60% das mulheres A+ devem retornar rapidamente aos salões de beleza pós-pandemia; 83% pretendem liberar os filhos para aulas presenciais

29 de junho de 2020 Off Por Daniel Suzumura dos santos

Conduzida pela SKS CX Customer Experience – com 660 mulheres das classes A+, A e B, em São Paulo e no Rio de Janeiro -, a pesquisa online “Mulheres A+: a volta ao consumo pós-pandemia” revela os planos femininos em um cenário de reabertura do comércio e escolas.

São Paulo, 29 de junho do ano 2020 – Quando os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro liberarem os seus moradores para retornar aos restaurantes, bares, comércios e praças de alimentação, apenas 17% das mulheres de alta renda pretendem frequentar esses lugares em um período entre um e sete dias após a liberação. Para 81% das entrevistadas não existe a menor possibilidade de retornar rapidamente à mesma frequência que tinham antes da pandemia. Entretanto, quando o tema é a liberação de salões de beleza, spas e centros de estética, 60% afirmaram que o retorno se dará rapidamente, ou seja, entre um e sete dias. O retorno às aulas dos filhos será, para 83% delas, rápido (em até 10 dias). Essas são algumas das conclusões do mapeamento Mulheres A+: a volta ao consumo pós-pandemia. Realizada com 660 mulheres das classes A+, A e B, o levantamento foi conduzido pela SKS CX Customer Experience.

Segundo Stella Kochen Susskind, coordenadora da pesquisa e presidente da SKS CX Customer Experience, o levantamento buscou entender e antecipar comportamentos dessas consumidoras em um cenário de consumo pós-pandemia – sem vacina e medicamentos, mas com máscara e regras sanitárias. “Um dos resultados interessantes é que embora o medo deve limitar o retorno rápido a restaurantes, o mesmo não acontecerá com a frequência à salões de beleza e academias. O hábito de compras online – muitas vezes desenvolvido por conta da pandemia – será o novo normal para a maior parte dessas consumidoras”, afirma a especialista.

PRINCIPAIS CONCLUSÕES |

  • Quando o governo de São Paulo e Rio de Janeiro liberar a abertura de restaurantes, bares, comércio e praças de alimentação 81% das mulheres não pretende frequentar em um período de até sete dias; 17% sim; e 2% não sabem.
  • 60% das mulheres de alta renda pretendem frequentar salões de beleza, centros de estética e spas rapidamente (em até sete dia); 35% não e 5% não sabem.
  • Os clubes serão frequentados por 67% em um período de até sete dias; 30% não pretendem voltar tão rapidamente. 
  • As academias e centros esportivos serão frequentados em até sete dias após a abertura por 52% das mulheres de alta renda; 45% não.
  • As viagens e lazer – em um cenário de voos liberados; fronteiras abertas; aeroportos e companhias aéreas cumprindo as medidas sanitárias – serão objeto de retorno para 38% no primeiro mês de liberação contra 53% que afirmaram não retornar à rotina de viagens tão cedo.
  • A rotina de compras online, amplamente utilizadas no período de quarentena, serão mantidas por 69%; 27% das mulheres não pretendem continuar com essa modalidade de compra. Entre as que responderam que continuarão: 81% pretendem comprar eletrodomésticos e eletroeletrônicos e telefones; 51% supermercado; 37% produtos de beleza; 89% livros; 64% produtos de limpeza; 46% brinquedos; e 51% outros itens (ferramentas, fraldas, artigos de papelaria, hobbies).  
  • Um dos pontos cruciais desse retorno será a volta às aulas. Quando as instituições de ensino garantirem o cumprimento das normas sanitárias, 83% das mães de alta renda pretendem liberar os filhos para frequentar as aulas presenciais em até 10 dias; 10% não vão liberar os filhos tão cedo; e 7% ainda não sabem qual será a decisão.

Sobre a SKS CX Customer Experience | Em 2019, a empreendedora serial Stella Kochen Susskind decidiu inovar no mercado nacional de pesquisa. Com a expertise de três décadas e o pioneirismo em avaliação do atendimento ao consumidor via clientes secretos, ela criou a SKS CX Customer Experience. Dedicada a pesquisas de satisfação e experiência do consumidor e dos usuários (user experience) – tanto em lojas físicas, quando em e-commerce e demais canais de venda dos consumidores omnichanel – a empresa brasileira firmou uma parceria com a startup israelense Checker Software. A SKS CX Customer Experience trouxe uma tecnologia inovadora para a indústria nacional de pesquisas ao concentrar, em uma única plataforma, os resultados de diferentes metodologias de pesquisa, mostrando uma jornada de compra completa de forma online (via aplicativos, SMS, WhatsApp, código de barras, telefone ou visita presenciais). A união de resultados permite saber, em tempo real, todos os aspectos que envolvem o atendimento ao consumidor.

A pesquisa de cliente oculto passa a concentrar as seguintes avaliações: NPS Net Promoter Score (mede a satisfação do cliente a partir de uma escala de 0 a 10 de indicação a empresa, serviço ou produto pelo consumidor; o escore é estabelecido diante do cálculo do percentual de promotores e detratores da marca); UX User Experience (satisfação de uso); CX Customer Experience (satisfação de clientes); VOE Voice of Employes (voz dos funcionários e colaboradores); VOC Voice of Customer (voz do consumidor, integrando resultados de todos os canais); e Brand Tracking (análise para identificar a visibilidade e o prestígio da marca).  

Com a parceria internacional, a SKS CX Customer Experience passou a contar com escritórios de São Paulo, Assunção (Paraguai) e Hadera (Israel) e administrar uma carteira de 30 clientes nos segmentos de finanças, varejo, indústria e serviços. Entre os clientes da SKS CX e da Checker Global: GfK, CiteUp, World Shopper, BVA, L’Oreal, Duty Free Shop, Giorgio Armani, Hugo Boss, Asics, Jack Vartanian, BR Properties e T&A Associados. Em 2020, a empresa brasileira foi premiada com o MSPA Elite Member, que a coloca entre as 12 melhores do mundo no segmento. Acesse o vídeo e conheça as modalidades de pesquisas adotadas pela empresa. https://skscx.com.br