Como fica o Big Data em meio aos processos de digitalização empresarial?

Como fica o Big Data em meio aos processos de digitalização empresarial?

9 de fevereiro de 2022 Off Por Danielsuzumura
Compartilhar

Fintechs que trabalham com digitalização apostam no tratamento e no armazenamento de dados através de data lake e data warehouse, como é o caso da MaisTODOS, empresa que busca soluções tecnológicas para gerir dados de uma base de mais de 14 milhões de filiados   

Segundo a pesquisa publicada pela Companhia Samba Digital, até o final do primeiro semestre de 2021, cerca de 80% das empresas brasileiras haviam dado início ao processo de digitalização de suas operações. Seja através da criação de aplicativos, da produção de e-commerces, da contratação de softwares colaborativos ou da adoção do modelo de trabalho remoto, não há dúvida de que a digitalização é uma tendência para o mercado brasileiro nos próximos anos. Este processo, no entanto, depende de uma série de soluções nas áreas de TI, Finanças e Gestão, para que seja implantado de forma eficaz e possa permitir o máximo armazenamento e aproveitamento de informações coletadas sobre clientes, produtos, finanças, stakeholders, demandas e etc. 

Estas informações, também conhecidas como Big Data, demandam processos exclusivos para que sejam trabalhadas da melhor forma possível no ambiente empresarial. É neste contexto que surgem as soluções de Data Lake e Data Warehouse, ambas utilizadas como repositório para armazenamento de enormes e variáveis volumes de dados, com a diferença de que na versão Lake estes dados são brutos e na versão Warehouse eles são previamente processados. No Brasil, estas soluções têm sido amplamente adotadas para assegurar a conservação de dados financeiros, mas pouco se fala no uso destes processos para a melhoria da experiência dos clientes. Empresas como o Cartão de TODOS, porém, quebram este paradigma.

Seguindo o projeto de digitalização de sua base de mais de 14 milhões de filiados no ciclo 2021-2022, o Cartão de TODOS, maior cartão de descontos do Brasil, é o primeiro do setor quando o assunto é a investir esforços em levar a operação de seus serviços  – prestados nas áreas de saúde, educação, lazer e serviços essenciais (como telefonia, gás, medicamentos, entre outros) – para as interfaces digitais. Para isso, a empresa conta com o Coração de Tecnologia Solidária, a fintech MaisTODOS, que adequa o que há de mais moderno no mercado tecnológico à realidade dos filiados ao Cartão.

Em outubro de 2021, o Grupo TODOS lançou um novo app para os filiados, prevendo e antecipando-se à guinada brasileira para o mundo digital, e deu início a uma campanha focada em downloads. Antes deste movimento, o app contava com a adesão de cerca de 10% de usuários dentro das 5 milhões de famílias atendidas, alcançando menos de 1 milhão de aplicativos ativos. Com a nova campanha e os investimentos realizados, o número de usuários ativos no app tem crescido em média 150 mil por mês e objetivo do grupo é concentrar na ferramenta digital o acesso da maior parte de sua base de filiados, alcançando mais de 15 milhões de downloads, contando com mais de 10 milhões de usuários ativos e engrenando de vez sua digitalização, até o final de 2022.

O grupo têm ciência de que, embora o processo de digitalização seja essencial operacionalmente e vantajoso financeiramente para a empresa e seus clientes, as dificuldades de implementação são grandes, já que 90% de sua base de usuários é formada por pessoas pertencentes às classes C e D e, em sua maioria, acima dos 35 anos. Nesta faixa populacional, o acesso ao mundo digital enfrenta barreiras financeiras, culturais e de habilidades, tornando-se um desafio a ser superado – tarefa que o Cartão de TODOS também assumiu para si. Com o objetivo de garantir disponibilidade e oportunidade de acesso a estes filiados, no segundo semestre de 2021, o Cartão de TODOS lançou o Alô TODOS, um plano de telefonia pós-pago mais econômico e que oferece internet ilimitada. No mesmo período, a empresa intensificou a oferta de descontos e cashback pelo aplicativo, não só em consultas e exames, mas também para aquisição de produtos recorrentes e essenciais, como gás de cozinha (no lançamento de uma oferta do produto em parceria com a Ultragaz) e descontos em medicamentos em farmácias, especialmente as da rede RaiaDrogasil, com quem o grupo firmou uma nova parceria, recentemente. Além disso, pushs e outras formas de comunicação direta via CRM com a base de filiados foram implementados através de mecanismos de business intelligence e machine learning aplicados com base no comportamento dos usuários.

