Governo de SP inaugura estruturas flutuantes no interior

Governo de SP inaugura estruturas flutuantes no interior

18 de março de 2024 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Investimentos podem triplicar arrecadação financeira e dobrar o número de turistas em Pederneiras, Timburi e Avaré, segundo a Secretaria de Turismo e Viagens de SP

Em uma iniciativa inédita e investimento de mais de R$ 4 milhões, o Governo do Estado de São Paulo e a Secretaria de Turismo e Viagens de São Paulo (Setur-SP) inauguraram, neste fim de semana, as primeiras estruturas náuticas de uso público nos municípios de Pederneiras, às margens do Tietê; Timburi, banhado pelo Paranapanema; e Avaré, na represa de Jurumirim.

O secretário de Turismo e Viagens, Roberto de Lucena, assinou o convênio transferindo a operação das passarelas, píeres flutuantes e sistemas de ancoragem, além de apoios em terra para a prefeitura de cada um dos municípios. 

As cerimônias aconteceram na presença dos prefeitos anfitriões, deputados estaduais, representantes da Marinha do Brasil e autoridades locais.

“É uma realização que nos enche de orgulho porque cria novas oportunidades a partir do potencial dos rios de SP e ajuda a desenvolver a economia do turismo, gerando empregos de forma sustentável”, disse o secretário Lucena.

As estruturas náuticas estimulam a parada de barcos, lanchas e motos aquáticas; facilitando o embarque e o desembarque de passageiros.

A entrega é resultado de um plano de desenvolvimento de grande impacto em 13 municípios do interior paulista: Araçatuba, Pereira Barreto, Rubineia, Três Fronteiras, Fartura, Piraju, Sales, Timburi, Mira Estrela, Presidente Epitácio e Rosana, além dos três já citados. 

Em Pederneiras, a Secretaria investiu R$ 1,3 milhão nas estruturas náuticas; em Timburi, R$ 1,32 milhão e em Avaré, R$ 1,39 milhão.

Se considerados os 13 municípios paulistas contemplados pelo projeto, foram R$ 30 milhões em recursos do Governo de SP, investimentos que devem elevar o número de turistas e excursionistas, que atualmente não ultrapassa 1,82 milhão por ano, para 3,12 milhões até 2032.

Já a movimentação financeira direta e indireta nestes municípios deve triplicar: de R$ 138 milhões por ano para mais de R$ 523 milhões no mesmo período, segundo projeção do Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET).

São Paulo tem um dos maiores potenciais para o turismo náutico do continente. São 4.200 Km de rios navegáveis e mais de 50 grandes reservatórios cercados por vegetação, além de 880 Km de costa marítima.

O turismo náutico é uma forma sustentável de desenvolver um destino e aproveitar as riquezas naturais que ele possui, além de promover a consciência ambiental e gerar emprego e renda para a população.

Ao classificar as estruturas náuticas como infraestruturas de interesse público, o Governo de SP induz o desenvolvimento de toda a cadeia, com amplo impacto socioeconômico. 

Setor em alta 

O turismo náutico cresceu no Brasil e no mundo nos últimos anos, especialmente durante a pandemia. A procura por ambientes abertos e pelo contato com a natureza elevaram a procura dos turistas a fazerem a locação de barcos, lanchas e motos aquáticas, de acordo com dados da Associação Brasileira de Construtores de Barcos e Implementos (Acobar), com crescimento de 10% ao ano, nos últimos cinco anos.

Estima-se que uma instalação de apoios náuticos para 300 embarcações tenha impacto direto, indireto e induzido de R$ 141 milhões por ano na economia local e garanta 780 postos de trabalho, de acordo com a Acobar e a Lidera Consultoria.

Os empregos são gerados de forma direta e indireta em instalações como marinas, estaleiros, fabricantes e fornecedores de embarcações, além de hotéis, restaurantes e comércio local.

Potencial e investimentos públicos

O Programa de Estruturas Náuticas do Governo de SP tem a finalidade de atender às necessidades da navegação de esporte, turismo e lazer.

Também contribui com o uso sustentável das águas paulistas, organizando a entrada e saída das embarcações e mantendo a biodiversidade ambiental em suas margens.

O programa ainda é indutor de investimentos, estruturação e fomento, com foco no aumento de fluxo turístico, receita e empregos nos municípios, a partir da qualificação da atividade náutica.

Com o Programa foi lançada uma cartilha com o passo a passo de como implantar uma infraestrutura náutica e uma página com informações com as disponibilidades de atividades para o turista usufruir do turismo náutico no Estado.

Ainda este semestre, o turismo náutico se torna política pública com a aprovação do Plano Estadual de Turismo Náutico de SP, construído em colaboração com os municípios, empreendedores e população.

Acesse a página aqui


Compartilhar