FEMINICÍDIO TRÊS LAGOAS: Suara foi estuprada e asfixiada; autor mentiu que era seu ex-marido

9 de abril de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Catadora de materiais recicláveis saiu para trabalhar, foi estuprada e roubada em MS

Segundo suspeito de cometer o crime foi identificado pela vítima da tentativa de estupro no Vila Haro. Foto: Reprodução

Suara Albuquerque Corrêa da Silva, de 40 anos, foi estuprada, assassinada e largada em uma construção na Rua Projetada Dois, esquina com a Rua Projetada F, entre os bairros Vila Verde e Jardim Flamboyant, em Três Lagoas (MS). O corpo dela foi achado na quinta-feira (7.abr.222), dia seguinte à sua morte.  

Segundo a Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) do município, o exame de necropsia indica que ela foi morta por asfixia.

A delegada titular da DAM, Nelly Macedo, explicou que prendeu em flagrante João Batista Eller Alves, de 25 anos, e Edinaldo Aparecido Martins, de 39 anos, acusados de feminicídio e estupro.

João chegou a mentir para a polícia que era ex-marido de Suara, mas os investigadores revelaram a verdade.

INVESTIGAÇÕES 

Edinaldo é conhecido pelo apelido “Boiadeiro”. Segundo a polícia, ele foi o primeiro indicado como autor do crime.

Nesta manhã (8.abr.22), ‘Boiadeiro’ foi preso, drogado, há 150 metros do local do crime. Ele estava com o celular de Suara escondido na cueca e em seu corpo haviam vários arranhões. Questionado sobre os ferimentos e o celular, ‘Boiadeiro’ negou a autoria do estupro e da morte de Suara. Ele contou que estava no local com a vítima, com quem teria negociado um programa sexual e consumo de drogas, ambos acompanhados de João, que também participaria do programa sexual. ‘Boiadeiro’ narrou que após um desentendimento com João, ambos entraram em luta corporal e com isso, Boiadeiro foi embora, deixando a vítima e João no local do crime. 

Diante dessas novas informações, a polícia foi até a casa de João e o questionou. De repente, João começou a chorar lamentando a morte de Suara dizendo que era sua ex-mulher Suara, que ainda nem havia sido identificada pelos policiais, levantando a suspeita. A polícia mostrou uma foto do corpo para a cunhada de João e a mulher negou que aquela fosse sua irmã, dizendo não saber porque o homem estava chorando. 

A polícia disse que, então, a vítima foi identificada e constatou-se, de fato, que era Suara, moradora no Bairro Novo Oeste. Em posse de um endereço, os militares foram até a casa de Suara e encontraram o verdadeiro esposo dela no imóvel. O homem reconheceu o corpo da esposa por fotos e disse que a mulher teria saído de madrugada e por ambos serem coletores de recicláveis ele teria achado que a esposa havia ido trabalhar mais cedo.  

Depois disso, os investigadores descobriram o paradeiro da verdadeira esposa de João. Em interrogatório, a mulher disse que não via o marido desde às 22h da quarta-feira (6.abr). A própria esposa disse que João era conhecido por querer abusar sexualmente de ‘outras mulheres’. O depoimento da mulher confrontou o de João, que disse aos policias que teria passado a noite com a atual esposa numa construção.  

Na construção em que João citou ter pernoitado com a esposa, vizinhos disseram que a última vez que viram João e a esposa teria sido na terça-feira (5.abr) e depois disso, só nesta quinta-feira (7.abr) que João havia sido visto saindo sozinho do local.

Por fim, a delegada Nelly Macedo, solicitou a presença de uma vítima de tentativa estupro, uma mulher de 45 anos, que no domingo (3.abr.22) conseguiu escapar de estupradores, na Rua Rogaciano Garcia Moreira, no bairro Vila Haro, próximo ao local onde Suara foi morta. Na delegacia a vítima reconheceu, sem sombra de dúvida, João como autor da tentativa de estupro contra ela.  

João e Boiadeiro foram presos em flagrante por estupro e feminicídio. Boiadeiro também responderá por roubo, pois estava com o celular da vítima. 

FAMÍLIA 

A mãe da vítima, Marta Fernandes, de 77 anos, disse ao Campo Grande News, não acreditar que o autor do assassinato tenha se relacionado anteriormente com sua filha.

Suara havia perdido a visão de um dos olhos em um acidente, era usuária de drogas e trabalhava com reciclagem em Três Lagoas. Ela teve dois filhos, um deles hoje com 21 anos e uma menina de 13 anos, que moram há 6 anos com a avó em Campo Grande.

O filho mais velho da vítima foi quem conseguiu, com ajuda de doações, trazer o corpo de Suara para a Capital. Ela será velada e sepultada neste sábado (9.abr.22).

*Com Campo Grande News.  


Compartilhar