici, fundada pelos empreendedores Tomás Martins e Maurício Villar em 2010 e que tem como principal patrocinador de seus projetos o Itaú Unibanco, nasceu com o objetivo de, por meio da tecnologia e tendo a bicicleta como sua principal aliada,  viabilizar formas inteligentes de deslocamento, para que todas as pessoas possam melhorar sua relação com a cidade. Os projetos da empresa estão presentes nas principais capitais da América Latina como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Porto Alegre, além de Buenos Aires na Argentina e Santiago, no Chile.  

O novo aporte vem de encontro com um momento em que a Organização Mundial da Saúde recomenda a bike como principal modal de transporte no mundo pós-pandemia e que  diversos países estão realizando grandes investimentos neste sentido.

O governo britânico, por exemplo, anunciou investimento de 2 bilhões de libras em iniciativas para incentivar o uso da bike e da caminhada. Em Paris, além de novas ciclovias e entre outras ações, as mecânicas de bicicletas foram consideradas serviços essenciais e os habitantes receberão vouchers do governo de 50 euros para consertarem suas bicicletas que, até então, estavam paradas. Diversas cidades dos Estados Unidos já diminuíram a velocidade máxima de suas vias e limitaram acesso de carros a algumas regiões como medidas de segurança para os ciclistas. A bicicleta está sendo considerada a melhor alternativa de deslocamento no cenário pós-covid.
 

“Estamos dando mais um importante passo na mobilidade urbana das cidades. O aporte nos leva a outro patamar que permite realizarmos ainda mais investimentos no aumento das frotas e na implementação de bicicletas elétricas trazendo um enorme ganho para o cenário de micromobilidade da América Latina e contribuindo para o reconhecimento da bicicleta como o modal mais eficiente para deslocamento nas cidades. Além disso, a bike terá, sem dúvidas, um importante papel no cenário pós-pandemia, já que seu uso está sendo fortemente recomendado pelos órgãos de saúde por ser um transporte individual e sustentável. Ainda mais pessoas mudarão seus hábitos e os investimentos que faremos nos nossos sistemas vão de encontro às novas necessidades das cidades e da população”, diz Tomás Martins, CEO da Tembici.

“Estamos felizes em apoiar a Tembici e seu crescimento sustentável na América Latina. A mobilidade urbana sempre foi uma questão de grande importância na região, e acreditamos que meios de transporte individuais e sustentáveis terão um papel importante no novo normal em todo o mundo”, diz Scott Sobel, sócio-fundador da Valor Capital Group.

Segundo Romero Rodrigues, Managing Partner da Redpoint eventures, o debate sobre mobilidade urbana nunca mais será o mesmo pós-pandemia. “Já passou da hora de assumirmos a bicicleta como uma das soluções dentro dos nossos inúmeros problemas de mobilidade, principalmente no contexto pós-Coronavírus. E este investimento permitirá o incentivo ao transporte verde nos trajetos, além de evitar que o medo das aglomerações leve as pessoas a aumentarem o uso dos carros”, destaca.

“A IFC tem satisfação em apoiar a missão da Tembici de fornecer uma solução de transporte segura e eficiente; isso será fundametal no contexto pós-pandemia”, disse Carlos Leiria Pinto, gerente geral da IFC no Brasil. “O investimento da IFC na Tembici é uma oportunidade para promover soluções de micromobilidade e oferecer transporte urbano mais eficiente, ajudando a melhorar o meio ambiente em nossas cidades com soluções verdes”.
 

Nascida na Universidade de São Paulo (USP), a Tembici é empresa líder em micromobilidade na América Latina e utiliza o sistema com estações de travamento para a devolução e retirada das bikes (dock), um modelo de negócio rentável e comprovado. Com o investimento, Romero Rodrigues, Managing Partner da Redpoint Eventures, e Scott Sobel, Managing Partner e co-fundador da Valor Capital Group, se juntarão ao Conselho de Administração da Tembici. 

