Aplicativos de mensagens são os mais utilizados pelo brasileiro

11 de agosto de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Pesquisa do Capterra confirma o WhatsApp como o mais popular e mostra a frequência de utilização das redes sociais no País, comparado a outros 4 países pesquisados

São Paulo, 11 de agosto do ano 2022 – Um estudo inédito realizado pelo Capterra, plataforma de comparação de software, entrevistou 1.024 brasileiros de diversas regiões do Brasil no período de 20 a 28 de abril de 2022, na faixa etária de 18 a 75 anos, concluiu que 4 de cada 10 entrevistados (41%) disseram que acessam suas redes sociais mais de 10 vezes por dia. Trata-se do país com a maior frequência entre os outros analisados pelo Capterra: México (31%), Espanha (13%), França (14%) e Reino Unido (17%).

Dividindo esses dados por gênero, tanto o público feminino, quanto o masculino ficam empatados ao afirmarem que acessam as redes mais de dez vezes por dia (41%). Com relação a faixa etária, o Capterra descobriu que as pessoas entre 26 e 35 anos são as que mais acessam nessa quantidade (35%), seguida da faixa de 36 e 45 anos (22%).

Já faz parte da cultura do brasileiro, a utilização do WhatsApp para fins comerciais. Em pesquisa realizada pelo Capterra no ano passado, 48% dos respondentes mostraram-se abertos ao bate-papo ao vivo e escolheriam como primeira opção, o atendimento pela ferramenta. A pesquisa apresentou um dado interessante: 57% dos entrevistados brasileiros disseram que são usuários do Telegram. Em comparação aos outros países participantes do estudo, a utilização do aplicativo não chega nem na metade dos respondentes: Espanha (37%), México (36%), França (10%) e Reino Unido (8%).

Outros aplicativos que têm forte penetração entre os brasileiros, segundo o estudo, são Instagram (91%) e Facebook (89%). A ordem ocupada nesse ranking pode surpreender e tem uma explicação. Segundo estudo da Emplifi, em 2021, houve um aumento de audiência e de engajamento no Instagram.

A Analista de Conteúdo do Capterra, Marcela Gava, afirma que “uma das principais finalidades de utilização das redes sociais pelos usuários é enviar mensagens ou verificar atualizações de amigos, família e grupos. Nota-se que as pessoas estão preferindo empregar as plataformas para o objetivo pela qual foram criadas, desbancando aquela percepção que era só para seguir influenciadores ou celebridades”.

O outro lado da moeda:

A pesquisa traz à tona uma preocupação dos especialistas da área de saúde quanto as consequências do uso excessivo das redes sociais. Estudos relatam que durante e pós o período pandêmico, houve uma piora da saúde mental dos brasileiros. Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) de 2021, mostrou que de uma lista de onze países, o Brasil lidera com mais casos de ansiedade (63%) e depressão (59%), seguido, respectivamente, da Irlanda e dos Estados Unidos.  Segundo o médico Mitch Prinstein, diretor científico da Associação Americana de Psicologia (APA), em entrevista à CNN Brasil, destacou que “muitas pessoas são atraídas pelo uso frequente – quase viciante – da mídia social porque ela ativa substâncias químicas cerebrais que aguçam a sensação de “quero mais”.

O Capterra ainda investigou a preocupação do brasileiro com a segurança dos dados nas redes sociais e ainda o uso do TikTok no Brasil dividido por gerações. Confira esses e outros destaques no Blog do Capterra.

Sobre o Capterra: Fundado em 1999, o Capterra tem ajudado empresas em todo o mundo a encontrar o software certo para as suas necessidades. O alcance global dos produtos disponíveis no Capterra, as avaliações de outros usuários, as pesquisas independentes e as ferramentas de comparação oferecem uma experiência confiável e segura de busca de software para mais de cinco milhões de compradores todos os meses. Para mais informações acesse capterra.com.br

Via News Com,.


Compartilhar