Agrotóxicos e poluição estão associados ao aumento da Doença de Parkinson

5 de abril de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

ABP lança ebook com informações sobre sintomas e diagnóstico

O Parkinson é a segunda doença degenerativa mais comum e a que mais cresce porque está ligada a fatores ambientais como: agrotóxico, poluição e uso de solventes. Não tem cura, mas tem tratamento. É genético, mas não hereditário.

Estima-se que 1% da população mundial, acima de 55 anos, e 0,3% da população em geral tem Parkinson. No Brasil, o Ministério da Saúde calcula 200 mil brasileiros com a Doença de Parkinson.

Em abril, mês da conscientização sobre o Parkinson, a Associação Brasil Parkinson (ABP) promove vários eventos e lança um ebook para conscientização da população sobre os sintomas, a importância do diagnóstico precoce, os tratamentos e como manter a qualidade vida para conviver e retardar a evolução da doença.

A ABP desenvolveu um ebook, junto com o PROPARK, o programa de ensino e pesquisa da Doença de Parkinson do Hospital das Clínicas de São Paulo, sobre sintomas precoces da doença, algumas que mascaram o diagnóstico, como dor muscular e sensação de tontura ao levantar. Os principais sintomas do Parkinson aparecem cerca de 10 – 15 anos antes da doença se instalar, que são:

•          Intestino preso

•          Não sentir cheiro

•          Sono agitado

•          Dor muscular

•          Hipotensão postural (sensação de tontura ao levantar)

•          Tristeza e desânimo

•          Prejuízo na atenção e concentração

•          Redução da expressão facial

•          Alteração na escrita

•          Prejuízo dos movimentos finos, como amarrar cardaço, fazer a barba ou abotoar camisa

•          Lentidão de movimentos

•          Redução da oscilação dos braços durante a marcha

Segundo estudos do Global Burden of Disease, estima-se que em 2040, o número de pessoas com doença de Parkinson em todo o mundo deve exceder 12 milhões. Exercícios físicos de impacto e alimentação saudável são indicados para retardar a evolução da doença.

Para baixar o ebook, acesse – https://www.parkinson.org.br/

Sugestão de fontes – Érica Tardelli – presidente ABP, profissionais para orientação aos cuidadores e pacientes que fazem tratamento na entidade. Se interessar me liga – Vera Moreira/ Assessora de Imprensa/ (11) 3253-0729 e 99989-6217

Pesquisas científicas:

A relação do aumento da doença por poluição e agrotóxico estão descritos em vários estudos, como:

2017 – Paraquat e doença de Parkinson-           https://repositorio.unesp.br/handle/11449/151405

2021 – Mau Ar e Doença de Parkinson – https://jamanetwork.com/journals/jamaneurology/article-abstract/2780252

Relação ao aumento expressivo de casos descritos em dois estudos –

2018 – As evidências emergentes da Doença de Parkinson – https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6311367/

2022 – Avaliação de fatores de risco e apresentações precoces da doença de Parkinson – https://jamanetwork.com/journals/jamaneurology/article-abstract/2789505?widget=personalizedcontent&previousarticle=2661302

Livro referência – “Ending Parkinson’s Disease” featuring the authors, Ray Dorsey, MD, Bastiaan Bloem, MD and Michael Okun, MD – https://endingpd.org/

Vera Moreira Com,.


Compartilhar