Sobre a Tembici

A Tembici é a empresa líder de micromobilidade na América Latina. É responsável por mais de 2,5 milhões de deslocamentos por bicicletas nas principais capitais brasileiras como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e Porto Alegre, além de Santiago, no Chile, e Buenos Aires, na Argentina.

Ao longo dos últimos anos, Tembici acompanhou o aquecimento do setor de micromobilidade no mundo e devido seu modelo de negócio registra crescimento sólido e contribui diretamente para consolidar a bicicleta como um modal de transporte nas cidades em que atua.

Sobre a Valor Capital Group

Valor Capital Group é uma empresa pioneira em investimentos focada em oportunidades de negócio entre Estados Unidos e Brasil, com presença em Nova York, Vale do Silício, Rio de Janeiro e São Paulo. Fundada em 2011, a empresa opera em duas estratégias de investimento: Growth Equity e Venture Capital, sempre buscando parcerias com empreendedores visionários que constroem negócios transformadores, do estágio startup até scale-up. A Valor está comprometida com o sucesso das empresas de seu portfólio, fornecendo capital, suporte operacional e conectividade aos mercados globais.

Sobre a Redpoint eventures

A Redpoint eventures é uma gestora de venture capital que investe em startups da América Latina. A empresa trabalha com empreendedores visionários que usam tecnologia para criar novos mercados e resolver problemas em mercados já existentes. Com uma equipe experiente no mercado local e em parceria com dois fundos do Vale do Silício, nos EUA (e.ventures e Redpoint), a gestora ajuda seus empreendedores a garantir capital, talento e crescimento para que seu negócio tenha mais sucesso, mais rápido. Fundada em 2012, a Redpoint eventures investe nas primeiras rodadas de financiamento das startups (estágios seed, early e growth), gere mais de R$ 1,2 bilhão e tem mais de 40 empresas em seu portfólio, incluindo Gympass, Rappi, Creditas, Minuto Seguros, Resultados Digitais, Olist e Pipefy. Como parte de sua missão de apoiar o ecossistema empreendedor local, são também co-fundadores do Cubo (www.cubo.network), o segundo maior hub de inovação do mundo, baseado em São Paulo, onde fica a sede da gestora. Para mais informações, visite www.rpev.com.br.

Sobre a IFC

A IFC – uma organização irmã do Banco Mundial e membro do Grupo Banco Mundial – é a maior instituição de desenvolvimento do mundo voltada para o setor privado nos mercados emergentes. Trabalhamos em mais de 100 países em todo o mundo, usando nosso capital, conhecimentos técnicos e influência para criar mercados e gerar oportunidades nos países em desenvolvimento. No exercício financeiro de 2019, investimos mais de US$ 19 bilhões em empresas privadas e instituições financeiras em países em desenvolvimento, alavancando o poder do setor privado para erradicar a pobreza extrema e aumentar a prosperidade compartilhada. Para mais informações, visite www.ifc.org

www.ifc.org/lac

www.twitter.com/IFC_LAC

www.linkedin.com/company/ifc-américa-latina-y-el-caribe

Brasil registra 223.638 pessoas curadas do coronavírus

Número representa 40,3% do total de casos confirmados no país. Informações atualizadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde até as 19h desta terça (2/6)

O Ministério da Saúde registrou nesta terça-feira (2/6) o total de 223.638 casos de pessoas curadas do coronavírus. O número representa 40,3% do total de casos confirmados atualmente (555.383). Outros 300.546 casos seguem em acompanhamento médico em todo o país. As informações foram atualizadas e repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde de todos os estados até as 19h.

O aumento diário de pessoas curadas do coronavírus no Brasil é resultado de ações bem sucedidas do Governo do Brasil, que não tem medido esforços para ampliar, melhorar e qualificar toda a assistência, com repasse de recursos, envio de equipamentos de proteção individual e respiradores, envio de insumos e medicamentos, além da habilitação de leitos de UTI voltados exclusivamente para os casos graves e gravíssimos da doença.

