Governo de São Paulo decreta estado de emergência para dengue

Governo de São Paulo decreta estado de emergência para dengue

5 de março de 2024 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Somente neste ano, o estado registrou 31 mortes pela doença registradas em 21 cidades

Redação Terra Redação Terra 

5 mar 2024 – 08h47
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O governo estadual de São Paulo decretou estado de emergência devido ao aumento de casos de dengue registrados. Ao todo, foram confirmadas 31 mortes em 21 municípios.

Doença é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.
Foto: Arquivo

O governo estadual de São Paulo decretou estado de emergência para a dengue, e deve ser oficializada nesta terça-feira, 5. A informação é de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

A medida foi recomendada pelo Centro de Operações Emergenciais (COE), coordenado pela Secretaria Estadual da Saúde, após o estado atingir nesta semana 300 casos confirmados da doença para cada grupo de 100 mil habitantes.

Notícias relacionadas
Doença é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti Foto: Estadão / Estadão
SP tem 31 mortes por dengue e mais de 138 mil casos confirmados
Imagem meramente ilustrativa de criança recebendo vacina Foto: iStock
Dengue: só 14,7% das vacinas distribuídas aos municípios foram aplicadas
Vacina da dengue ainda não está disponível para todos Foto: iStock
Dengue: esclareça 20 dúvidas sobre a doença

Até esta segunda-feira, 4, já haviam sido confirmados 31 mortes pela doença registradas em 21 cidades do estado. São elas:

  • Bebedouro (1);
  • Bariri (2);
  • Bauru (1);
  • Pederneiras (2);
  • Bragança Paulista (1);
  • Campinas (1);
  • São Paulo (2);
  • Franca (1);
  • Restinga (1);
    Publicidade
  • Marília (3);
  • Guarulhos (3);
  • Suzano (1);
  • Batatais (1);
  • Ribeirão Preto (2);
  • Serrana (1);
  • Mauá (1);
  • Parisi (1);
  • Votuporanga (1);
  • Pindamonhangaba (2);
  • Taubaté (2);
  • Tremembé (1).

Conforme a colunista, o decreto permitirá a alocação de novos recursos para o combate à doença no estado, com o suporte do Ministério da Saúde. Mais contratações de serviços e compras de equipamentos poderão ser feitas para minimizar os impactos.


Brasil tem sido duramente afetado pela dengue
Foto: EPA / Ansa – Brasil

Em fevereiro, o governo criou o Centro de Operações de Emergências (COE) de combate ao Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, Chikungunya e Zika.

Coordenado pela SES, o COE reúne outras sete secretarias estaduais – Casa Civil, Casa Militar e Defesa Civil, Segurança Pública, Desenvolvimento Social, Comunicação, Educação, Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística -, além do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems).

A primeira medida adotada no âmbito do COE foi a destinação de R$ 200 milhões do tesouro estadual às prefeituras dos 645 municípios paulistas para o enfrentamento direto ao mosquito.

Somente neste ano, o Brasil já confirmou 214 mortes pela doença e outros 687 óbitos estão em investigação, sob a suspeita de também terem sido consequência da dengue. A taxa de incidência já chega a 501 casos por 100 mil habitantes.

A estimativa é de que até o final do ano, o país registre cerca de 4,2 milhões de casos de dengue, considerado um recorde histórico. Vários fatores influenciam para a explosão de casos, desde as mudanças climáticas até a volta de circulação de outros sorotipos.

https://www.terra.com.br/amp/story/vida-e-estilo/saude/dengue-conheca-os-sintomas-da-doenca,80b5fba45bc82c00bda681c5489b955fyhou433q.html

Dengue: conheça os sintomas da doença

Sintomas da dengue

Febre alta;
Dor atrás dos olhos;
Dor no corpo;
Manchas avermelhadas na pele;
Coceira;
Náuseas; 
Dores musculares e articulares.

Recomendações para eliminação de criadouros do Aedes aegypti

Eliminar pratos de plantas ou utilizar um prato justo ao vaso, que não permita acúmulo de água;
Descartar pneus usados em postos de coleta da Prefeitura;
Retirar objetos que acumulem água de quintais, como potes e garrafas;
Verificar possíveis vazamentos em qualquer fonte de água;
Tampar ralos;
Manter o vaso sanitário sempre fechado;
Identificar sinais de umidade em calhas e lajes;
Verificar a presença de organismos vivos em águas de piscinas ou fontes ornamentais.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Fonte: Redação Terra


Compartilhar