Gastos com materiais escolares via e-commerce cresce em 20% em 2022, aponta levantamento inédito

1 de fevereiro de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Layers Education avaliou o período de novembro e janeiro em sua base de escolas privadas, que também considerou artigos didáticos como livros e apostilas

Com o retorno às aulas presenciais do ensino básico no Brasil, houve um aumento de 20% nos gastos de pais e responsáveis na compra on-line de materiais didáticos e escolares desde novembro. Isto é o que indica o levantamento inédito da Layers Education, startup que unifica aplicativos de gestão escolar e disponibiliza um e-commerce em sua plataforma. Em 2021, o valor transacionado foi de R$ 33,4 milhões.

No e-commerce da Layers, o tíquete médio de gastos passou de R$ 979,82 em 2020 para R$ 1.219,27 em 2021. De acordo com Danilo Yoneshige, CEO da edtech, a suspensão de viagens e de atividades de lazer na pandemia pode explicar este fenômeno, pois os pais e responsáveis destinaram as economias para investimento na educação dos estudantes “Como as vendas ficam aquecidas até fevereiro, a expectativa é que o total transacionado até o final de fevereiro em nossa plataforma seja de R$ 75 milhões”, diz Yoneshige.

Outra razão para o aumento nas despesas no período é a alta da inflação que impactou o segmento de materiais escolares. A estimativa é que os produtos estejam 15% a 30% mais caros, segundo a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE).

Ter a comodidade de fazer compras on-line é uma tendência crescente na pandemia. Em 2021, a modalidade atingiu R$ 260 bilhões, o equivalente a R$ 160 bilhões a mais em relação a 2019, conforme indicam os dados da gestora Canuma Capital.

Sobre a Layers Education

Fundada em 2018 na cidade de São Caetano do Sul (SP), a Layers Education é uma solução que integra aplicativos de educação para instituições de ensino básico, alunos e seus responsáveis. Possibilita acesso a diversas ferramentas de organização, comunicação e consulta em um único canal, unificado em um aplicativo digital com acesso via computador e celular. A tecnologia já é utilizada por mais de 550 comunidades, 11 redes de ensino e mais de 350 mil famílias. No primeiro semestre de 2021, a Layers ficou entre as 100 empresas de tecnologia para a educação mais promissoras, pelo ranking da consultoria americana HolonIQ. A companhia foi a primeira no mundo investida pela Faber-Castell em 2020.

Por Victoria Bernardes


Compartilhar