Clique para ver a apresentação em power point completa da coletiva

A pasta também tem tomado decisões estratégicas junto às secretarias estaduais e muncipais de saúde, com o intuito de cuidar da saúde de todas as pessoas e garantir o atendimento médico necessário por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) a quem precisar. Entre janeiro e junho, o Ministério da Saúde já investiu R$ 41,3 bilhões para reforçar assistência e promoção a saúde em todo o Brasil, sendo que R$ 7,7 bilhões são voltados exclusivamente para enfrentamento ao coronavírus. Nesta terça-feira, durante coletiva de imprensa, o Secretário Executivo Substituto, Élcio Franco, fez um balanço e anunciou que o Governo investiu R$ 1 bilhão para habilitar 7.441 leitos de UTI exclusivos para pacientes da doença.

Veja o detalhamento de casos e óbitos por UF

O setor filantrópico também recebeu R$ 2 bilhões, de auxílio emergencial, para ampliar atendimentos exclusivos aos pacientes com a doença. Ao todo, 1.651 estabelecimentos de saúde foram contemplados em 25 estados brasileiros, além do Distrito Federal. Outra ação importante é a entrega constante de ventiladores pulmonares, que também são necessários para o tratamento dos pacientes graves da doença. Até o momento, já foram comprados e distribuídos 2.651 ventiladores para 22 estados brasileiros. Apenas no último fim de semana, entre 29/05 e 1º/06, foram entregues 1.039 equipamentos.

Até o momento, o país registra 31.199 óbitos, sendo que 1.262 foram registrados nos sistemas de informação oficiais do Ministério da Saúde nas últimas 24h, apesar de a maioria ter acontecido em outros dias. Isso porque as notificações ocorrem apenas após a conclusão da investigação dos motivos das mortes. Assim, do total de novos registros, 367 óbitos ocorreram, de fato, nos últimos três dias e outros 4.312 estão em investigação.

Cerca de dois mil municípios do país não possuem casos de coronavírus e 70% das cidades não registram nenhum óbito pela doença.

SINE SAÚDE

Para promover e facilitar a contratação de profissionais para atuar no combate à COVID-19, os ministérios da Saúde e Economia lançaram, nesta terça-feira (2), a ferramenta SineSaúde. A plataforma objetiva criar uma ponte entre profissionais e hospitais, clínicas, laboratórios e secretarias de saúde estaduais e municipais de todo o território nacional.

Com a urgência criada pelo estado de emergência em saúde pública, a plataforma digital, que está hospedada na página do Ministério da Economia, permitirá que profissionais, como médico, técnico de enfermagem, enfermeiro, fisioterapeuta, coloque seu currículo, e sua disponibilidade neste momento para contratação. A medida traz agilidade para suprir a escassez dos profissionais, além de representar estímulo à economia.

Os gestores e profissionais da área de saúde interessados devem se cadastrar na plataforma disponível no endereço https://portalsinesaude.powerappsportals.com/. A partir daí, o profissional e os serviços cadastrados podem fazer contato.

A ferramenta tambéAGm é resultado da cooperação entre a Microsoft e a Bizapp, afim de contribuir com a mitigação dos efeitos da covid-19.

Por Gustavo Frasão | Agência Saúde

GPB debate cooperativismo na cadeia produtiva da carne bovina em live nesta quinta

Encontro online será na no dia 4/6, às 18h, no canal do GPB no YouTube, que integra  plataforma de comunicação “GPB em Ação”

Produtores e gestores de cooperativas se reúnem de maneira virtual esta semana para debater “Cooperativismo na cadeia produtiva da carne bovina, eis a questão…”. O evento, promovido pelo GPB – Grupo Pecuária Brasil, será nesta quinta, dia 04 de junho, a partir das 18 horas. Será transmitido pelo canal da entidade no YouTube e é a terceira de uma série de lives promovida pelo Grupo para fomento da pecuária no Brasil.

