Perigo por trás das câmeras: privacidade e segurança de dados

Perigo por trás das câmeras: privacidade e segurança de dados

30 de julho de 2020 Off Por Daniel Suzumura dos santos

Por Daniel Cunha Barbosa, especialista em segurança da informação da ESET no Brasil

Mais tempo dentro de casa tornou necessário o uso de computadores e smartphones para realizar as mais diferentes tarefas do dia a dia. Reuniões de trabalho, festas de aniversário, casamentos, chá de bebê e até formaturas estão sendo transmitidas por videoconferência devido ao isolamento social obrigatório. Mas o que parece ser algo desenvolvido para facilitar a comunicação, também pode trazer riscos à segurança dos usuários e de suas informações pessoais.

Com uma mudança tão grande, não foram apenas as empresas que precisaram se reinventar e adaptar suas atividades, os cibercriminosos também. Diante do novo cenário, criminosos passaram a investir ainda mais em ferramentas e técnicas de phishing com o objetivo de acessar as câmeras dos dispositivos das vítimas, podendo armazenar imagens, vídeos, dados pessoais e outras informações comprometedoras para enviar a sites mal intencionados e, em alguns casos, solicitar resgates milionários para a devolução do conteúdo “roubado”.

Quem não se lembra do episódio de Black Mirror em que um adolescente é chantageado por um misterioso criminoso que possui um vídeo íntimo dele? Na trama da Netflix, a vítima é forçada a cometer atos bizarros e criminosos, acreditando inutilmente que, dessa forma, vai conseguir reaver o tal vídeo. E a história, famosa na plataforma de streaming, não tem nada de ficção. No mês passado, divulgamos uma pesquisa sobre uma nova campanha do grupo InvisiMole, um agente de ameaças que opera desde meados de 2013 e é vinculado a operações específicas de ciberespionagem.

Geralmente esse tipo de ataque segue um padrão, mas acumula muitas vítimas. Os malwares também podem estar escondidos em programas piratas e em antivírus gratuitos. Assim, quando a vítima faz o download do software, abre uma “porta” para o invasor sem nem perceber.

Esses casos fazem com que os usuários, em geral, se sintam vulneráveis e se questionem até onde estão seguros ao usar a tecnologia. A resposta? Bem… meu conselho primário é que é preciso estar sempre atento a tudo.

Em 2016, uma foto publicada pelo “pai” do Facebook, Mark Zuckerberg, chamou atenção para esse problema. Na imagem, Zuckerberg segura uma moldura que imita a interface do Instagram, adquirido pelo Facebook em 2012. No lado esquerdo da foto, o Macbook do cientista aparece com fitas coladas sobre a webcam e, possivelmente, sobre os microfones.

Na época, a atitude foi assunto de debates sobre segurança cibernética e ciberespionagem. Daí parte a premissa de que manter a webcam do computador e a câmera do celular desativadas quando não estiverem em uso é de grande valia. Além disso, é importante lembrar que mesmo que a luz indicadora da webcam informe que ela está desligada, ela pode sim estar sendo usada.

Outra dica é observar atividades estranhas do aparelho, como mensagens de erro e comportamentos incomuns. Consultar um técnico ou contar com uma solução de segurança para verificar se existe algum malware no dispositivo pode auxiliar a prevenir usuários de serem vítimas dessas ameaças.

Finalmente, é fundamental proteger informações confidenciais. Ainda que seja em seu computador pessoal, não é recomendado armazenar dados pessoais como senhas, documentos de identidade ou informações que sejam importantes para você de forma insegura. Utilize cofre de senhas e criptografe as informações sempre que possível. E nunca se esqueça de deixar seu antivírus ativo e configurado para proteger de eventuais ameaças, bem como varrer periodicamente todo o sistema.

Com essas considerações em mente (e um adesivo na webcam), é possível utilizar os dispositivos com segurança e aproveitar a tecnologia para ficar mais perto da família, dos amigos e até mesmo do trabalho.

Sobre a ESET

Desde 1987, a ESET® desenvolve soluções de segurança que ajudam mais de 100 milhões de usuários a aproveitar a tecnologia com segurança. Seu portfólio de soluções oferece às empresas e consumidores de todo o mundo um equilíbrio perfeito entre desempenho e proteção proativa. A empresa possui uma rede global de vendas que abrange 180 países e possui escritórios em Bratislava, San Diego, Cingapura, Buenos Aires, Cidade do México e São Paulo. Para mais informações, visite http://www.eset.com/br ou siga-nos no LinkedIn, Facebook e Twitter .

About Com,.