Estudantes do Colégio Santa Marcelina plantam 60 árvores em Belo Horizonte através de projeto educativo

Estudantes do Colégio Santa Marcelina plantam 60 árvores em Belo Horizonte através de projeto educativo

25 de maio de 2024 Off Por Ray Santos
Compartilhar

– 110 estudantes do 9º ano do Colégio Santa Marcelina plantaram mudas no Parque Ecológico do Brejinho, localizado no bairro São Francisco

– Iniciativa de aprendizagem baseada em problema surgiu a partir de projeto interdisciplinar de biologia, física, inglês, matemática e química

Belo Horizonte, Maio de 2024 – Estudantes do Colégio Santa Marcelina de Belo Horizonte plantaram cerca de 60 mudas de árvores no Parque Ecológico do Brejinho, localizado no bairro São Francisco, na capital mineira.

Da aprendizagem baseada em problema, surge o projeto interdisciplinar chamado “A sociedade e ações antrópicas no clima global da Terra” e envolveu 110 estudantes do 9º ano da instituição, entre março e novembro de 2023.

O projeto foi desenvolvido pelos professores da instituição com o propósito de analisar a intervenção humana sobre o meio ambiente e o clima, identificar problemas socioambientais globais referentes ao clima da Terra, relacioná-los ao desenvolvimento sustentável e propor ações a nível local, alinhando-se aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS).

Para isso, as disciplinas de Biologia, Física, Inglês, Matemática e Química conduziram o percurso do projeto de forma integrada.

Segundo a professora do Colégio Santa Marcelina de Belo Horizonte, Luiza Porto, após um aprofundamento teórico sobre o tema e a pesquisa de campo no setor de mudas da Fundação Zoobotânica de Belo Horizonte, em uma parceria entre o Colégio e a instituição, os estudantes se engajaram em uma ação em prol da sustentabilidade na cidade com o plantio em um ponto estratégico da capital mineira.

“O parque foi escolhido para a ação pois está situado numa área de recarga hídrica muito importante para a região, abrigando uma das nascentes do Córrego São Francisco e uma bacia de detenção de águas de chuva, equipamento que minimiza a ocorrência de alagamentos e enchentes durante o período chuvoso. Nesse sentido, é uma área de grande importância ecológica para a capital”, explica.

Como funciona o projeto

A iniciativa foi dividida em três etapas. Na primeira, os estudantes passaram pelas fases de reconhecimento do problema e coleta de dados por meio da leitura de artigos em português e inglês.

Na segunda etapa, realizaram o cálculo de emissão de CO2, tabulação, criação de gráficos e análise de dados e deram início à construção do projeto com plano de ação para modificação do cenário urbano de Belo Horizonte. Na terceira, e última, etapa, foi realizado o plantio de árvores.

Nesse contexto, Luiza explica que a iniciativa foi pensada como forma de desenvolver diferentes aspectos nos estudantes. “Com o projeto, foi possível promover uma maior conscientização ambiental em cada estudante, estabelecendo uma conexão emocional mais profunda com o meio ambiente e incentivando um senso de responsabilidade e cuidado com o planeta. Além disso, possibilitou o desenvolvimento de habilidades socioemocionais e estimulou a curiosidade e a investigação”.

Luiza ressalta, ainda, que o plantio de mudas ofereceu uma experiência prática e tangível, tornando os conceitos abordados no ambiente de aprendizagem mais significativos e fáceis de entender. “O plantio aumentou a conscientização dos estudantes sobre questões ambientais e a importância da sustentabilidade. O envolvimento em atividades de conservação ambiental ajuda a desenvolver valores como respeito pela natureza, responsabilidade social e senso de comunidade”.

Em 2024, os estudantes da unidade de Belo Horizonte já iniciaram o projeto e outras unidades da Rede de Colégios Santa Marcelina também devem aderir à iniciativa nos próximos anos.

Sobre o Santa Marcelina

O Instituto Internacional das Irmãs de Santa Marcelina foi fundado em 1838 por Monsenhor Luigi Biraghi, com o auxílio de Marina Videmari, em Milão, na Itália.

Dedicada à educação, à saúde e à assistência social, a Congregação difundiu-se globalmente a partir da instituição de colégios, hospitais e obras sociais. 

Atualmente, presente em 8 países, espalhados por 3 continentes, e em 17 municípios e 9 estados brasileiros, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Tocantins, o Instituto segue com a missão de levar adiante, com empenho e entusiasmo, a educação, a formação, a cura e a construção do ser humano íntegro e da sociedade.

Tudo isto alinhado à uma metodologia inovadora de aprendizagem, alinhada às principais tendências do mercado educacional.

Informações para a imprensa

EPR Comunicação Corporativa

(11) 3815.2910 – http://www.epr.com.br

Patrícia Barbosa – patricia@epr.com.br

Ana Laura – analaura@epr.com.br

Pedro Massari – pedro@epr.com.br

Igor Lima – igor.lima@epr.com.br

Melissa Coelho – melissa@epr.com.br


Compartilhar