O encontro online contará com a participação líder do GPB Paraná e sócio da Fazenda Santo Antônio das Lendas, Ricardo Rezende; da médica-veterinária e gerente da divisão de fomento da Cooperaliança, Marina Araujo Azevedo; do médico-veterinário que foi presidente da Cooperocarne, Euvaldo Foroni, que também é proprietário da Agropecuária Nelore 3B; do médico-veterinário da Cooperativa Maria Macia, Victor Hugo Bolqui Torsani e do médico-veterinário e consultor da Cooperativa de Produtores de Carnes Nobres do Norte do Paraná (Quality Carnes Nobres), Christopher Hellbrugge. A mediação será feita pelo consultor Diede Loureiro.

A iniciativa integra o “GPB em Ação” que é uma plataforma de comunicação atuante sob três pilares: informação de qualidade aos produtores, notícias do GPB e fortalecimento do Balizador de Preços do Boi Gordo, iniciativa que congrega, em detalhes, as informações dos próprios pecuaristas sobre negócios realizados com a indústria frigorífica.

O Grupo Pecuária Brasil nasceu em uma rede social por meio da troca de mensagens entre produtores paulistas e tornou-se uma entidade representando os pecuaristas do Brasil.

As inscrições podem ser feitas pelo link: https://bit.ly/3LiveGPB

A live será transmitida pelo canal do GBP no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCwtChUdTkTmzsNM6Wq4AUDw?sub_confirmation=1

Mais informações: https://grupopecuariabrasil.com.br/

Attuale Com,.

Iniciativa apoia financeiramente famílias vulneráveis moradoras de comunidades brasileiras durante pandemia

Batizada de ‘Colabora, Agora!’, ação distribuirá cartões pré-pagos recarregáveis com crédito inicial de R$ 200,00

Com o avanço da pandemia do COVID-19 e o crescimento dos índices de desemprego, o contingente de pessoas que necessita de apoio social vem atingindo números ainda mais preocupantes. Esta realidade é bastante evidente nas favelas, por isso, a iniciativa batizada de ‘Colabora, Agora!’, ação encabeçada pelo G10 das Favelas – bloco de empreendedores que reúne as dez comunidades mais ricas do país – e por um grupo de empresários, vai apoiar as famílias vulneráveis que residem nestes locais.
Desde a última sexta-feira (22), moradores das favelas do Brasil começaram a receber apoio financeiro para atender as necessidades de alimentação, remédios e produtos de limpeza e higiene durante a pandemia do coronavírus.
De acordo com Gilson Rodrigues, coordenador nacional do G10 das Favelas e líder em Paraisópolis, o ‘Colabora, Agora!’ destaca as frentes de atuação que têm sido realizadas pelo G10. “Além de dar poder de compra emergencial a quem mais precisa, a iniciativa também promove o fortalecimento do comércio local e o combate a fome nas comunidades. O início da distribuição dos cartões já contemplou 793 famílias que foram convocadas previamente”, explicou.
O valor para dar continuidade à ação será levantado através de arrecadação coletiva pela plataforma BSocial, o Instituto Phi será o parceiro operacional e gestor da conta bancária e o Itaú ficará responsável pelo processamento dos cartões pré-pago CredicardUse.Serão distribuídos mais de 8.000 cartões em comunidades do Rio de Janeiro e São Paulo, majoritariamente para mães de família nas comunidades selecionadas pelo G10 e por voluntários das comunidades. O objetivo é recarregar o cartão mensalmente a depender do volume de arrecadações.
“O valor depositado no fundo será integralmente distribuído. Nesse projeto pensamos na dignidade dos pobres que vivem em situação de vulnerabilidade social do Brasil e queremos garantir seu direito de escolha das pessoas lhes dando a possibilidade de decidir como gastar este valor”, finaliza.

