Curtas-metragens feitas por yanomami serão mostradas em Veneza

Curtas-metragens feitas por yanomami serão mostradas em Veneza

12 de agosto de 2023 Off Por Ray Santos
Compartilhar

© Roseane Yariana/Divulgação Geral

80º Festival ocorre de 30 de agosto a 9 de setembro

12/08/2023, Filmes exibidos no festival de cinema de Veneza. Yuri U Xëatima Thë - A Pesca com Timbó. Foto: Roseane Yariana/Divulgação
12/08/2023, Filmes exibidos no festival de cinema de Veneza. Yuri U Xëatima Thë – A Pesca com Timbó. Foto: Roseane Yariana/Divulgação

Três filmes curtas-metragens produzidos por indígenas yanomami serão exibidos no 80º Festival de Veneza, na Itália, que ocorre de 30 de agosto a 9 de setembro. Os curtas serão apresentados em 4 de setembro, no evento Olhos da Floresta. O dia será dedicado ao cinema indígena yanomami e homenageará o primeiro cineasta da etnia, Morzaniel Ɨramari.

Um dos três curtas exibidos será Mãri Hi – A Árvore do Sonho, de Ɨramari, vencedor da categoria Melhor Documentário de Curta-Metragem Nacional, no Festival É Tudo Verdade, de 2023. O filme conta com a participação do líder e xamã Davi Kopenawa, que mostra o conhecimento dos yanomami sobre os sonhos.

“Este filme vai ajudar a fazer com que os não indígenas conheçam o povo yanomami, conheçam as nossas imagens. Assim todos podem conhecer como nós vivemos na nossa casa e como nós sonhamos, como os xamãs sonham”, explica o cineasta.  

Morzaniel Ɨramari nasceu em 1980 na aldeia Watorikɨ, região do Demini, da Terra Indígena Yanomami, no estado do Amazonas. Foi formado no projeto Pontos de Cultura Indígena – Vídeo nas Aldeias e dirigiu o curta Casa dos Espíritos, vencedor do prêmio de Melhor Filme, segundo o júri popular, na Mostra Aldeia SP, em 2014. Também dirigiu o filme longa-metragem Urihi Haromatimapë – Curadores da Terra-floresta, que ganhou o prêmio de Melhor Filme do Forumdoc BH – Mostra Competitiva do Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte.

12/08/2023, Filmes exibidos no festival de cinema de Veneza. Poster Mãri Hi - A Árvore do Sonho. Foto: Roseane Yariana/Divulgação
12/08/2023, Filmes exibidos no festival de cinema de Veneza. Poster Mãri Hi – A Árvore do Sonho. Foto: Roseane Yariana/Divulgação

Mulheres indígenas

Os outros dois curtas serão Thuë Pihi Kuuwi – Uma Mulher Pensando, e Yuri U Xëatima Thë – A Pesca com Timbó, ambos de Aida Harika, Roseane Yariana e Edmar Tokorino. Esta será a primeira vez que as mulheres yanomami participarão de um festival de cinema internacional.

Aida Harika e Edmar Tokorino são dois cineastas yanomami que também residem na aldeia de Watorikɨ. Ambos fazem parte do coletivo de comunicadores yanomami criado em 2018 pela Hutukara Associação Yanomami. Roseane Yariana fez parte do primeiro grupo de jovens escolhidos para participar das oficinas de formação em audiovisual, em 2018. Ela é moradora da aldeia Buriti, na região do Demini, no estado do Amazonas.

Os três curtas são uma produção Aruac Filmes, com coprodução da Hutukara Associação Yanomami e produção associada da Gata Maior Filmes. Os filmes contam com o apoio institucional do Instituto Socioambiental e apoio de uma rede de fundações e instituições internacionais que trabalham diretamente com a Amazônia Brasileira. 

Edição: Valéria Aguiar

Publicado em 12/08/2023 – 15:11 Por Agência Brasil – São Paulo

ouvir:


Compartilhar