Fake news contra a Buser foi produzida dentro da Expresso Guanabara

7 de março de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Investigação autorizada por decisão judicial revela que funcionários de uma das maiores viações de ônibus do País fizeram perfis e postagens falsas em redes sociais para difamar concorrente

Uma das maiores empresas de ônibus do Brasil foi identificada, após investigação autorizada por decisão judicial, como origem de uma postagem criminosa para disseminar uma notícia falsa contra a Buser nas redes sociais.

Após ingressar na Justiça, a Buser conseguiu identificar a origem da fake news disparada em 2019 para manchar a imagem da startup, hoje a maior empresa de intermediação de viagens rodoviárias do País. 

A Justiça determinou ao Facebook que apresentasse os e-mails responsáveis pelo perfil que fez a montagem e os endereços de IP (Internet Protocol) dos equipamentos de onde partiram os acessos. Às empresas de telefonia, a Justiça determinou que fossem listados os proprietários dos equipamentos.

Os documentos comprovam que os acessos aos perfis foram feitos de dentro da sede da Expresso Guanabara ou por celulares ou diretamente das residências de pessoas com ligação com a empresa.

Uma das maiores viações do Brasil, a Guanabara pertence à família Barata, que controla o transporte de passageiros em muitos estados. O empresário Jacob Barata Filho, chamado de “Rei do Ônibus”, foi investigado pela Lava Jato do Rio de Janeiro por ter participado de um esquema de corrupção no governo de Sérgio Cabral Filho. Condenado a 28 anos e 8 meses de prisão pelo juiz Marcelo Bretas, Barata chegou a ser preso pela Polícia Federal em 2017, na Operação Ponto Final. A prisão ocorreu quando Jacozinho, como é conhecido, tentava viajar para Lisboa, o que indicaria uma provável fuga do País.

A montagem com a foto de um ônibus da Buser pegando fogo foi publicada nas redes sociais com a legenda: “Informamos que nosso veículo incendiou-se (sic) ontem, 12 de fevereiro, na Bahia. Foram registrados apenas prejuízos materiais. Daremos todo suporte aos passageiros prejudicados. Atenciosamente, Equipe Buser”.

Como se tratava de uma mentira, a Buser ingressou com uma ação na Justiça, que determinou a retirada da postagem da internet. A 8ª Vara Cível de São Paulo também requisitou a identificação dos responsáveis pelo crime.

Informações das operadoras identificaram que os dados correspondem à empresa Expresso Guanabara S/A, CNPJ 31.4550.112/0001-01, localizada na Rodovia BR-116, nº 700, Aerolândia, Fortaleza – Ceará. Também foram identificados os seguintes e-mails cadastrados no sistema: rodrigo@expressoguanabara.com.br; flavio.bandeira@guanabaraholding.com.br; informatica@expressoguanabara.com.br; contasapagar@expressoguanabara.com.br; claudecy@expressoguanabara.com.br; cpd@expressoguanabara.com.br. Outro documento aponta que um dos proprietários do telefone celular de onde partiram acessos está cadastrado em nome de Rodrigo Mont’Alverne, gerente de marketing da Expresso Guanabara.

A Buser já decidiu que vai processar civil e criminalmente todos os responsáveis pela divulgação da fake news. 

Não foi a primeira vez que as velhas viações de ônibus, que formam um oligopólio que dominou o setor de transporte de passageiros por décadas, utilizaram-se de fake news para tentar impedir o crescimento da Buser. A Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), entidade que reúne as maiores empresas de ônibus do País, publica sistematicamente artigos recheados de informações inverídicas contra a concorrente digital, que já ingressou na Justiça com ações por difamação.

Para acessar a íntegra da documentação, clique aqui: https://bit.ly/3Kbw2nh

Sobre a Buser

A Buser nasceu com a missão de promover serviços de transporte melhores e a preços mais acessíveis. Nos três primeiros anos de atividade, a empresa promoveu o fretamento colaborativo com uma plataforma para conectar viajantes a empresas de ônibus no qual os passageiros dividem a conta final do fretamento. Em 2021, a startup evoluiu, passando a ser uma plataforma de mobilidade coletiva multisserviços, atuando também como marketplace de passagens de ônibus, em parceria com grandes companhias, e agora com o Buser Encomendas. Com mais de 6 milhões de pessoas cadastradas na plataforma digital, a empresa conta com cerca de 400 parceiros (entre fretadores e viações maiores), utilizando cerca de 1.000 ônibus. Para mais informações, acesse: www.buser.com.br.

Por Lauro Rocha


Compartilhar