Sobre o G10 das Favelas
O G10 das Favelas é um bloco de Líderes e Empreendedores de Impacto Social das Favelas que, assim como os países ricos (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) do G-7, uniu forças em prol do desenvolvimento econômico e protagonismo das Comunidades, visando o desenvolvimento econômico e social dessas áreas urbanas. A exemplo dos grandes blocos econômicos, o G10 tem encontros regulares e termos de cooperação para que exista uma colheita de dados, acompanhamento das ações propostas e que seja mensurado o real impacto social e crescimento gerado pelo Bloco e seus parceiros. A ideia do G-10, é inspirar o Brasil inteiro a olhar para a favela, tornando as Comunidades grandes Polos de Negócios, atrativo para Investimentos, de forma a “transformar a exclusão em Startups e Empreendimentos de Impacto Social” de sucesso.

Sobre o Colabora, Agora!
Movimento que reúne pessoas e empresas que acreditam na iniciativa e na determinação do brasileiro em vencer desafios. Seu objetivo é mobilizar a sociedade e reunir doações financeiras e assim prover recursos para quem mais precisa.

Digital Trix,.

Ministério da Saúde e Estado do Amazonas atuam juntos no enfrentamento à COVID-19

Governo Federal se colocou à disposição do estado e município para auxiliar no envio de insumos e capacitação de profissionais de saúde para atendimento à população indígena

O Secretário Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Robson Santos da Silva, se reuniu, nesta segunda-feira (25), com representantes do Estado do Amazonas e município de Manaus para o fortalecimento das ações de combate ao coronavírus no atendimento aos povos indígenas. O Governo Federal se colocou à disposição do estado e município para auxiliar no envio de insumos e capacitação de profissionais de saúde para atendimento à população indígena.

Leia o conteúdo na íntegra em saude.gov.br

SAÚDE INDÍGENA

Ministério da Saúde define regras para implementação de unidades temporárias

Hospitais de Campanha

As estruturas devem atender pacientes de baixa e média complexidade, como retaguarda para unidades permanentes que possuam UTI

O Ministério da Saúde definiu regras e financiamento para que os estados e municípios possam implementar Hospitais de Campanha nas cidades. A orientação é para que as unidades sejam montadas para atender pacientes com sintomas respiratórios de baixa e média complexidade, funcionando como retaguarda clínica para unidades hospitalares permanentes que possuam Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e sejam definidas como referência para tratamento da COVID-19.

Leia o conteúdo na íntegra em saude.gov.br

Delivery é ponto-chave para as vendas de farmácias durante a pandemia

Sistema de entregas é importante para manter clientes e conquistar novos consumidores, aponta Farmácias APP

Com a chegada da pandemia, os hábitos de consumo dos brasileiros tiveram que ser adaptados e, com isso, o e-commerce cresceu exponencialmente. Dados do Compre&Confie apontam que o varejo digital brasileiro faturou R$ 9,4 bilhões em abril, aumento de 81% em relação ao mesmo mês em 2019. Em meio ao isolamento social, o Farmácias APP, aplicativo de vendas online de itens de beleza e saúde, reforça a importância de as farmácias adotarem o sistema de delivery para aumentarem as chances de garantir bons resultados em meio ao boom do varejo digital.

“O delivery proporciona às farmácias a possibilidade de conquistarem novos clientes, ao promover conforto e um serviço de qualidade, principalmente agora, quando a população mais precisa. Conforto, comodidade e agilidade são pontos valorizados por consumidores e quem conseguir se adaptar a esse novo cenário e ser percebido dessa forma certamente colherá bons resultados”, afirma Renata Morais, responsável pelo marketing do Farmácias APP.