“Temos um projeto de BI que é totalmente aderente às necessidades das classes C e D e que acompanha as rotinas do nosso filiado. Conseguimos prever e antecipar ações para alguém que precisa reagendar uma consulta ou uma família que irá consumir novamente um botijão de gás num dado mês, por exemplo. Também conseguimos identificar oportunidades junto à navegação do usuário e, em questão de minutos, entrar em contato com ele com uma oferta exatamente do produto buscado”, explica Leon Calixto, CEO e head de operações do Grupo Cartão de TODOS, um dos responsáveis pelos projetos de tecnologia.

Com a digitalização, facilidades como agendar consultas pelo app e checar a localização por proximidade de clínicas, empresas e outros fornecedores parceiros de serviços também são parte da estratégia digital da empresa. A simplicidade no acesso e o uso intuitivo também são testados frequentemente para conquistar a adesão do público-alvo. “O uso da tecnologia no grupo cartão de TODOS tem um propósito específico: acompanhar nossa estratégia de colocar o cliente no centro. Investimos num projeto de reengenharia baseado em dados, seguindo premissas dos principais players do mundo digital”, afirma Tales Vilar, vice-presidente do Cartão de TODOS.

Iniciativa de sucesso com data lake e data warehouse   

Com o extenso Big Data a ser considerado para garantir a melhoria da experiência de seus filiados, o Grupo TODOS deu início ao projeto de Data Lake, no qual um grande repositório de dados é armazenado em sistemas híbridos, inclusive cloud system, seguindo protocolos de sistemas de governança de dados e realizando consultorias externas focadas em sustentação, conformidade e legalidade.Diante deste enorme repositório de dados, que inclui informações de navegação e comportamento de usuários, o grupo investe no projeto complementar de Data Warehouse (armazém de dados), no qual há coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações. A aliança entre estes dois projetos permitiu o estabelecimento correto e seguro de circulação de dados, com efetiva disponibilidade e endereçamento de informações a favor das operações das áreas de negócios do grupo e, sobretudo, com foco no usuário, ressaltando a política do “clientecentrismo” baseado em inteligência digital.

Com diversos parceiros de TI reconhecidos e consolidados no mercado envolvidos nos dois projetos, o Cartão de TODOS informa que o aporte realizado é significativo e correspondente à proporção da operação. Porém, a empresa aposta num retorno financeiro a curto e médio prazo para o investimento feito, já que encara que o sistema construído é garantia para uma disponibilidade de negócios ainda mais efetiva e, principalmente, de uma parceria cada vez mais intensa e maior com seus filiados – agora, também no mundo digital.

Sobre o Cartão de TODOS

O Cartão de TODOS é referência no mercado de cartões de descontos. Criado em 2001 por Altair Vilar, em Ipatinga (MG), a empresa oferece a intermediação de descontos entre os usuários do cartão e as empresas parceiras. A adesão ao Cartão de TODOS dá direito a descontos nas mais de 300 clínicas parceiras, permitindo o acesso da população à saúde primária de qualidade, além de oferecer descontos em atividades que englobam serviços voltados à educação e ao lazer, além de serviços essenciais. A empresa atende, hoje, o equivalente a mais de 14 milhões de pessoas, e o Cartão de TODOS é aceito em mais de 10 mil estabelecimentos em todo o Brasil.

Gotcha Com,.


Compartilhar