Curso tecnólogo em Silvicultura é criado em Água Clara para atender demanda de qualificação do setor florestal

Curso tecnólogo em Silvicultura é criado em Água Clara para atender demanda de qualificação do setor florestal

16 de março de 2024 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Desenvolvimento Rosana Aparecida Monte Siqueira Teixeira 15/março/2024 3:30 pm Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), assinou com a MS Florestal, empresa na área de florestas, o convênio que formaliza a criação do curso tecnólogo em Silvicultura, em Água Clara. A criação do curso é uma parceria entre a empresa, a prefeitura do município e a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

A assinatura foi realizada nesta sexta-feira (15), pelo governdor Eduardo Riedel e o secretário Jaime Verruck durante o lançamento da PantanalTECHMS, uma feira voltada à sustentabilidade e tecnologia, que acontecerá em junho na cidade Aquidauana. A solenidade de lançamento do evento aconteceu em Campo Grande, no Bioparque Pantanal, e contou com autoridades locais, além de representantes da MS Florestal.

O título de tecnólogo é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) como uma qualificação de nível superior, com diferença de ser um curso de menor duração e focado na prática profissional. O início das aulas está previsto já para o segundo semestre de 2024.

O curso terá duração de dois anos e meio. Toda população poderá participar do processo seletivo, assim como colaboradores da empresa que buscam capacitação superior na área.

Em agosto do ano passado, o curso foi aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEMS (CEPE). Demais detalhes, como processo seletivo dos alunos e data de início das aulas, serão posteriormente definidos conforme cronograma da Universidade.

O titular da Semadesc Jaime Verruck destaca que o curso de tecnólogo em silvicultura é de extrema importância diante da forte participação do setor florestal no Estado.

“Em um trabalho feito com o setor, identificamos a grande demanda por mão de obra especializada e criamos a rede de excelência de serviços florestais. Dentro da rede, nós detectamos qual o conjunto de lacunas que temos na formação profissional e um deles era a de técnicos de silvicultura. Então a UEMS juntamente com o Governo de MS criou o curso na região de Água Clara que entendemos que é a mais central, propiciando atendimento a todos Estados e caso necessário outros serão feitos”, adiantou Verruck.

Parceria

“Este curso não atende só as necessidades práticas do setor florestal, ele representa nosso compromisso tangível com o desenvolvimento sustentável e a responsabilidade social. Estamos orgulhosos de construir, por meio desta parceria, uma oportunidade tão valiosa quanto este ensino superior para nossa comunidade”, expressa Marisa Coutinho, Gerente de Relações Institucionais, Governamentais e com Comunidades da MS Florestal.

“Ao fornecer acesso a uma educação de qualidade nesta área crucial, estamos capacitando indivíduos a se tornarem líderes no manejo sustentável de nossas florestas. Além disso, estamos contribuindo para a diversificação de habilidades e o enriquecimento do mercado de trabalho local”, acrescenta Amanda Barrera, Gerente de Recursos Humanos da MS Florestal.

“Na UEMS é onde está acontecendo o desenvolvimento. Com este curso por meio dessa parceria com a MS Florestal vamos qualificar 40 profissionais diretamente para atender esse setor. A UEMS entra diretamente na rota da celulose”, ainda comentou o reitor da universidade, Laércio Alves de Carvalho.

O governador Eduardo Riedel destacou que o curso atende a demanda de desenvolvimento da economia e do setor da celulose. “Essa é mais uma ação focada no desenvolvimento da nossa economia, são R$ 1,3 milhões para o curso de silvicultura em Água Clara, atendendo a demanda pela qualificação da mão de obra do setor florestal. Este é um Estado que está dando muito orgulho e fruto de trabalho de muita gente, com diferentes visões do mundo”, pontuou.

Rosana Siqueira, Comunicação Semadesc
*com informações da MS Florestal

Foto: Geliel de Oliveira/MS Ambiental


Compartilhar