A executiva afirma que superar esse desafio depende de um senso prático que pode ser traduzido em duas estratégias-chave: definir quais clientes atender e qual a melhor forma de suprir as necessidades deles. “As farmácias precisam definir qual a área das entregas, por exemplo, optando por atender apenas ruas próximas à loja ou o bairro todo. Depois disso, é possível adotar a maneira mais eficaz de levar o produto ao consumidor: a pé, bicicleta ou um motoboy. Vale sempre lembrar, é claro, que seguir as normas é fundamental. Hoje, a RDC 44 da Anvisa, por exemplo, determina que o entregador seja funcionário da loja”, completa.

Outro ponto de atenção é a precificação: no varejo online, é importante os produtos terem preços mais atrativos, tendo em vista que ainda há a cobrança de frete para o consumidor. Em meio à definição dessas estratégias, a companhia destaca a necessidade de as farmácias prestarem atenção no varejo físico, continuando a fornecer atendimento de alta qualidade com o máximo rigor às normas de saúde.

“O público do delivery é bastante amplo e diverso. É importante conquistá-los, sem perder de vista a fidelidade de quem já frequenta a loja física há mais tempo. Especialmente para consumidores sem acesso à internet ou afinidade com o e-commerce, essa continuará sendo uma importante via de acesso para garantir itens de primeira necessidade durante a pandemia”, finaliza Morais.

Sobre o Farmácias APP

Desenvolvido pela Pharmacy LTDA, o Farmácias APP é um aplicativo de vendas online de saúde e beleza. É um shopping virtual para itens de beleza e saúde, cujo objetivo principal é democratizar o acesso virtual aos itens comercializados pelas farmácias e lojas de beleza de todo país, levando economia de tempo, dinheiro e ampliando o acesso à saúde aos consumidores. Mais informações pelo site www.farmaciasapp.com.br

PSD de MS está fortalecido em Corumbá e já tem possível pré-candidato a prefeito

Mesmo ainda sem definições sobre as eleições municipais, o PSD em Mato Grosso do Sul sairá fortalecido nesta pandemia para o próximo pleito eleitoral com pré-candidatos na chapa majoritária nos dez maiores municípios do Estado. A afirmação é do presidente regional do partido, senador Nelsinho Trad, em entrevista ao Grupo Pantanal de Comunicação, com o exemplo do cenário político em Corumbá. “No prazo de migração de partidos, o PSD conquistou três vereadores em Corumbá: o vereador Chicão Vianna, Domingos Albaneze e o Doutor Gabriel (Gabriel Alves de Oliveira). Os três representam muito bem a população de Corumbá e são nomes fortes para eleição majoritária do município”, enfatizou o senador.
Em pesquisas em Corumbá, de acordo com o radialista Pepê, o nome do vereador Doutor Gabriel como pré-candidato a prefeito ganhou destaque e o comunicador questionou ao senador Nelsinho Trad sobre uma possível aliança do PSD com o PSDB no município. “Não dá para negar a parceria na Capital e, na eleição passada com o PSDB, mas esse caminho não está consolidado, poderá ter. Só digo que há muita água para passar debaixo dessa ponte”, respondeu o presidente regional do PSD.
Em Corumbá, o senador adianta à população de que o PSD terá o seu candidato a prefeito, podendo sim ser o vereador Doutor Gabriel. “Teremos uma alternativa diferente, interessante, dinâmica e com raízes do Pantanal, o PSD dará uma opção para Corumbá”, afirmou o senador Nelsinho Trad.

Recursos liberados
O senador Nelsinho Trad reforçou que vem ouvindo os interesses de Corumbá, por meio de reuniões com os vereadores do PSD, e cumprindo o seu compromisso com os eleitores em ser municipalista e conseguiu na semana passada a liberação de recursos federais, na ordem de R$ 150 mil, para a saúde de Corumbá. “São valores que poderão ser usados na reforma do Centro de Saúde da Mulher Doutor Nicolau Fragelli e do Centro da Saúde da Ladeira”, informou o senador Nelsinho Trad.

Assessoria de Comunicação do PSD-MS